Blogging: 12 Razões porque as Empresas têm de o fazer

12 Razões porque Empresas devem Bloggar

Algumas pessoas perguntam-me como comecei a crescer a minha consultoria rapidamente.

Porque eu não estava a dedicar o meu tempo a ter uma feed de Instagram bonitinha
Porque eu não estava a fazer networking como um leão
Porque eu não sou particularmente sortudo nem talentoso

Então como cresceste o teu negócio, João? perguntam-me.

Poucas pessoas querem acreditar que, para lá do blogging e criação de conteúdos (vídeos, etc), eu teria falhado redondamente logo após ter começado.

E eles não querem experimentar nem aplicar isso no seu próprio negócio.

Talvez porque não sabem como usar o blog deles.
Talvez porque não querem investir do tempo a criar conteúdos.

Mas o verdadeiro problema é não estar ciente de TODOS os benefícios que o blogging pode ter para um negócio.

Normalmente partilho alguns destes benefícios em sessões de consultoria, formação, quando falo em público, e networking, mas é a primeira vez que coloco todos os pontos relevantes duma vez.

E achei por bem partilhá-los consigo neste artigo.

1. O blogging traz as pessoas de volta para o seu site

Vamos supor que tem um estabelecimento físico na sua cidade.

As pessoas param à frente do seu estabelecimento de vez em quando, talvez para ver ou para entrarem e fazerem uma compra ou pedido.

Mas a menos que seja um posto de correios ou um café, prospetos e potenciais clientes não vão voltar à sua loja todos os dias.

O seu website é a fachada da sua loja.

É onde as pessoas vêem o seu portfolio, as suas ofertas, lhe perguntam sobre os seus serviços e compram os seus produtos. É onde tudo acontece.

Se o deixar estagnar e só atualizar o website de vez em quando, as pessoas não vão ter razão para voltar de forma frequente.

Blogging dá às pessoas uma razão para voltar à sua “fachada” de forma regular.

Quando lhes dá bom conteúdo, atualizado e que beneficia os prospetos e potenciais clientes, está-lhes a dar uma boa razão para visitarem o seu site semanalmente, ou mesmo diariamente.

E quanto mais visitarem o seu site, mais familiarizados estarão com o seu negócio e mais propensos estarão a comprar os seus produtos, serviços, ou cursos no futuro.

2. Blogging cria confiança com prospetos e atuais clientes

Antes que alguém compre os seus produtos ou contratem os seus serviços, eles têm de confiar em si.

Eles têm de confiar que você é a pessoa certa, que vale o investimento, e que sabe o que está a fazer.

Essa prova pode vir dum bom portfolio e de bons testemunhos de clientes.

Mas é quando partilha bons artigos sobre a sua atividade que é capaz de destacar a sua experiência e criar credibilidade com os potenciais clientes.

Especialmente se a sua audiência segue o seu conselho e vê sucesso a partir desse conteúdo.

Isto ajuda bastante aqueles de você que estão agora a começar no mundo dos negócios e talvez não tenham muita credibilidade no vosso mercado.

Quando comecei a minha agência e a minha consultoria à parte, tinha uma licenciaturazita e alguns anitos de experiência de design, do mundo das vendas, e do marketing de afiliados.

Mas até nem tinha muita experiência em criar marcas ou websites para pequenas empresas.

O meu portfolio (de design e marketing) ainda era muito genérico, tinha poucos testemunhos e poucos clientes, porque não tinha ideia de como chegar até eles (de forma frequente e consistente).

Então mudei o âmbito do meu blog.

Precisava criar credibilidade e confiança. Portanto em vez de colocar artigos pessoais e coisas que não interessam, comecei a partilhar dicas sobre design, branding e marketing, de forma a atrair potenciais clientes.

Em 3 meses, pedidos de potenciais clientes começaram a chegar.
Em 6 meses, a minha agenda estava praticamente cheia para o resto do ano.
Em 12 meses, a minha lista de clientes crescera para mais de 100.

Se quer que os clientes o tomem a sério, tem de ganhar a confiança deles.

Que melhor maneira de fazer isso do que partilhar a sua expertise no seu blog?

3. Blogging posiciona-o(a) como um expert

Quanto mais partilha a sua expertise, mais as pessoas começam a vê-lo como um expert no seu mercado.

Isto pode abrir muitas portas, tais como:

  • Pedidos para falar em público
  • Escrever livros
  • Coaching
  • Consultoria
  • Cursos online

Todos os meus pedidos para falar em público, tais como formações, vieram de conteúdo que eu publiquei pela internet (blog, LinkedIn, etc).

Criei um mini-curso grátis de anúncios Facebook, para principiantes, e outro, muito avançado, um curso online pago, após me perguntarem várias questões sobre marketing e Facebook.

Comecei também a fazer coaching 1:1 em marketing e Facebook para aqueles que querem acesso ao meu tempo pessoal. Para quem não tem recursos para isso, então tenho uma vasta quantidade de artigos aqui e aqui, além de vídeos.

Não sabe o tipo de oportunidades que lhe vão aparecer quando partilha conteúdo e mostra a sua expertise através do seu blog.

4. Blogging melhora o SEO do seu site

O propósito do Google é mostrar-lhe os resultados mais relevantes da pesquisa que fez.

O Google decide que links vão aparecer na primeira página com base em vários factores, tais como:

  • palavras-chave (keywords)
  • Número de páginas no website
  • Quantas vezes o website foi “linkado”
  • Quão frequentemente o website é atualizado

… entre outros (isto é uma lista simplista).

Search Engine Optimization (SEO), ou em Português, Otimização para os Motores de Busca, é um termo que se refere a melhorar o posicionamento do seu site (de páginas do seu site) em motores de busca, como o Google.

É um tema que pode ser bastante complicado.

As pessoas vão a grandes esforços para tentar posicionar o seu site no Google ao criar uma “carrada” de palavras-chave, instalar plugin, focar-se em alt tags, pedir às pessoas para linkar para os seus posts, etc.

Até é engraçado… porque se dedicassem tanto tempo para o blogging como dedicam a tentar encontrar “truques” para o SEO, iriam estar melhor posicionados nos motores de busca.

Blogging é a forma mais natural de melhorar o SEO do seu website.

Quando partilha frequentemente bom conteúdo, atualizado, de valor, está a incluir de forma natural palavras chave, mais páginas no seu site, mais links, e o seu website estará sendo atualizado regularmente.

Não é isto que o Google quer? É sim senhora. É dar bons resultados de pesquisa às pessoas que procuram por alguma coisa, e querem-lhes apresentar bom conteúdo.

5. Blogging ajuda a vender sem ser vendedor

Não gosto de vendas forçadas nem de empresas e pessoas muito promocionais.

Não há faturação sem vendas, você tem de vender os seus produtos ou serviços.

Mas não tem de o fazer a tentar empurrar vendas pela goela abaixo dos potenciais clientes, como a maioria faz.

É aqui que o conteúdo (artigos, vídeos) que crio têm sido bastante úteis para mim.

Blogging permite-lhe mostrar os seus produtos ou serviços de forma natural e estratégica sem parecer vendedor ou manipulativo.

Por exemplo, em preparação para o meu curso online chamado Domínio Completo – Anúncios Facebook, preparei um mini-curso grátis de anúncios, um conjunto de 5 lições enviadas por email, uma lição por dia.

Mostrei à minha audiência várias maneiras de como criar bons anúncios e rapidamente, mostrando a necessidade que eles têm de incorporar isto no seu marketing, e no final do mini-curso mostrei-lhes o próximo passo, o curso online pago.

Os seus artigos e conteúdo não vai parecer muito promocional se ajudarem a sua audiência – é essa a beleza do blogging.

Pode mostrar usos do seu produto, adições ao portfolio, testemunhos, etc, sem parecer abusivo ou manipulador.

6. Blogging leva a um aumento nas partilhas de redes sociais

Empresas que bloggam recebem 97% mais links para o seu website (fonte).

Esta estatística não é surpresa nenhuma, porque o blogging dá às pessoas conteúdo que elas possam partilhar nas suas redes sociais favoritas.

As pessoas não vão normalmente partilhar a sua página “Sobre” ou a homepage com os amigos deles no Facebook, mas irão partilhar um artigo do blog em “7 formas de queimar calorias facilmente” (ou qualquer outro conteído que seja útil ou relevante para eles).

Leitores do blog podem partilhar artigos, não apenas para partilhar o conteúdo com outros, mas também como forma de guardar esses posts e voltarem a eles mais tarde.

Se estás a tentar aumentar o seu alcance e crescer uma audiência de pessoas que irão comprar os seus produtos e serviços, o blogging é uma forma de colocar o seu site à frente das pessoas nas redes sociais.

7. Blogging dá-lhe feedback e ideias para novas ofertas

Não era bom se a sua audiência lhe dissesse o que queriam comprar do seu negócio, em vez de andar a tentar adivinhar (ou pior, pensar que sabe o que querem os seus potenciais clientes)?

Blogging mostra-lhe que temas as pessoas gostam mais no seu blog através da analítica e interação no seu site (como tempo na página, comentários e partilhas).

Suponha que você quer lançar um curso online.

Em vez de se lançar de cabeça a pensar que sabe o que as pessoas querem, pode dar uma olhada na analítica do seu blog e ver que artigos têm mais visualizações e partilhas.

Se cria conteúdo (artigos, vídeos) frequentemente, os seus leitores poderão também dizer-lhe que coisas eles querem aprender ou saber mais.

Foi assim que nasceu o meu curso completo dos anúncios Facebook, os meus leitores faziam perguntas sobre como fazer isto e como fazr aquilo, e pediam-me tutoriais mais aprofundados.

Se não fosse pelo blogging, eu não teria percebido a oportunidade de lançar um curso que me está a satisfazer em várias vertentes.

8. Blogging é bom para responder a FAQs

As pessoas continuam a colocar-lhe as mesmas questões, vez após vez, sobre a sua empresa, seu mercado, produtos ou serviços?

Escreva um artigo para lhes responder.

Não só está a poupar tempo para o futuro e a dar uma resposta aprofundada para pedidos que tenha, mas será também, provavelmente, um dos seus melhores artigos (porque se essa pergunta é colocada muita vez, há bastantes pessoas a colocá-la).

Pode colocar um link num email como resposta a pedidos ou questões que as pessoas possam fazer por email para si, ou pode ter um link para o artigo na sua página de FAQ ou na sua página de contactos.

Faça o que fizer mais sentido e for mais relevante para o seu tipo de negocio.

9. Blogging gera lealdade

Quando partilha frequentemente a sua expertise e a sua perspetiva sobre as coisas, a sua audiência está mais inclinada para se sentir familiarizada consigo.

E ao longo do tempo, estará a criar laços com os leitores, e a trazer mais pessoas para a sua marca, e a ser mais conhecida.

As pessoas sentem que o(a) conhecem após lerem os seus conteúdos frequentemente

Pense nos artigos ou blogs que lê mais. Provavelmente conhece o nome da empresa ou do blogger, a história, experiência dele, e talvez até alguns detalhes pessoais.

Embora provavelmente nunca conheceu a pessoa ao vivo, e aquela pessoa não sabe quem você é, parece que você sente que a conhece.

Este tipo de relação entre você e os seus leitores tem o potencial de gerar lealdade, e lealdade tem o potencial de gerar vendas e contratação de serviços.

10. O seu blog é seu, ninguém lho tira

As redes sociais são uma boa maneira de promover o seu negócio e criar uma audiência.

Mas e se o Instagram, Facebook, LinkedIn, desaparecessem de hoje para amanhã, como e onde é que a sua audiência iria encontrá-lo(a)?

Pois é.

Será que eles conhecem de todo o endereço do seu website? Iriam lembrar-se do seu negócio o suficiente para ir à procura dele?

Quando depende apenas das redes sociais para promover o seu negócio, está à mercê dessas plataformas.

Mas o seu blog é seu; ninguém o pode tirar das mãos.

Você é dono do seu site, tem controlo completo sobre o seu conteúdo. E quando coloca artigos frequentemente, e as pessoas gostam do seu contéudo, irão querer fazer bookmark ao site e voltar quando quiserem.

11. Blogging ajuda a ganhar mais seguidores

Está a tentar ter mais seguidores no Instagram? Ou a crescer a sua lista de emails? Ou a querer ter mais inscritos no seu webinar?

Concentre-se em ter mais seguidores no seu blog primeiro.

Ao levar tráfego para o seu site, as pessoas podem aceder às redes sociais onde você está, subscrever a sua lista, e inscrever-se para os seus webinars ou eventos.

Tudo duma vez. Num único sítio.

Isto é bom se estiver a dar conteúdo útil e relevante para a sua audiência.

Se as pessoas gostam do conteúdo do seu blog, irão com bom gosto querer segui-lo(a) em outras plataformas (redes sociais, email, eventos).

12. Blogging é conteúdo que pode reaproveitar

Blogging leva algum tempo e esforço ao princípio, mas o conteúdo que cria pode ser reutilizado várias vezes ao longo da vida do seu negócio.

Várias vezes, em artigos, vídeos, formações online ou presenciais, eu refiro a certos artigos ou conteúdo que criei que possa ser relevante para algum tema que esteja a apresentar ou alguma pergunta que me colocaram.

Esse conteúdo pode ser também aproveitado em outro meios. Por exemplo, um artigo pode ser transformado num vídeo; um vídeo pode ser transformado num artigo. Alguns artigos podem ser expandidos e colocados num ebook, para oferta ou para vender.

Você fica com a ideia.

Se quer poupar tempo com newsletters, cursos, e apresentações de futuro, ou qualquer conteúdo que crie, o blogging é uma boa forma de ter conteúdo que pode usar em vários meios e sítios.

Guia Completo: Facebook Públicos Personalizados

Os públicos-alvo que escolhe podem ter um grande impacto no custo dos seus anúncios. Pode ser a diferença entre um anúncio custar €0,70 ou €0,15.

Não acredita?

Pois é o que um estudo num artigo do AdEspresso revela, em que pode haver grandes diferenças no custo-por-clique dos anúncios, com base no público-alvo que definir.

CPC = Custo-por-Clique

Existe uma grande diferença no custo por clique dos anúncios de acordo com países. E isso, quando combinado com diferenças em idades, sexo, interesses, salário, etc., os resultados de definir certos públicos-alvo podem variar bastante.

