4 Técnicas de Contar Histórias para Aumentar as Vendas

Todos nós já ouvimos e sabemos o que é um elevator pitch, ou em Português, discurso de elevador, que é um breve discurso onde explicamos o nosso negócio em 30 segundos ou menos, que é mais ou menos o tempo que pode demorar de ir do resto de chão ao andar onde vamos sair com a pessoa com quem estamos a falar. Mas e se… o nosso discurso é, sei lá, um bocadinho aborrecido?

1. Pratica a tua mensagem

Escrever para ser ouvido (televisão ou apresentação de vendas) é diferente de escrever para ser visto (jornal, anúncio). Adapta a tua mensagem para que a tua apresentação não pareça uma coisa genérica ou comum. Não deves ter um discurso igual para toda a gente, mas deves prepará-lo para estares pronto para o dizer numa variedade de situações. O que interessa é que não pareça um discurso decorado.

2. Usa tópicos

Não queres parecer que decoraste o teu discurso, queres que seja uma coisa que soa naturalmente. Se soa a que decoraste o teu discurso as pessoas categorizam-te como um vendedor ou alguém que não se preparou e não é profisisonal. O que tu queres é um momento espontâneo que possas partilhar com o teu público/pessoa. Não vais ter a mesma resposta ao memorizar tudo, do que se puderes adaptar o teu pequeno discurso à situação. Fala de forma natural, fica relaxado e mantém contato visual com as pessoas a quem estás a falar. Como forma de te preparares, o ato de escreveres o que queres dizer pode ajudar a te lembrares. Leva contigo os tópicos num pequeno bloco de notas, folhas, ou cartões de índices que podes usar como cábulas.

3. Começa bem, acaba bem

A introdução deve captar a atenção de quem te está a ouvir, enquanto que o fim deve ter um forte e claro apelo à ação. O que é que há a ganhar ou a perder na situação para o potencial cliente? Porque é que a pessoa que te está a ouvir se deve sequer interessar? O que é que lhe podes oferecer que ele ache que seja vantajoso para ele ou ela?

4. Torna a coisa pessoal

Faz com que as pessoas se conectem contigo a um nível pessoal com qualquer produto ou serviço que estejas a vender. Por exemplo, se vendesses serviços de consultoria em engenharia mecânica de cruzeiros, poderias citar pesquisas, estudos de caso, investigações feitas nesse mercado, e listar vantagens e desvantagens, mas se em vez disso, mostrares um vídeo de um barco de grande porte a bater num porto por falha mecânica, a pessoa que está do lado de lá vai-se lembrar disso, porque uma experiência forte e pessoal vende melhor do que sem ela.

Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe um comentário