5 Erros Anúncios Facebook

5 erros anuncios facebook

A segmentação do Facebook vai mesmo a fundo em quem podemos definir como as pessoas que vão ver os nossos anúncios: empreendedores acima de 30, que fazem compras de luxo, não têm filhos, visitaram o seu site nos últimos 60 dias e estiveram em Miami nas férias do ano passado – MAS isso não ajuda nada se fizer estes erros.

São estes os 5 erros mais comuns em anúncios Facebook que quase todos fazemos, e como os corrigir.

Por exemplo, quão frequentemente e específicamente deve testar os seus anúncios Facebook? Ou, qual a melhor maneira de editar um anúncio – sem estragar as suas métricas.

O que é mais importante: vendas ou obter conversões? E quão importante são as visualizações de vídeo? A resposta poderá ser uma surpresa para si.

Erro#1

Só há uma maneira correta de fazer as coisas

O primeiro erro que vejo as pessoas fazerem é pensarem que existe uma maneira correta para tudo. É como se houvesse uma maneira certa e uma maneira errada.

Homem com bola pesada

Muito disto está relacionado com o produto ou serviço que eles têm, e da oferta que querem dar para que as pessoas se convertam (lista de emails). Eles pensam que há uma única maneira correta de fazer as coisas.

Mas não há uma única maneira de fazer as coisas. É preciso experimentar, é preciso testar.

Vamos supor que você vai fazer uma transmissão em direto (Facebook Live) em determinado tópico, com o objetivo de vender o seu produto ou serviço no final.

E suponha que esse Facebook Live foi um desastre: ninguém comprou nada. Não significa que o Live tenha sido um fracasso. Talvez tenha sido o tópico ou a maneira como conseguiu inscrever as pessoas para esse Live. Se promete dar uma aula sobre como plantar tomates na sua horta, não vá dar uma aula sobre plantar cebolas.

Experimente coisas novas, não se fique por aquela “única” maneira que pensa ser a mais correta.

Até pode estudar todos os meus artigos de anúncios, ser um dos meus alunos avançados do curso do Domínio Completo em anúncios Facebook, fazer tudo passo a passo, e ainda assim ter poucas leads para a sua landing page ou FB Live, e depois pensar que há qualquer coisa de errado com os seus anúncios.

Mas provavelmente o maior problema é o tema do seu webinar/FB Live, que pode não ser apelativo para a sua audiência, e eles não se sentem incentivados o suficiente para lhe dar o seu nome e email na landing page para se registarem para esse webinar/live/landing page.

Para isso é necessário que compreenda bem o seu público-alvo.

Uma das formas mais fáceis de saber isso é quando as pessoas se juntam à sua lista de emails, e perguntar-lhes qual os maiores desafios com que se deparam atualmente – ou seja o que for que lhes queira perguntar.

Fazer surveys (inqueritos) a pessoas

Pode fazer isto ao enviar-lhe um pequeno inquérito para saber mais sobre eles.

Por exemplo, pode ser tão simples quanto ter um link para o Google Forms na thank you page do lead magnet/webinar, do género “clique aqui para responder a duas perguntas rápidas”.

Nesse Google Forms teria apenas duas perguntas: 1) qual é o seu negócio, e 2) qual o maior problema que sente no seu negócio.

Isto não só lhe vai dar o segmento de mercado em que essas pessoas estão, mas também o desafio que têm na sua atividade. E o mais interessante é que vai começar a ver padrões em certos nichos, por exemplo, pessoas com clínicas têm X tipo de de problemas, pessoas no imobiliário tem Y tipo de problemas, etc.

Assim poderá orientar a linguagem no seu FB Live/webinar e dar exemplos mais apropriados. Por exemplo, se souber que a maioria das pessoas são da área imobiliária, eu iria dar exemplos sobre como usar anúncios para colocar as pessoas no meu funil e vender mais casas ou obter mais listagens.

E isto não tem de ser apenas para B2B. Imagine que é um Life Coach. Pode colocar um inquérito na tal thank you page em que as duas perguntas que coloca às pessoas podem ser algo como 1) Qual o maior desafio que sente na sua vida e 2) O que espera obter deste webinar/FB Live?

Erro #2

Escolher o objetivo de campanha errado

O objetivo de campanha é a primeira coisa que escolhemos ao criar uma campanha.

Tipos de anúncios no Facebook.

O objetivo é uma das coisas em que as pessoas tropeçam porque por vezes não sabem o que escolher aqui.

Você deve escolher o objetivo que mais se alinha com o propósito da sua campanha.

Ou seja…

Se quer que as pessoas se inscrevam para o seu webinar, Facebook Live, ou oferta na sua landing page, escolha o objetivo de Conversões.

Vai escolher o objetivo de Conversões, porque é isso que você quer, que as pessoas se convertam na sua landing page, seja para se inscreverem para receberem o seu ebook, ou para o seu webinar ou fb live.

Conversões - tipo de anúncio Facebook

Ao escolher esse objetivo está a dizer ao algoritmo do Facebook para mostrar o seu anúncio ao maior número possível de pessoas dentro do público-alvo que segmentou, daqueles que estão mais propensos de tomar aquela ação, ou seja, converterem-se na sua landing page.

Vamos supor que tem um alcance potencial de 1 milhão de pessoas no público alvo que definiu. Você não vai chegar a 1 milhão de pessoas.

Porque nem todas dessas pessoas desse 1 milhão estarão propensas para tomar a ação que você escolheu como objetivo.

Se o seu objetivo é conversões, nem todas essas pessoas estarão com vontade de se converterem. O Facebook irá mostrar o seu anúncio às pessoas dentro daquele público que estarão com maior probabilidade de se converterem.

Eis outro exemplo.

Um outro objetivo de campanha que se costuma usar muito é o Tráfego.

Tráfego - tipo de anúncio Facebook

Este objetivo de tráfego tem, como objetivo, levar as pessoas para o seu site.

Assim, o Facebook iria mostrar o seu anúncio ao conjunto de pessoas, dentro do público que definiu, que estão mais propensas para clicarem no anúncio e irem para a sua landing page.

Note que aqui o objetivo é cliques (Tráfego), ou seja, as pessoas clicarem no seu anúncio, e não necessariamente que elas se inscrevam (Conversão) na sua landing page.

Muitas vezes, as pessoas confundem Tráfego com Conversões. Mas você deve escolher o objetivo que mais se alinha com aquilo que quer.

Se eu quero que as pessoas vão ao meu blog para ler um artigo, eu escolheria Tráfego como objetivo, porque quero que cliquem no anúncio e vão ler o meu artigo; se eu quisesse lead numa landing page em que ofereço um pequeno guia em PDF, então eu escolheria Conversões.

Faz sentido?

Já agora, a razão pela qual faço anúncios para levar pessoas para ler os meus artigos é porque depois lhes posso fazer Retargeting, ou seja, mostrar anúncios a pessoas que já estiveram no meu site.

A vantagem disto é que estas pessoas já estão “mornas” e familiarizadas com a minha marca, porque estiveram a ler algum dos meus artigos.

Outra coisa em que as pessoas se confundem é, “se estou a criar um anúncio com vídeo, então o meu objetivo deverá ser ‘visualizações de vídeo'”?

Nem por isso.

Visualizações de vídeo - tipo de anúncio Facebook

Mesmo que esteja a fazer um anúncio que tem um vídeo (em vez duma imagem), se o seu objetivo é que as pessoas se inscrevam na sua landing page, então o objetivo que deve escolher é “Conversões”.

Mas, se o aquilo que você quer é divulgar a sua marca e não se interessa com cliques nem conversões, então tudo bem, pode escolher o objetivo de Visualizações de vídeo.

A lição a tirar deste exemplo é: mesmo que crie anúncios que tenham um vídeo, não significa que tenha de escolher Visualizações de vídeo como objetivo, se aquilo que você quer é que as pessoas se convertam na sua landing page (aí deve escolher Conversões).

Erro #3

Não testar o suficiente
ou…
Testar demasiado

Parece confuso?

Um problema que vejo os anunciantes fazerem é não testarem o suficiente… ou testarem demasiado.

Muitos anunciantes no Facebook criam os seus anúncios mas depois não experimentam coisas novas, não testam as coisas.

