Google Analytics: como instalar em WordPress

Instalar Analytics em WordPress.

O que é o Google Analytics?

Google Analytics é uma ferramenta da Google para medir e analisar o tráfego, interação com o site, SEO, desempenho de anúncios e atividade das redes sociais.

Google Analytics homepage.

Como instalar o Google Analytics no site?

Ir a Administração > Informações de acompanhamento > Código de Acompanhamento.

(se quiser pode saltar para o vídeo aqui)

Como instalar Google Analytics no site

Este código é colocado no cabeçalho do website, entre as tags <head> e </head> (peça ao seu developer)

Código de acompanhamento a colocar na header do site.

Como instalar o Google Analytics no WordPress?

Se tiver website em WordPress pode usar o MonsterInsights para ligar o site ao Analytics.

Plugin MonsterInsights para WordPress

No seu painel de controlo ir a Plugins> Adicionar Novo e pesquisar por Google Analytics by MonsterInsights.

Instalar Monster Insights 1

Após ativar o plugin, aparece um novo separador no seu painel de controlo. Vá a Insights > Settings> Authenticate with your Google account.

Instalar Monster Insights 2

Abrirá um popup para autenticar. Clique “Next”. Clique em “Click to Get Google Code”.

Instalar Monster Insights 3
Instalar Monster Insights 4

Um novo popup abre a pedir autorização. Faça permitir e abrirá uma janela com código. Copie e cole este código dum passo anterior.

Instalar Monster Insights 5
Instalar Monster Insights 6

O próximo passo é selecionar o perfil que quer acompanhar (porque poderá ter vários sites na mesma conta).

Instalar MonsterInsights 7 Gif.

Poderá ver a sua analítica daqui para a frente ao visitar Insights > Reports.

Instalar Monster Insights 8

E voilá, é assim que se instala o Google Analytics num site WordPress.

Veja o vídeo para saber como instalar o Google Analytics passo-a-passo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou-lhe mostrar como instalar o Google Analytics no seu website.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Para instalar o Google Analytics no seu website, inicie sessão no Google Analytics, depois vá ao canto inferior esquerdo em Administração.

Após clicar em Administração, vá a Propriedade > Informações de Acompanhamento > Código de Acompanhamento.

Este é o código que tem de colar no cabeçalho do seu website em todas as páginas. Pode enviar isto para o seu developer caso não tenha entendido aquilo que eu disse.

Se por acaso tiver um website WordPress, então é bastante simples instalar este código de acompanhamento.

Inicie sessão no seu painel do WordPress, e não se preocupe se não tiver as mesmas cores do que o meu, e vá a Plugins > Adicionar novo.

Depois, no canto superior direito, pesquise por "Monster Insights". Clique para Instalar agora, e depois de instalado, tem de clicar de novo para Ativar.

Depois de ativado, clique logo aqui em cima onde diz Google Analytics settings.

E aqui vai ter às opções deste plugin que acabámos de instalar.

A primeira coisa que temos de fazer é autenticar com a sua conta Google, porque este plugin precisa de ligar-se à sua conta Google Analytics. Então vamos clicar neste botão azul Autenticar.

Abre uma nova janela... clicamos em Next.

E depois temos de clicar aqui para ter o código do Google.

Isto abre de novo uma nova janela, e eu sei que isto parece chato mas é mesmo assim, e esta nova janela vai então pedir autorização para usar a nossa conta Google para depois poder ligar ao Google Analytics.

Vou escolher esta conta, e vou clicar Permitir.

Vamos copiar este código, e agora vamos de novo a este ecrã, e vamos colar o código aqui.

Depois deste código estar aqui colado, vamos clicar em Next.

E agora vamos selecionar o perfil do Google Analytics que nós queremos que este plugin acompanhe, porque você pode ter mais do que um perfil, ou seja, pode ter mais do que um website para analisar.

Eu vou clicar e escolher este. E agora clicar em Next.

E pronto. Está feito. Clique em Close para fechar, clique em Save Changes em baixo.

E depois de estar guardado, para aceder aos relatórios deste plugin, vá ao seu menu do lado esquerdo, e irá ver todas estas opções aqui.

Para ver os relatórios, basta clicar em Relatórios.

E aqui poderá ver todos os relatórios que este plugin está a analisar em relação às métricas do seu site.

Se gostou deste vídeo, por favor Goste, faça um comentário, partilhe, e subscreva-se, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeos e conteúdo que você quer ver para que eu o possa ajudar no seu negócio.

Obrigado.

Anúncios Facebook: Interesses vs Públicos semelhantes

Interesses vs Públicos semelhantes.

A segmentação de anúncios Facebook é difícil. Às vezes parece que é o único fator que nos impede de ter campanhas que convertem.

As boas notícias são que este artigo pode simplificar toda a questão de segmentação de públicos para que consiga passar para a parte da escrita da sua copy e ter boas imagens para usar.

Da próxima vez que fizer anúncios, experimente um público semelhante.

Um público semelhante é um grupo de pessoas que o Facebook cria para si porque são semelhantes a uma “fonte” que você selecionou. Exemplos de fontes são os fãs da sua página, pessoas que visualizaram o seu vídeo, ou subscritores da sua newsletter.

Antigamente eu não acreditava nos públicos semelhantes. Qual era o critério do Facebook para encontrar pessoas “semelhantes” à minha lista de subscritores? Eu não sabia se devia de confiar no algoritmo deles, portanto só usava públicos semelhantes com interesses por cima.

Mas um dia decidi apostar neles e fazer alguns testes.

Fiz o mesmo tipo de anúncios para três tipos de público:

  1. Um público semelhante normal (Público Frio Semelhante)
  2. Um público de pessoas que visitaram o meu site nos últimos 7 dias (Visitantes site – 7 dias)
  3. Um público de pessoas com interesses em Amy Porterfield, Social Media Examiner ou Jon Loomer Digital (Público Frio)

Eis os resultados.Teste com interesses e públicos semelhantes

O conjunto de anúncios que segmentou para um público frio normal semelhante gerou nos cliques mais baratos a uma média de 0,24€ cada, comparado com o 0,29€ de média de cliques em links e 0,26€ de cliques em links dos outros conjuntos de anúncios.

Estes resultados não me impressionaram – porque consigo um custo em cliques de links a 0,13€ – mas mostrou-me que vale a pena testar com públicos semelhantes sem colocar interesses por cima.

Da próxima vez que fiz uma campanha para crescimento duma lista de emails para um cliente, comecei logo a testar com públicos semelhantes.

Esta cliente é um coach executivo, e os anúncios que criei tinham um bom desempenho quando segmentava para pessoas interessadas em Tony Robbins ou Marie Forleo, que também são administradores de página.

Para este teste, criei dois conjuntos simples de anúncios com o mesmo anúncio em cada um dos conjuntos: um anúncio para o público da Marie Forleo, e outro para um público semelhante que eu tinha criado. Desta vez, a fonte era uma lista de pessoas que se tinha inscrito para um dos webinars que ela tinha dado.

