5 erros anuncios facebook

5 Erros Anúncios Facebook

A segmentação do Facebook vai mesmo a fundo em quem podemos definir como as pessoas que vão ver os nossos anúncios: empreendedores acima de 30, que fazem compras de luxo, não têm filhos, visitaram o seu site nos últimos 60 dias e estiveram em Miami nas férias do ano passado – MAS isso não ajuda nada se fizer estes erros.

São estes os 5 erros mais comuns em anúncios Facebook que quase todos fazemos, e como os corrigir.

Por exemplo, quão frequentemente e especificamente deve testar os seus anúncios Facebook? Ou, qual a melhor maneira de editar um anúncio – sem estragar as suas métricas.

O que é mais importante: vendas ou obter conversões? E quão importante é as visualizações de vídeo? A resposta poderá ser uma surpresa para si.

Erro#1

Só há uma maneira correta de fazer as coisas

O primeiro erro que vejo as pessoas fazerem é pensarem que existe uma maneira correta para tudo. É como se houvesse uma maneira certa e uma maneira errada.

Homem com bola pesada

Muito disto está relacionado com o produto ou serviço que eles têm, e da oferta que querem dar para que as pessoas se convertam (lista de emails). Eles pensam que há uma única maneira correta de fazer as coisas.

Mas não há uma única maneira de fazer as coisas. É preciso experimentar, é preciso testar.

Vamos supor que você vai fazer uma transmissão em direto (Facebook Live) em determinado tópico, com o objetivo de vender o seu produto ou serviço no final.

E suponha que esse Facebook Live foi um desastre: ninguém comprou nada. Não significa que o Live tenha sido um fracasso. Talvez tenha sido o tópico ou a maneira como conseguiu inscrever as pessoas para esse Live. Se promete dar uma aula sobre como plantar tomates na sua horta, não vá dar uma aula sobre plantar cebolas.

Experimente coisas novas, não se fique por aquela “única” maneira que pensa ser a mais correta.

Até pode estudar todos os meus artigos de anúncios, ser um dos meus alunos avançados do curso do Domínio Completo em anúncios Facebook, fazer tudo passo a passo, e ainda assim ter poucas leads para a sua landing page ou FB Live, e depois pensar que há qualquer coisa de errado com os seus anúncios.

Mas provavelmente o maior problema é o tema do seu webinar/FB Live, que pode não ser apelativo para a sua audiência, e eles não se sentem incentivados o suficiente para lhe dar o seu nome e email na landing page para se registarem para esse webinar/live/landing page.

Para isso é necessário que compreenda bem o seu público-alvo.

Uma das formas mais fáceis de saber isso é quando as pessoas se juntam à sua lista de emails, e perguntar-lhes qual os maiores desafios com que se deparam atualmente – ou seja o que for que lhes queira perguntar.

Fazer surveys (inquéritos) a pessoas

Pode fazer isto ao enviar-lhe um pequeno inquérito para saber mais sobre eles.

Por exemplo, pode ser tão simples quanto ter um link para o Google Forms na thank you page do lead magnet/webinar, do género “clique aqui para responder a duas perguntas rápidas”.

Nesse Google Forms teria apenas duas perguntas: 1) qual é o seu negócio, e 2) qual o maior problema que sente no seu negócio.

Isto não só lhe vai dar o segmento de mercado em que essas pessoas estão, mas também o desafio que têm na sua atividade. E o mais interessante é que vai começar a ver padrões em certos nichos, por exemplo, pessoas com clínicas têm X tipo de de problemas, pessoas no imobiliário tem Y tipo de problemas, etc.

Assim poderá orientar a linguagem no seu FB Live/webinar e dar exemplos mais apropriados. Por exemplo, se souber que a maioria das pessoas são da área imobiliária, eu iria dar exemplos sobre como usar anúncios para colocar as pessoas no meu funil e vender mais casas ou obter mais listagens.

E isto não tem de ser apenas para B2B. Imagine que é um Life Coach. Pode colocar um inquérito na tal thank you page em que as duas perguntas que coloca às pessoas podem ser algo como 1) Qual o maior desafio que sente na sua vida e 2) O que espera obter deste webinar/FB Live?

Erro #2

Escolher o objetivo de campanha errado

O objetivo de campanha é a primeira coisa que escolhemos ao criar uma campanha.

Tipos de anúncios no Facebook.

O objetivo é uma das coisas em que as pessoas tropeçam porque por vezes não sabem o que escolher aqui.

Você deve escolher o objetivo que mais se alinha com o propósito da sua campanha.