Note onde está Portugal na imagem 🙂

É um daqueles poucos exemplos onde é bom estar perto do último. Infelizmente não há aqui dados para Brasil, mas se os tiver, partilhe connosco nos comentários.

Custo por clique por países

Ao escolher públicos-alvo personalizados, pode fazer coisas bem interessantes como retargeting dos visitantes ao website, apresentando-lhes anúncios e produtos que poderão aumentar os seus lucros de forma espetacular. O truque é escolher públicos-alvo já aquecidos para com a sua marca.

Definir públicos-alvo personalizados pode ter um dos melhores retornos ao investimento que fará na publicidade do Facebook.

Porque é a diferença entre pessoas que não o conhecem e pessoas que já o conhecem.

É que os públicos personalizados são necessários para o regargeting. Com o retargeting pode ter uma CTR (taxa de cliques) nos anúncios de até dez vezes melhores do que os anúncios normais.

Os públicos personalizados são necessários para o regargeting Click To Tweet

E o que é o Retargeting? (por vezes também chamado remarketing)

Retargeting são anúncios para pessoas que já visitaram o seu website. São pessoas que estão “mornas”, já o conhecem; enquanto os anúncios sem públicos personalizados são mostrados a “frio”, para pessoas que pouco ou nenhuma perceção têm da sua empresa.

Neste artigo vai saber como criar campanhas de retargeting que geram altas conversões e bom ROI – é fácil, vai ver.

O que é um Público Personalizado no Facebook

Se é novo em anúncios Facebook, as várias opções de públicos podem parecer intimidadoras no seu Gestor de Anúncios. Eu ensino aos meus estudantes tudo sobre os públicos no meu curso online Domínio Completo em Anúncios Facebook.

Tipos de público no Facebook

“Parece fácil, só há três públicos…”

Será?

Quando clica no Público personalizado, abre uma nova janela com mais opções.

Publico personalizado 4 opções

Qual dessas opções deve escolher?

Todas elas parecem ser boas para aumentar as suas taxas de conversão e baixar o seu custo por clique (cpc).

Pois é. Parece simples ao princípio.

Sem ter um conhecimento a priori, os Públicos personalizados do Facebook podem ser um pouco intimidadores.

Mas vamos lá perceber as opções de segmentação dos públicos do Facebook.

Existem três tipos de Públicos:

  • Público guardado
  • Público semelhante
  • Público personalizado

Um público guardado é o que a maioria dos anunciantes usa nas suas campanhas Facebook: são públicos que pode filtrar de acordo com local, idade, sexo, interesses, etc.

É um tipo de público bom para começar, para atingir pessoas a “frio”, mas é provável que os seus anúncios cheguem a pessoas que não estão lá muito interessados no seu produto ou serviço.

criar publico guardado facebook

Um público semelhante ajuda-o(a) a chegar a novas pessoas que poderão estar interessados no seu negócio porque são semelhantes aos seus atuais clientes ou visitantes do website.

Os públicos semelhantes são criados com base em visitas de página, pixel do Facebook ou Públicos personalizados (a razão deste artigo).

Vamos aprofundar este tipo de público posteriormente no artigo e mostrar como eles podem ajudar a ter mais conversões por menos custos.

Pense num público semelhante como um clone do seu público de retargeting (um público guardado), mas onde estará a segmentar para pessoas que nunca ouviram falar de si. Estas pessoas têm o mesmo tipo de demográficos ou comportamento do público original.

Criar público semelhante

Um público personalizado é criado com base na informação disponível pelo Pixel do Facebook no seu website, landing pages ou outras fontes de dados de clientes que tenha, ex.: lista de email.

Este tipo de público é criado a partir das pessoas que estão a interagir com o seu website ou marca, o que os torna num grande potencial de ROI.

Porque os Públicos personalizados funcionam tão bem?

Porque lhe vão dar uma avalanche de novas leads por baixo custo.

Fazer retargeting para os visitantes do meu website através dum Público personalizado deu-me conversões com 300% menos custos comparada com outras campanhas a frio que tenho a correr para mim e para os meus clientes.

Por exemplo, eu posso fazer uma campanha de anúncios para pessoas que visitaram o meu website nos últimos 30 dias.

Quando alguém visita o meu website e saem, eles entram na minha campanha como público, e começam a ver anúncios meus para os trazer de novo para o site, ex.: para algum artigo, eBook ou minicurso no meu site.

Qual o objetivo desta campanha?

Obter os dados do visitante em troca de algum eBook ou recurso que eu esteja a oferecer no site, de forma e entrarem na minha lista de emails e nos meus funis de marketing.

ActiveCampaign painel de controlo

Os próprios anúncios ficam mais baratos. Enquanto o custo médio por lead para um público frio pode custar €1, para um público de retargeting pode custar €0.75. Isto é apenas um exemplo, não significa que é isto que tem de pagar.

O que interessa perceber é que pode usar Públicos personalizados para ter leads a baixo custo.

Para isso, é necessário agora compreender a diferença entre tráfego frio e tráfego morno.

Público frio vs. Público morno

Vamos ser realistas: a esmagadora maioria das pessoas que vai ao seu site vai-se embora sem fazer nada: não se converte ou inscreve em qualquer tipo de oferta. Um estudo aponta para que podem ser até 98% das pessoas.

O que nos leva a pensar: porque é que as pessoas que visitam o seu site ou que veem o seu anúncio não se convertem em leads ou clientes?

Com os anúncios Facebook, você pode ter vários públicos com diferentes tipos de intenção de conversão e nível de interesse variado no seu produto ou oferta.

Um público frio são pessoas que pouco ou nada ouviram falar de si.

À medida que as acompanha e “namora” este tráfego frio com conteúdo de alta qualidade e que dê valor, elas começam a ficar mornas.

Já está a perceber a ideia?

Quanto mais “namora” o seu público frio e lhes dá valor, mais eles ficam familiarizados com a sua marca, e ficam mornos.

E é aqui que entra a importância de usar o tipo de canal/meio e comunicação a passar no seu anúncio.

Você precisa de corresponder o interesse da pessoa com o tipo de meio/canal/anúncio certo para mostrar aos potenciais clientes na altura certa. Estes anúncios podem ser de display, de vídeo, nas redes sociais ou anúncios de pesquisa (Google).

Nas redes sociais, há um misto de pessoas indiferentes ao seu produto vs aqueles que estão mesmo interessados – têm temperaturas diferentes.

A comunicação nos seus anúncios de Facebook tem de corresponder à temperatura do tipo de público que é.

Se está a pedir a uma lead fria para comprar o seu produto… porque é que eles haveriam de fazer isso?

Tipos de tráfego e ofertas

Com a publicidade do Facebook, um público mais frio será aqueles vindos dum público guardado, ou seja, um público criado com base em interesses, local, sexo, etc. São estas as pessoas que pouco ou nada ouviram falar de si.

Pedir a essas pessoas para comprar o seu produto “a seco” não é uma boa forma de captar leads – você vai perder bastante dinheiro.

Por isso é que a maioria dos anunciantes e empresas perdem rios de dinheiro, porque pensam que o seu produto ou serviço vai vender independentemente do público.

E aqui está a parte importante deste artigo.

Para ter um público morno ou quente (público para retargeting) é necessário começar primeiro com um público frio.

Vou repetir. Vai ser sempre necessário começar com um público frio e não há problema com isso.

Eu mostro como criar um bom público frio neste artigo.

Ao usar os Públicos personalizados no Facebook, vai chegar às pessoas mornas e quentes.

Estas pessoas visitaram o seu website ou interagiram com o seu conteúdo, e têm alto potencial para se inscreverem para uma oferta ou comprarem o seu produto.

O que as torna mais propensas para clicarem no seu anúncio e converterem-se na landing page.

Por exemplo, eu costumo comprar vitaminas e suplementos em lojas online. Muitas vezes adiciono coisas ao carrinho e abandono o website sem comprar.

Mais tarde, no Facebook, vejo anúncios – nesse mesmo site – sobre alguns dos produtos que eu estava a pensar comprar mas não comprei. É provável que clique no anúncio e volte ao site para comprar.

Anúncios remarketing

A razão pela qual vi um aumento nas taxas de conversão das minhas campanhas foi porque comecei a segmentar para públicos mornos em vez de públicos frios.

Não há mal em usar Públicos guardados (até é bom para “amadurecer” o Pixel do Facebook mas isto fica para outra vez) para mostrar os seus anúncios. Mas ao mudar para um público mais pequeno, mais “personalizado” (perdoem o pun), isso faz toda a diferença.

Há alguns tipos de públicos personalizados no Facebook, e cabe a si encontrar aqueles mais apropriados para os seus objetivos.

Mas eu não o(a) vou deixar desamparado… não senhores. Vou explicar cada um dos públicos para que possa tomar a sua decisão. Vou em mais profundidade neste assunto no meu curso online Domínio Completo.

Eis os tipos de Públicos personalizados que pode escolher de acordo com os seus objetivos.

Tipos de Públicos personalizados no Facebook

Há 4 opções para criar um Público personalizado no Facebook.

  • Ficheiro de clientes
  • Tráfego no site
  • Atividade em aplicações
  • Interação no Facebook

Publico personalizado 4 opções

Se já está familiarizado com os tipos de Público personalizados que existem, faça scroll até mais abaixo para ver 8 boas dicas de retargeting que vão meter bom dinheiro nos seus bolsos.

Público personalizado: Ficheiro de clientes

Este tipo de público tem como base um ficheiro de clientes, ex.: lista de email, n.º de telefone ou IDs de apps.

Já sabe que as pessoas subscritas à sua newsletter estão interessadas no seu conteúdo. Porquê não lhes dar um empurrãozinho para as tornar clientes?

Para criar um Público personalizado siga estes passos:

1. Aceda ao Gestor de Anúncios/Gestor de Negócios. Clique no menu hambúrger (3 linhas no canto superior esquerdo) > Todas as ferramentas > Públicos.

Aceder a públicos

2. Clique em Criar Público > Público personalizado

Criar público personalizado

3. Selecione Ficheiro de clientes

Publico personalizado ficheiro de clientes

4. Escolha se quer adicionar a partir duma lista de contactos ou a partir do MaiLChimp. Vamos supor que escolheu a partir da sua lista.

Publico personalizado ficheiro ou mailchimp

5. Aqui tem as opções possíveis para criar este público a partir do seu ficheiro.

Há 15 tipos de identificadores para escolher, os mais usados por si provavelmente serão E-mail e Nome próprio.

Publico personalizado ficheiro ou copiar e colar

6. Adicione um ficheiro ou copie cole os dados
Pode carregar um ficheiro em formato .csv ou .txt ou copiar e colar. Se escolher carregar, clique em “Carregar ficheiro” e selecione o ficheiro do seu computador. Se for copiar e colar é só escolher o “Copia e cola”.

7. Dê um nome ao seu público e descrição
Pode ver a documentação oficial do Facebook em como criar um público a partir dum ficheiro.

Se precisar de fazer uma limpeza nos seus dados antes de importar, o Facebook tem um artigo que ajuda nisso.

Público personalizado: Tráfego no site

Quer segmentar para pessoas que já visitaram o seu site? Se sim, então é este tipo de público personalizado que deve usar (é normalmente o mais utilizado para estes fins).

Para criar públicos com base no tráfego para o seu website, precisa primeiro de instalar o Pixel do Facebook. Também precisa deste pixel para acompanhar conversões, portanto é possível que já o tenha implementado. É fácil. Mais ou menos 🙂

Como implementar o Pixel do Facebook:´

1. Vá a Pixeis no Gestor de Anúncios
2. Clique em Ações > Ver código do Pixel

Cada conta de anúncios só tem um código de Pixel. Use o código do pixel em cada página do seu website (ou websites).

Exemplo de código do pixel do facebook

3. Copie e cole este código entre as etiquetas de cada página web no seu site, ou no seu gestor de conteúdos para o colocar em todo o site. Também pode usar o Google Tag Manager, que é o que eu uso. Peça ao seu developer em caso de dúvidas.

Se quer acompanhar conversões específicas tais como compras ou conversões em leads, precisa de adicionar pequenos códigos adicionais, que são os chamados eventos padrão.

Se eu quiser acompanhar “leads”, então iria colocar a linha de código de fbq(‘track’, ‘Lead’); apenas à página onde quero saber se o visitante se converteu em lead (isto seria na página de obrigado).

Evento padrão no código base do pixel do facebook

Tem um total de 9 eventos padrão que pode adicionar ao código base do pixel do Facebook.

Os 9 eventos padrão do Facebook

Pode ler mais sobre a implementação do Pixel na ajuda oficial do facebook.

Depois de ter o seu Pixel Facebook implementado, pode usá-lo para acompanhar os resultados das suas campanhas de anúncios e criar os Públicos personalizados para retargeting.

Para criar um público personalizado a partir de tráfego do site:

1. Vá ao Gestor de Anúncios/Gestor de Negócios e selecione Públicos

2. Clique em “Criar público” no canto superior esquerdo

3. Selecione “Público personalizado”

4. Escolha Tráfego no site das opções
Criar público trafego no site

5. Aqui tem as seguintes opções:

  • Qualquer pessoa que visite o teu site
  • Pessoas que visitam páginas web específicas
  • Pessoas que visitam determinadas páginas web e não outras
  • Pessoas que não visitam o site há um determinado período de tempo
  • Combinação personalizada

Opções de publico personalizado de trafego no site

Na combinação personalizada, pode ir em mais profundidade nos critérios do tráfego em relação a páginas específicas.

Combinações personalizadas

6. Dê um nome ao seu Público personalizado e clique no botão azul “Criar Público”.

Os públicos-alvo criados com base no tráfego do site são a galinha dos ovos de ouro porque permitem estas oportunidades de retargeting.

Pode continuar a ler para saber as outras duas opções de criação de públicos personalizados (app e interação).

Nota: Inclua mas exclua também públicos na segmentação do seu anúncio.

Público personalizado: Atividade em aplicações

Se tem uma app iOS ou Android, pode segmentar para pessoas com base nas ações que elas tomam na sua app.

Para criar um público personalizado com base na atividade da sua aplicação:

1. Registe a sua app e crie eventos de aplicação para chegar a utilizadores específicos

2. Aceda aos Públicos no seu Gestor de Anúncios/Gestor de Negócios.

3. Clique “Criar Público” no canto superior esquerdo

4. Selecione “Público personalizado”

5. Selecione “Atividade em aplicações”
Criar público atividade aplicações

6. Dê um nome ao público e selecione a app para a qual quer criar este público. Deverá ter privilégios da conta de anúncios para a aplicação que quer usar.