Poderia ter criado um público semelhante com base noutras fontes: a lista atual de emails desta cliente, dos fãs da página Facebook, ou dos clientes atuais dela. Escolhi a lista de pessoas que se inscreveram em webinares anteriores porque penso que as pessoas que estão dispostas a investir o seu tempo e inscrever-se num webinar são o tipo de utilizadores que estão envolvidos com elas.

Eis os resultados dos primeiros dias dessa campanha.

Teste artigos para públicos semelhante.

O conjunto de anúncios que tinha o público semelhante captou mais leads por menos custo que o público interessado na Marie Forleo com um interesse por cima (Page Admins).

Se está a fazer anúncios, experimente um público semelhante hoje

Vá aos Públicos no Gestor de Anúncios para começar. Se tiver algum problema, tem instruções atualizadas para criar públicos semelhantes dentro do curso online Domínio Completo. Escreva nos comentários que tipo de resultados viu com estes públicos ou no nosso grupo privado do curso.

Lutar contra o algoritmo: como fazer testes A/B em anúncios FB

Como fazer testes A/B anúncios FB.

Um dos meus alunos do curso Domínio Completo colocou-me uma boa pergunta recentemente.

Ela estava a criar uma campanha para o lançamento dum programa que o cliente dela faz algumas vezes por ano (é sazonal).

Como fazer testes A/B anúncios FB.

Com base em resultados anteriores, ela sabia a imagem que tinha melhor desempenho, mas sentia-se um bocado frustrada porque nenhuma das outras imagens (que eram boas imagens) tiveram oportunidade de destaque devido ao Facebook mostrar os anúncios que têm melhor desempenho e mostrar menos vezes os outros.

Esta aluna é esperta e sabia que as outras imagens provavelmente teriam melhor desempenho, mas ela não sabia a melhor maneira de fazer testes A/B.

Esta foi a resposta que lhe dei para fazer testes A/B em anúncios Facebook:

1. Experimente dois anúncios de cada vez

Cada conjunto de anúncios deve ter apenas dois anúncios nele (mas você quer ter quantos conjuntos de anúncios quiser com diferentes Públicos).

Pegue na imagem que teve melhor desempenho da sua última campanha e teste-a contra uma nova imagem. Tudo o resto do anúncio deve ficar igual, só a imagem é que muda.

2. Deixe que o melhor anúncio ganhe

O Facebook faz-lhe um valor ao otimizar a sua campanha, portanto deixe-o fazer isso.

Se tem um anúncio que lhe dá todos os resultados, será um problema? Bons resultados são bons resultados. Não fique obcecado(a) em querer testar uma série de coisas diferentes. (Imagine como o cliente se iria sentir se as suas outras imagens tivessem pior desempenho. Ninguém quer isso.)

Ao fazer testes A/B dos seus anúncios Facebook, deixe o melhor anúncio ganhar. Click To Tweet

3. É difícil testar algo novo contra um bom anúncio

Se um dos seus anúncios lhe traz muitos cliques e conversões, então o Facebook considera este o melhor, mesmo que tenha outros anúncios novos no conjunto de anúncios.

Assim, é provável que os seus novos anúncios tenham poucas impressões. Um anúncio vencedor (escolhido pelo Facebook como o melhor no conjunto de anúncios) irá sempre travar um anúncio sem cliques, mesmo que queiramos que o novo anúncio tenha alguma hipótese de aparecer mais vezes.

4. Não toque num anúncio que está a ter bons resultados

Se quer realmente testar as imagens e o texto que funciona bem no anúncio atual contra novas imagens e texto, tem de recriar todos os anúncios num novo conjunto de anúncios.

Recriar um anúncio faz reset à otimização que o Facebook faz (quando escolhe um anúncio dentro dum conjunto para o mostrar mais vezes do que os outros).

Mas depois a minha aluna viu que quando ela fez isso, o anúncio que estava a ter bons resultados num conjunto de anúncios, tinha um custo caro por conversão noutro conjunto de anúncios?

E porquê? Porque o Facebook leva tempo para otimizar os seus anúncios; uma parte da razão porque o anúncio estava a ganhar anteriormente era por que o Facebook estava a ajudar o anúncio a ganhar aquela “embalagem”.

Começar de novo significa que não há “embalagem”, não há um empurrãozinho exterior. Portanto, se tem um anúncio que tem um bom desempenho, deixe-o andar. Normalmente acabo por ficar com um anúncio num conjunto de anúncios que usa 90% do meu orçamento porque não quero andar a mexer com a “embalagem” dele.

Não mexa na 'embalagem' dum anúncio Facebook - significa que terá melhores resultados. Click To Tweet

5. Espero que os vencedores parem de ganhar

Eventualmente todos os anúncios deterioram-se ao longo do tempo, mesmo os vencedores. Deixe que o seu anúncio vencedor seja mostrado no seu conjunto de anúncios até o custo por conversão começar a aumentar significativamente.

Não costumo olhar para o custo geral por conversão, mas para quanto é que as conversões me estão a custar em certos dias. Se o custo por conversão aumenta por dois dias seguidos, eu pauso-o e experimento algo diferente.

6. Evite fadiga da audiência

Há uns tempos vi 3 tipos de anúncio diferentes da mesma pessoa a anunciar um webinar (é um guru do marketing estrangeiro). Eu pensei, bem, ela deve estar a fazer vários anúncios ao mesmo tempo, mais do que um conjunto de anúncios ao mesmo tempo, ou então muda os anúncios dela muito depressa.

Usar mais do que um conjunto de anúncios é uma boa forma de testar diferentes imagens e texto. Mas tenha cuidado em como o faz. Se usa apenas interesses diferentes para diferenciar os conjuntos de anúncios, irá ter “sobreposições”. Eis o que eu quero dizer com isto:

Suponha que tem 3 conjuntos de anúncios, cada um com um interesse. Os seus interesses são Amy Porterfield, Mari Smith e Gary Vaynerchuk. Eu gosto de todas estas páginas no Facebook, portanto é altamente provável que me seja mostrado todos esses três conjuntos de anúncios.

Em vez de segmentar o seu público por interesse, use dados demográficos para se certificar que chega a pessoas diferentes.

Numa campanha recente que fiz, o meu cliente queria saber se seriam as mães ou mulheres solteiras que se iriam converter melhor. Portanto fiz dois conjuntos de anúncios para cada apelo à ação (call-to-action): um que segmentava para mães, e outro que segmentava para mulheres solteiras.

Resultado: ambas converteram à mesma percentagem na landing page do cliente, mas as mães foram mais caras na segmentação.

Eis outros demográficos que pode usar para segmentar o seu público:

  • Local: teste diferentes imagens e texto conforme a cidade, região ou país
  • Idade: segmente o seu público usando o mesmo grupo de idades que o Facebook usa nos relatórios: 18-24, 25-34, 35-44, 45-54, 55-64, 65+.

Nunca pare de testar e experimentar

Digo a todos aqueles que dou coaching: só porque alguma coisa funciona hoje não quer dizer que funcione amanhã. O seu CPM (custo para mostrar um anúncio por cada 1000 visualizações) depende de quem mais está a fazer anúncios para o mesmo público que o seu, e esses números variam bastante.