Se não testarmos, não sabemos como melhorar, porque pode haver certos anúncios que poderíamos ter criado, fazendo um teste A/B com outro anúncio, para determinar qual o “vencedor”.

Para isso é necessário testar.

Mas testar com juízo, e apenas um elemento de cada vez, porque se testar muitas coisas ao mesmo tempo não sabe qual dos elementos novos que mudou está a dar melhor desempenho ao anúncio.

Teste A/B Facebook

Não mude cinco coisas ao mesmo tempo no anúncio.

Se duplicou um anúncio, não mude o texto, a imagem, o título e o apelo à ação tudo duma vez. Assim não sabe o que está a funcionar.

No exemplo da imagem anterior apenas mudei o Título do anúncio. (Sei que é contra-intuitivo que aquilo que o Facebook chama de “Título” apareça por baixo da imagem, mas é assim)

O que pode fazer é duplicar o anúncio, com tudo exatamente igual, mas, por exemplo, mudar só a imagem do anúncio, ou então mudar só o título, ou mudar só o texto.

Assim terá dois anúncios em que pode testar um contra o outro para saber qual será o vencedor.

Até pode testar um anúncio de imagem vs um anúncio de vídeo, ou seja, dois anúncios iguais (texto, título, etc) à exceção que um tem uma imagem e outro tem um vídeo. Poderá ser uma boa experiência a fazer.

Erro #4

Não dar tempo suficiente aos seus anúncios

Tenho clientes de coaching meus que criam um anúncio de manhã e à hora de almoço já estão a ver as estatísticas.

Não seja calhandreiro(a) 🙂

Gato a ver Macbook air

É necessário dar tempo ao algoritmo do Facebook.

Não olhe para os seus anúncios nas primeiras 24-36 horas, e não faça alterações nas primeiras 72 horas.

Qual a diferença? Bem, ao fim de 24-36 horas pode dar uma espreitadela aos seus anúncios e começar a tirar algumas conclusões, mas não aja nessas conclusões (não faça alterações) aos seus anúncios até 72 horas tiverem passado.

A exceção a isto é se estiver a fazer um anúncio que tem uma certa pressão a nível de tempo, ou seja, um anúncio que é só para correr hoje e amanhã. Aí deve adaptar-se à coisa e fazer o que acha ser mais apropriado no seu caso.

Eis uma pergunta interessante que me colocaram:

“Se e quando for altura de fazer uma mudança a algum anúncio, deveremos fazê-la enquanto o anúncio estiver ativo?”

Suponha que que quer mudar o título do anúncio, que é esse o elemento que quer testar. Será que deve ir ao anúncio, editá-lo e mudar o título.

Não.

Pause o anúncio. Duplique-o e depois faça a mudança que quer e reinicie o anúncio original.

Quando cria os seus anúncios, o algoritmo do Facebook está a estudar o anúncio para o mostrar às pessoas mais apropriadas do seu público.

Se fizer mudanças a meio caminho vai estragar a análise feita pelo algoritmo.

Dê tempo ao tempo, e dê tempo aos seus anúncios antes de olhar para eles e de começar a fazer alterações.

Erro #5

Não analisar as métricas certas

Olhe para as estatísticas que são mais importantes, aquelas que estão mais alinhadas com o objetivo da campanha que escolheu.

Se o seu objetivo é ter pessoas a inscreverem-se na sua landing page, então o métrica n.1 a analisar é o custo por lead (e o objetivo que deverá ter escolhido é “Conversões”).

Custo por resultado de campanhas FB Live

Da mesma forma, se o seu objetivo é enviar pessoas para um artigo no seu blog para lhes fazer retargeting, então o seu objetivo é “Tráfego”.

Nesse caso, a métrica que eu iria querer ver seria o custo por clique (que também é mostrado na imagem anterior).

A partir daí, iria ver outras métricas semelhantes. Por exemplo, o CTR (taxa de cliques).

Mas escolha as métricas que se alinham mais com o objetivo que escolheu.

Depois, com base nisso, pode ir então ver outras métricas, as que eu chamo de “métricas de resolução de problemas”, tais como:

  • CTR (taxa de cliques)
  • Classificação de relevãncia (1-10)
  • Frequência (manter entre 1-4)
  • Taxa de conversão

Mencionei estas métricas num outro artigo que escrevi, Como Organizar & Analisar Anúncios Facebook – dê uma espreitadela a esse artigo.

Mas avançando…

Veja primeiro a métrica principal que está alinhada com o seu objetivo de campanha, e depois veja estas métricas de resolução de proiblemas, para ajudar a perceber a saúde dos seus anúncios e o tipo de mudanças que pode vir a fazer.

Nota final

Estamos a usar a palavra “erros”, e é verdade, são erros. Mas tudo isto é um processo de aprendizagem.

Ninguém nasce ensinado. Se “estragar” o seu objetivo, no problem’o. Está a aprender.

Arnold Schwarzenegger thumbs up

Irá perceber que eventualmente irá escolher outro objetivo. É uma questão de testar e experimentar as coisas.

É como se não existissem “erros”, e que tudo isto é uma “aprendizagem”.

Desejo-lhe muito sucesso nas suas campanhas.

Se estiver preparado para levar o seu negócio ao próximo nível, faça o curso online (premium) do Domínio Completo, que lhe irá dar tudo o que precisa saber fazer fazer anúncios com retorno no Facebook.

Entrar no LinkedIn sem erro

Entrar no LinkedIn sem erro

VEJA O VÍDEO

Psst. Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo

Se isto lhe acontece muita vez quando tenta aceder ao LinkedIn… eis uma dica para entrar dentro do LinkedIn ultrapassando este erro.

Olá, o meu nome é João Alexandre e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Então é [assim], vai criar um novo separador, e vai a esta URL, que é basicamente a URL de como se fosse [publicar] um novo artigo.

E ao colocar um novo artigo nesta URL de linkedin.com/post/new, vai conseguir entrar dentro do LinkedIn.

E aqui está. Eu entrei dentro do LinkedIn, não preciso de es[tar] a criar um artigo, mas se eu quiser agora venho ao LinkedIn.com… e já consegui entrar.

Esta é uma alternativa de conseguir entrar dentro do LinkedIn através deste truque.

Um grande erro que está a fazer com os seus anúncios vídeo Facebook

Imagem artigo erro anuncios video

Está a fazer anúncios de vídeo para o seu produto ou serviço?

O vídeo tem explodido no Facebook nos últimos anos, e os anúncios de vídeo são mais baratos e por vezes convertem melhor. Mas há um GRANDE erro que os anunciantes fazem com os seus anúncios de vídeo.

Quem me conhece sabe que não faço anúncios na coluna da direita, mas desta vez decidi testar um anúncio de vídeo para desktop na feed de notícias; desktop na coluna da direita; e mobile na news feed (mobile não tem coluna da direita).

O anúncio de vídeo estava a funcionar bem, a copy (texto) estava em sintonia com o meu público que defini e parecia que estava tudo bem.

Até que vi um grande erro.

Quando estava a ver as estatísticas no Gestor de Anúncios (crio os anúncios no Power Editor mas vejo as métricas no Gestor de Anúncios), percebi que o anúncio da coluna da direita estava a ter cliques, mas não tinha conversões.

Fui ver a pré-visualização do anúncio, e foi aí que encontrei o erro.

Quando fazemos um anúncio na coluna da direita, ele não corre automaticamente como na feed de notícias. Tem um ícone de play por cima da imagem, mas não corre automaticamente.

Eis o exemplo do anúncio na coluna da direita.

Anúncio video coluna direita

Ao fazer anúncios de vídeo na coluna da direita, há dois sítios para clicar: 1) no botão de play e 2) na copy por baixo da imagem do vídeo.

E aqui está o erro:

Se não colocarmos o link para a landing page no texto do anúncio, aquele vídeo muita fixe para o qual está a pagar não os leva a lado nenhum.

Quando as pessoas clicam no botão de play para verem o seu anúncio de vídeo, o anúncio abre como um post numa pré-visualização grande e o vídeo começa a correr. Eis como pareceria quando alguém clicava no anúncio de play.

Anúncio de vídeo que abre em ecrã total

Esqueci-me de colocar o link no texto que criei. E também não coloquei a URL no vídeo em si.

Com um anúncio de vídeo na coluna da direita, temos de fazer com que seja fácil para as pessoas clicarem para irem para a página de destino (a sua landing page) para que elas se convertam ou tomem a ação que queremos que tomem.