Criar publico atividade em app

7. Defina as ações tomadas para segmentar para pessoas que tomaram ações específicas na sua app de acordo com os eventos que criou anteriormente.

8. Escolha um período de tempo para o retargeting.

Por exemplo, pode fazer com base num evento de não-utilização da app e escolher “Nos últimos 30 dias” para chegar a pessoas que não têm usado a sua aplicação nos últimos 30 dias.

O Facebook tem um guia oficial para ajudar a criar públicos personalizados com base na atividade em aplicações.

Opções atividade em apps facebook publico

Público personalizado: Interação no Facebook

Um público personalizado de Interação no Facebook é constituído de pessoas que interagiram com o seu conteúdo no Facebook.

“Interação” são ações específicas, tais como visualização dos seus vídeos ou abrir um anúncio de formulário de leads ou canvas.

Para criar um público personalizado com base na interação no Facebook:

1. Vá ao Gestor de Anúncios/Gestor de Negócios e selecione Públicos

2. Clique em “Criar público” no canto superior esquerdo

3. Selecione “Público personalizado”

4. Escolha “Interação no Facebook”
Criar público personalizado interação Facebook

5. Selecione o tipo de interação que quer usar no retargeting dos seus anúncios, que podem ser:

  • Vídeo
  • Anúncio de leads
  • Canvas
  • Página

Opções de publico personalizado interacao facebook

Vou mostrar-lhe aquilo que pode fazer com o retargeting em exemplos específicos para ter ideias para levar as suas campanhas de anúncios ao próximo nível.

8 dicas de retargeting avançado com Públicos personalizados

Agora que sabe os quatro tipos de Públicos personalizados e como os criar, vamos aprofundar o que fazer com isto.

De seguida mostro oito formas de usar os Públicos personalizados como um “pró”, que será ótimo para as suas campanhas de retargeting para ter um ROI espetacular nas suas campanhas.

1. Retargeting a todos os visitantes do site

Se só puder criar um único Público personalizado para retargeting com anúncios Facebook, então esta seria a sua escolha.

Fazer retargeting a todas as pessoas que visitaram o seu website é algo vago, porque várias pessoas com várias intenções e expectativas – mas é melhor que nada, e é um bom sítio para começar.

Faça retarget a todos os visitantes do seu site com uma oferta Facebook que os recorde da sua marca. Esta oferta não deve ser diferente da proposição de valor da sua homepage ou landing page.

Por exemplo, a homepage da Naturebox, tem como proposição de valor “Deliciously wholesome snacks” e depois mostra vários produtos.

Homepage da Naturebox

Os anúncios Facebook deles (de retargeting) repete o mesmo texto com o mesmo estilo visual da marca, dando consistência à comunicação, podendo apresentar de novo a proposição de valor deles.

Anúncios Facebook Naturebox

Fazer retargeting para TODOS os visitante do seu site pode não ser o mais ideal, mas é bom para testes A/B nas suas homepages para perceber quais as proposições de valor são mais apelativas para os seus potenciais clientes.

Mas mantenha o texto e imagens dos anúncios consistentes com a homepage/landing page do site.

Como criar um público de retargeting para pessoas que visitaram o seu website:

Para criar um Público personalizado de todas as pessoas que visitaram o seu website, vá a Públicos, escolha “Público personalizado” e clique em “Tráfego no site” (para instruções detalhadas veja aqui).

Pode fazer retargeting para pessoas que visitaram o seu site num período de tempo de 1 a 180 dias.

Você decide o período de tempo a usar. Normalmente coloco as minhas campanhas em 30 a 60 dias após a última visita, para que as pessoas não se aborreçam de ver os meus anúncios e que a oferta ainda seja relevante para elas.

Criar público personalizado trafego site

Uma coisa a notar: as pessoas que estiveram no seu site apenas uma vez podem ainda não estar mornas para as suas ofertas.

Por isso ofereça algum eBook ou minicurso gratuito em vez de lhes pedir para fazer uma compra imediatamente…

… Por exemplo, eu tenho centenas de artigos e recursos gratuitos para os meus estudantes, incluindo templates, checklists, guias e minicursos.

E tenho também um curso pago, o Domínio Completo dos Anúncios Facebook. Mas eu não empurro o meu produto pago às pessoas. Os visitantes que chegam ao meu site têm uma série de recursos para terem sucesso na sua atividade profissional; se gostarem do conteúdo e quiserem tomar o próximo passo, fica ao critério da pessoa.

Pense nas campanhas de retargeting do Facebook como uma forma de criar perceção de marca e confiança, e ao mesmo tempo focar-se nas conversões.

Eis um exemplo dum anúncio da LinkedIn University a promover um eBook deles. Eu vi este anúncio porque visitei o site deles anteriormente (ou alguma landing page).

Anúncios LinkedIn University retargeting

Só por curiosidade, repare que eles têm um pequeno erro gramatical. Heh 🙂

Bem, adiante…

Boas práticas para retargeting todos visitantes do website com anúncios Facebook:

  • Use um período de tempo 30-60 dias para manter a sua oferta relevante
  • Não peça um grande compromisso às pessoas que apenas estiveram no seu site uma vez
  • A sua proposição de valor no anúncio deve ser semelhante à que está na homepage
  • Dê valor em vez de pedir às pessoas para comprar (ofereça, guias, checklists, etc.)

2. Retarget a pessoas que visitaram landing pages específicas

Nem todos os visitantes duma landing page se convertem na primeira visita.

É provável que vá pagar um preço elevado a pessoas que veem às suas landing pages com anúncios pay-per-click. Se não lhes fizer retargeting está a perder oportunidades de lucrar com elas.

Ao criar campanhas de retargeting estará a chamar a atenção da pessoa eficazmente no Facebook, porque a maioria das pessoas notam com mais atenção anúncios para produtos que já visitaram anteriormente.

Ou seja, os anúncios de retargeting chamam mais à atenção.

Fazer retargeting de pessoas que visitaram landing pages específicas é bom porque:

  • Elas já estão familiarizadas com a sua marca
  • Estão interessados num produto ou serviço específico
  • Você pode promover ofertas de landing pages específicas para um público pequeno (cliques ficam mais baratos) – mas relevante

Por exemplo, eu ofereço um minicurso gratuito de anúncios Facebook, e já várias pessoas visitaram essa landing page.

Como já houve pessoas a visitar essa landing page específica, criei um público personalizado “tráfego no site” de pessoas nos últimos 30 dias que visitaram essa página específica – mas que não se converteram, ou seja, não se inscreveram no curso.

Os anúncios retargeting nesta campanha eram especificamente para as pessoas voltarem para essa landing page e inscreverem-se no minicurso, porque sei que elas estão minimamente interessadas, mas por uma razão ou por outra, abandonaram a landing page na altura e não voltaram mais – até agora.

Anúncio retargeting exemplo

Apesar deste anúncios ser mostrado para um público pequeno (menos de 500 pessoas), trouxe 10 novas leads em apenas alguns dias com baixo custo por clique.

E isto é apenas uma das campanhas de retargeting que tenho.

Eis outro exemplo da Pardot.

É uma oferta que eles têm para pessoas interessadas em email marketing para B2B.

O anúncio abaixo é especificamente segmentado para empresas de serviços B2B e pode servir como anúncio de retargeting para pessoas que visitaram a página de serviço da Pardot focada em email marketing para B2B.

Pardot oferta anúncio Facebook

Ao fazer retargeting para Públicos personalizados no Facebook que visitaram landing pages específicas, seja específico também com o seu anúncio e oferta.

Mostre um benefício fácil de ver e perceber, e que seja claro qual o próximo passo que quer que as pessoas tomem, ao usar um dos botões de Apelo à ação dos dos anúncios Facebook (ex.: “Reservar agora”

Botão apelo à ação do Facebook

Mas João, com isto do retargeting as pessoas não vão ficar fartas de ver os meus anúncios?

Mantenha a sua frequência de anúncios abaixo dos 4-5 pontos e não terá problemas com isso. A “frequência” é o número de vezes que o seu anúncio é mostrado à mesma pessoa e pode ver essa métrica – assim como outras – nas estatísticas do seu Gestor de Anúncios.

Estatística coluna da Frequência

Por vezes a frequência pode nem fazer grande diferença e pode ir até aos 10 de frequência.

O que interessa é perceber se os anúncios ao longo do tempo estão a manter o seu desempenho ou a perdê-lo. Se estiverem a perder desempenho, então talvez seja culpa do excesso de frequência.

Vá acompanhando as suas campanhas de retargeting para perceber o ponto a partir do qual as pessoas se cansam dos seus anúncios e deixam de interagir com eles.

Aí estará na altura de clicar no botão da “Pausa” e experimentar novas imagens e copy para evitar a fadiga do anúncio.

Como criar Público personalizado para visitantes a landing pages específicas

Vá aos Públicos e crie um Público personalizado baseado no Tráfego no site.

Selecione a opção para segmentar para pessoas que visitaram páginas web específicas.

Público personalizado visitam página específica

E as pessoas que visitam a sua landing page e converteram-se?

Não quer mostrar mais anúncios se a pessoa já se converteu na sua landing page, certo? (há outra campanha de retargeting para convertidos que irei aprofundar mais abaixo).

Para excluir pessoas que já se converteram, ou seja, que já compraram ou tomaram alguma ação na sua landing page, use uma Combinação personalizada.

Exclua as pessoas que visitaram a sua thank you page, ou seja, a página onde as pessoas são direcionadas após se terem convertido na landing page.

Por exemplo, quando um visitante se converte, ou seja, dá os seus dados num formulário em troca dum eBook, esta landing page irá redirecionar a pessoa para uma thank you page, que terá informação adicional de como fazer o download do eBook.

Público personalizado combinação personalizada

Após criar este público, dê ao Facebook algumas horas para captar dados suficientes para depois poder avançar com a criação da campanha.

Boas práticas para fazer retargeting para visitantes de landing page com anúncios Facebook:

  • A sua oferta deve ser específica para landing pages específicas
  • Tem várias ofertas que possa testar e rodar
  • Seja claro na ação que quer que a pessoa tome (compra, subscrição, contacto)
  • Mantenha a sua frequência de anúncios nos 4-5 pontos
  • Acompanhe os resultados para saber quando está na altura de fazer pausa
  • Exclua pessoas que já se converteram (para não receberem anúncios de algo que já compraram ou se subscreveram)

3. Retarget para leitores de blog com alta interação

Eis como pode perder os seus potenciais fãs e leitores de blog:

  • As pessoas vão ao Google fazer uma pesquisa sobre um problema específico que têm
  • Encontram um dos seus artigos e leem-no de alto a baixo
  • Clicam no botão “Fechar separador” e nunca mais voltam ao seu site… acabou.

Quer evitar este cenário, certo?

Pois bem, ao dominar os anúncios e fazer retargeting para os seus leitores do blog, você pode fazer justamente isto.

Mas João, porque hei de pagar para levar as pessoas para um dos meus artigos se posso simplesmente publicar um post e chegar aos meus fãs?

Ahem…

Como você deve calcular, os seus posts são pouco ou nada vistos pelos seus fãs.

De acordo com a Ogilvy ao analisar mais de 100 páginas de marcas, o alcance orgânico dos posts destas andavam em 2 a 6%… em Fevereiro de 2014. Sim, na longínqua data de 2014. Como é que acha que as coisas estão agora?

Estão piores.

Eis uma outra estatística do alcance orgânico até 2015.

Alcance organico posts Facebook

Se quer que os leitores do seu blog encontrem os seus artigos e conteúdo no Facebook, precisa de pagar (pagar para fazer promover as publicações ou anúncios para o conteúdo do blog).

É fácil fazer retargeting para os leitores do seu blog.

Crie um público personalizado de todas as pessoas que visitaram o endereço do seu blog.

Ao promover uma publicação Facebook para um Público frio, o custo por clique pode custar o dobro quando comparado com o mesmo post promovido para leitores do seu blog.

Anúncio Facebook para artigo

Se o seu blog tem vários tópicos, pode criar públicos personalizados para pessoas interessadas nesses temas diferentes.

Por exemplo, se tem uma categoria de artigos no seu blog sobre suplementos, crie um público personalizado para leitores do blog que leram artigos sobre suplementos.

Usar o retargeting para promover os seus artigos de blog no Facebook dá-lhe maiores taxas de clique porque essas pessoas já estão interessadas naquele tema.

Dica: se publicar um artigo com potencial para se tornar viral ou para ter bom desempenho a nível de SEO, use o Facebook como ferramenta de tese A/B para encontrar o título perfeito. Isto pode ajudar o seu post a ter ainda melhores resultados de forma orgânica, já que melhora o seu CTR (taxa de cliques).

Teste A/B Facebook

Como criar um público personalizado dos seus leitores blog:

Vá aos Públicos e crie um Público personalizado de Tráfego no site.

Selecione a opção para segmentar para pessoas que visitaram páginas específicas.

Se quer segmentar para todas as pessoas que visitaram o seu blog anteriormente, pode colocar as URLs que contêm o domínio do blog.

Criar público personalizado leitores blog

Essa é a fórmula mais simples para fazer retargeting para os leitores do seu blog, porque apanha todos os artigos dentro do endereço de “/blog”.

Para retargeting de pessoas que visitaram artigos específicos, insira todos os links dos artigos, e lembre-se de excluir pessoas que já visitaram o artigo que está a promover.

Retargeting para artigos específicos do blog

Após criar o público personalizado, dê algum tempo ao Facebook para processar os dados e use este tempo para começar a criar o design e copywriting para o seu anúncio.

Boas práticas para fazer retargeting a visitantes do blog com Públicos personalizados:

  • Mantenha os seus leitores de blog top of mind do seu conteúdo ao promovê-lo no Facebook
  • Use as publicações promovidas ou crie anúncios para aumentar o alcance do seu blog
  • Crie vários públicos de pessoas que se interessam em determinados temas
  • Use o Facebook como ferramenta de teste A/B para encontrar o título perfeito
  • Exclua pessoas que já leram ou fizeram download do seu conteúdo promovido

Depois das pessoas terem ido para o seu artigo, pode criar um novo público de retargeting baseado em quantos segundos elas estiveram no artigo.