Agora o cliente sabe que a imagem que funcionou bem para ela da última vez pode não ser a melhor para o anúncio desta vez. E quando eu reinicio uma campanha de angariação de leads para a minha lista de emails, que teve bom desempenho da última vez, tenho de prestar atenção às métricas para ver o que acontece desta vez.

Não digo isto para assustar, mas para que fique preparado(a) para tudo.

Nunca parta do princípio que descobriu FINALMENTE o segredo dos anúncios Facebook: porque nunca sabe o que vai acontecer no mês que vem.

Tenha a ajuda que precisa

Precisa que alguém o(a) acompanhe em todos estes detalhes? Clique aqui para agendar coaching 1:1 em treino de anúncios Facebook.

“Porque os meus anúncios não têm Visualizações?”

Como ter mais impressões em anúncios.

Passa horas a criar 3 ou 4 anúncios Facebook. Escreve a copy perfeita. Cria imagens espetaculares, coloca um apelo à ação porreiro e ainda passa na regra de 20% de texto do Facebook (agora não é bem uma regra, é uma recomendação). O anúncio é aprovado, e são lançados confettis 🙂

Os seus anúncios começam, a correr (o que significa que vai começar a pagar ao Facebook quer goste quer não). É irresistível começar a ver os relatórios a cada 10 minutos; até eu ignoro o meu próprio conselho – às vezes – de esperar 24 horas antes de ir ver uma nova campanha.

Fazer e mostrar anúncios Facebook é quase como jogar nas slot machines dos casinos: parece que não consegue parar.

Uma coisa boa nos anúncios Facebook é que pode fazer testes da copy e imagem do seu anúncio mesmo com um orçamento pequeno. É por isso que deve criar várias copy e imagens, para saber quais as que têm melhor desempenho para a sua audiência.

Mas nem sempre isso funciona.

Começa a notar que um dos seus anúncios tem mais impressões (visualizações) do que os outros. Sim, é o mesmo anúncio que parece ter melhores resultados, com cliques e conversões. Mas espere. Um ou mais dos seus anúncios não estão a ser mostrados. E depois coloca-me esta pergunta:

“Porque é que os meus anúncios não estão a ter impressões? Como é que é man?”

Não sugiro correr mais que 2 anúncios duma vez no mesmo conjunto de anúncios, porque irá ver que só um dos anúncios é que será “escolhido” pelo Facebook, e vai ficar sem saber qual a copy e imagem que funcionam melhor se os outros anúncios não são mostrados tantas vezes quanto o “escolhido”.

Esta “escolha” é feita pelo algoritmo do Facebook em todos os conjuntos de anúncios. Eis o que costuma acontecer:

  1. O Facebook começa a mostrar os seus anúncios a pessoas nos seus públicos, mais ou menos com o mesmo rácio (se tiver dois anúncios num conjunto de anúncios, ao princípio, ele mostra 50%-50% de cada um).
  2. Quando um dos seus anúncios começa a ter mais cliques, o algoritmo começa a tomar nota disso.
  3. Esse anúncio começa então a ter mais impressões. O Facebook apercebe-se que é esse o anúncio a que as pessoas estão a responder melhor, portanto começa a mostrá-lo a mais pessoas. (Sim o Facebook está mesmo a tentar ajudá-lo(a) a ter os melhores resultados – mas há um problema com isto que vamos ver).
  4. Os outros anúncios no seu conjunto de anúncios deixam de ter impressões, e o “escolhido” começa a ser o único anúncio apresentado às pessoas.
  5. Se define o seu conjunto de anúncios para mostrar os anúncios em desktop e mobile, é aí que tudo começa. Mas se o algoritmo reconhece que você está a ter mais cliques e/ou conversões em mobile comparado com desktop, os seus anúncios irão ser mostrados mais em mobile. Se mulheres com idades 35-44 respondem mais aos seus anúncios, estes irão ter mais impressões nessa idade do que em outras.
  6. Eventualmente poderá ter um anúncio que está a ser visto por um sexo (ex.: feminino), grupo de idades, num país, e num dispositivo específico.

Por isso é que só um dos seus anúncios é que tem o destaque todo. Infelizmente isto é bastante comum quando o Facebook faz esta “otimização”.

O problema disto é que ele começa a “otimizar” e a escolher o melhor anúncio antes de haver provas dadas suficientes dum verdadeiro anúncio vencedor no meio dos outros anúncios.

100 impressões e 4 cliques NÃO é informação suficiente para determinar se um anúncio funciona ou não funciona para a sua audiência, e no entanto é isto que acontece com a “otimização” do Facebook.

É por isso que eu aconselho ter apenas dois anúncios, um contra o outro, num conjunto de anúncios – mas já explico isto melhor de seguida.

O Facebook tenta escolher o melhor anúncio - mas muitas vezes faz isso mal Click To Tweet

Nota: nem todas as campanhas são otimizadas desta forma

Em 20-30% das campanhas que geri, o Facebook mostrou ambos os anúncios de forma igual ao meu público-alvo. Cabia a mim determinar o “escolhido” e pausar os outros. Portanto preste atenção aos seus relatórios, tanto os simples que aparecem no Gestor de Anúncios como os mais avançados que aparecem nos Relatórios (dentro do Power Editor).

A maneira correta de testar o seu criativo

Criativo = copy e imagens do anúncio

Pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença.

Há uns tempos atrás estava com um problema: tinha um custo alto por conversão num dos meus anúncios e estava quase para desistir naquela salganhada toda.

Mas depois experimentei uma nova imagem, ajustei a copy, e a minha taxa de cliques disparou, ao passo que o meu custo por conversão baixou para €0,70.

Anuncios antes e depois Facebook.

Portanto se o Facebook só lhe vai mostrar o anúncio “escolhido”, como é que você testa o criativo para saber qual o melhor anúncio para a sua audiência?

E isso é uma história que dá lugar a um outro artigo. Clique aqui para perceber a maneira esperta de fazer testes A/B com os seus anúncios Facebook.

Como criar Imagens para os seus Anúncios não serem rejeitados

Como criar imagens que não são rejeitadas em anúncios FB.

Este é um assunto importante: criar imagens para que os seus anúncios não sejam rejeitados ou não tenham poucos cliques.

Como fui designer numa outra vida, tenho o know how para lhe poder ensinar isto.

Vou usar o Photoshop para lhe mostrar isto e ainda lhe vou dar templates grátis para fazer download.

Como criar imagens que não são rejeitadas em anúncios FB.

Como leitor deste blog, você já deve saber que o Facebook tinha a tal regra dos 20% de texto, em que os anúncios não podiam ter mais que 20% de texto na imagem (incluindo logótipos e slogans).

Quando há uns anos descobri essa regra, pensei “como é que sei se o texto cobre 20% da minha imagem? Tenho que andar com matemática para perceber isto ou quê?”

Então encontrei a ferramenta de sobreposição de texto do Facebook, que ajuda a saber quanto da sua imagem é que está coberta com texto.