Neste caso, queria que se inscrevessem para o mini-curso grátis de anúncios Facebook, mas não havia nenhum link para eles clicarem. É o que dá criar anúncios às 2 da manhã.

Quando eles clicam para sair da pré-visualização do vídeo de ecrã inteiro, é provavel que não se apercebam que têm de clicar no texto por baixo da imagem para serem levados para a landing page. Uma coisa tão pequena que pode fazer uma GRANDE diferença nas suas conversões e no custo dos seus anúncios.

Da próxima vez que fizer um anúncio de vídeo na coluna da direita, verifique se coloca a URL dentro do texto do anúncio, e também no vídeo em si.

O ideal é ganhar o hábito de colocar a URL dentro do texto de todos os seus anúncios para não ter de depender só dos apelos à ação de “Saiba Mais” ou “Regista-te”.

Carregar GIF nativo para Facebook

Carregar GIF nativo no Facebook

VEJA O VÍDEO

Psst. Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo

Neste vídeo vou-lhe mostrar como carregar um GIF nativamente para o Facebook.

Olá, o meu nome é João Alexandre e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Mostrar um GIF no Facebook não é novidade, mas aquilo que é novidade é que agora podemos carregar um GIF nativamente para o Facebook e não depender de sites externos.

Por exemplo, quando nós queríamos carregar antigamente um GIF para o Facebook tínhamos de usar um serviço [site] como o Giphy, no qual nós tinhamos de vir aqui e carregar o nosso GIF e depois pegar no link do Giphy e então colocar no nosso post.

E isto iria ficar algo como isto. isto é um exemplo dum post em que está a usar um GIF animado, portanto, vou clicar aqui para correr.

Isto para todos os efeitos é como se fosse qualquer outro GIF ou qualquer outro vídeo, mas, está a ser puxado a partir do Giphy, e se o utilizador clica aqui ele vai ter ao site do Giphy.

Mas agora o Facebook permite carregar um GIF de maneira diferente, permite carregá-lo nativamente.

E a maneira como isto vai parecer é assim. Basicamente é um post que eu criei que carreguei um GIF nativamente para o Facebook.

E como é que isto se faz? É fácil. Vá à sua página e faça para escrever um post. E agora adicione Foto ou Vídeo.

E você vai adicionar então o seu GIF… eu vou adicionar o meu.

E o GIF aparece como se estivesse a ser carregado como um vídeo. O Facebook está a carregá-lo como se fosse um vídeo, no entanto é uma imagem, é um GIF. Agora pode escrever o seu post.

E depois clicar em Publicar.

O seu GIF vai aparecer aqui a ser carregado, e quando acabar de carregar – porque isto para todos os efeitos o Facebook está a encarar isto como se fosse um vídeo – ele vai aparecer então no seu post.

Como o Facebook encara isto como um vídeo, se quiser aceder a este vídeo ou a este post para o apagar ou editar, bastava vir aqui à secção dos vídeos e aqui vai ver que ele está aqui, ou seja, este GIF conta como se fosse um vídeo, mesmo que tenha só 1 segundo como é o caso do meu.

E é assim que se carrega um GIF nativamente para o Facebook.

E-Commerce: 5 fatores para anúncios FB de sucesso

Ecommerce: anúncios facebook

Criar anúncios super segmentados para um público alvo específico é uma forma espetacular de conseguir converter tráfego e-comerce em vendas.

No entanto, não é tão fácil como alguns marketers pensam que é. Há alguns passos críticos que tem de os saber dar, caso contrário arrisca-se a perder dinheiro a torto e a direito.

Estes anúncios podem ser dos mais difíceis de criar, porque tem de estar empenhado a longo prazo. Mas se jogar bem os seus trunfos e seguir as orientações abaixo, vai ter resultados mensuráveis – e espetaculares.

5 fatores chave de anúncios de Facebook de sucesso para e-commerce

  • Público super específico
  • Anúncios carrossel com fotos de alta qualidade
  • Criar credibilidade com copy concisa
  • Investimento mensal em anúncios consistente
  • Retargeting pós-visualização

Esta técnica pode não funcionar para todas as lojas online. O meu objetivo é incentivá-lo(a) a pensar e saber como e onde segmentar o seu anúncio, o que colocar nas imagens, e acima de tudo, como eliminar as objeções de compra antes de alguém sequer clicar no seu anúncio.

Para isso, vou mostrar um estudo de caso dos meus, e como um custo de €7.50 por dia neste segmento de mercado gerou um aumento de 40% nas vendas ao utilizar os cinco fatores chave que escrevi acima.

O que estávamos a promover

Este meu cliente é uma joalharia online. Quando lançaram o website, tinham pouca perceção de marca e top of mind das pessoas. Além do mais, estão num mercado competitivo.

Para ajudar na perceção da marca, lançámos uma campanha de anúncios para levar pessoas para o website deles com base nos produtos que eles tinham que eram mais populares – anéis de noivado.

Estudos apontam que enquanto que os homens normalmente se envolvem na decisão de compra de anéis de noivado, eles não são os maiores investigadores e influenciadores na compra, nem estão particularmente entusiasmados com isso.

Por isso, criei uma campanha de anúncios Facebook orientada para pessoas do sexo feminino, aquelas que demonstraram interesse em anéis de noivado.

Ao longo dum período de 45 dias (bem avisei que é necessário estar neste jogo a longo prazo) com um orçamento pequeno, a campanha gerou um aumento de 1000% de pessoas vindas do Facebook, e um aumento de 40% de vendas nesse período.

Resultados ao fim de 180 dias

Gasto total: €1183.74
Alcance: 211840
Impressões: 420941
Cliques: 26531
Taxa de cliques: 5.21%
Custo por clique: €0.06

Anúncio para cliente

Fator #1: Público super específico

Uma coisa boa sobre ter um negócio online é que há concorrentes no seu nicho de mercado que estão a vender um produto MUITO semelhante. Assim, planeie o seu ataque tirando partido disto.

Para esta campanha, o cliente estava a vender anéis de npivado de qualidade: um mercado específico com interesses único num momento único da vida das pessoas.

Como resposta a este tipo de conjunto específico de pessoas, poderiámos ter criado uma campanha complexo cheia de interesses a corresponder a certos públicos, mas eu gosto de coisas simples e em vez disso criámos anúncios para um interesses específico, para uma das maiores empresas que vendem anéis de diamantes no mundo.

Agora, atenção. É preciso ter cuidado nestas coisas, porque por exemplo, alguém que gosta de Lamborghini Diablo’s não quer dizer que alguma tenha dinheiro para comprar um. Assim como muitas pessoas gostam de Rolex, mas não têm e nunca irão comprar um.

Mas neste caso, este interesse específo para que segmentámos (uma empresa concorrente maior que o meu cliente) vende anéis caros, mas é um tipo de “caro” que consegue ser comprado, porque é para uma etapa especial na vida das pessoas (anéis).

Como é que isto funcionou:

Esta empresa concorrente que segmentámos como concorrente correspondia a vários critérios do tipo de público que queríamos atingir.

A página concorrente tinha vários milhares de fãs no Facebook, fãs bem envolvidos com a marca, com bons posts. Aqui o objetivo era fazer anúncios durante um mês e evitar que seja mostrado repetidamente a um conjunto pequeno de pessoas.

A semelhança em comum que emulámos foi a atitude em torno de comprar um anél de diamante. Esta empresa foi fundada por um jovem que se queria casar e passou em primeira mão pelo desafio de encontrar um anél de noivado que fosse ao encontro dos valores dela e da ocasião especial a que se destinava.

“Valores dela” é a palavra-chave aqui. As pessoas que andam à procura de anéis de alta qualidade fazem-no porque são indivíduos que se valorizam a eles próprios e aos outros.

Eles não precisam do maior diamante possível, portanto atingir um conjunto de pessoas que gostam duma empresaa que vende anéis com diamantes perfeitos e grandes (e caríssimos) não seria uma boa escolha. Da mesma forma, também não seria uma boa escolha segmentar para empresas que produzem diamantes pequeninos em massa.

O ideal neste caso seria um anél de noivado bom, que represente bem os valores destas pessoas que queremos atingir, e que fique ali no meio termo – não sendo dos mais caros nem dos mais baratos.