Tática ninja, certo?

A isto chama-se “retargeting” do tempo passado no site.

Se um visitante que vem do Facebook passa +30 segundos no seu artigo blog, pode experimentar apresentar-lhes algum tipo de oferta ou ação que eles podem fazer. Eles leram um artigo seu. Talvez estejam preparados para lhe dar o email deles em troca dum eBook ou guia que você tenha.

4. Retargeting a novos e antigos convertidos

A maioria dos marketers e empreendedores param de fazer marketing quando alguém se torna um cliente ou fazem uma compra.

Mas de acordo com um estudo na eConsultancy, 41% de todas as receitas veem de apenas 8% de visitantes/clientes repetidos. Apenas 8% geraram 41% das receitas.

8% de visitantes repetidos geram 41% das receitas

Porquê gastar tanto dinheiro a ir à procura de clientes novos, quando são os atuais que nos podem fazer faturar mais?

Pense nisso. A quem é mais fácil dizer que sim? A quem não o conhece de lado nenhum, ou quem já é cliente seu?

Tem nas suas mãos um grande potencial ao poder fazer retargeting para clientes existentes. Ao criar bons públicos personalizados com uma boa estratégia de retargeting por trás, pode aumentar espetacularmente as suas vendas.

Ideia retargeting 1 – após a conversão: cross sell e upsell

Não precisa de ser uma marca e-commerce para usar os anúncios Facebook para upselling e cross selling.

Upselling é uma venda superior. Um upsell duma garrafa de champanhe pode ser um vinho tinto de reserva.

Cross selling é uma venda cruzada. Um cross sell dum portátil pode ser um iPad.

Se pode acompanhar as conversões na sua homepage, tem aqui o potencial para obter mais vendas com os anúncios Facebook.

Crie um Público personalizado das pessoas que visitaram a sua thank you page e use este público numa campanha de retargeting para upselling.

Por exemplo, se alguém comprar um livro de Yoga, apresente-lhes um tapete de elite (upsell) para eles fazerem os seus exercícios.

Tapete de Yoga

Ou se lhes vendeu auriculares, eles podem estar interessados em comprar um speaker wireless (cross sell).

Anúncio retargeting Amazon

Ou se teve pessoas que fizeram o download do seu eBook (no topo do seu funil), o próximo anúncio para upsell pode ser um minicurso ou um webinar (para os levar mais para baixo no seu funil).

Ideia retargeting 2 – após a conversão: Educar as pessoas

Se está a vender um produto complexo (por exemplo, software) ou gostaria de educar as pessoas relativamente à linha de produtos da sua marca, os públicos personalizados do Facebook podem-lhe ajudar com isto.

Após alguém se ter subscrito no seu produto, promova algum pequeno guia em como eles podem usar o produto. Isto pode ser um ebook com exemplos e instruções, ou pode ser o próprio interface do seu software que ensina os primeiros passos ao utilizador.

Por exemplo, a Asana é um serviço de gestão de projeto. Aqui podem promover com anúncios um ebook de como usar o serviço deles.

Anúncio Asana promover eBook

E há outras duas coisas que a Asana pode fazer além das campanhas de retargeting no Facebook: enviar emails para lembrar os utilizadores de usarem o serviço, e o próprio interface deles pode ensinar ao utilizador como usar as funcionalidades.

Como criar um Público personalizado de clientes e convertidos:

Isto depende do seu tipo de negócio (serviços, e-commerce, agencia, etc.), porque a maneira como você gere as conversões no seu site podem ser diferentes.

Mas a forma mais fácil de criar um público personalizado de convertidos é ao usar uma página de obrigado (thank you page).

Vá aos Públicos e crie um Público personalizado com base em Tráfego no site.

Selecione a opção para segmentar para pessoas que visitaram páginas web específicas e depois coloque a sua página de obrigado/confirmação/conversão.

Convertidos últimos 30 dias

Também pode criar conversões personalizadas para acompanhar ações que as pessoas tomaram no seu website.

Isso está fora do âmbito deste artigo, mas é uma das táticas avançadas que ensino no meu curso online Domínio Completo dos Anúncios Facebook.

Depois de criar o Público, ele estará na sua página dos Públicos juntamente com os outros que tenha criado.

É provável que veja “Público demasiado pequeno”. Espere algumas horas para que o Facebook comece a captar os dados e venha ver mais tarde.

Público demasiado pequeno

Boas práticas para retargeting pós-conversão com os Públicos personalizados do Facebook:

  • Use anúncios retargeting para fazer upselling, cross selling e educar os seus compradores
  • Promova produtos relacionados com aqueles em que a pessoa se converteu
  • Ofereça um “compre mais unidades” com desconto
  • Promova guias que ensinam as pessoas a usar o seu produto/serviço
  • Combine anúncios Facebook com outros meios de marketing (email, etc.)

5. Retargeting dos seus subscritores de newsletter

A maioria das empresas usa email, mas usa-o mal.

Há dois tipos de subscritores de newsletter.

  1. subscritores ativos que interagem com os seus emails;
  2. subscritores inativos que não abrem os seus emails há semanas/meses.

Se tem uma série de subscritores inativos, tenho boas notícias para si.

De acordo com uma análise feita pelo MailChimp em 6.6 biliões de envios de email, um subscritor inativo vale 32% dum subscritor ativo.

Mesmo que os seus subscritores de email não interajam com a sua marca da forma como fazem os fãs ativos, eles ainda estão 26% propensos para se “reterem” como clientes e fazerem uma compra.

Estudo mailchimp subscritores

Os seus subscritores podem-se tornar inativos/passivos por uma série de razões. Podem já não estar interessados nas suas newsletters, talvez porque você envia muitas, ou poucas vezes. Ou não têm tempo para ler, ou mudaram de email.

Ao usar os Públicos personalizados do Facebook, pode criar campanhas de retargeting para reativar estas pessoas.

Não envie emails para todos os leitores da sua newsletter com um pedido para comprar alguma coisa. Em vez disso, dê valor, partilhe bons conselhos que os trazem de volta ao ativo.

Para saber quem são os seus subscritores inativos, crie segmentos no seu serviço de email marketing. Crie um segmento de pessoas “inativas”, exporte essa lista, carregue-a no Facebook e crie anúncios para elas.

Pode ir mais além com essa lista e filtrar ainda por localização, idade, interesses, etc. Pode ainda criar segmentos de pessoas que estão interessadas em eBooks, e outros que estão interessados em artigos, outros em cursos (se tiver isso implementado na sua ferramenta de email).

Analise quaisquer dados e padrões que veja nos seus subscritores para criar campanhas de retargeting específicas para cada segmento de pessoas.

Dica: faça retargeting a pessoas que nunca abriram os seus emails

Além de reativar subscritores inativos (ou que têm pouca interação com os seus emails), pode anunciar para pessoas que nunca abriram os seus emails, com uma proposta de baixo compromisso, como fazer com que cliquem para um bom artigo seu ou fazer download do seu eBook.

Assim é mais provável que se lembrem de si e comecem a interagir consigo, com as suas publicações e os seus emails.

Note que cada vez que alguém Gosta do seu post, os amigos deles irão ver isso.

Anúncio Facebook da Marketo

Como criar um público personalizado a partir dos seus subscritores de newsletter:

Aceda aos Públicos e clique em “Criar Público > Ficheiro de Clientes. Veja aqui para instruções com imagens se necessário.

Pode escolher importar um ficheiro da sua lista do seu serviço de email marketing ou pode importar contactos do MailChimp, que é um fornecedor de email suportado diretamente pelo Facebook.

Se for carregar um ficheiro de clientes, exporte-a da sua ferramenta de email marketing e carregue-a para o Facebook como um ficheiro .txt ou .csv.

Publico personalizado ficheiro ou copiar e colar

Pode especificar os interesses do seu Público personalizado mais tarde quando estiver a criar um anúncio.

Escolher público ao criar anúncio

Boas práticas para retargeting para subscritores de newsletter:

  • Use estas dicas para reativar subscritores inativos
  • Aumente o alcance do seu conteúdo para os amigos dos subscritores
  • Segmente subscritores da newsletter e mostre anúncios específicos para eles
  • Partilhe conteúdo educacional conforme os segmentos das suas listas
  • Se não pode segmentar as suas listas de email, importe à mesma a lista e filtre os públicos por localização, interesses, etc. (ao criar o anúncio)

6. Retarget para utilizadores em período trial/gratuito

A sua empresa vende produtos num período à experiência ou com algum serviço freemium?

Por exemplo, já experimentei vários fornecedores de email marketing como o ActiveCampaign e Drip (os meus favoritos).

Muitos destes serviços têm um período à experiência de normalmente 14 dias, que dá para experimentar o serviço para ter uma ideia se queremos continuar.

A maioria das pessoas que usam um trial gratuito não se convertem em clientes, o que é normal. E também depende se o seu serviço requer cartão de crédito para começar.

Durante um trial gratuito, o seu objetivo é envolver os utilizadores com o seu produto e perceber como os pode beneficiar. Quer-lhes dar valor suficiente para que eles se queiram tornar clientes.

Ou seja, precisa de “ativar” os seus utilizadores para que eles eventualmente queiram usar o produto pago.

Ativar utilizadores de trial

A sua “ativação” depende do seu serviço, mas pode ser ligar uma rede social via app ao utilizador, ter um bom processo de onboarding (interface ensina a mexer no programa), ou a dar um desconto em troca de amigos referenciados para o serviço.

Ao criar um Público personalizado de utilizadores do seu serviço trial/freemium, pode mostrar anúncios Facebook com vários tipos de lembretes:

  • Apresentar factos e estatísticas dos benefícios do seu serviço;
  • Ter respostas para perguntas ou objeções frequentes;
  • Mostrar estudos de caso/sucesso de outros utilizadores;
  • Partilhar guias de como começar (ou um interface que ensina);
  • Promover uma demo gratuita com um dos seus comerciais;
  • Promover funcionalidades premium da versão paga para eles verem o que podem ter

Eis um exemplo dum anúncio da HootSuite para um período à experiência de 30 dias. Mostra as vantagens do trial como “medir sucesso” e “poupar tempo”.

Além dos utilizadores atuais do trial gratuito, pode fazer retargeting também para aqueles que fizeram o trial mas não se converteram (trial acabou).

Por exemplo, faça uma campanha para lembrar utilizadores antigos em que o trial deles acabou há 3 meses. Ofereça outro período à experiência para reativar estas pessoas.

Como criar um Público personalizado de utilizadores trial/freemium:

Para criar um público dos seus utilizadores de free trial pode usar uma página de obrigado, que é a página mostrada após eles se inscreverem no serviço.

Depois vá aos seus Públicos e crie um Público personalizado de Tráfego no Site.

Retargeting para trials gratuitos

Vai querer deixar de mostrar os anúncios para as pessoas que se inscreveram depois para a versão paga do seu produto.

Crie outro Público personalizado de pessoas que criaram um perfil de pagamento.

Pode fazer isto ao criar um Público personalizado de “Atividade em aplicações”, ter o seu evento de app criado e usar o parâmetro de “Adicionar informação de pagamento” para acompanhar as conversões de utilizadores do trial gratuito para clientes pagadores. Pode ler a secção de ajuda oficial do Pixel do Facebook para mais informação.

Boas práticas para fazer retargeting para utilizadores de trial gratuito/freemium:

  • Use retargeting para mostrar os benefícios do seu produto pago aos utilizadores do trial
  • Ofereça conteúdo que ajude, como guias ou um interface que ensina
  • Mostre estudos de caso e respostas a perguntas ou objeções
  • Exclua pessoas do trial que já fizeram pagamento (para não mostrar anúncios do seu produto a elas)

7. Use Públicos semelhantes para chegar a novos clientes

Os melhores clientes são aqueles que gostam da sua marca e pagam bem. O ideal seria ter mais destes não era?

Com os Públicos semelhantes no Facebook você consegue praticamente clonar o seu tipo de cliente ideal. Estes públicos consistem em pessoas com interessantes e atividades semelhantes aos seus clientes atuais ou visitantes do seu site.

Segmentar para públicos semelhantes faz sentido, porque são pessoas que são parecidas com os seus utilizadores atuais e assim mais propensos para se converterem.

Por exemplo, a Banana Republic (empresa de roupa) é apresentada como caso de sucesso no Facebook ao ter usado Públicos Semelhantes para ter x4 maior retorno ao investimento e 60% mais cliques.

Anúncio Banana Republic

Crie um Público personalizado de pessoas que se converteram no seu website (ex. subscritores, clientes). É com base neste público que poderá depois criar um semelhante.

Note que os Públicos semelhantes, apesar de serem semelhantes ao seu público convertido, são pessoas que pouca ou nada ouviram falar de si, portanto isto não é tecnicamente retargeting.

No entanto, como têm uma afinidade de semelhança com as pessoas convertidas no seu website, poderão estar mais propensas para se tornarem subscritores e clientes. Teste diferentes ofertas (artigos, guias, ebooks, etc.) para ter uma ideia de qual a “temperatura” delas.

Pedir às pessoas para se inscreverem num produto que nunca ouviram falar raramente irá funcionar – por muito semelhante que estas pessoas sejam com o seu público constituído dos melhores clientes.

Aqueça a temperatura do seu Público semelhante ao dar-lhes algum tipo de conteúdo útil, e só depois siga com outras ofertas, como um trial gratuito ou um produto de baixo custo.

Por exemplo, neste anúncio Facebook estou a mostrar às pessoas um artigo simples em que explico quanto investir em anúncios (exemplo bem meta).

Anúncio para artigo blog

Depois das pessoas clicarem no anúncio e forem ao artigo, elas ficam pixelizadas eu posso criar um Público personalizado dos leitores desse artigo, e passá-los para a próxima fase de retargeting onde promovo um minicurso para estas pessoas, mostrando um maior nível de interação e intenção de conversão do visitante.

Anúncio para mini-curso

Se vai criar um funil de marketing deste género, perceba se o tamanho dos seus públicos é grande o suficiente para cada passo de conversão do seu funil.

Como criar um Público personalizado semelhante aos seus clientes atuais:

Primeiro tem de criar um Público personalizado dos seus clientes atuais ou pessoas que se converteram no website. Só depois pode criar um Público semelhante com base nesse.

Vá aos Públicos e crie um Público personalizado de Tráfego no site, para segmentar a pessoas que visitaram a sua página de obrigado.