É uma grelha de 5×5 que mostra a sobreposição de texto no design da sua imagem, e de acordo com o Facebook, o seu texto só deve preencher cinco desses retângulos.

Facebook sobreposição texto

No entanto, o Facebook “a modos que” alterou esta regra. Uma imagem usada num anúncio que tenha mais que 20% de texto não é rejeitada, mas o anúncio pode sair prejudicado (sendo apresentado menos vezes).

O próprio Facebook é ambíguo nisto. Segundo a página de ajuda deles:

Regra Facebook sobreposição de texto.

Portanto, anúncios com imagens contendo mais de 20% de texto não são rejeitados, mas serão apresentados menos vezes.

Mas voltando à grelha de 5×5.

A grelha é boa para caber o design da imagem para ir ao encontro dos requisitos do Facebook. O Facebook pode não rejeitar a imagem se tiver mais que 20% de texto, mas irá penalizá-la, e ninguém quer isso.

Portanto convém usar à mesma a grelha de sobreposição de texto para ter o mínimo de texto na imagem.

O texto tem de alinhar na grelha. Não pode olhar para o tamanho das 5 caixas e usar isso para colocar o texto à toa. O texto tem de assentar exatamente dentro das caixas desses retângulos.

Isto significa que se uma letra ou uma perna da letra fica de fora, o Facebook conta isso como uma caixa adicional.Facebook sobreposição texto 10 retangulos

Isto limita as opções do layout e torna-se chato. Se o Facebook tivesse uma grelha com mais quadrados, e mais pequenos, teríamos mais margem de manobra.

No entanto, após conhecer esta regra, fica a ter o conhecimento para criar um design que vai ao encontro da “preferência” de 20% de texto.

Porque o Photoshop é melhor que o Canva para os seus anúncios Facebook

O Photoshop é um programa poderoso, e uma ferramenta na cloud como o Canva não lhe chega aos calcanhares.

Até gosto do Canva, é gratuito (existe uma versão paga), e é fácil de usar. Uso-o ocasionalmente para mostrar aos meus estudantes como criar imagens e para ter inspiração tipográfica, mas para trabalho sério, uso o Photoshop.

Até nem é caro. Pode subscrever o Photoshop CC (Creative Cloud) e o Lightroom CC por apenas €12.29/mês no pacote de Fotografia para indivíduos. Se estiver na dúvida, pode experimentar o trial gratuito deles.

Se não vai fazer outsourcing do design das imagens dos seus anúncios, aconselho a investir tempo a aprender o Photoshop para tweaks simples como vou explicar de seguida. Quando cria as suas imagens no Canvas, elas normalmente ficam com um aspeto amador, e isso pode afetar os seus resultados. Invista num designer ou invista o seu tempo.

Quando tem o Photoshop, é fácil criar um novo ficheiro e ajustar as preferências para acrescentar uma grelha de 20% em cima do design da sua imagem.

Como criar uma grelha Facebook no Photoshop

Agora que percebe como funciona a grelha, vamos saber como criar a nossa própria grelha no Photoshop. É fácil, prometo.

Passo 1:

  • Abra um novo ficheiro Photoshop de 1200×628
  • Clique em “Edit” no menu no topo.
  • Depois clique “Preferences > Guides, Grid & Slices…”
  • (nota: se estiver em Mac, clique Photoshop > Preferences > Guides, Grid & Slices…)
  • Photoshop preferencias guias

Passo 2:

Isto abre a janela das preferências com Guides, Grid & Slices pré-selecionado na esquerda. Use as seguintes definições:

Photoshop preferencias guias 20%

Após clicar em OK, irá ter de volta ao seu ficheiro e as linhas da grelha provavelmente ainda não aparecem. Precisa de as definir como visíveis para elas aparecerem.

Passo 3:

  • Clique em “View” no menu de topo.
  • Faça scroll até “Show” e selecione “Grid.”

Photoshop ver linhas da grelha.

E voilá, a sua grelha aparece.

Photoshop ver linhas da grelha no documento.

Agora vamos aprender o básico do Photoshop

Para acrescentar uma imagem, só tem de arrastá-la para o seu background branco e alinhar os cantos para a redimensionar.

Verifique que está na ferramenta da seta (assinalado com círculo vermelho no canto superior esquerdo). Se não vê os cantos da caixa para redimensionar, vá a “Edit > Transform > Scale”.

Depois pegue no canto da imagem e arraste para redimensionar ao mesmo tempo que pressiona a tecla Shift para manter as proporções.Photoshop redimensionar imagem.

Agora vamos adicionar uma forma (shape) para colocar texto em cima dela. Não tem de fazer este passo, mas já que a imagem tem muitos elementos coloridos, o texto seria difícil de ler sem algum tipo de caixinha de cor por trás.

Na sua barra de ferramentas clique no ícone que está por cima da mãozinha. Por prédefinição o ícone é a ferramenta do retângulo.

Clique e pressione esse ícone até aparecer um menuzinho com mais opções. Selecione a Elipse (oval). Agora no menu em cima escolha a cor de preenchimento em “Fill” (eu escolhi preto). O strone (contorno) pode ficar a branco com aquela linha vermelha riscada. Depois desenhe a sua shape e coloque-a onde quer na imagem.

Photoshop elipse tool

Se precisa redimensionar a shape após a colocar, é só transformá-la como fizemos num dos passos anterior. Pode ir a Edit > Transform > Scale, e usar a sua ferramenta da seta para arrastar o canto da shape como desejado.

Photoshop redimensionar elipse.

Agora está na altura do texto. Clique na ferramenta de texto no menu da esquerda (parece um T), depois clique no seu ecrã.

Pode clicar dentro da elipse que criou, mas às vezes isso tem resultados estranhos no texto.

Em vez disso sugiro, clicar noutro sítio (que não na elipse) e comece a escrever. Depois use a ferramenta da seta para arrastar o texto para cima da shape e continuar a editar a partir daí.

Vai notar que há uma opção no topo do menu para escolher o alinhamento do texto. Eu escolhi alinhamento ao centro para caber no círculo.

Quando quiser escrever ou editar texto, use então a ferramenta de texto, clique dentro do texto e um grande cursor irá aparecer, e pode logo começar a escrever.

Photoshop texto por cima da elipse.

Para mudar o tipo de letra, clique no topo do menu onde as fontes estão listadas. Há uma seta branca pequenina à direita que ao clicar mostra uma lista de todas as fontes instaladas no seu computador, que pode selecionar.

Se sabe de antemão qual o tipo de letra que quer usar, pode escrever o nome dela na caixa que ela aparece.Photoshop mudar tipo de letra.

Criar um design espetacular dentro da grelha

Agora que a sua grelha está preparada e sabe o básico do Photoshop, pode facilmente começar a criar imagens dentro da recomendação do Facebook dos 20% de texto.