Fãs envolvidos com a marca, um grande público, e um nicho de mercado idêntico, assim como os valores com que os clientes se identificam: é este o nível de detalhe que tornou esta segmentação uma campanha de sucesso.

Ponha isto a funcionar para si

Escreva 3-5 concorrentes seus que partilhem os mesmos valores dos seus potenciais cientes. Faça mesmo este trabalho de casa e aprofunde nisto para perceber o que é que estas pessoas estão à procura quando compram um produto semelhante ao seu.

Dica: use as Estatísticas do Público (Audience Insights) para saber mais sobre os fãs de concorrentes seus e perceber o que é que eles valorizam mais e saber se eles são uma boa escolha para os segmentar. Veja este vídeo para saber como encontrar Interesses com as Estatísticas do Público.

Fator #2: Anúncio Carrossel c/ fotos de qualidade

Se tem uma loja online (e-commerce), sabe a importância de fotos de alta qualidade e como elas podem ditar o resultado entre vender ou não vender.

Quando alguém não consegue mexer físicamente no produto, estamos forçados a usar os detalhes das fotos. E isto é particularmente verdade ao vender produtos muito caros.

Isto é importante para quando as pessoas estão a ver scrolling na News Feed à procura de memes, fotos, posts interessantes. Elas estão à procura de entretenimento, não necessariamente de anúncios seus.

Há duas opções que pode fazer quando quer que o utilizador que seja seu potencial cliente parar de fazer scrolling:

1) Pode criar um anúncio nativo que emula o aspeto dum post de anel de noivado como se tivesse sido publicado por um amigo; ou
2) Pode usar fotos de alta qualidade que chamam à atenção sore o produto.

Para parecer profissional no mundo online, ter fotos de alta qualidade é imprescindível. Por isso, sugiro aos meus clientes que tirem fotos e selecionem as melhores para usar nos anúncios Facebook.

Dica: se você for uma marca pessoal, invista em fotos suas (da sua cara, corpo). Contrate um estúdio de fotografia profissional. Não é só pela questão do equipamento deles ser melhor que a sua câmara XPTO do telemóvel, é porque eles têm um entendimento de luz, planos e ângulos que nós não temos.

Ponha isto a funcionar para si:

Escolha as fotos de maior qualidade dos melhores produtos da sua loja. Use o Photoshop se precisar ou faça outsourcing disto a um profissional para tornar as imagens mesmo espetaculares.

Dica: Crie um anúncio de carrossel de cinco fotos deixe que o Facebook otimize para a foto mais popular para aparecer primeiro (o Facebook chama-lhe “cartões” em vez de “imagens”)

Deixar Facebook escolher melhor imagem para mostrar primeiro num anúncio carrossel

Fator #3: Crie credibilidade com boa copy

A melhor coisa que pdoe fazer com o seu anúncio eCommerce é criar copy (texto) para matar objeções comuns.

“Está à procura dum aneil de noivado? Com +30 anos de experiência no mercado, aconselhe-se connosco para tornar o seu dia especial”

Primeiro, o anúncio começa com uma pergunta. Fazer uma pergunta direta ajuda a trazer mais tráfego (visitantes) qualificados porque sabemos que as pessoas que clicaram estão à procura dum anel.

Segundo, a copy do anúncio vai ao encontro da resposta a uma objeção comum que uma pessoa tem ao considerar comprar uma coisa cara na internet: “Será que posso confiar nesta empresa/compra?”

No mundo do e-commerce, é importante estabelecer credibilidade junto do seu cliente-alvo. Numa loja física, a confiança pode ser ganha facilmente porque há contacto humano. A pessoa pode mostrar as suas preocupações com um funcionário da loja que o acompanha na tomada de decisão de comprar.

Mas online, as coisas são diferentes.

E isto é particularmente verdade ao vender produtos muito caros. Ao vender um anél de diamante que possa custar +5000 euros, o fator de confiança é crítico. Nem toda a gente vai fazer uma compra destas assim sem mais nem menos.

Ao incluir o “+30 anos de experiência”, respondemos á primeira e segunda objeção, que é “Irei receber a minha encomenda?” e também “Posso confiar nesta empresa se tiver um problema?”

Com tantas empresas online, é importante para o cliente saber que isto é uma empresa que está no ativo há algumas décadas, e que está aqui para ficar nos próximos anos.

Depois, o “aconselhe-se connosco” responde a uma outra objeção comum no mundo das vendas, que é “Será que posso contar com eles para me darem conselho personalizado que iria ter se fosse a uma loja física?” Ao lidar com esta objeção, estamos a confortar o comprador que estão em boas mãos.

Ponha isto a funcionar para si:

Escreva 10 objeções comuns que tenha (ou espera ter) dos seus clientes e potenciais clientes.

Por exemplo, se estiver a vender um produto que é pesado, pode falar sobre envio gratuito. Se vende um produto que é normalmente dado como presente, pode falar sobre devoluções fáceis.

Dica: Entreviste 5-10 clientes seus sobre objeções comuns e como eles decidiram comprar alguma coisa sua. Não só irá ter alguns testemunhos que possa usar no seu site, mas irá saber a linguagem que eles usam para se expressar quando dão as suas objeções.

Fator #4: Investimento mensal em anúncios

Este anúncio correu durante 250 dias, e teve bons resultados. Eis os resultados ao fim de 180 dias.

Gasto total: €1183.74
Alcance: 211840
Impressões: 420941
Cliques: 26531
Taxa de cliques: 5.21%
Custo por clique: €0.06
Partilhas: 32
Comentários: 27
Likes: 849

O investimento estava definido para €12/dia só para este anúncio, e depois baixado para €6/dia, onde esteve até então, bastante estável a nível do custo por clique.

A vantagem de ter um gasto/investimento consistente ao longo de tantos meses é que isto gera um fluxo constante de pessoas a irem à sua loja online.

Este tipo de anúncio também teve bom alcance orgânico. A maioria dos comentários foram de pessoasque partilham o anúncio com outras pessoas no Facebook. Se o anúncio fosse feito só durante um mês, talvez não tivesse tido o mesmo impacto.

É por esta razão que sugiro aos meus clientes e alunos que têm lojas online para fazerem anúncios Facebook a longo prazo e não só durante um dia ou dois e parar porque pensar que não está a dar resultados.

Pense a longo prazo, invista a longo prazo.

Ponha isto a funcionar para si:

Em vez de investir muito dinheiro duma vez em apenas num mês, pense a longo prazo e invista menos, mas durante mais tempo (ex.: 6 meses).

Pode aumentar ou diminuir o seu investimento ao longo do tempo. Ter um anúncio a correr de forma consistente, que sabe gera resultados, não só é bom para o seu negócio como cria familiaridade com as pessoas e ajuda a ultrapassar a objeção comum de falta de confiança que pode haver com algumas pessoas.

Dica: Escolha um público grande e vá espreitando o seu CPC (ou custo por conversão/lead) para saber se não está a aumentar de forma desmedida ao longo do tempo.

Fator #5: Retargeting

A longo prazo, pode fazer um anúncio de retargeting que é mostrado a todas as pessoas que aterraram no seu website.

Não é à toa que empresas grandes como a Amazon ou a Staples, ou mesmo cá em Portugal, lojas de suplementos como a Prozis e a HSN Store fazem anúncios retargeting que o seguem pelo Facebook e na internet.

Eles sabem que os anúncios retargeting funcionam.

É normal uma pessoa distrair-se antes de fazer uma compra no carrinho. Isto pode ter sido por não ter encontrado o cartão de crédito na carteira, ter-se distraido com alguma coisa, ou ter pensado duas vezes e ter dicidido não comprar o produto.

Ao criar um anúncio retargeting que os lembra do interesse no produto, ou que elimina alguma objeção que possam ter, está a meio caminho andado de lhes conseguir “sacar” uma venda.

Ponha isto a funcionar para si:

Crie um anúncio simples que os lembra de algum produto que visitaram. Estas pessoas são tráfego “morno”, portanto não precisa de lhes explicar quem você é.

Pode até usar um comentário positivo de algum cliente para eliminar alguma objeção comum relevante ao seu produto, e como forma de mostrar prova social de outras pessoas que já compraram produtos seus.

Pode aplicar o mesmo para venda de serviços, e não necessariamente só de produtos.