Criar público personalizado

Depois então crie um Público semelhante com base no Público personalizado que criou.

A escala de 1-10 mostra a percentagem de semelhança das pessoas do país escolhido que mais se assemelham ao seu Público personalizado escolhido (neste caso o meu é Convertidos dos últimos 30 dias).

Público semelhante

Se o seu Público semelhante é vasto (mais que algumas centenas de milhares), filtre-o com base em interesses quando estiver a criar o seu anúncio. Ou selecione “Conversões” como objetivo de campanha para que o Facebook possa fazer a otimização por si.

Boas práticas para criar Públicos semelhantes no Facebook:

  • Crie um Público semelhante que se assemelha aos seus clientes/subscritores atuais
  • Lembre-se que estas pessoas nunca ouviram falar do seu produto
  • Teste com diferentes ofertas para medir a temperatura delas
  • Crie um funil de marketing para as etapas do funil dessas ofertas

8. Retarget para todos os que interagiram com o seu conteúdo no Facebook

O Facebook tem a opção de podermos segmentar para pessoas que interagiram com o seu conteúdo no Facebook, para vídeo, formulário de leads, canvas e página.

Publico personalizado 4 opções

Por exemplo, pode fazer remarketing para pessoas que viram pelo menos 50% dum vídeo que publicou no Facebook (dá para selecionar vários vídeos). Ou segmentar para pessoas que abriram o seu anúncio Canvas.

Público personalizado de visualização de vídeo

Como os vídeos têm um bom nível de interação no Facebook, uma boa ideia é criar um excelente vídeo, promovê-lo para um público frio (eis como criar um) e depois aproveitar todas essas pessoas para lhes fazer retargeting.

Eis um exemplo de dois vídeos da Coca-Cola com o objetivo de inspirar as pessoas e obter visualizações.

Vídeo de Coca Cola

Depois a Coca-Cola pode aproveitar para promover os seus produtos.

Anúncio Facebook Coca Cola

E isto é apenas um exemplo para retargeting de vídeo, porque existe ainda retargeting para as pessoas dos anúncios de leads (que preencheram formulários de leads no Facebook), para Canvas e para Página.

Relativamente à interação com a Página, isto é uma opção interessante porque permite:

  • Segmentar para todos os que visitaram a Página ou interagiram com o conteúdo da Página ou anúncios no Facebook ou Messenger
  • Segmentar para todos os que visitaram a sua Página
  • Segmentar para pessoas que interagiram com a sua publicação de Página ou anúncio. Isto inclui as reações (Gosto, Adoro, Riso, Surpresa, Tristeza, Ira), partilhas, comentários, cliques em links e carrossel.
  • Segmentar para pessoas que clicaram em algum botão de apelo à ação (ex: Reservar agora ou Contacte-nos)
  • Segmentar para pessoas que enviaram uma mensagem para a sua Página
  • Segmentar para pessoas que guardaram a sua Página ou alguma publicação

Público personalizado Interacao página

Como criar um Público personalizado com base na Interação no Facebook:

Vá aos Públicos e crie um Público personalizado. Depois selecione Interação no Facebook e escolha o tipo de interação que quer medir.

Já lhe dei um exemplo anterior do Vídeo e falei um bocadinho sobre a Interação na Página, mas tem também os anúncios de leads e do Canvas.

Pode fazer retargeting para pessoas que interagiram com os seus vídeos, anúncios de leads, canvas e página.

Boas práticas para retargeting de Públicos personalizados de Interação no Facebook:

  • Atraia a atenção das pessoas com conteúdo visualmente interessante
  • Segmente para pessoas que viram os seus vídeos até um certo ponto
  • Mantenha o tema dos seus vídeos e dos anúncios retargeting em sintonia
  • Segmente para pessoas que interagiram com a sua publicação de Página ou anúncio

E aqui está. O seu Guia completo dos Públicos personalizados no Facebook. Espero que consiga daqui retirar muitas ideias para as suas campanhas e ter o sucesso que merece no seu negócio.

Como criar e guardar Públicos (e poupar-lhe uma grande dor de cabeça)

Como criar, guardar e usar Públicos guardados.

Possivelmente a parte mais complicada de montar uma campanha publicitária no Facebook é escolher o público certo. Há TANTAS opções que tudo se pode tornar confuso, BEM depressa.

Mas isto dos Públicos é importante, porque o sucesso dos seus anúncios depende, basicamente, a quem é que os seus anúncios são mostrados. Faz sentido.

Se tem alguma dúvida em perceber quem definir como Público, veja a secção de Públicos na minha página de recursos de Anúncios Facebook.

Uma das minhas técnicas favoritas é criar o meu Público ANTES de fazer seja o que for. Ou seja, não escrevo nem copy nem crio imagens enquanto não tiver o meu público definido. Assim pouco tempo e sanidade mental na altura de criação do anúncio.

Senão, imagine o seguinte cenário. Pedro, dono dum pequeno negócio online, cria uma landing page para captar leads, e faz anúncios para um grupo muito específico de pessoas. Por exemplo, quem é fã um dum determinado show de culinária.

O Pedro está entusiasmado porque pensa que é capaz de chegar à frente dos espetadores desse show de culinária usando anúncios Facebook. Eles vão clicar nos anúncios dele à maluca e a lista de email dele vai crescer que nem ervas daninhas. Yeah.

Assim, ele escreve a copy e cria imagens para a campanha, o que lhe leva algum tempo a fazer. Ele começa o processo da criação de campanha no Power Editor, e depois chega à secção onde tem de escolher o público (as pessoas a quem mostrar o anúncio).

Mas o Pedro está confuso: ele não sabe como pode segmentar para os espetadores daquele show de culinária. Ele contrata um expert para ajudar a perceber isto, só para descobrir que às vezes não conseguimos ser tão específicos quanto gostaríamos ao criar um público.

Então ele faz o melhor que pode ao criar um público que pode ter alguns espetadores desse show, e isso acaba por resultar numa taxa de cliques baixa e poucas subscrições. Ele tenta todo o tipo de públicos que se lembra só para aprender que este tipo de landing page e oferta que ele montou podem não ser a melhor escolha para fazr anúncios Facebook.

Dinheiro perdido. Tempo perdido. Frustração ao rubro.

Crie primeiro os públicos antes de criar o anúncio.

É isso que eu quero dizer sobre poupar tempo quando cria e guarda públicos Facebook à priori: isto garante que não há surpresas quando está no meio da criação da campanha.

Agora é necessário explicar uma coisa: não estou a sugerir que deve apenas criar uma landing page e uma oferta que sejam perfeitos para um Público destinado a anúncios Facebook. Há outras formas de criar/crescer uma lista de emails, e ter um opt-in que atrai um potencial cliente significa que irá criar uma lista mais lucrativa a longo prazo.

Mas se os anúncios Facebook são a sua estratégia preferida para criar uma lista de emails, então é bom que se certifique que está a segmentar as pessoas certas logo à partida.

Como criar e guardar Públicos de anúncios Facebook sem criar uma campanha

Ficaria surpreso(a) quão fácil é explorar as opções dos Públicos sem se preocupar em criar uma campanha de raíz.

Veja este vídeo para saber como criar e guardar públicos para anúncios Facebook, ou veja os screenshots abaixo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

A partir do Gestor de Anúncios, clique no menu hamburger (as três linhas verticais) no canto superior esquerdo e passe o rato em Todas as ferramentas. Clique em Públicos, por baixo de Ativos.

Aceder a públicos

Clique no botão azul Criar Público no lado esquerdo, e selecione Público guardado.

Públicos no Facebook

Estará agora a olhar para o mesmo interface que usaria para escolher o seu público na criação duma campanha. A única diferença é o Nome do Público no topo. Salte a parte do nome por agora, não é necessário.

Definas as opções para o seu púiblico com dados demográficos (idade, local, sexo), interesses e conexões se necessário.

Deve dar-lhe um nome que faça sentido quando estiver a ver este público, por exemplo, daqui a um ano. Eu gosto de dar um nome de acordo com os interesses e dados demográficos, tais como Mulheres PT AmyPorterfield 25-44. Isto são mulheres em Portugal entre as idades de 25 a 44 que estão “interessadas” em Amy Porterfield.

Se o seu público é um público personalizado ao qual acrescentou dados demográficos, então um nome para ele poderia ser PT Visitantes Site 30 Dias 25-44. (Todos aqueles em Portugal entre 25 a 44 que visitaram o meu site nos últimos 30 dias.)

Depois clique em Criar público cá em baixo e está pronto para rock and roll.

Dados demográficos de público guardado

Como usar os seus Públicos guardados ao criar Campanhas

Quer esteja a usar o Gestor de Anúncios ou o Power Editor para criar os seus anúncios, a parte da segmentação é basicamente a mesma. Em vez de sair do interface para Criar novo, clique em Usar Público guardado e escolha o seu público do menu.

Usar Público guardado na criação de campanha

O seu Público irá preencher os campos de segmentação; se precisar de fazer ajustes, pode fazer.

E é isto. Agora pode dedicar-se ao texto e imagens, orçamento e posicionamento.

Perguntas? Escreva nos comentários ou veja a página de recursos Facebook para encontrar as respostas que está à procura.

Instalar Píxel Facebook com Google Tag Manager

Instalar Píxel Facebook no Google Tag Manager.

O Google Tag Manager (Gestor de Etiquetas Google) é uma ferramenta de gestão de etiquetas da Google. Com esta ferramenta, pode instalar e gerir vários tipos de etiquetas de marketing e analítica num website ou app móvel.

Google Tag Manager permiter ter tags para vários scripts.

Pense no GTM como um sítio central onde pode colocar todos os scripts de acompanhamento que precisa para o seu site.

Por exemplo, no Google Tag Manager pode colocar o script do Google Analytics, do Adwords, e sim, também o Píxel do Facebook, que é que vamos aprender neste artigo.

Logotipos google tag manager e facebook píxel.

A vantagem é que pode ter todos esses scripts no mesmo sítio (no GTM) em vez de ter de instalar cada um deles no website.

Assim só tem de instalar o Google Tag Manager no seu site, uma vez, que ele traz com ele todos os outros scripts que ele tem (google analytics, píxel do Facebook, etc).

Se ainda não tem o Google Tag Manager, deve colocar o código dele no cabeçalho do seu site. Leia este artigo para saber como criar uma conta GTM e instalar no seu site, e depois continue com este tutorial.


Passo 1. Criar o Píxel do Facebook

Vamos começar no Gestor de Anúncios, que pode visitar em facebook.com/ads/manage (partindo do princípio que já tem uma conta de anúncios Facebook ligada ao seu perfil – se alguma vez promoveu um post ou fez um anúncio, então já tem).

Clique em ≡ (as três linhas) no canto superior esquerdo e faça scroll até Todas as Ferramentas. Um menu maior irá abrir para o lado direito. Veja por baixo de Ativos, onde encontrará Píxeis.

Aceder ao Pixel Facebook

Clique no botão verde Criar um Píxel Criar píxel

Depois de clicar em criar Píxel, tem de lhe dar um nome e concordar com os termos do píxel do Facebook.

Dê-lhe um nome. Eu dei ao meu um nome muito criativo “O meu pixel Facebook”. Depois clique no botão azul Criar píxel.

Criar pixel Facebook e dar-lhe nome

NOTA: Se não vê um botão verde de Criar píxel, significa que já criou o seu Pixel Facebook. Mas verifique se instalou no sítio certo, clique no botão Ações, e depois em Ver código do píxel. Continue agora com o resto deste tutorial.
Ações > Ver código do píxel


Passo 2. Instalar o código do píxel

Aparece uma janela com 2 opções para instalar o código do píxel. Pode escolher uma integração ou copiar e colar o código.

Instalar píxel com integração ou copiar e colar.

As integrações disponíveis são Shopify, o Gestor de Etiquetas do Google (Google Tag Manager), Magento, Big Commerce e Segmento. Se quiser instalar com o “Gestor de Etiquetas do Google”, pode fazê-lo aqui, mas não recomendo – e vou explicar porquê em instantes.

Escolher integração píxel Facebook.

Mas se quisesse, clicava em Gestor de Etiquetas Google e aparecia uma janela para pedir autorização. Isto iria dar acesso ao Facebook sobre o Google Tag Manager via API e iria criar uma tag e trigger por si. Mas não vamos fazer isso, e vamos instalar a etiqueta (tag) manualmente para que possamos ter mais controlo sobre a configuração. Eu neguei o pedido de autorização.

Autorização Facebook para acesso conta Google

O Facebook ficar com a minha autorização Google? Nah.

Eis como instalar corretamente o Facebook.

Feche essa janela de autorizaçao e volte atrás onde estávamos. Escolha “Copiar e colar o código.”

Copiar e colar o código do píxel.

Irá ver uma janela abrir com código. Pode pegar no código e ir para o próximo passo, ou então ligar a correspondência avançada.

Copiar código pixel

“Correspondência avançada” é uma opção que quando ativada, acrescenta um exerto ao código original. A correspondência avançada permite enviar informação pessoalmente identificável ao Facebook para que eles saibam exatamente (isto é quase assustador) quem está no seu website com o propósito de melhorar o retargeting.

Correspondência avançada píxel facebook.

Nas palavras do próprio Facebook, “Esta nova funcionalidade do píxel Facebook permite aos anunciantes tirarem partido dos dados dos seus potenciais clientes tais como email, telefone, entre outros. Ao implementar esta funcionalidade, os anunciantes podem ter mais conversões, otimizar os seus anúncios porque têm mais dados de conversões, e chegar a mais pessoas no Facebook com os públicos personalizados do seu website ou anúncios dinâmicos.

Mas adiante… vamos instalar o píxel no Google Tag Manager, para que por sua vez “dispare” no nosso website.


Passo 3. Usar o Google Tag Manager

Inicie sessão na sua conta Google Tag Manager e crie uma nova etiqueta.

Nova etiqueta Google Tag Manager

Selecione “HTML personalizado” (deverá estar no fundo da página).
Etiqueta HTML personalizado

Cole aqui o seu código píxel.

Colar código do píxel Facebook.

Agora escolha um acionador (trigger). O acionador é aquilo que que dizemos ao Google Tag Manager para que ele “dispare” a nossa etiqueta, ou seja, quando acontecer “isto”, dispara o código píxel.