Está na altura de pensar o que fazer com o texto a nível de design. As possibilidades são imensas, mas há algumas técnicas que recomendo:

  • Texto por cima duma shape
  • Um apelo à ação (um botão)
  • Uma face virada para o apelo à ação

Opção 1: Texto por cima duma shape

No exemplo do monge a meditar, coloquei um círculo preto por trás de texto a amarelo. Isto ajuda a dar destaque ao texto numa imagem que tem muitos elementos de background, e que se poderia perder na feed de notícias do utilizador de outra forma.

Imagem monge a meditar.

Ao seguir a orientação da grelha, consegui com que o meu título principal ocupasse só quatro retângulos, com espaço para adicionar o endereço do meu site no canto inferior esquerdo para mais um retângulo (para um total de 5 retângulos usados, fazendo os tais 20% de texto).

Texto da imagem ocupa cinco retangulos.

Opção 2: Um apelo à ação (um botão)

Neste exemplo temos uma imagem dum fornecedor de marketing automation com o logótipo da empresa, um título e um botão para a demonstração do produto.

Anúncio Infusionsoft.

A nível da grelha, temos o logótipo em cima, que ocupa um retângulo, o título ao centro, que ocupa três retângulos, e o botão azul com texto que ocupa um retângulo, para um total de cinco retângulos ocupados.

Anúncio Infusionsoft com grelha.

Opção 3: Uma face virada para o apelo à ação

Isto significa que temos algum elemento (pessoa, animal) na nossa imagem que está a olhar para o apelo à ação, que pode ser um botão ou texto a apelar à ação.

Como os olhos da pessoa estão a olhar para o apelo à ação, o utilizador irá olhar para onde a pessoa no anúncio está a olhar.

Nesta imagem de exemplo que criei, temos uma rapariga a olhar para o apelo à ação (botão verde), para a oferta fictícia dum guia para escolher chapéus.

Imagem para anúncio fictício de guia.

A nível da grelha, o título, subtítulo, e apelo à ação ocupam quatro retângulos, o que me deixou ainda um retângulo para colocar o endereço web do meu site no canto inferior esquerdo, para um total de 5 retângulos (os tais 20% de regra de texto).

Imagem para anúncio fictício de guia com grelha.


Espero que agora se sinta melhor em usar o Photoshop para criar imagens para anúncios Facebook que passam o teste dos 20% de texto.

O meu desejo é que tenha um grande sucesso com os seus designs, e por isso criei um template grátis para si.

Este template é um ficheiro PNG com uma grelha já feita à medida, que pode simplesmente arrastar para uma imagem que esteja a trabalhar e a grelha sobrepõe-se por cima da imagem. Aí é só contar os retângulos que o seu texto ocupa. (Pode usar esta imagem mesmo que não tenha a visualização da grelha ativada)

Clique aqui para fazer download do template da grelha.

NOTA: Quando guardar a sua imagem no Photoshop, tire a visibilidade dessa layer (camada) porque senão grava com a grelha por cima.

Visibilidade da layer (camada) no Photoshop.

Como escrever copy para anúncios que atraem cliques

Adoro anúncios Facebook – o que não é surpresa nenhuma.

Gosto de passar os meus dias a criar campanhas no Power Editor, ou no Gestor de Anúncios (porque agora o Gestor de Anúncios está bem melhor do que antigamente). Gosto de fazer segmentação e criar imagens no Photoshop para os meus anúncios.

Mas não gosto lá muito de escrever copy para os anúncios (o texto). Não é a minha parte favorita. Talvez seja porque pode ser bem difícil escrever bem. Não é a questão de escrever sem erros – porque eu dou os meus – é escrever texto persuasivo.

Infelizmente não pode haver anúncios Facebook sem algum tipo de texto. Isto não é um meio em que pode deixar a imagem falar por si e esperar resultados.

Portanto quer gostemos quer não, escrever copy para os anúncios é uma grande parte do meu trabalho. Muitas pessoas odeiam isso e passam essa responsabilidade a outros. E graças aos meus adoráveis clientes que dependem em mim e nas minhas competências para lhes dar resultados, acabei por ficar bastante bom a fazer uma coisa que – ao início – não me dava grande prazer (obrigado malta).

Qual o meu segredo?

É simples: tenho um sistema para criação de copy, e cinco regras que sigo de todas as vezes que crio copy para os anúncios. E essas regras estão prestes a tornar-se a sua orientação para escrever os seus próprios anúncios para ter cliques de qualidade das pessoas.

Como escrever copy para anúncios que leva as pessoas a clicarem: Click To Tweet

Mas primeiro, vamos começar pelo princípio.

Eis o meu sistema para escrever copy

  1. Abra o seu notepad++, Google Doc ou Word. Até pode usar papel e caneta (eu ainda uso, sou da velha guarda).
  2. Se é como eu e a sua atenção é quase como dum peixe de aquário, feche as tabs, janelas e programas do computador. Pode deixar aberto a sua landing page para inspiração.
  3. Abre um cronómetro do género Pomodoro, como o tomato.es ou o marinaratimer.com. Isto dá-lhe 25 minutos de trabalho para se focar, e 5 minutos para descansar. Isso conta como um pomodoro.
  4. Neste tempo, escreva tudo o que lhe vem à cabeça. Não pare até o cronómetro apitar (ligue as colunas). Se eu consigo fazer, você consegue fazer.

Hmm, escrever o quê? O que devo escrever?

Em baixo pode ver as minhas cinco regras para escrever copy para um anúncio Facebook. Não tem de usar cada uma das regras em cada copy que for escrever – vai perceber que é difícil juntar a regra 4 e 5.

Por cada regra dou-lhe também um exemplo para que possa ver algumas destas técnicas em ação. (Note: todos os meus exemplos não são necessariamente de anúncios Facebook… mas podiam ser porque são realmente bons).

Regra 1. Não tente ser esperto – seja claro

O Facebook é como que um feed de “barulho”: fotos dos filhos dos seus amigos, as viagens que fizeram, partilhas do Tá Bonito (ou seja o que for que está na moda agora), etc.

A sua feed de notícias está saturada com tanta informação. O que é que isto significa? Que não há margem de manobra para qualquer tipo de mensagem que seja necessário a pessoa pensar para perceber.

O seu anúncio deve dizer-me o que vou ter se clicar nele, que problema você me vai resolver, ou como me vou sentir como resultado do que está a oferecer. Nem mais, nem menos.Anúncio com linguagem clara.

Regra 2. Evite menções da sua marca

Se trabalhou no duro no seu branding, o nome do seu programa ou serviço, e um slogan a condizer, ótimo. Mas eles não pertencem à copy do seu anúncio.

Eu nunca ouvi falar de si ou do seu negócio. Não sei o nome da sua empresa nem preciso de saber isso agora. Foque-se em fazer com que eu clique, e poderei conhecer a sua empresa mais tarde. (O mesmo se aplica à sua landing page, nada de branding por agora).

Anúncio para kit de funil

Regra 3. Fale diretamente para as pessoas certas

“Está a pensar tornar-se consultor?”

“Odeia o seu emprego?”

“Passa os dias a investir nas redes sociais sem ver grande resultado?”

Começo muitos dos meus anúncios com uma pergunta porque atrai as pessoas certas e chama-lhes à atenção.