Dica: Defina o seu retargeting, para que possa segmentar para pessoas que chegaram ao seu carrinho, mas não chegaram à página de finalização da compra (não compraram).

Pode-lhes dar um cupão especial para os re-incentivar a ir lá de novo e comprar. Veja o meu artigo do Guia Completo de Públicos personalizados. É um artigo super-extenso e detalhado.

Não estou a brincar. Depois de o ler e implementar irá saber mais do que 95% dos especialistas de Facebook que andam por aí.

E agora… a bola está do seu lado. Já experimentou anúncios para e-commerce?

Dominar os Públicos Facebook duma vez por todas

Está à procura dum ÚNICO recurso que explica todos os Públicos Facebook que precisa saber para ter anúncios que geram faturação a sério?

Agarre uma cópia do meu belo ebook:
Ebook EmCheio

Não gaste nem mais um cêntimo nas suas campanhas antes de abrir este manual de treino bastante abrangente. Clique aqui para saber o que está lá dentro.

Como Organizar & Analisar Anúncios Facebook

Organizar e analisar anúncios

Neste artigo vou explicar:

  • O que significam os números nos relatórios Facebook
  • Como organizar conjuntos de anúncios nas campanhas
  • Quantos conjuntos de anúncios deve ter
  • Atingir um público específico

E vou fazer isto ao responder a perguntas frequentes que me colocam. Estas são não perguntas “verbatim”, são editadas por mim para que façam algum sentido, e porque algumas delas são repetidas e semelhantes.

Quantos conjuntos de anúncios são melhores para cada campanha de anúncios? Devo combiná-los em conjuntos de anúncios mais pequenos? Há benefícios para quantos temos?

Há especialistas de anúncios Facebook que fazem isto de forma diferente.

Por exemplo, suponha que está a fazer anúncios para pessoas que gostam de 10 páginas Facebook, e que tem 2 conjuntos de anúncios por cada página (uma para mobile e outro para desktop), para um total de 20 conjuntos de anúncios.

O que interessa aqui é começar de forma alargada para termos vários conjuntos de anúncios para os quais estamos a segmentar para um único público específico.

Isto é bom porque ao princípio estamos a testar para saber quais desses conjuntos de anúncios irão funcionar melhor.

É importante que cada página Facebook cujo público está a ser segmentado tenha o seu póprio conjunto de anúncios. Se misturarmos todas essas páginas Facebook num único conjunto de anúncios não sabemos qual deles está a ter melhor desempenho.

Só depois disso é que podemos começar a combiná-los em menos conjuntos de anúncios.

Mas isto deve ser feito corretamente. Por exemplo, não vou segmentar para o Jornal de Notícias e o Cristiano Ronaldo, porque são diferentes. Posso é segmentar para o Jornal de Notícias e o “Público” (no pun intended), e o Cristiano Ronaldo e o Messi juntos.

Se combinarmos conjuntos de anúncios ou interesses, eles devem ser semelhantes.

Não há uma quantidade ideal de conjuntos de anúncios, porque depende. Depende dos objetivos e do seu orçamento. É a nível do conjunto de anúncios que definimos o orçamento.

A minha preferência é: um anúncio por conjunto de anúncios.

Quando estou a fazer split testing de anúncios diferentes, coloco um anúncio por conjunto de anúncios. Esta é a fórmula mágica para mim.

Porque se colocarmos vários anúncios dentro dum único conjunto de anúncios, o Facebook “declara” um vencedor.

E ele faz isto demasiado depressa. Suponha que tem dois ou três anúncios dentro dum conjunto de anúncios e começa a correr os seus anúncios às 8 da manhã.

Num espaço de duas ou três horas, o Facebook vai escolher um desses anúncios para ser o “vencedor”, ou seja, aquele que ele irá mostrar mais. Mas duas ou três horas não é suficiente para tirar conclusões.

Os outros anúncios podem ser muito bons, mas o algoritmo do Facebook não lhes dá oportunidade de provarem o que valem. É por isso que eu separa os meus anúncios, coloco apenas um anúncio por conjunto de anúncios.

Isto é a dica de €1000. Um anúncio por conjunto de anúncios. Vai-me agradecer depois.

Espera lá, João. Se tenho 20 conjuntos de anúncios, devo usar o mesmo anúncio para todos eles?

Sim, eu faria isso. Seguindo a minha recomendação de ter 1 anúncio por 1 conjunto de anúncios, todos os 20 conjuntos de anúncios teriam o mesmo anúncio. A diferença nos conjuntos de anúncios são que cada um deles aponta para um público diferente, mas usam todos o mesmo anúncio.

É assim que sabemos quais estão a ter melhor desempenho.

Se o dinheiro for um problema, então podemos criar os 20 conjuntos de anúncios, mas ativar apenas 5 de cada vez, e desses vamos desativar os que têm melhor desempenho até termos experimentado todos os 20 conjuntos de anúncios.

Devo mostrar anúncios para mobile e desktop no mesmo conjunto de anúncios ou separá-los?

Separá-los.

Podemos combinar mobile e desktop num único conjunto de anúncios, e nos relatórios o Facebook mostra o desempenho do mobile e desktop.

Mas…

Não gosto disso porque se estiver a ter melhores resultados no mobile do que no desktop, e este baixa o seu desempenho geral desse conjunto de anúncios… poderia estar a ter melhores resultados.

Quando separa um conjunto de anúncios para ser mostrado em mobile, e outro conjunto de anúncios para ser mostrado em desktop, é aí que podemos saber qual o local de publicação que está a ter melhores resultados sem um se estar a arrastar o outro no desempenho.

Durante quanto tempo devo deixar os anúncios correr?

Isto é um dos grandes erros que vejo as pessoas a fazer. Eles não deixam os anúncios correr durante tempo suficiente.

Isto é a tendência humana de querermos resultados instantâneos. Alguém que faz anúncios às 8 da manhã, está às 3 da tarde a ver os anúncios. Eles só estiveram a correr durante 7 horas. Não se tiram conclusões com base em sete horas.

É necessário dar aos anúncios tempo suficiente para “envelhecerem”, para que o algoritmo do Facebook possa fazer o que faz melhor, otimizá-los e mostrá-los ao conjunto de pessoas ideal, daqueles que fazem parte do público definido.

O Facebook quer que os seus anúncios tenham sucesso. É isso que o algoritmo está a tentar fazer. O que é que acontece se você tiver sucesso? Vai gastar mais dinheiro.

Não toque nos seus anúncios durante as primeiras 24-36 horas, no mínimo. Sugiro até que não lhe toque nas primeiras 48-72 horas.

Ao segmentar para pessoas que gostam duma certa página Facebook, devemos diminuir o nosso público se queremos segmentar para tipos específicos de pessoas? Ou devemos deixar que seja a copy a fazer isso?

Vamos supor que quer atingir pessoas que gostam de páginas que normalmente responsáveis de marketing, executivos e CEOs de empresas gostam. Mas a sua audiência são apenas os executivos da empresa. Deve diminuir o seu público ao incluir o título dos tipos de executivos que quer atingir?

Porque nem toda as pessoas que quer atingir podem ter listado o seu título de emprego no Facebook. Será que deve esquecer isso e apenas escrever na copy do anúncios que a sua oferta é apenas para certas posições de executivos?

Deve, deve, deve.

Quando ouçou ou leio estas palavras, a minha resposta é SIM.

Quando me perguntam “devo” fazer isto ou “devo” fazer aquilo, é procrastinação: é adiarem aquilo que deviam estar a fazer.

Sim, deve.

Deve fazer tudo isso e testar. Devemos testar tudo o que pudermos para saber o que vai funcionar melhor.

Para responder melhor à pergunta, o que faria era segmentar para os responsáveis de marketing, executivos e CEO combinados. E depois iria criar segmentações separadas para apenas responsáveis de marketing, para apenas executivos e para apenas CEOs.

Isso seria um conjunto de anúncios por cada segmentação de público, portanto um conjunto de anúncios para um público de responsáveis de marketing, outro para executivos e outro para CEOs. Assim iria saber quais iriam ter melhores resultados.

Outro conjunto de anúncios a criar seria um em que está a segmentar para responsáveis de marketing, executivos e CEOs, mas que na copy está a chamar os executivos.

Como saber ler as métricas e números dos anúncios no Power Editor? Como saber se os meus anúncios estão a ter bom desempenho? O que devo procurar?