Escolha um acionador de “Visualização de página”.

Acionador visualizacao de pagina

Abre uma nova janela.

Queremos que quando toda e qualquer das nossas páginas é visualizada, o píxel seja disparado. Por isso selecione “Todas as visualizações de página” e clique em Guardar no canto superior direito.

Acionador para todas as páginas GTM.

Clique no botão azul Guardar no canto superior direito e criou a sua etiqueta com o código do Píxel. Não é difícil 🙂

Após clicar em Guardar, vai para o menu principal e clique em “Enviar”. Isto é um passo adicional que é necessário fazer, porque estamos a confirmar que queremos tornar oficial a mudança que fizemos.

Enviar/publicar Google Tag Manager.

E cá está. O píxel Facebook está instalado.

Se não quiser usar o Google Tag Manager, veja aqui instruções para instalar o píxel do Facebook em:

Para testar se o píxel está corretamente instalado, adicione a extensão Chrome Pixel Helper no seu browser (tem de estar a usar o Chrome).

Instalar extensão Chrome Pixel Helper

Depois de instalar visite o seu site.

Facebook Pixel Helper

A partir de agora poderá ver se o pixel do Facebook está instalado em qualquer site, e não apenas no seu. Vá ver os sites dos seus concorrentes: se eles têm o píxel instalado, então são relativamente sofisticados e levam o seu marketing a sério.


Como criar Conversões Personalizadas

Agora que o píxel está instalado, pode usá-lo para ter dados sobre as pessoas que tomam ações nos seus anúncios Facebook. E pode fazer isto facilmente através das conversões personalizadas.

As conversões personalizadas são super FÁCEIS de fazer.

1. Vá ao Gestor de Anúncios e clique no canto superior esquerdo do menu. Vá a Todas as ferramentas e selecione Conversões personalizadas.

Aceder a conversões personalizadas

2. Clique no botão azul Criar conversão personalizada. Criar conversão personalizada botão.

3. Insira a URL de qualquer página no seu site que seja a página da conversão. Normalmente isto é a página de obrigado (thank you page) que as pessoas vêem após inscreverem-se para o seu conteúdo gratuito ou após comprarem o seu produto. Depois clique em Seguinte.

Conversao personalizada opções 1

4. Dê um nome à sua conversão que faça sentido daqui a um ano se estiver a olhar para isto. Não lhe chame Inscrição de Webinar, porque provavelmente vai fazer mais do que um webinar para o seu negócio, certo?

Conversao personalizada opções 2

Não precisa definir um valor para a conversão (a menos que esteja a acompanhar compras, assim iria colocar o preço do produto em “Definir um valor para a conversão”.

5. Clique no botão Criar, e dê a si próprio(a) uma palmadinha nas costas, porque está feito. Não tem de instalar outros código: o píxel Facebook e as conversões personalizadas chegam para a maioria dos negócios.


Como ligar a sua Conversão personalizada aos seus anúncios Facebook

Isto é algo que adoro sobre o acompanhamento de conversões para os seus anúncios Facebook: é automático. Não tem de andar a “ligar” as conversões como era antigamente (lá vai o tempo).

Todas e quaisquer conversões personalizadas que criou serão acompanhadas em toda a campanha que fizer desde que deixe este botão de selecção ativo ao criar os seus anúncios:

Acompanhamento por píxeis

Mas nem sequer tem de se preocupar com isso, porque a opção já está pré-definida ao criar os seus anúncios, independentemente do tipo de anúncio. Muito bem, Facebook.

E você, já instalou o píxel do Facebook?

Como instalar Pixel Facebook em páginas Leadpages

Instalar píxel Facebook em páginas LeadPages.

É sabido que os anúncios Facebook são uma excelente forma no arsenal de marketing duma empresa. Pode fazer com que o seu produto e serviço sejam vistos pelas pessoas certas, crescer a sua lista de emails, etc.

Mas aquilo que não consegue saber são os anúncios que funcionam melhor para o seu negócio se não tem o píxel do Facebook instalado.

No entanto, não vai saber quais os anúncios é que resultaram para o seu negócio se não tem o píxel do Facebook instalado.

“Que coisa esquisita é isto do Píxel do Facebook?”

Píxel Facebook.

Relaxe, isto não é tão complicado quanto parece. Você só tem de colocar um excerto de código no backend do seu site apenas uma vez de forma a fazer duas coisas importantes

  1. Mostrar os seus anúncios a pessoas que visitaram o seu website (também conhecido como retargeting ou remarketing), e
  2. Acompanhar todas as conversões das suas campanhas.

Portanto, primeiro tem de perceber o que são “conversões” para o seu negócio.

A maioria dos empreendedores pensa em conversões como transações. Ou seja, quando alguém compra algo de si, convertem-se de prospeto em cliente.

Mas você também poderia (e deveria) acompanhar outras conversões importantes, tais como:

  • Quando eu me inscrevo na sua newsletter.
  • Quando eu vejo um produto que gosto na sua loja e adiciono ao carrinho
  • Quando eu me inscrevo para a sua área de membros
  • Quando eu, após ler o seu artigo, visito a sales page do seu produto ou serviço

Com os anúncios Facebook, é REALMENTE fácil saber não só os anúncios e públicos que lhe estão a gerar mais conversões, mams também quanto está a pagar por cada um deles.


Vamos lá instalar o pixel e criar as conversões

Vamos começar no Gestor de Anúncios, que pode visitar em facebook.com/ads/manage (partindo do princípio que já tem uma conta de anúncios Facebook ligada ao seu perfil – se alguma vez promoveu um post ou fez um anúncio, então já tem).

Clique em ≡ (as três linhas) no canto superior esquerdo e faça scroll até Todas as Ferramentas. Um menu maior irá abrir para o lado direito. Veja por baixo de Ativos, onde encontrará Píxeis.

Aceder ao Pixel Facebook

Clique no botão verde Criar um Píxel Criar píxel

Dê-lhe um nome. Eu dei ao meu um nome muito criativo “O meu pixel Facebook”. Depois clique no botão azul Criar píxel.

Criar pixel Facebook e dar-lhe nome

NOTA: Se não vê um botão verde de Criar píxel, significa que já criou o seu Pixel Facebook. Mas verifique se o instalou no sítio certo, clique no botão Ações, e depois em Ver código do píxel. Continue agora com o resto deste tutorial.
Ações > Ver código do píxel

Irá ver uma janela abrir com uma “carrada” de código. Copie e cole isso num documento no seu computador para referência.

Copiar código pixel

Agora precisa de colar este código em cada uma das suas páginas Leadpages.

Clique para instruções em como instalar o píxel em sites WordPress ou para o colocar em sites Squarespace.

Nota: tem de colocar este código em todas as suas páginas Leadpages mesmo que use o plugin do WordPress, porque o pixel não se transfere do backend do seu site para páginas “externas” como o Leadpages.


Como colocar o Pixel Facebook em páginas Leadpages

1. Ao editar com o seu template Drag and Drip, clique no ícone SEO & Analytics.

Ícone SEO&Analytics Leadpages

2. Clique em Analytics e cole o código do píxel do Facebook na caixa “Head Section Tracking Code” e depois clique Save.

Secção Analytics Leadpages - colar código píxel FB

3. Repita isto para todas páginas Leadpages ativas.

E é isto. Não tem de adicionar quaisquer códigos de eventos, a menos que tenha centenas de produtos à venda no seu site.

Para testar se o píxel está corretamente instalado, adicione a extensão Chrome Pixel Helper no seu browser (tem de estar a usar o Chrome).

Instalar extensão Chrome Pixel Helper

Depois de instalar visite o seu site.

Facebook Pixel Helper

A partir de agora poderá ver se o pixel do Facebook está instalado em qualquer site, e não apenas no seu. Vá ver os sites dos seus concorrentes: se eles têm o píxel instalado, então são relativamente sofisticados e levam o seu marketing a sério.


Como criar Conversões Personalizadas

Agora que o píxel está instalado, pode usá-lo para ter dados sobre as pessoas que tomam ações nos seus anúncios Facebook. E pode fazer isto facilmente através das conversões personalizadas.

As conversões personalizadas são FÁCEIS de criar.

1. Vá ao Gestor de Anúncios e clique no canto superior esquerdo do menu. Vá a Todas as ferramentas e selecione Conversões personalizadas.

Aceder a conversões personalizadas

2. Clique no botão azul Criar conversão personalizada. Criar conversão personalizada botão.

3. Insira a URL de qualquer página no seu site que seja a página da conversão. Normalmente isto é a página de obrigado (thank you page) que as pessoas vêem após inscreverem-se para o seu conteúdo gratuito ou após comprarem o seu produto. Depois clique em Seguinte.

Conversao personalizada opções 1

4. Dê um nome à sua conversão que faça sentido daqui a um ano se estiver a olhar para isto. Não lhe chame Inscrição de Webinar, porque provavelmente vai fazer mais do que um webinar para o seu negócio, certo?

Conversao personalizada opções 2

Não precisa definir um valor para a conversão (a menos que esteja a acompanhar compras, assim iria colocar o preço do produto em “Definir um valor para a conversão”.

5. Clique no botão Criar, e dê a si próprio(a) uma palmadinha nas costas, porque está feito. Não tem de instalar outros código: o píxel Facebook e as conversões personalizadas chegam para a maioria dos negócios.


Como ligar a sua Conversão personalizada aos seus anúncios Facebook

Isto é algo que adoro sobre o acompanhamento de conversões para os seus anúncios Facebook: é automático. Não tem de andar a “ligar” as conversões como era antigamente (lá vai o tempo).

Todas e quaisquer conversões personalizadas que criou serão acompanhadas em toda a campanha que fizer desde que deixe este botão de selecção ativo ao criar os seus anúncios:

Acompanhamento por píxeis

Mas nem sequer tem de se preocupar com isso, porque a opção já está pré-definida ao criar os seus anúncios, independentemente do tipo de anúncio. Ah, grande Facebook.

Portanto é isto. Vamos recapitular rapidamente:

  1. Crie o seu Píxel Facebook no Gestor de Anúncios.
  2. Instale-o nas suas páginas Leadpages.
  3. Crie conversões personalizadas sempre que tiver uma nova oferta para as pessoas (ebook, webinar, cheatsheet, etc) ou um produto.

Porque PODERÁ querer ser criativo com as suas conversões personalizadas

Nota: não tem de fazer nada do que explico de seguida, mas se gosta de levar as coisas ao próximo nível ou se tem clientes que gostam de muita informação sobre as campanhas deles, então continue a ler porque vai gostar.

Também pode criar conversões personalizadas para algumas ações mais específicas que as pessoas tomam quando visitam o seu website.

Um exemplo é visitar uma página importante, como uma página de vendas (sales page) do seu produto ou serviço. Se tem uma loja online, uma boa conversão a criar seria adicionar um produto ao carrinho.

Se quiser ir mais aprofundado nisto, crie uma conversão personalizada com a categoria de “Ver Conteúdo”.

Categoria "Ver Conteúdo"

Assim poderia fazer anúncios para um artigo blog que termina com um pitch para o seu produto. Ao ver os seus relatórios, poderia ver:

  1. Quantas pessoas clicaram para ir para o artigo;
  2. Quantas DESSAS pessoas clicaram do artigo para a sua sales page;
  3. Quantas pessoas compraram o seu produto como resultado dos seus anúncios

Adicionar mais conversões personalizadas permite-lhe ver os diferentes passos do seu fúnil, e saber quantas pessoas estão a passar de um passo para o outro.

NOTE: o Facebook permite 40 conversões personalizadas por conta. Após usar essas 40, tem de apagar algumas delas para criar mais.

Isto faz sentido? Coloque as suas questões sobre o Facebook Pixel e Conversões Personalizadas nos comentários


Se quer ser um expert, faça o meu curso online Domínio Completo e domine os anúncios Facebook quem nem um pró.

Como instalar Pixel Facebook em sites SquareSpace

Instalar píxel Facebook em sites SquareSpace.

Então está preparado para começar com os anúncios Facebook – muito bem. É esperto(a) o suficiente para saber que eles o podem ajudar a mostrar o seu trabalho à frente duma audiência específica, promover as suas ofertas, crescer a sua lista, e obter boa faturação com isso.

No entanto, não vai saber quais os anúncios é que resultaram para o seu negócio se não tem o píxel do Facebook instalado.

“Que raio é isto do Píxel do Facebook?”

Píxel Facebook.

As boas notícias são que isto não é tão complicado quanto parece. Basicamente você coloca um excerto de código no backend do seu site apenas uma vez de forma a fazer duas coisas importantes

  1. Mostrar os seus anúncios a pessoas que visitaram o seu website (também conhecido como retargeting ou remarketing), e
  2. Acompanhar todas as conversões das suas campanhas.

Portanto, primeiro tem de perceber o que são “conversões” para o seu negócio.

A maioria dos empreendedores pensa em conversões como transações. Ou seja, quando alguém compra algo de si, convertem-se de prospeto em cliente.

Mas você também poderia (e deveria) acompanhar outras conversões importantes, tais como:

  • Quando alguém se inscreve na sua newsletter.
  • Quando alguém adiciona algo da sua loja ao carrinho
  • Quando alguém se inscreve na sua área de membros
  • Quando alguém, após ler o seu artigo, visita a sales page do seu produto/serviço

Quando tem o Píxel do Facebook instalado e as conversões criadas, é REALMENTE fácil perceber a) que anúncios e públicos estão a ter mais conversões, e b) quanto está a pagar por cada um deles.


Está na hora de instalar o pixel e criar as conversões

Vamos começar no Gestor de Anúncios, que pode visitar em facebook.com/ads/manage (partindo do princípio que já tem uma conta de anúncios Facebook ligada ao seu perfil – se alguma vez promoveu um post ou fez um anúncio, então já tem).

Clique em ≡ (as três linhas) no canto superior esquerdo e faça scroll até Todas as Ferramentas. Um menu maior irá abrir para o lado direito. Veja por baixo de Ativos, onde encontrará Píxeis.

Aceder ao Pixel Facebook

Clique no botão verde Criar um Píxel Criar píxel

Dê-lhe um nome. Eu dei ao meu um nome muito criativo “O meu pixel Facebook”. Depois clique no botão azul Criar píxel.