Se vê um anúncio que começa com uma dessas perguntas e a sua resposta é “NÃO” então vai passar pelo meu anúncio e continuar a fazer scrolling. Obrigado. É isso mesmo que eu quero. Se não tem o problema que o meu negócio ajuda as pessoas a resolverem, então não quero que clique no meu anúncio porque não quero estragar a taxa de conversões da minha landing page.

Quanto gastar anúncios Facebook.

Regra 4. Torne o seu anúncio emocional

O seu produto ou serviço resolve um problema, certo? Isso significa que as pessoas têm algum tipo de dor, e você está lá para acabar com essa dor ou dar-lhes o desejo que elas querem. Se as pessoas na minha audiência têm algum tipo de dor ou desejo, então é necessário dar algum tipo de emoção ou sentimento ao texto.

Se você é life coach, ou nutricionista, ou está em investimentos, ou qualquer outro tipo de atividade, escrever copy emocional até pode ser simples. Pense nos medos que as pessoas têm, nos problemas que as estão a impedir de chegar onde querem, ou quaisquer emoções que possam sentir que as tornam no seu tipo de cliente ideal.Anúncio emocional Facebook.

Regra 5. Seja simples.

Isto funciona com qualquer mercado. Sem “palha”, apenas um apelo à ação claro para que as pessoas subscrevam a sua newsletter ou a sua oferta, que lhes vai permitir [inserir solução que você apresenta].

Seja simples e direto.

Anuncio simples com call to action (apelo ação).

Uma nota sobre os apelos à ação

Não tenha medo de escrever algo que possa parecer óbvio, tal como “Clique aqui para se inscrever” ou “Pegue numa cópia deste guia aqui”.

Muitas pessoas precisam de instruções passo-a-passo, dê-lhes aquilo que elas precisam.


E aqui está: as minhas 5 regras para escrever anúncios que não só têm cliques, mas o tipo CERTO de cliques. Porque não há pior coisa que gastar dinheiro no tipo errado de pessoas, certo?

Precisa de ajuda com os seus anúncios? Veja esta página para saber como trabalhar comigo.

Como ter 3174 partilhas no seu próximo anúncio Facebook

Como ter 3174 partilhas no seu anúncio FB

Há anúncios que são difíceis de resistir. Provavelmente já viu alguns deste género, são o tipo de anúncio que o fazem parar e prestar atenção.

Aconteceu comigo há algum tempo e estive a pensar nele até então e na forma engenhosa como esta empresa fez.

O anúncio em questão promove uma CRM da empresa HubSpot

Eis um screenshot da minha feed de notícias.

3174 partilhas

O que este post tem de interessante? Não parece nada por aí além, mas até tem copy sucinta com destaque para os benefícios, e imagem a condizer.

Mas aquilo que REALMENTE me fascina, é o número de Gostos e Partilhas que teve.

Engagement (Interação) ao rubro

Não é preciso dizer-lhe que todo o post no Facebook que já tem muita interação tem impacto na forma como responde a ele.

Alguma vez deu por si a gostar do post de alguém só porque muita gente já tinha Gostado dele? Ou decidiu clicar no “Gosto” em vez de “Adoro” porque seria o primeiro a fazê-lo?

Pois é – isto é chamado prova social. As nossas ações online são influenciadas pelos outros.

É a mentalidade do rebanho.
Rebanho de ovelhas

3 fatores de Anúncios com boa Prova Social

Já se perguntou porque alguns anúncios têm grandes taxas de interação (likes, comentários, partilhas) e outros não?

Normalmente é uma combinação de alguns fatores:

  1. O negócio por trás do anúncio tem fãs ferrenhos (e vários).
  2. O anúncio em si é espectacular, mostra a dor ou o desejo do público-alvo.
  3. Há muito dinheiro a ser usado nesse anúncio (para ter muita interação).

É o terceiro fator que é importante perceber. O orçamento duma campanha de anúncios é um fator que não conseguimos saber só de olhar para um anúncio. Mas quando vemos aquele nível de interação, é seguro supor que o anúncio esteve a correr durante algum tempo e o gasto diário é elevado, ou ambos.

Um truque simples para aumentar a interação do seu anúncio sem dar cabo do seu orçamento

Quando tem um anúncio que você sabe que irá funcionar (porque já viu os resultados que teve numa campanha anterior, por exemplo), este truque vai ajudar ainda mais.

Basicamente você vai aumentar o engagement (interação) – e consequentemente a sua prova social – antes de mostrar o anúncio para públicos frios.

Eis como:

  1. Coloque um link para seja o que for que quer promover na sua página Facebook. Escreva copy que leva as pessoas a clicarem e veja se a imagem que o seu link “puxa” é aquela que quer no seu anúncio (a imagem de destaque). Se não é a imagem que quer, pode mudá-la ao clicar no botãozinho + no final do post.
  2. Promova aquele post por 24-48 horas, dependendo do seu orçamento. Pode vir a gastar tão pouco quanto €5 para 24 horas se quiser. Nas definições, selecione apenas os seus fãs no público-alvo.
  3. Na secção de Públicos no seu Gestor de Anúncios, crie públicos personalizados dos seus subscritores e das pessoas que visitaram o seu site. (Para instruções detalhadas e atualizadas sobre este passo, pegue numa cópia do Em Cheio.
  4. Transforme o seu post Facebook num anúncio (escolha o objetivo “Interação” ao criar um anúncio) que use os públicos personalizados descritos acima. Gaste mais €5 por dia e corra este anúncio durante 2 dias.
  5. Após os anúncios dos passos 3 e 4 tiverem corrido por 24-48 horas, esse post original na sua página Facebook deve ter mais likes. Se tiver sorte, até pode ter tido algumas “reações”, comentários e partilhas. Agora pode transformar esse mesmo post num anúncio para mostrar a pessoas que não interagiram com a sua marca ainda. (saiba como criar Públicos aqui – incluindo a “definição detalhada de públicos alvo”).

Deve gastar a maioria do seu orçamento a mostrar o seu post/anúncio a novas pessoas, mas se lhes mostrar um anúncio que tem muito engagement, a prova social irá funcionar certamente a seu favor.

Não estou a sugerir que esta técnica foi usada por a pessoa por trás do anúncio do screenshot anterior. Mas aposto que muitos daqueles likes e partilhas vieram de pessoas que eram grandes fãs dele.

Isso interessa? NOPE. Tudo o que vê quando faz scroll no anúncio é a elevada taxa de interação (engagement), e faz-nos pensar “uau”, toda a gente gosta deste tipo. É melhor não perder este webinar. Portanto clica e inscreve-se. #ovelha

Está a ver a coisa? Bem lhe disse que a prova social é um fenómeno poderoso.

Dica bónus

Vi outro anúncio com muitos gostos e partilhas antes de publicar este artigo. Quando descobri o “truque” dele, tive de partilhá-lo consigo.

Eis o anúncio em questão.

Anúncio 1345 partilhas

Pensei que já tinha visto este anúncio anteriormente, e por mera curiosidade, comecei a ver os comentários. Baseado nalgumas trocas e respostas que lá, descobri esta técnica muito inteligente.