Ou seja…

Se quer que as pessoas se inscrevam para o seu webinar, Facebook Live, ou oferta na sua landing page, escolha o objetivo de Conversões.

Vai escolher o objetivo de Conversões, porque é isso que você quer, que as pessoas se convertam na sua landing page, seja para se inscreverem para receberem o seu ebook, ou para o seu webinar ou fb live.

Conversões - tipo de anúncio Facebook

Ao escolher esse objetivo está a dizer ao algoritmo do Facebook para mostrar o seu anúncio ao maior número possível de pessoas dentro do público-alvo que segmentou, daqueles que estão mais propensos de tomar aquela ação, ou seja, converterem-se na sua landing page.

Vamos supor que tem um alcance potencial de 1 milhão de pessoas no público-alvo que definiu. Você não vai chegar a 1 milhão de pessoas.

Porque nem todas dessas pessoas desse 1 milhão estarão propensas para tomar a ação que você escolheu como objetivo.

Se o seu objetivo é conversões, nem todas essas pessoas estarão com vontade de se converterem. O Facebook irá mostrar o seu anúncio às pessoas dentro daquele público que estarão com maior probabilidade de se converterem.

Eis outro exemplo.

Um outro objetivo de campanha que se costuma usar muito é o Tráfego.

Tráfego - tipo de anúncio Facebook

Este objetivo de tráfego tem, como objetivo, levar as pessoas para o seu site.

Assim, o Facebook iria mostrar o seu anúncio ao conjunto de pessoas, dentro do público que definiu, que estão mais propensas para clicarem no anúncio e irem para a sua landing page.

Note que aqui o objetivo é cliques (Tráfego), ou seja, as pessoas clicarem no seu anúncio, e não necessariamente que elas se inscrevam (Conversão) na sua landing page.

Muitas vezes, as pessoas confundem Tráfego com Conversões. Mas você deve escolher o objetivo que mais se alinha com aquilo que quer.

Se eu quero que as pessoas vão ao meu blog para ler um artigo, eu escolheria Tráfego como objetivo, porque quero que cliquem no anúncio e vão ler o meu artigo; se eu quisesse lead numa landing page em que ofereço um pequeno guia em PDF, então eu escolheria Conversões.

Faz sentido?

Já agora, a razão pela qual faço anúncios para levar pessoas para ler os meus artigos é porque depois lhes posso fazer Retargeting, ou seja, mostrar anúncios a pessoas que já estiveram no meu site.

A vantagem disto é que estas pessoas já estão “mornas” e familiarizadas com a minha marca, porque estiveram a ler algum dos meus artigos.

Outra coisa em que as pessoas se confundem é, “se estou a criar um anúncio com vídeo, então o meu objetivo deverá ser ‘visualizações de vídeo'”?

Nem por isso.

Visualizações de vídeo - tipo de anúncio Facebook

Mesmo que esteja a fazer um anúncio que tem um vídeo (em vez duma imagem), se o seu objetivo é que as pessoas se inscrevam na sua landing page, então o objetivo que deve escolher é “Conversões”.

Mas, se aquilo que quer é divulgar a sua marca e não se interessa com cliques nem conversões, então tudo bem, pode escolher o objetivo de Visualizações de vídeo.

A lição a tirar deste exemplo é: mesmo que crie anúncios que tenham um vídeo, não significa que tenha de escolher Visualizações de vídeo como objetivo, se aquilo que você quer é que as pessoas se convertam na sua landing page (aí deve escolher Conversões).

Erro #3

Não testar o suficiente
ou…
Testar demasiado

Parece confuso?

Um problema que vejo os anunciantes fazerem é não testarem o suficiente… ou testarem demasiado.

Muitos anunciantes no Facebook criam os seus anúncios mas depois não experimentam coisas novas, não testam as coisas.

Se não testarmos, não sabemos como melhorar, porque pode haver certos anúncios que poderíamos ter criado, fazendo um teste A/B com outro anúncio, para determinar qual o “vencedor”.

Para isso é necessário testar.

Mas testar com juízo, e apenas um elemento de cada vez, porque se testar muitas coisas ao mesmo tempo não sabe qual dos elementos novos que mudou está a dar melhor desempenho ao anúncio.

Teste A/B Facebook

Não mude cinco coisas ao mesmo tempo no anúncio.

Se duplicou um anúncio, não mude o texto, a imagem, o título e o apelo à ação tudo duma vez. Assim não sabe o que está a funcionar.