Criar pixel Facebook e dar-lhe nome

NOTA: Se não vê um botão verde de Criar píxel, significa que já criou o seu Pixel Facebook. Mas verifique se o instalou no sítio certo, clique no botão Ações, e depois em Ver código do píxel. Continue agora com o resto deste tutorial.
Ações > Ver código do píxel

Irá ver uma janela abrir com uma “carrada” de código. Copie e cole isso num documento no seu computador para referência.

Copiar código pixel

Agora precisa de colar este código backend do seu website Squarespace.

Clique para instruções em como instalar o píxel em sites WordPress ou para o colocar em páginas LeadPages.

Como colocar o Pixel Facebook no seu site SquareSpace

1. Inicie sessão na sua conta Squarespace e click em Settings.

2. Cá em baixo na secção de Website, no menu da esquerda, clique em Advanced.

Sub-menu Advanced em Website do Squarespace

3. Clique em Code Injection.

Code Injection do SquareSpace

4. Cole o Píxel na caixa da Header.Colar píxel Facebook em Squarespace

E está pronto. Não tem de adicionar quaisquer códigos de eventos, a menos que tenha centenas de produtos à venda no seu site.

Para testar se o píxel está corretamente instalado, adicione a extensão Chrome Pixel Helper no seu browser (tem de estar a usar o Chrome).

Instalar extensão Chrome Pixel Helper

Depois de instalar visite o seu site.

Facebook Pixel Helper

A partir de agora poderá ver se o pixel do Facebook está instalado em qualquer site, e não apenas no seu. Vá ver os sites dos seus concorrentes: se eles têm o píxel instalado, então são relativamente sofisticados e levam o seu marketing a sério.


Como criar Conversões Personalizadas

Agora que o píxel está instalado, pode usá-lo para ter dados sobre as pessoas que tomam ações nos seus anúncios Facebook. E pode fazer isto facilmente através das conversões personalizadas.

As conversões personalizadas são FACÍLIMAS de criar.

1. Vá ao Gestor de Anúncios e clique no canto superior esquerdo do menu. Vá a Todas as ferramentas e selecione Conversões personalizadas.

Aceder a conversões personalizadas

2. Clique no botão azul Criar conversão personalizada. Criar conversão personalizada botão.

3. Insira a URL de qualquer página no seu site que seja a página da conversão. Normalmente isto é a página de obrigado (thank you page) que as pessoas vêem após inscreverem-se para o seu conteúdo gratuito ou após comprarem o seu produto. Depois clique em Seguinte.

Conversao personalizada opções 1

4. Dê um nome à sua conversão que faça sentido daqui a um ano se estiver a olhar para isto. Não lhe chame Inscrição de Webinar, porque provavelmente vai fazer mais do que um webinar para o seu negócio, certo?

Conversao personalizada opções 2

Não precisa definir um valor para a conversão (a menos que esteja a acompanhar compras, assim iria colocar o preço do produto em “Definir um valor para a conversão”.

5. Clique no botão Criar, e dê a si próprio(a) uma palmadinha nas costas, porque está feito. Não tem de instalar outros códigos: o píxel Facebook e as conversões personalizadas chegam para a maioria dos negócios.


Como ligar a sua Conversão personalizada aos seus anúncios Facebook

Isto é algo que adoro sobre o acompanhamento de conversões para os seus anúncios Facebook: é automático. Não tem de andar a “ligar” as conversões como era antigamente (lá vai o tempo).

Todas e quaisquer conversões personalizadas que criou serão acompanhadas em toda a campanha que fizer desde que deixe este botão de seleção ativo ao criar os seus anúncios:

Acompanhamento por píxeis

Mas nem sequer tem de se preocupar com isso, porque a opção já está predefinida ao criar os seus anúncios, independentemente do tipo de anúncio. Ah, grande Facebook.

Portanto é isto. Vamos recapitular rapidamente:

  1. Crie o seu Píxel Facebook no Gestor de Anúncios.
  2. Instale-o no seu site Squarespace.
  3. Crie conversões personalizadas sempre que tiver uma nova oferta para as pessoas (ebook, webinar, cheatsheet, etc) ou um produto.

Porque PODERÁ querer ser criativo com as suas conversões personalizadas

Nota: não tem de fazer nada do que explico de seguida, mas se gosta de levar as coisas ao próximo nível ou se tem clientes que gostam de muita informação sobre as campanhas deles, então continue a ler porque vai gostar.

Também pode criar conversões personalizadas para algumas ações mais específicas que as pessoas tomam quando visitam o seu website.

Um exemplo é visitar uma página importante, como uma página de vendas (sales page) do seu produto ou serviço. Se tem uma loja online, uma boa conversão a criar seria adicionar um produto ao carrinho.

Se quiser ir mais aprofundado nisto, crie uma conversão personalizada com a categoria de “Ver Conteúdo”.

Categoria "Ver Conteúdo"

Assim poderia fazer anúncios para um artigo blog que termina com um pitch para o seu produto. Ao ver os seus relatórios, poderia ver:

  1. Quantas pessoas clicaram para ir para o artigo;
  2. Quantas DESSAS pessoas clicaram do artigo para a sua sales page;
  3. Quantas pessoas compraram o seu produto como resultado dos seus anúncios

Adicionar mais conversões personalizadas permite-lhe ver os diferentes passos do seu funil, e saber quantas pessoas estão a passar de um passo para o outro.

NOTE: o Facebook permite 40 conversões personalizadas por conta. Após usar essas 40, tem de apagar algumas delas para criar mais.

Isto faz sentido? Coloque as suas questões sobre o Facebook Pixel e Conversões Personalizadas nos comentários


Se quer ser um expert, faça o meu curso online Domínio Completo e domine os anúncios Facebook quem nem um pró.

Como instalar Pixel Facebook em sites WordPress

Instalar píxel Facebook em sites WordPress.

Se está a ler este artigo provavelmente já sabe que os Anúncios Facebook são uma boa ferramenta no seu arsenal de marketing.

Pode fazer com que o seu trabalho seja visto pelas pessoas certas, dar-lhes a conhecer as suas ofertas, crescer a sua lista, e gerar vendas.

Aquilo que não pode fazer é saber que anúncios é que funcionam melhor para o seu negócio se não tem o Pixel do Facebook instalado.

“O que é isto do Pixel do Facebook?”

Píxel Facebook.

É mais simples do que parece. Basicamente você coloca um “rabinho” de código no seu site apenas uma vez, e ajuda-o(a) a fazer duas coisas bem porreiras:

  1. Mostrar anúncios a pessoas que visitaram o seu website (também conhecido como retargeting), e
  2. Acompanhar conversões com os seus anúncios Facebook.

Vamos primeiro pensar naquilo que as “conversões” no seu negócio são.

Para a maioria das empresas, uma conversão é normalmente quando um prospeto se converte em cliente. Ou seja, quando alguém compra algo seu.

Mas você também tem outro tipo de conversões, tais como:

  • Quando me inscrevo na sua newsletter.
  • Quando adiciono algo da sua loja ao carrinho
  • Quando me inscrevo na sua área de membros
  • Quando, após ler o seu artigo, clico para ver a sales page do seu produto/serviço

Para os seus anúncios Facebook, no entanto é REALMENTE fácil ver não só que anúncios lhe estão a dar mais conversões, como também quanto é que cada uma dessas conversões lhe está a custar.


Vamos lá colocar o pixel e começar a medir conversões

Vamos começar no Gestor de Anúncios, que pode visitar em facebook.com/ads/manage (partindo do princípio que já tem uma conta de anúncios Facebook ligada ao seu perfil – se alguma vez promoveu um post ou fez um anúncio, então já tem).

Clique em ≡ (as três linhas) no canto superior esquerdo e faça scroll até Todas as Ferramentas. Um menu maior irá abrir para o lado direito. Veja por baixo de Ativos, onde encontrará Píxeis.

Aceder ao Pixel Facebook

Clique no botão verde Criar um Píxel Criar píxel

Dê-lhe um nome. Eu dei ao meu um nome muito criativo “O meu pixel Facebook”. Depois clique no botão azul Criar píxel.

Criar pixel Facebook e dar-lhe nome

NOTA: Se não vê um botão verde de Criar píxel, significa que já criou o seu Pixel Facebook. Mas verifique se o instalou no sítio certo, clique no botão Ações, e depois em Ver código do píxel. Continue agora com o resto deste tutorial.
Ações > Ver código do píxel

Irá ver uma janela abrir com uma “carrada” de código. Copie e cole isso num documento no seu computador para referência.

Copiar código pixel

Agora precisa de colar este código backend do seu website. Neste artigo mostro como adicioná-lo em sites WordPress.

Se o seu site está em Squarespace, clique aqui para instruções.

Importante: se usa LeadPages, tem de colocar este código em todas as páginas Leadpages, mesmo que use o plugin WordPress. Este código não transfere do seu site para nenhuma página “externa” como o LeadPages, ClickFunnels ou outro tipo de criador de páginas.

Se usa páginas Leadpages, clique aqui para instruções.

Como colocar o Pixel Facebook no seu site WordPress

1. Vá à secção de Plugins do seu site WordPress, instale e ative um plugin chamado “Insert Headers and Footers

Instalar e ativar Insert Headers and Footers

2. Depois de ativado, vá a Opções > Header Footer Settings
Opções de Insert Headers and Footers

3. Copie e cole o código do píxel do Facebook (do gestor de anúncios ou do documento que gravou no seu computador) na caixinha de “Scripts in Header”. Clique no botão azul Save.
Colar código do píxel do Facebook na header.

E é isto.

O seu píxel Facebook está instalado
. Não tem de adicionar quaisquer códigos de eventos, a menos que tenha centenas de produtos à venda no seu site.

Para testar se o píxel está corretamente instalado, adicione a extensão Chrome Pixel Helper no seu browser (tem de estar a usar o Chrome).

Instalar extensão Chrome Pixel Helper

Depois de instalar visite o seu site.

Facebook Pixel Helper

A partir de agora poderá ver se o pixel do Facebook está instalado em qualquer site, e não apenas no seu. Vá ver os sites dos seus concorrentes: se eles têm o píxel instalado, então são relativamente sofisticados e levam o seu marketing a sério.


Como criar Conversões Personalizadas

Agora que o píxel está instalado, pode usá-lo para ter dados sobre as pessoas que tomam ações nos seus anúncios Facebook. E pode fazer isto facilmente através das conversões personalizadas.

As conversões personalizadas são super FÁCEIS de fazer.

1. Vá ao Gestor de Anúncios e clique no canto superior esquerdo do menu. Vá a Todas as ferramentas e selecione Conversões personalizadas.

Aceder a conversões personalizadas

2. Clique no botão azul Criar conversão personalizada. Criar conversão personalizada botão.

3. Insira a URL de qualquer página no seu site que seja a página da conversão. Normalmente isto é a página de obrigado (thank you page) que as pessoas vêem após inscreverem-se para o seu conteúdo gratuito ou após comprarem o seu produto. Depois clique em Seguinte.

Conversao personalizada opções 1

4. Dê um nome à sua conversão que faça sentido daqui a um ano se estiver a olhar para isto. Não lhe chame Inscrição de Webinar, porque provavelmente vai fazer mais do que um webinar para o seu negócio, certo?

Conversao personalizada opções 2

Não precisa definir um valor para a conversão (a menos que esteja a acompanhar compras, assim iria colocar o preço do produto em “Definir um valor para a conversão”.

5. Clique no botão Criar, e dê a si próprio(a) uma palmadinha nas costas, porque está feito. Não tem de instalar outros códigos: o píxel Facebook e as conversões personalizadas chegam para a maioria dos negócios.


Como ligar a sua Conversão personalizada aos seus anúncios Facebook

Isto é algo que adoro sobre o acompanhamento de conversões para os seus anúncios Facebook: é automático. Não tem de andar a “ligar” as conversões como era antigamente (lá vai o tempo).

Todas e quaisquer conversões personalizadas que criou serão acompanhadas em toda a campanha que fizer desde que deixe este botão de seleção ativo ao criar os seus anúncios:

Acompanhamento por píxeis

Mas nem sequer tem de se preocupar com isso, porque a opção já está predefinida ao criar os seus anúncios, independentemente do tipo de anúncio. Ah, grande Facebook.

Portanto é isto. Vamos recapitular rapidamente:

  1. Crie o seu Píxel Facebook no Gestor de Anúncios.
  2. Instale-o no seu site WordPress.
  3. Crie conversões personalizadas sempre que tiver uma nova oferta para as pessoas (ebook, webinar, cheatsheet, etc.) ou um produto.

Porque PODERÁ querer ser criativo com as suas conversões personalizadas

Nota: não tem de fazer nada do que explico de seguida, mas se gosta de levar as coisas ao próximo nível ou se tem clientes que gostam de muita informação sobre as campanhas deles, então continue a ler porque vai gostar.

Também pode criar conversões personalizadas para algumas ações mais específicas que as pessoas tomam quando visitam o seu website.

Um exemplo é visitar uma página importante, como uma página de vendas (sales page) do seu produto ou serviço. Se tem uma loja online, uma boa conversão a criar seria adicionar um produto ao carrinho.

Se quiser ir mais a fundo nisto, crie uma conversão personalizada com a categoria de “Ver Conteúdo”.

Categoria "Ver Conteúdo"

Assim poderia fazer anúncios para um artigo blog que termina com um pitch para o seu produto. Ao ver os seus relatórios, poderia ver:

  1. Quantas pessoas clicaram para ir para o artigo;
  2. Quantas DESSAS pessoas clicaram do artigo para a sua sales page;
  3. Quantas pessoas compraram o seu produto como resultado dos seus anúncios

Adicionar mais conversões personalizadas permite-lhe ver os diferentes passos do seu funil, e saber quantas pessoas estão a passar de um passo para o outro.

NOTE: o Facebook permite 40 conversões personalizadas por conta. Após usar essas 40, tem de apagar algumas delas para criar mais.

Isto faz sentido? Coloque as suas questões sobre o Facebook Pixel e Conversões Personalizadas nos comentários


Se quer ser um expert, faça o meu curso online Domínio Completo e domine os anúncios Facebook quem nem um pró.

Google Analytics: como instalar em WordPress

Instalar Analytics em WordPress.

O que é o Google Analytics?

Google Analytics é uma ferramenta da Google para medir e analisar o tráfego, interação com o site, SEO, desempenho de anúncios e atividade das redes sociais.

Google Analytics homepage.

Como instalar o Google Analytics no site?