O anúncio promove um webinar, um que este empreendedor faz frequentemente. Mas em vez de criar um anúncio de cada vez que faz o webinar, ele mantém o mesmo anúncio (que continua a ter mais e mais engagement), e muda o conteúdo da página de inscrição para mostrar a nova data (é só isso que ele faz).

Não muda o texto, a imagem ou o link. Se tentar editar o seu anúncio e fizer alguma dessas mudanças, o engagement faz reset a zero (deve ser por isso que ele não mexe nele).

Assim, ele apenas atualiza a página de inscrição com a mesma URL para onde aponta este anúncio.

BRILHANTE

Portanto esses são dois simples truques que pode usar para aumentar o engagement nos seus anúncios Facebook e ter uma taxa de cliques mais elevado como resultado disso.

Tem outros truques que estão a funcionar para si? Partilhe connosco nos comentários.

Anúncios Facebook não funcionam? Experimente este tweak

Anúncios não funcionam? Experimente este tweak.

Mesmo com todo o orçamento do mundo, vai ter anúncios Facebook que vão ser um fracasso. Acontece aos melhores.

Pode haver algumas razões porque os seus anúncios não estão a ter um bom desempenho, e é importante saber ler os seus resultados para perceber qual é o verdadeiro problema.

Tem sido a minha experiência que MUITOS anúncios que não funcionam podem ser corrigidos com uma coisa: experimentar um Público diferente.

Um dos meus clientes de coaching privado veio ter comigo porque queria crescer a sua lista de emails com anúncios Facebook.

Ela tinha trabalhado com um estratega de negócios no seu posicionamento e marca, e estava agora pronta para levar tráfego para uma landing page onde iria captar leads.

Depois de ensinar a cliente sobre como acompanhar conversões e o Power Editor, finalizámos a nossa primeira sessão de coaching com uma campanha que tinha dois conjuntos de anúncios: um destinado a fãs da página dela, e outro destinado a pessoas interessados num concorrente dela.

Custo por lead cliente coaching

Dá para ver que o público frio que segmentava para pessoas interessadas no concorrente (desfocado na imagem) teve um melhor desempenho que o público que segmentava para os fãs.

Fiquei surpreso.

Mas concluímos que muitos dos fãs dela provavelmente já se tinham inscrito na tal landing page, e portanto não prestavam atenção ao anúncio.

Os relatórios diziam-nos que o Público consistindo de pessoas interessadas no concorrente estavam a clicar nos anúncios dela a uma maior taxa de cliques, mas não tinham uma boa taxa de conversões na landing page.

Ficámos de nos focar em melhorar a landing page na próxima sessão, porque a minha teoria era que ela já tinha um bom Público (aqueles interessados no concorrente), só precisava duma maior taxa de conversão na landing page dela.

Dois dias mais tarde olhámos para os resultados do mesmo conjunto de anúncios, para ver que ninguém se tinha inscrito. Gastou-se o dinheiro, mas sem novos subscritores. Até dói.

Como os anúncios da cliente tinham uma taxa de cliques decente, levando as pessoas para a landing page, eu estava seguro que este público estava interessado naquilo que ela tinha para oferecer.

Mas é capaz de ter havido uma desconexão entre o anúncio e a landing page, algo que fazia com que as pessoas caíssem do funil antes de se inscreverem.

Fizemos mais mudanças ao anúncio, e mais mudanças na landing page. “Não desista de este Público ainda”, disse eu à cliente.

Modo pânico

Ao fim de mais alguns dias de deixar correr os anúncios com o tal público que gosta do concorrente, a cliente até teve mais inscrições na landing page para o guia gratuito dela.

A landing page estava a ter melhores conversões, mas ainda só tinha ido duma taxa de 10% para 15%. Os novos subscritores estavam agora a custar-lhe entre €1 a €2, o que é bastante.

Comecei a ficar preocupado. Não garanto leads de €0,30 com todos aqueles com que trabalho, mas custar 1 e 2 euros de leads? Alguma coisa estava mal.

“Está na altura de tentar novos Públicos”, disse eu à cliente. Vamos ver se conseguimos apostar noutro tipo de interesse ou concorrente.

Fizemos um brainstorming os dois a nível de vários interesses que podemos definir/segmentar relacionados com a atividade dela. Eis o novo público que criámos.
Público Facebook para guia motivacional

O Facebook mostrava-nos que havia 400 000 pessoas para este público (o que é mais que suficiente).

Ainda assim, eu disse à cliente para ela não voltar a agendar mais nenhuma sessão comigo até ter experimentado 3 ou mais novos Públicos.

A revelação

3 dias depois, a cliente, enviou-me uma mensagem a dizer que tinha agora leads a €0,75 com uma taxa de conversão de 30%. Espetáculo.

E tudo isso porque ela pegou nos anúncios e numa landing page que estavam a ter um desempenho OK e experimentou um novo Público, o que levou a ter um bom desempenho.

Algumas semanas mais tarde, ela contou-me que as taxas de conversão continuavam a aumentar na landing page, e o preço por conversão a baixar. Maravilha, fiquei feliz por ela.

Este é exatamente o tipo de conta que gosto de ver em menos de um mês a trabalhar em campanhas de clientes.

No final, este novo Público deu à cliente 178 leads a uma média de €0,71 cada.

Anúncios Facebook não funcionam? Experimente este tweak antes de desistir: Click To Tweet

Foi um bom estudo de caso.

Este caso da cliente foi sorte?

Ao mesmo tempo que estava a fazer coaching com a cliente, vi outros resultados semelhantes a acontecerem com outros clientes que tinham testado novos públicos com anúncios que não tinham tido bom desempenho.

Por exemplo, após um cliente meu que é consultor ter encontrado, há um ano atrás, um bom Público para a atividade dele, estava a ter o mesmo tipo de problemas para ter inscrições numa landing page dele que oferecia uma sequência de tutoriais em vídeo.

Ele tentou imagens diferentes, copy diferente, mas as pessoas neste público não estavam a clicar nem a inscrever-se como fizeram quando ele começou com o anúncio pela primeira vez.

Após ter criado um novo público, o custo das leads do cliente baixaram de €1 para €0,50. Apesar deste público ser baixo e específico, e termos escolhido várias opções na “definição do público-alvo detalhada”, continuou a ter bom desempenho para os €300 que o cliente gastou e das leads que ele conseguiu como resultado.

Um dos anúncios dele até teve +20 partilhas, nada mau. Mesmo sem aplicarmos o meu truque favorito para ter mais interação, o anúncio dele foi um sucesso.

Não desista

Sei quão confuso e frustrante escolher Públicos para os seus anúncios Facebook pode ser, especialmente quando sabemos que queremos chegar às pessoas certas, mas parece que não sabemos se o estamos a fazer ou não.

Provavelmente mais de metade das perguntas que tenho de clientes e estudantes anda à volta dos anúncios Facebook não funcionarem. Se está a olhar para as suas métricas e a pensar como é que as pode melhorar, comece a fazer anúncios para 3 ou 4 públicos novos (e que um deles seja um Público semelhante.