No exemplo da imagem anterior apenas mudei o Título do anúncio. (Sei que é contraintuitivo que aquilo que o Facebook chama de “Título” apareça por baixo da imagem, mas é assim)

O que pode fazer é duplicar o anúncio, com tudo exatamente igual, mas, por exemplo, mudar só a imagem do anúncio, ou então mudar só o título, ou mudar só o texto.

Assim terá dois anúncios em que pode testar um contra o outro para saber qual será o vencedor.

Até pode testar um anúncio de imagem vs um anúncio de vídeo, ou seja, dois anúncios iguais (texto, título, etc.) à exceção que um tem uma imagem e outro tem um vídeo. Poderá ser uma boa experiência a fazer.

Erro #4

Não dar tempo suficiente aos seus anúncios

Tenho clientes de coaching meus que criam um anúncio de manhã e à hora de almoço já estão a ver as estatísticas.

Não seja calhandreiro(a) 🙂

Gato a ver Macbook air

É necessário dar tempo ao algoritmo do Facebook.

Não olhe para os seus anúncios nas primeiras 24-36 horas, e não faça alterações nas primeiras 72 horas.

Qual a diferença? Bem, ao fim de 24-36 horas pode dar uma espreitadela aos seus anúncios e começar a tirar algumas conclusões, mas não aja nessas conclusões (não faça alterações) aos seus anúncios até 72 horas tiverem passado.

A exceção a isto é se estiver a fazer um anúncio que tem uma certa pressão a nível de tempo, ou seja, um anúncio que é só para correr hoje e amanhã. Aí deve adaptar-se à coisa e fazer o que acha ser mais apropriado no seu caso.

Eis uma pergunta interessante que me colocaram:

“Se e quando for altura de fazer uma mudança a algum anúncio, deveremos fazê-la enquanto o anúncio estiver ativo?”

Suponha que quer mudar o título do anúncio, que é esse o elemento que quer testar. Será que deve ir ao anúncio, editá-lo e mudar o título.

Não.

Pause o anúncio. Duplique-o e depois faça a mudança que quer e reinicie o anúncio original.

Quando cria os seus anúncios, o algoritmo do Facebook está a estudar o anúncio para o mostrar às pessoas mais apropriadas do seu público.

Se fizer mudanças a meio caminho vai estragar a análise feita pelo algoritmo.

Dê tempo ao tempo, e dê tempo aos seus anúncios antes de olhar para eles e de começar a fazer alterações.

Erro #5

Não analisar as métricas certas

Olhe para as estatísticas que são mais importantes, aquelas que estão mais alinhadas com o objetivo da campanha que escolheu.

Se o seu objetivo é ter pessoas a inscreverem-se na sua landing page, então o métrica n.º1 a analisar é o custo por lead (e o objetivo que deverá ter escolhido é “Conversões”).

Custo por resultado de campanhas FB Live

Da mesma forma, se o seu objetivo é enviar pessoas para um artigo no seu blog para lhes fazer retargeting, então o seu objetivo é “Tráfego”.

Nesse caso, a métrica que eu iria querer ver seria o custo por clique (que também é mostrado na imagem anterior).

A partir daí, iria ver outras métricas semelhantes. Por exemplo, o CTR (taxa de cliques).

Mas escolha as métricas que se alinham mais com o objetivo que escolheu.

Depois, com base nisso, pode ir então ver outras métricas, as que eu chamo de “métricas de resolução de problemas”, tais como:

  • CTR (taxa de cliques)
  • Classificação de relevãncia (1-10)
  • Frequência (manter entre 1-4)
  • Taxa de conversão

Mencionei estas métricas num outro artigo que escrevi, Como Organizar & Analisar Anúncios Facebook – dê uma espreitadela a esse artigo.

Mas avançando…

Veja primeiro a métrica principal que está alinhada com o seu objetivo de campanha, e depois veja estas métricas de resolução de problemas, para ajudar a perceber a saúde dos seus anúncios e o tipo de mudanças que pode vir a fazer.

Nota final

Estamos a usar a palavra “erros”, e é verdade, são erros. Mas tudo isto é um processo de aprendizagem.

Ninguém nasce ensinado. Se “estragar” o seu objetivo, no problem’o. Está a aprender.

Arnold Schwarzenegger thumbs up

Irá perceber que eventualmente irá escolher outro objetivo. É uma questão de testar e experimentar as coisas.

É como se não existissem “erros”, e que tudo isto é uma “aprendizagem”.

Desejo-lhe muito sucesso nas suas campanhas.

Se estiver preparado para levar o seu negócio ao próximo nível, faça o curso online (premium) do Domínio Completo, que lhe irá dar tudo o que precisa saber para fazer anúncios com retorno no Facebook.

Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe um comentário