O primeiro número que quer ver é o número mais relevante para o seu objetivo. Se o seu objetivo são conversões no website e está a tentar ter pessoas para o seu webinar, Facebook Live, ou pessoas que se inscrevam para a sua lista, a primeira métrica a ver é o custo por lead.

Depois desse, quero ver quantas conversões tenho e quanto dinheiro gasteiu nelas.

Se por outro lado estiver a querer obter tráfego para o seu site (para um artigo no blog) então a primeira métrica que quer ver são os cliques para o site.

Essas são as métricas principais.

Depois irá querer ver aqueles que eu chamo das métricas de resolução de problemas. Estas são o CTR (taxa de cliques), classificação de relevância, frequência e taxa de conversão na sua landing page.

Se o seu objetivo são conversões no website então irá querer saber quantas pessoas estão a clicar no seu anúncio para ir para a landing page e quantas dessas pessoas estão efetivamente a converterem-se.

Há algum benchmark, qual o custo por lead que devo estar a ter?

Isso varia de nicho para nicho. Pode estar num segmento de mercado em que cada lead custa €10 e pensar que isso é espetacular, e outras pessoas em outros segmentos de mercado podem pensar que €10 é muito caro.

Normalmente, é bom ter um custo por lead abaixo dos €5. Como orientação geral, e partindo do princípio que o seu produto ou serviço tem algum valor e que não vende papel higinénico, porque se assim for os anúncios Facebook não são para si.

Quanto ao custo por clique, como orientação geral, menos de €1. Para CTR (taxa de cliques), 1% para as pessoas no topo do funil, portanto se tiver acima de 1% está no bom caminho.

Na classificação de relevância, que é uma escala de 1 a 10, depende. Não sabemos exatamente o que se passa dentro do algoritmo do Facebook e como ele determina esta pontuação, mas quanto mais perto estiver do 10, melhor, porque o Facebook irá recompensá-lo com menores custos e mostrar mais o seu anúncio.

Esta classificação de relevância é quão relevante é o seu anúncio para o público para o qual está a segmentar. O Facebook verifica se as pessoas estão a clicar no seu anúncio, se estão a gostar do seu anúncio, a fazer comentários, a partilhar, e o feedback que as pessoas dão ao anúncio.

Eu falo sobre isto tudo no meu curso online do Domínio Completo.

A frequência é o número médio de vezes que uma pessoa vê o seu anúncio. Se estiver entre 1 a 4, está bem. Acima de 4 as pessoas começam a desenvolver “cegueira” do seu anúncio.

Ao vender produtos ou cursos de elevado valor, qual deverá ser a minha estratégia, e que tipo de funil de vendas me irá dar os melhores resultados?

Imagine que está a fazer anúncios Facebook de forma consistente, e a crescer a sua lista de emails, mas não está a conseguir ter as vendas que queria, porque não está a monetizar bem a sua lista.

Há algumas coisas que pode fazer aqui.

Na thank you page, após as pessoas se inscreverem para o seu lead magnet gratuito (cabula, guia, etc), pode-lhes apresentar um ebook de apenas €7.

Alguns marketers chamam a isto de Tripwire, qie é basicamente uma forma de conseguir recuperar algum do dinheiro que investiu para ter levado as pessoas para a landing page.

Também pode enviar as pessoas da sua lista de emails atual para essa mesma thank you page, para comprarem o tal ebook de €7.

Ou em vez do ebook, a thank you page pode incentivar as pessoas a inscreverem-se para um webinar ou Facebook Live onde irá vender o seu curso ou produto principal (mais caro do que o ebook).

Pode vender então o seu curso ou produto através do webinar, em que vai enviar email à sua lista para que se inscrevam no webinar.

Ou então, manter à mesma a estratégia do ebook de €7, e na thank you page, incentivar as pessoas a inscreverem-se para o webinar.

Se fizer isso, aconselho a fazer um webinar “evergreen”, ou seja, um webinar que é gravado ao vivo, mas o replay fica disponibilizado para sempre numa thank you page do seu funil.

Se o seu curso ou produto for evergreen, ou seja, que está sempre disponível e não fecha o carrinho, pode montar um funil de vendas em que as pessoas inscrevem-se primeiro numa landing page em que lhes oferece um lead magnet, entrando assim na sua lista de emails.

E depois na thank you page poderá ter o tal ebook de €7. Quer comprem ou não comprem o tal ebook, podem ser levados para uma página para se inscreverem no seu webinar.

Muitas pessoas estão hesitantes em vender demasiado ou parecer muito promocionais. É claro que agregar valor à nossa audiência é importante, é por isso que eu tenho centenas de artigos e vídeos pela internet. Mas também é importante vender, porque é isso que paga as contas.

É necessário dar valor, mas também vender.

Se não quer parecer demasiado agressivo, pode tentar vender uma vez por mês para a sua lista. Pode fazer o lançamento dum curso ou dum produto, e enviar um email para a sua lista, e/ou fazer anúncios como gente grande para públicos frios, mornos e quente.

Quando alguém da minha equipa me diz “epa mas vais gastar 2000 euros em anúncios para vender o teu curso” para me assustar – eu não mem assusto, porque sei que temos um sistema para trasnformar as leads em clientes.

Estou mais confiante em gastar dinheiro em anúnciosquando vejo que eles me estão a fazer dinheiro.

Como usar os anúncios Facebook para vender pacotes elevados de consultoria? É possível fazer isto sem funis complicados a enviar emails durante várias semanas só para tentar aquecer as pessoas à oferta?

Suponha que você é consultor(a) ou coach, e que há pessoas que visitaram uma página do seu site do “Trabalhe comigo”.

O que eu faria era Retargeting a essas pessoas, e experimentava também criar um funil.

Eis dois exemplos de funis que funcionam bem para coaches e consultores que querem vender sessões ou pacotes de coaching.

O primeiro exemplo é duma colega minha nos EUA que é executiva e vende “retiros” para mulheres executivas. Isto são como umas mini-férias, com uma componente de formação e motivação para recarregar baterias e ter mais sucesso no trabalho, conjugar a vida pessoal e profissional, etc. Ela venda este retiro ao vivo por $2500 para tráfego frio, pessoas que não a conhecem.

E ela está a ter conversões. O funil está a segmentar para um tráfego frio, mulheres executivas, um público frio que ainda não a conhece. O funil dela começa com ela a levar estas pessoa para uma landing page para se inscreverem num webinar, e no webinar ela vende o retiro de $2500. Ela gasta em média $800 em anúncios no espaço de dois meses para conseguir isto, e teve $15000 em vendas (6 pessoas). Nada mau. Menos pessoas, menos chatices, mais dinheiro.

Isto é a prova viva de que é possível fazer isto com um funil simples, curto, que começa e acaba com um webinar.

Nunca pensei que isto funcionasse. Será que é por as mulheres serem mais proativas que os homens, e/ou porque são mulheres em cargos de chefia (executivos) e não se importam de investir nelas?

Note que isto é um retiro, ou seja, é um encontro físico, ao vivo, não é um curso online virtual.

Mas é claro que ela sabe vender bem. O webinar dela está bem refinado. No nosso mercado, no entanto, recomendo um passo adicional.

Faça um webinar, mas em vez de vender o seu pacote de consultorias/coaching, faça com que as pessoas façam a marcação consigo para uma “sessão estratégica” gratuita, onde irá falar com elas durante uns 20 minutos.

É nessa sessão estratégica que lhes irá informar e vender o seu pacote de coaching/consultoria.

Teste as coisas. Não há uma única maneira de fazer isto. Estes são exemplos que lhe dei para ter sucesso no seu objetivo.

Agora, voltando ao Retargeting e se vale a pena ter um funil extenso para preparar as pessoas para lhes vender os seus serviços.

Bem, pode fazer retargeting para pessoas que viram a página do “Trabalhe comigo”. Regra geral, quanto mais caro for o seu pacote de serviços, mais longo o funil terá de ser.

Há quem esteja a vender pacotes de consultoria elevados com base no exemplo do webinar para levar as pessoas para uma sessão estratégica, para aí lhes vender o pacote de consultoria. Não queira reinventar a roda. Ela já existe. É circular. E funciona.

Veja o que está a funcionar bem para as pessoas que têm sucesso e adapte isso ao seu negócio.