Dominar os Públicos Facebook duma vez por todas

Está à procura dum ÚNICO recurso que explica todos os Públicos Facebook que precisa saber para ter anúncios que geram faturação a sério?

Agarre uma cópia do meu belo ebook:
Ebook EmCheio

Não gaste nem mais um cêntimo nas suas campanhas antes de abrir este manual de treino bastante abrangente. Clique aqui para saber o que está lá dentro.

Uma dica para as suas imagens de anúncios Facebook

Dica para imagens de anúncios Facebook.

Se me perguntasse como criar imagens para anúncios Facebook em 2015, eu teria respondido sem hesitação:

Uma imagem de si.

Tire uma selfie ou peça a alguém para tirar uma foto sua, coloque um círculo ou algo do género que pareça um botão, ponha texto no círculo, e pronto, fez-se o Chocapic.

Mas infelizmente esses dias já eram, e este conselho está mais que batido.

Não se preocupe. Não tem de ser designer gráfico para criar anúncios que têm cliques das pessoas.

Tenho notado uma tendência nas imagens dos anúncios Facebook, e posso afirmar que isto vai tornar a criação dos seus anúncios mais fáceis.

Qual é a tendência?

As imagens não têm necessariamente de estar relacionadas com o conteúdo do anúncio.

“Qué? Espera. João, estás-me a pregar alguma rasteira ou quê?”

CLARO QUE NÃO. Veja este anúncio como exemplo:

Anúncio Hootsuite

Se ler o texto na diagonal e o título (que é provavelmente o pouco da atenção que as pessoas dão ao texto), irá ver que não há menção de cães, ou raparigas em portáteis.

Se você é alguém que presta atenção aos anúncios com um olho crítico, provavelmente estará a pensar qual a relação entre a oferta (trial gratuito) tem com esta imagem.

Mas a lição a tirar daqui é que não interessa se há uma relação ou não.

Isto é o que interessa:

  1. A imagem é apelativa. Não está desfocada ou fotografada por um amador. As cores estão em sintonia, e o cão e a rapariga bem-dispostos passam um sentimento agradável antes de notarmos que não há grande relação entre a mensagem e a imagem.
  2. Não está fora do que costumamos ver quando andamos pelo Facebook. Isto é IMPORTANTE. Os anúncios Facebook são um tipo de marketing de interrupção: os anúncios que criamos estão a interromper o utilizador ao fazer scrolling pelos posts dos amigos, família e marcas que seguem. Portanto se a sua imagem parece fora do contexto, o seu anúncio irá ter uma disrupção e chatear alguns utilizadores (se não tiver qualidade).

Então como é um anúncio “fora de contexto”?

Há várias opiniões em relação a isto, mas para mim, tudo se resume a mau design. E é bastante fácil criar uma imagem para um anúncio pobrezinha se não é um designer profissional.

Muitas pessoas criam más imagens, com fraca qualidade ou elementos “folclóricos”. Eis um exemplo:Má imagem amadora

Não é que o texto a amarelo em fundo azul não se destaque, mas é o problema da foto, que tem má qualidade. Além disso, tem um background com elementos “foleiros”. Dá para perceber a ideia que quer fazer uma ligação a “notícias”, mas fá-lo de forma amadora.

Quando cria imagens para anúncios Facebook, com a sua foto, ou com a foto de outros, tem de relacionar com a sua marca.

Outros erros comuns em design de anúncios são:

  • cores que não correspondem
  • tipos de letra que não se integram com a sua marca
  • ou uma combinação de ambos

Alguns exemplos de imagens de bons anúncios

Eis mais alguns anúncios que vi ao longo dos anos que vão ao limite da correlação da mensagem com imagem.Anuncios Facebook exemplos

Exemplo anuncio fb

Veja a interação desse anúncio Facebook. Estou obcecado com esta técnica para ter Gostos e Partilhas em anúncios, se quiser experimentar por si.

Como testar isto na sua próxima campanha

Se ainda não experimentou este tipo de imagens atraentes (mas não diretamente relacionadas com o anúncio), experimente-as na sua próxima campanha.

Sugiro que faça dois anúncios no mesmo conjunto de anúncios com a mesma copy (texto) e duas imagens:

  1. uma imagem de si com algum texto por cima (este artigo ajuda a criar um bom design), e
  2. uma imagem espetacular que possa ou não estar relacionada com o texto do seu anúncio (pontos bónus se conseguir relacionar os dois) sem texto.

Um dos seus anúncios irá ter mais cliques e ações tomadas neles, e o Facebook irá deixar de mostrar o anúncio com pior desempenho (mantendo o vencedor).

(Leia mais sobre como fazer testes dos seus anúncios Facebook neste artigo).

Quando fizer esse teste, partilhe connosco nos comentários qual a imagem que ganhou (a imagem sua, ou a tal imagem espetacular sem texto).

Vídeo: Adicionar ‘Críticas’ na sua Página Facebook

Adicionar ´Criticas´ na sua Página Facebook.

Adicionar “Críticas” na sua página Facebook permite às pessoas deixarem avaliações 5 ⭐⭐⭐⭐⭐. Este vídeo mostra como adicionar isto à sua página.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou mostrar como adicionar “Críticas” na sua Página Facebook.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Provavelmente já viu Páginas onde as pessoas deixam comentários positivos ou negativos sobre essa Página.

Nesta página onde estou tem Críticas adicionadas e as pessoas deixaram aqui comentários sobre esta Página.

Se a sua Página ainda não tem o separador de Críticas, então vou-lhe mostrar como adicionar.

Vá à sua página e no canto superior direito clique em Definições.

Nas Definições, vá ao menu do lado esquerdo e clique em Editar Página.

Faça scroll até aqui em baixo e aqui irá ver que esta página ainda não tem o separador de Críticas.

Então eu vou clicar em Adicionar um Separador e agora vou escolher o separador de Críticas.

Adicionar Separador. Clicar em Fechar.

E agora o separador de Críticas já aqui está.

E eu depois posso, adicionalmente, colocá-lo para cima ou para baixo de outros separadores que eu tenha.

Por exemplo, vou colocá-lo aqui, por baixo de Publicações.

Clicar em Definições… e confirmar que está Ligado e Guardar.

Antes de guardar, posso Copiar URL e posso enviar para os meus clientes, por email, um link para eles lá deixarem um comentário sobre como foi trabalhar connosco. Vou clicar em Guardar.

E agora vou à Página… e vou confirmar que o separador de Críticas já está adicionado nesta página.

Espero que este vídeo tenha sido útil, e que possa adicionar o separador de Críticas na sua página, para começar a receber comentários – espero eu – positivos, sobre a sua página.

Se gostou deste vídeo, dê-me um Gosto, faça um comentário, partilhe o vídeo com alguém, e subscreva-se, porque isto a mim diz-me o tipo de conteúdo que você quer ver para ter o sucesso que merece, e eu ajudá-lo(a) com estes vídeos. Obrigado.