Ir a Administração > Informações de acompanhamento > Código de Acompanhamento.

(se quiser pode saltar para o vídeo aqui)

Como instalar Google Analytics no site

Este código é colocado no cabeçalho do website, entre as tags <head> e </head> (peça ao seu developer)

Código de acompanhamento a colocar na header do site.

Como instalar o Google Analytics no WordPress?

Se tiver website em WordPress pode usar o MonsterInsights para ligar o site ao Analytics.

Plugin MonsterInsights para WordPress

No seu painel de controlo ir a Plugins> Adicionar Novo e pesquisar por Google Analytics by MonsterInsights.

Instalar Monster Insights 1

Após ativar o plugin, aparece um novo separador no seu painel de controlo. Vá a Insights > Settings> Authenticate with your Google account.

Instalar Monster Insights 2

Abrirá um popup para autenticar. Clique “Next”. Clique em “Click to Get Google Code”.

Instalar Monster Insights 3
Instalar Monster Insights 4

Um novo popup abre a pedir autorização. Faça permitir e abrirá uma janela com código. Copie e cole este código dum passo anterior.

Instalar Monster Insights 5
Instalar Monster Insights 6

O próximo passo é selecionar o perfil que quer acompanhar (porque poderá ter vários sites na mesma conta).

Instalar MonsterInsights 7 Gif.

Poderá ver a sua analítica daqui para a frente ao visitar Insights > Reports.

Instalar Monster Insights 8

E voilá, é assim que se instala o Google Analytics num site WordPress.

Veja o vídeo para saber como instalar o Google Analytics passo-a-passo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou-lhe mostrar como instalar o Google Analytics no seu website.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Para instalar o Google Analytics no seu website, inicie sessão no Google Analytics, depois vá ao canto inferior esquerdo em Administração.

Após clicar em Administração, vá a Propriedade > Informações de Acompanhamento > Código de Acompanhamento.

Este é o código que tem de colar no cabeçalho do seu website em todas as páginas. Pode enviar isto para o seu developer caso não tenha entendido aquilo que eu disse.

Se por acaso tiver um website WordPress, então é bastante simples instalar este código de acompanhamento.

Inicie sessão no seu painel do WordPress, e não se preocupe se não tiver as mesmas cores do que o meu, e vá a Plugins > Adicionar novo.

Depois, no canto superior direito, pesquise por "Monster Insights". Clique para Instalar agora, e depois de instalado, tem de clicar de novo para Ativar.

Depois de ativado, clique logo aqui em cima onde diz Google Analytics settings.

E aqui vai ter às opções deste plugin que acabámos de instalar.

A primeira coisa que temos de fazer é autenticar com a sua conta Google, porque este plugin precisa de ligar-se à sua conta Google Analytics. Então vamos clicar neste botão azul Autenticar.

Abre uma nova janela... clicamos em Next.

E depois temos de clicar aqui para ter o código do Google.

Isto abre de novo uma nova janela, e eu sei que isto parece chato mas é mesmo assim, e esta nova janela vai então pedir autorização para usar a nossa conta Google para depois poder ligar ao Google Analytics.

Vou escolher esta conta, e vou clicar Permitir.

Vamos copiar este código, e agora vamos de novo a este ecrã, e vamos colar o código aqui.

Depois deste código estar aqui colado, vamos clicar em Next.

E agora vamos selecionar o perfil do Google Analytics que nós queremos que este plugin acompanhe, porque você pode ter mais do que um perfil, ou seja, pode ter mais do que um website para analisar.

Eu vou clicar e escolher este. E agora clicar em Next.

E pronto. Está feito. Clique em Close para fechar, clique em Save Changes em baixo.

E depois de estar guardado, para aceder aos relatórios deste plugin, vá ao seu menu do lado esquerdo, e irá ver todas estas opções aqui.

Para ver os relatórios, basta clicar em Relatórios.

E aqui poderá ver todos os relatórios que este plugin está a analisar em relação às métricas do seu site.

Se gostou deste vídeo, por favor Goste, faça um comentário, partilhe, e subscreva-se, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeos e conteúdo que você quer ver para que eu o possa ajudar no seu negócio.

Obrigado.

Anúncios Facebook: Interesses vs Públicos semelhantes

Interesses vs Públicos semelhantes.

A segmentação de anúncios Facebook é difícil. Às vezes parece que é o único fator que nos impede de ter campanhas que convertem.

As boas notícias são que este artigo pode simplificar toda a questão de segmentação de públicos para que consiga passar para a parte da escrita da sua copy e ter boas imagens para usar.

Da próxima vez que fizer anúncios, experimente um público semelhante.

Um público semelhante é um grupo de pessoas que o Facebook cria para si porque são semelhantes a uma “fonte” que você selecionou. Exemplos de fontes são os fãs da sua página, pessoas que visualizaram o seu vídeo, ou subscritores da sua newsletter.

Antigamente eu não acreditava nos públicos semelhantes. Qual era o critério do Facebook para encontrar pessoas “semelhantes” à minha lista de subscritores? Eu não sabia se devia de confiar no algoritmo deles, portanto só usava públicos semelhantes com interesses por cima.

Mas um dia decidi apostar neles e fazer alguns testes.

Fiz o mesmo tipo de anúncios para três tipos de público:

  1. Um público semelhante normal (Público Frio Semelhante)
  2. Um público de pessoas que visitaram o meu site nos últimos 7 dias (Visitantes site – 7 dias)
  3. Um público de pessoas com interesses em Amy Porterfield, Social Media Examiner ou Jon Loomer Digital (Público Frio)

Eis os resultados.Teste com interesses e públicos semelhantes

O conjunto de anúncios que segmentou para um público frio normal semelhante gerou nos cliques mais baratos a uma média de 0,24€ cada, comparado com o 0,29€ de média de cliques em links e 0,26€ de cliques em links dos outros conjuntos de anúncios.

Estes resultados não me impressionaram – porque consigo um custo em cliques de links a 0,13€ – mas mostrou-me que vale a pena testar com públicos semelhantes sem colocar interesses por cima.

Da próxima vez que fiz uma campanha para crescimento duma lista de emails para um cliente, comecei logo a testar com públicos semelhantes.

Esta cliente é um coach executivo, e os anúncios que criei tinham um bom desempenho quando segmentava para pessoas interessadas em Tony Robbins ou Marie Forleo, que também são administradores de página.

Para este teste, criei dois conjuntos simples de anúncios com o mesmo anúncio em cada um dos conjuntos: um anúncio para o público da Marie Forleo, e outro para um público semelhante que eu tinha criado. Desta vez, a fonte era uma lista de pessoas que se tinha inscrito para um dos webinars que ela tinha dado.

Poderia ter criado um público semelhante com base noutras fontes: a lista atual de emails desta cliente, dos fãs da página Facebook, ou dos clientes atuais dela. Escolhi a lista de pessoas que se inscreveram em webinares anteriores porque penso que as pessoas que estão dispostas a investir o seu tempo e inscrever-se num webinar são o tipo de utilizadores que estão envolvidos com elas.

Eis os resultados dos primeiros dias dessa campanha.

Teste artigos para públicos semelhante.

O conjunto de anúncios que tinha o público semelhante captou mais leads por menos custo que o público interessado na Marie Forleo com um interesse por cima (Page Admins).

Se está a fazer anúncios, experimente um público semelhante hoje

Vá aos Públicos no Gestor de Anúncios para começar. Se tiver algum problema, tem instruções atualizadas para criar públicos semelhantes dentro do curso online Domínio Completo. Escreva nos comentários que tipo de resultados viu com estes públicos ou no nosso grupo privado do curso.

Lutar contra o algoritmo: como fazer testes A/B em anúncios FB

Como fazer testes A/B anúncios FB.

Um dos meus alunos do curso Domínio Completo colocou-me uma boa pergunta recentemente.

Ela estava a criar uma campanha para o lançamento dum programa que o cliente dela faz algumas vezes por ano (é sazonal).

Como fazer testes A/B anúncios FB.

Com base em resultados anteriores, ela sabia a imagem que tinha melhor desempenho, mas sentia-se um bocado frustrada porque nenhuma das outras imagens (que eram boas imagens) tiveram oportunidade de destaque devido ao Facebook mostrar os anúncios que têm melhor desempenho e mostrar menos vezes os outros.

Esta aluna é esperta e sabia que as outras imagens provavelmente teriam melhor desempenho, mas ela não sabia a melhor maneira de fazer testes A/B.

Esta foi a resposta que lhe dei para fazer testes A/B em anúncios Facebook:

1. Experimente dois anúncios de cada vez

Cada conjunto de anúncios deve ter apenas dois anúncios nele (mas você quer ter quantos conjuntos de anúncios quiser com diferentes Públicos).

Pegue na imagem que teve melhor desempenho da sua última campanha e teste-a contra uma nova imagem. Tudo o resto do anúncio deve ficar igual, só a imagem é que muda.

2. Deixe que o melhor anúncio ganhe

O Facebook faz-lhe um valor ao otimizar a sua campanha, portanto deixe-o fazer isso.

Se tem um anúncio que lhe dá todos os resultados, será um problema? Bons resultados são bons resultados. Não fique obcecado(a) em querer testar uma série de coisas diferentes. (Imagine como o cliente se iria sentir se as suas outras imagens tivessem pior desempenho. Ninguém quer isso.)

Ao fazer testes A/B dos seus anúncios Facebook, deixe o melhor anúncio ganhar. Click To Tweet

3. É difícil testar algo novo contra um bom anúncio

Se um dos seus anúncios lhe traz muitos cliques e conversões, então o Facebook considera este o melhor, mesmo que tenha outros anúncios novos no conjunto de anúncios.

Assim, é provável que os seus novos anúncios tenham poucas impressões. Um anúncio vencedor (escolhido pelo Facebook como o melhor no conjunto de anúncios) irá sempre travar um anúncio sem cliques, mesmo que queiramos que o novo anúncio tenha alguma hipótese de aparecer mais vezes.

4. Não toque num anúncio que está a ter bons resultados

Se quer realmente testar as imagens e o texto que funciona bem no anúncio atual contra novas imagens e texto, tem de recriar todos os anúncios num novo conjunto de anúncios.

Recriar um anúncio faz reset à otimização que o Facebook faz (quando escolhe um anúncio dentro dum conjunto para o mostrar mais vezes do que os outros).

Mas depois a minha aluna viu que quando ela fez isso, o anúncio que estava a ter bons resultados num conjunto de anúncios, tinha um custo caro por conversão noutro conjunto de anúncios?

E porquê? Porque o Facebook leva tempo para otimizar os seus anúncios; uma parte da razão porque o anúncio estava a ganhar anteriormente era por que o Facebook estava a ajudar o anúncio a ganhar aquela “embalagem”.

Começar de novo significa que não há “embalagem”, não há um empurrãozinho exterior. Portanto, se tem um anúncio que tem um bom desempenho, deixe-o andar. Normalmente acabo por ficar com um anúncio num conjunto de anúncios que usa 90% do meu orçamento porque não quero andar a mexer com a “embalagem” dele.

Não mexa na 'embalagem' dum anúncio Facebook - significa que terá melhores resultados. Click To Tweet

5. Espero que os vencedores parem de ganhar

Eventualmente todos os anúncios deterioram-se ao longo do tempo, mesmo os vencedores. Deixe que o seu anúncio vencedor seja mostrado no seu conjunto de anúncios até o custo por conversão começar a aumentar significativamente.

Não costumo olhar para o custo geral por conversão, mas para quanto é que as conversões me estão a custar em certos dias. Se o custo por conversão aumenta por dois dias seguidos, eu pauso-o e experimento algo diferente.

6. Evite fadiga da audiência

Há uns tempos vi 3 tipos de anúncio diferentes da mesma pessoa a anunciar um webinar (é um guru do marketing estrangeiro). Eu pensei, bem, ela deve estar a fazer vários anúncios ao mesmo tempo, mais do que um conjunto de anúncios ao mesmo tempo, ou então muda os anúncios dela muito depressa.

Usar mais do que um conjunto de anúncios é uma boa forma de testar diferentes imagens e texto. Mas tenha cuidado em como o faz. Se usa apenas interesses diferentes para diferenciar os conjuntos de anúncios, irá ter “sobreposições”. Eis o que eu quero dizer com isto:

Suponha que tem 3 conjuntos de anúncios, cada um com um interesse. Os seus interesses são Amy Porterfield, Mari Smith e Gary Vaynerchuk. Eu gosto de todas estas páginas no Facebook, portanto é altamente provável que me seja mostrado todos esses três conjuntos de anúncios.

Em vez de segmentar o seu público por interesse, use dados demográficos para se certificar que chega a pessoas diferentes.

Numa campanha recente que fiz, o meu cliente queria saber se seriam as mães ou mulheres solteiras que se iriam converter melhor. Portanto fiz dois conjuntos de anúncios para cada apelo à ação (call-to-action): um que segmentava para mães, e outro que segmentava para mulheres solteiras.

Resultado: ambas converteram à mesma percentagem na landing page do cliente, mas as mães foram mais caras na segmentação.

Eis outros demográficos que pode usar para segmentar o seu público:

  • Local: teste diferentes imagens e texto conforme a cidade, região ou país
  • Idade: segmente o seu público usando o mesmo grupo de idades que o Facebook usa nos relatórios: 18-24, 25-34, 35-44, 45-54, 55-64, 65+.

Nunca pare de testar e experimentar

Digo a todos aqueles que dou coaching: só porque alguma coisa funciona hoje não quer dizer que funcione amanhã. O seu CPM (custo para mostrar um anúncio por cada 1000 visualizações) depende de quem mais está a fazer anúncios para o mesmo público que o seu, e esses números variam bastante.

Agora o cliente sabe que a imagem que funcionou bem para ela da última vez pode não ser a melhor para o anúncio desta vez. E quando eu reinicio uma campanha de angariação de leads para a minha lista de emails, que teve bom desempenho da última vez, tenho de prestar atenção às métricas para ver o que acontece desta vez.

Não digo isto para assustar, mas para que fique preparado(a) para tudo.

Nunca parta do princípio que descobriu FINALMENTE o segredo dos anúncios Facebook: porque nunca sabe o que vai acontecer no mês que vem.

Tenha a ajuda que precisa

Precisa que alguém o(a) acompanhe em todos estes detalhes? Clique aqui para agendar coaching 1:1 em treino de anúncios Facebook.