Não queira reinventar a roda. Ela já existe. É circular. E funciona. Click To Tweet

Como medir o ROI dos seus anúncios Facebook a longo prazo

É impressionante quão detalhado é o acompanhamento de conversões do Facebook. Diz-lhe quantas pessoas clicaram no seu anúncio, visitaram a sua landing page e se inscreveram para o seu conteúdo gratuito.

Ou quantas pessoas clicaram e depois compraram o seu produto. Espetáculo. Acompanhar os seus resultados é uma das melhores coisas sobre os anúncios Facebook para crescer o seu negócio.

Resultado por conversão e custo por conversão

Mas como calcular o retorno ao investimento (ROI) a longo prazo? Deveremos poder olhar para os anúncios e dizer:

“Ok, gastei €100 em anúncios Facebook nos últimos 2 meses. Durante a última campanha, 3 pessoas que compraram o meu curso entraram na minha lista através desses anúncios. A faturação total dessas 3 compras foi de €600. O meu ROI é €500.”

O Facebook só acompanha conversões que ocorreram até aos últimos 28 dias após o seu anúncio ter sido mostrado. Isso significa que instalar acompanhamento de conversões nas suas campanhas não é o suficiente se estiver a fazer anúncio mais de um mês antecipadamente.

A melhor forma de medir o ROI a longo prazo é com o seu fornecedor de email marketing e com uma cópia da sua landing page.

Eis como eu fiz com o meu site WordPress e com o ActiveCampaign. Se não usa o ActiveCampaign, replique a estratégia por detrás deste processo com o seu fornecedor de email marketing.

  1. Clonei o formulário do meu guia gratuito de anúncios, que é o que tenho na minha landing page (clique aqui para ver a landing page). Todos os que se inscrevem nesse formulário são designados com uma tag “guiagratuitoanunciosfb” e entram para a lista geral. Assim eu sei que aquelas pessoas (quer sejam ou não subscritores atuais, subscreverem esse guia específico).
  2. Dupliquei duas coisas: a minha landing page e o formulário. Estes clones da landing page e formulário são idênticos aos originais, apenas têm URL e nomes diferentes. Todos os anúncios Facebook que agora fizer a promover o guia gratuito vão para este clone da landing page. Não publiquei este clone em mais lado nenhum, assim sei com quase toda a certeza que o único tráfego para essa URL é a partir das minhas campanhas (pode acontecer que a pessoas partilhem o link para a URL do clone, portanto é preciso ter em conta algumas exceções).
  3. Qualquer pessoa que aterra no clone da landing page e decide subscrever-se para receber o guia, são adicionados ao clone do formulário que também criei. Este clone do formulário atribui uma tag de “clone-guiagratuitoanunciosfb” e coloca-os numa automação no ActiveCampaign para receber o guia e outros emails automatizados em sequência.
  4. Todos aqueles que se inscreveram neste clone do formulário entram na mesma sequência do que aqueles que se inscreveram no formulário original, só têm é uma tag diferente que lhes foi atribuída, para eu saber do meu lado que eles se inscreveram no clone da landing page. Não é necessário assim haver uma sequência/automation duplicada ou uma thank you page duplicada, só a landing page e o formulário é que necessitaram de ser duplicados.

Agora quando olho para a minha lista de clientes, vejo quantos deles têm a tag “clone-guiagratuitoanunciosfb”. Posso assim saber quanto faturação fiz como resultado a longo prazo dos meus anúncios de crescimento da lista de emails.

Ou seja, consigo saber quantas dessas pessoas compraram algum ebook pago ou o meu curso online, vindos desse guia gratuito.

Se ainda estiver a usar o MailChimp ou o Aweber, pode ter de usar uma ferramenta como o Zapier para adicionar essas tags. Ou pode elevar as táticas do seu negócio ao próximo nível, poupar-lhe dores de cabeça e mudar para o ActiveCampaign.

Responda nos comentários se tiver dúvidas.

Divulgação de afiliamento: alguns links contidos neste artigo são links de afiliado, e poderei receber uma comissão se tornar-se cliente. Só para você saber.

Facebook permite otimizar para ‘Landing Page Views’

Se gosta de usar anúncios Facebook para enviar tráfego para as suas landing pages, ou artigos do blog, etc., para que possa fazer retargeting depois a essas pessoas, então vai gostar desta nova funcionalidade “Metric & Optimization” que o Facebook está a tornar disponível aos poucos.

Chama-se “Landing Page Views” e o objetivo desta funcionalidade é ajudar-nos a aumentar o tráfego de pessoas que chegam ao seu site após clicarem no seu anúncio.

Nota: veja também uma outra opção que o Facebook lançou para os anúncios de Conversões.

Sabe quando está a criar o seu anúncio Facebook e no Conjunto de anúncios pode escolher para o que quer otimizar?

Otimização e publicação

Bem, esta opção de “otimização” das Landing Page Views foi criada para ajudar a enviar pessoas para o seu site.

Agora, deve-se estar a perguntar (como eu)…

Como é que isto é diferente do objetivo de “Tráfego” e otimizar para “cliques” para o seu website?

Na realidade é bastante diferente…

Qual a diferença? Landing Page Views vs “Cliques”

Uma “landing page view” (visualização de página de destino) é quando uma pessoa aterra no seu site após clicar no seu anúncio Facebook.

Quando o seu objetivo é “Tráfego” e você otimiza para “cliques”, o Facebook vai mostrar o seu anúncio àquelas pessoas mais propensas para clicar e sair do Facebook (para o seu site).

Um clique num link significa que a pessoa clicou num link do seu anúncio.

Eis duas situações de cliques de links que podem não resultar numa “landing page view”:

  • alguém que clicou num link acidentalmente e fecha a página antes de esta ter carregado completamente
  • alguém que clicou num link com intenção, mas a página demora muito tempo a carregar e a pessoa fecha e sai antes de esta ter carregado completamente

Otimizar para “landing page views” é uma forma de melhorar a qualidade do tráfego (visitantes) que o seu site recebe como resultado dos seus anúncios.

E com esta funcionalidade vai poder também saber se o seu site está a demorar muito a carregar, para que possa torná-lo mais rápido.

Quando é que isto vai ser lançado

Esta funcionalidade de “Landing Page Views” vai poder ser escolhida a nível do Conjunto de anúncios, na secção de “Otimização e Publicação”.

Otimização e publicação

É provável que isto esteja primeiro disponível no Power Editor, e depois seja lançado para o Gestor de Anúncios.

Ver mais informação no centro de ajuda do Facebook sobre esta funcionalidade de landing page view otpimization.

Uma Maneira Supersecreta para Segmentar os seus Anúncios Facebook

Está a debater-se para encontrar o público perfeito para o seu anúncio Facebook? Estou aqui para ajudar 🙂

Definir o seu público é a razão #1 dos anúncios Facebook fracassarem. Estou aqui para ajudá-lo(a) a ter novas ideias para criar uma boa audiência para os seus anúncios. Preparado(a)? Vamos lá.

Sou uma daquelas pessoas que faz scroll pela News Feed do Facebook, não para ver o que os meus amigos e família estão a fazer, mas para ver anúncios.

Ver anúncios Facebook.

Sei que isto parece estranho, mas como consultor e marketer, é importante saber o que as empresas e os outros estão a fazer, e por vezes encontro alguma coisa interessante que decido incorporar nos meus próprios anúncios.

Aquilo que as pessoas normalmente fazem

Se tem um negócio local, provavelmente está a apontar os seus anúncios para um público local que vive a cerca de 20-30 km de si.

Isso faz sentido para si. Mas e se quisesse expandir para lá da sua localização e chegar a mais pessoas no seu segmento de mercado? Ou talvez uma parte da sua empresa possa servir clientes online e quer captar essas pessoas para o seu negócio.

Uma ideia espetacular para encontrar opções de segmentação de público

Vejo vários anúncios devido à minha atividade. Provavelmente você vê a mesma coisa na sua News Feed quando está a olhar para a foto do seu afilhado.

Eis o que você vai fazer para ter novas ideias de segmentação para os seus anúncios.

Dê uma olhada neste anúncio que vi há uns tempos. Dá para ver que é um anúncio porque diz “Patrocinado” por baixo do nome da página (WorkCast).

Anúncio WorkCast.

Encontre um anúncio na sua News Feed de que goste, pode estar no mesmo nicho de mercado ou não.

No anúncio, irá ver uma setinha no canto superior direito, perto do “Gostar da Página”.

Preferências do anúncio.

Clique nessa setinha e irá abrir um menu. Selecione “Porque é que estou a ver isto?”

Porque estou a ver isto (anúncio)

O Facebook vai-me dizer porque é que me estão a mostrar este anúncio específico.

Parece que o WorkCast está a segmentar para pessoas com interesse em HubSpot, que têm entre 25 e 56 anos e vivem em Portugal.

Estou a ver este anúncio porque...

Agora vamos olhar para um anúncio Facebook que vi por alguém que está no meu mercado de marketing e estratégia digital e redes sociais. Epa, eu conheço este tipo – sou eu.

Anuncio FB mini-curso

Isto é um anúncio que fiz para enviar pessoas para o meu minicurso grátis de anúncio Facebook. E para quem é que estou a segmentar e mostrar o meu anúncio? Vamos ver.

João Alexandre porque estou a ver este anúncio

Este anúncio segmenta para pessoas que gostam de marketing e empreendedorismo e têm entre 26 e 44 anos, de Portugal.

Ok, mas João, como é que isto é relevante para mim?

Isto é uma forma de saber como os seus concorrentes, ou outras empresas fora da sua atividade, estão a segmentar os seus anúncios – e para quem.

E há mais.

Há uma maneira Ninja de conseguirmos aproveitarmos o trabalho duro que os outros já fizeram por nós.

Como?

Ao definir como interesses alguém que gosta duma Página que está relacionada com o seu mercado.

Por exemplo, se eu souber que a Camila Porto, uma especialista de Facebook do Brasil, está a fazer anúncios para mostrar às pessoas o curso dela, eu posso fazer anúncios para as pessoas que têm interesse na Camila Porto, e mostrar os meus próprios anúncios para o meu próprio curso Domínio Completo Anúncios Facebook para essas pessoas, porque elas terão interesse nesse tópico.

.Anúncio Camila Porto

Um outro exemplo seria eu apostar em pessoas que têm interesse e gostam do HubSpot, porque serão pessoas que estão na área do marketing e que estarão interessadas nos meus produtos e serviços (é o que a WorkCast, um dos exemplos anteriores, está a fazer, ao mostrar o anúncio a mim).

Mais um exemplo prático.

Se você tivesse uma agência de marketing e desenvolve websites, podia apostar em mostrar anúncios para pessoas que têm interesse nas Páginas Amarelas, porque neste anúncio eles estão a mostrar que fazem websites.

Anúncio Páginas Amarelas para pequenas empresas

Eles já fizeram o trabalho duro por si. Eles estarão com certeza a segmentar os anúncios deles para pequenas empresas e empreendedores que querem um website, ou já têm mas querem um melhoramento.

E você pode tirar partido disso ao mostrar os seus anúncios para estas pessoas que gostam das Páginas Amarelas, porque o público que gosta deste tópico irá também estar recetivo ao seu anúncio de serviços de web design & development.

Há ainda páginas que fazem anúncios para pessoas semelhantes aos fãs ou clientes dessas empresas.

Esta empresa, a JVC Videocloud, está a fazer anúncios para mim porque eu devo ser semelhante aos fãs e clientes que esta empresa tem.

Anúncio JVC Videocloud

Isto é um bom método de segmentação quando tiver mais de 1000 seguidores. Quando chegar aos 1000 fãs, o Facebook pode criar um Público Semelhante, que significa que são pessoas semelhantes aos seus fãs que pode segmentar.

Eis algumas outras coisas que descobri enquanto fiz scroll para ter novas ideias para segmentação dos meus públicos:

  • Amy Porterfield está a fazer anúncios para pessoas que gostam da página dela;
  • Drip (serviço de email marketing) está a fazer anúncios a segmentar para Market Automation;
  • EmailOctopus (serviço de email) está a mostrar anúncios para pessoas que têm interesse no MailChimp

Este tipo de anúncios foram-me mostrados por uma razão específica, e fico maravilhado com a precisão deles.

Se ainda não estiver a usar os anúncios Facebook, espero que isto lhe faça mudar de ideias. Fazer scroll pela sua News Feed e saber o porquê de lhe estar a ser mostrado aquele anúncio pode-lhe dar uma nova perspetiva do tipo de interesses que pode usar na sua segmentação.

Muitas vezes o fracasso dum anúncio é causado pela má seleção dum Público. Por isso tenho um recurso bastante útil para saber dominar os Públicos no Facebook e atingir as pessoas certas, na altura certa.

Dominar os Públicos Facebook duma vez por todas

Está à procura dum ÚNICO recurso que explica todos os Públicos Facebook que precisa saber para ter anúncios que geram faturação a sério?

Agarre uma cópia do meu belo ebook:
Ebook EmCheio

Não gaste nem mais um cêntimo nas suas campanhas antes de abrir este manual de treino bastante abrangente. Clique aqui para saber o que está lá dentro.

Guia Rápido para criar Anúncios FB Messenger

Criar anúncio FB

Há uma ferramenta que poucas pessoas ainda não estão a tirar partido no Facebook, que lhe podiam estar a trazer bons resultados no seu negócio.

Provavelmente já ouviu falar dos Anúncios do Facebook Messenger, e há uma boa razão para que eles sejam importantes.

Veja o vídeo ou continue a ler.

Psst. Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Existem 1 bilião de pessoas que usam a app do Messenger para comunicar com a família e os amigos praticamente todos os dias.

Mas e se um anúncio aparecesse da sua loja de roupa favorita, e se apenas ao clicar nele podia colocar uma questão sobre um produto? Ou melhor ainda, e se um funcionário dessa loja lhe respondesse imediatamente?

Anúncio FB Messenger

BOOM.

É esta a beleza dos anúncios Messenger do Facebook que podemos fazer para os nossos potenciais clientes. É uma forma de fazer com que o seu potencial cliente ideal comece a falar consigo instantaneamente.

Para si, o que isto significa é que pode responder a perguntas ou eliminar objeções/receios sobre os seus produtos e serviços, para poder fechar mais vendas.


Por isso neste artigo vou-lhe mostrar como tirar partido deste formato de anúncios do Messenger, e como os criar facilmente.

É fácil. Então vamos lá.

Criar anúncio FB Messenger


Passo 1: Vá ao Power Editor para criar um anúncio
Criar campanha no Power Editor

Passo 2: Escolha “Tráfego” como objetivo, dê um nome à Campanha, ao Conjunto de Anúncios e Anúncio

Objetivo campanha Power Editor

Passo 3: Ao nível do conjunto de anúncios, selecione “Website or Messenger”. Defina o seu Orçamento e Horário e Público e continue

Website or Messenger

Passo 4: A nível dos anúncios, selecione a Página a partir do qual o anúncio vai ser mostrado

Ligar página a anúncio

Passo 5: Selecione Messenger e Configurar o conteúdo do Messenger. Uma nova janela abre.

Configurar conteúdo do Messenger

Passo 6: Selecione a sua imagem, títulos e mensagem de boas vindas. Quando as pessoas clicam no seu anúncio, irão ser levadas para o Messenger e ver uma cópia do seu anúncio e esta mensagem de boas vindas.

Configurar anúncio FB Messenger

A mensagem de boas vindas é o “texto introdutório”. Pode escolher se quer que o formato do anúncio seja em SMS ou imagem e texto.

Se escolher o formato de imagem e texto, poderá continuar a preencher com o título da sua mensagem, subtítulo opcional, e as Ações.

Estas Ações podem ser Respostas rápidas ou Botões. A diferença é que os Botões permitem ser clicáveis para levar a pessoa para o seu site, por exemplo.


NOTE: O seu anúncio para abrir conversa no Messenger não vai aparecer para pessoas em dispositivos móveis que não tenham a app do Messenger (mas aparece no desktop).

Gostou destas instruções?

Saiba como dominar os Anúncios Facebook.

Domínio Completo Anúncios Facebook

Está à procura dum ÚNICO recurso que explica tudo sobre os anúncios Facebook para dominar o seu mercado e ter mais vendas?

Domine os Anúncios Facebook
Anúncios Facebook Domínio Completo

Não gaste nem mais um cêntimo nas suas campanhas antes de se inscrever para este curso online completo. Clique aqui para saber o que está lá dentro.