Como Criar Públicos para os seus Anúncios Facebook

Como criar Públicos para Anúncios

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo (se não quiser ver o vídeo)

Neste vídeo mostro como criar e guardar Públicos no Facebook para os seus anúncios.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Crie Públicos antes de criar anúncios. É isso mesmo. Não escreva a copy para o seu texto, não crie imagens, crie o seu Público primeiro, porque tem de saber as pessoas para quem vai mostrar as suas campanhas de anúncio, e é por isso que está a criar um Público.

Não cometa o mesmo erro de algumas pessoas, que criam ebooks e ofertas do género, depois vão criar as campanhas e não sabem fazer uma boa segmentação, ou seja, escolher as pessoas certas a quem mostrar o anúncio, e assim estão a desperdiçar dinheiro.

Portanto é assim que se faz.

Estamos no Gestor de Anúncios, e vamos ao menu de hamburger, que são estas 3 linhas verticais no canto superior esquerdo. Clicamos em Todas as ferramentas e vamos escolher Públicos, por baixo de Ativos. Depois de clicar em Públicos, isto irá começar a aparecer no menu de “Utilizado com frequência” e também poderá clicar nele aí, como é no meu caso. Mas se não estiver aqui, estará por baixo de Ativos.

Em Públicos, clique no botão azul “Criar Público”. Aqui escolha “Público guardado” e aparece o interface. Este interface é o mesmo que aparece se estivesse a usar o Power Editor ou no Gestor de Anúncios a criar a sua campanha, a diferença é o Nome do público aqui em cima.

Aqui pode selecionar os locais que quer incluir, a idade, o sexo, o idioma das pessoas, e na “Definição do público-alvo detalhada” temos à nossa escolha várias opções de segmentação. Aqui posso escolher dados demográficos, interesses, comportamentos e outros. Posso por exemplo colocar empreendedores ou qualquer outro que eu queira.

Após ter preenchido a segmentação como eu quero, dou-lhe um nome. Aconselho a atribuir o nome ao seu público conforme os Dados demográficos + Interesse.

Por exemplo, vamos supor que eu quero segmentar para homens entre 29 e 44 anos de idade, que estão interessados em empreendedorismo e estão em Portugal. Iria colocar PT Homens Empreendedorismo 29-44. Depois em baixo clico em “Criar público” e ele aparece nos meus públicos.

Para usar este público, vou ao menu hamburger (as tais três linhas verticais) para ir ao Gestor de Anúncios, e vou clicar no botão verde de “Criar Anúncio”.

Aqui vou escolher um tipo de anúncio de Tráfego, por exemplo. Agora vou diretamente para a secção do Público. Seria aqui que eu poderia criar um Público. Mas repare que nós já criámos o nosso Público, portanto podemos escolhê-lo aqui. Então, clicamos em “Usar um público guardado” e selecionamos o Público que criámos há pouco.

Se necessário, podemos editar o Público e fazer alterações e até gravá-lo como novo. Depois é só criar o anúncio como normalmente.

Note, mais uma vez, que poderíamos ter criado o nosso Público ao criar aqui o anúncio. Então porque é que eu aconselhei no princípio do vídeo para criar primeiro o público e depois é que criamos os anúncios? Porque se for criar diretamente um anúncio é fácil distrair-se com as opções de anúncios, e começar a pensar que orçamento gastar, que texto escrever, que imagem criar, e depois fica atrapalhado com tanta opção à mistura.

Assim, cria primeiro o público, como aconselho logo no princípio do vídeo, e depois é que vai criar o seu anúncio.

E é isto. É muito simples. Se tem dúvidas sobre anúncios Facebook, faça o Minicurso Grátis de Anúncios Facebook, e comece a criar anúncios de sucesso esta semana.

E se gostou deste vídeo, Subscreva-se, e dê-me um Gosto, porque isto vai-me ajudar a criar mais vídeos de qualidade e diz-me o tipo de vídeos que você gosta de ver. Subscreva-se e vá a JoaoAlexandre.com para saber como usar o poder do Facebook e do marketing digital para crescer o seu negócio. Obrigado.

18 Ferramentas Facebook Grátis para aumentar alcance posts

Imagem 18 Ferramentas Aumentar Alcance Orgânico

O Facebook é uma rede social incontornável, tendo atualmente 1.90 biliões de utilizadores mensais ativos. É grátis criar uma página Facebook e começar a usar os anúncios pagos, com todas as opções de segmentação disponíveis e os dados que o Facebook tem sobre os utilizadores.

Há muitos que se queixam da forma como o alcance orgânico dos posts é cada vez menor.

Bem, meus amigos, este “problema” não vai a lado nenhum.

Coloco problema em aspas porque isto pode ser uma oportunidade para aqueles que decidem investir no seu negócio e fazer anúncios.

O alcance dum post será cada vez menor, isto porque há cada vez mais conteúdo a ser publicado no Facebook e não há espaço para tanta coisa na newsfeed dos utilizadores.

Portanto quem não paga, não chega a ninguém.

Ainda assim, é possível para as páginas chegarem às pessoas de forma orgânico ao criarem conteúdo útil e relevante que os faz pensar ou que os ajuda com alguma coisa.

☀️ As ferramentas nesta lista têm o que é necessário para ter sucesso no seu marketing do Facebook, desde ferramentas com sugestões do que publicar, agendar publicações, analítica e gestão de campanha.

E o melhor de tudo? São gratuitas.

⤵️ As 18 ferramentas para aumentar alcance orgânico dos posts

  1. Canva
  2. Blog Topic Generator
  3. Content Idea Generator
  4. Estatísticas do Público Facebook
  5. SimplyMeasured
  6. Hotjar
  7. Wolfram Alpha
  8. Fanpage Karma
  9. ShortStack
  10. Likealyzer
  11. SumoMe
  12. SocialMention
  13. Tabsite
  14. Campaign URL Builder
  15. Google Analytics
  16. Piktochart
  17. GIPHY
  18. Hemingway

1. Canva para design/imagens

Canva
Pode criar o mais variado tipo de imagens, desde fotos para posts simples ou infográficos para posts mais elaborados.

O Canvas tem uma vasta gama de templates pelo qual escolher, com uma secção gratuita bastante generosa. Tem também secções pagas que podem valer a pena o investimento.

Há vários tipos de tamanhos de imagens disponíveis que já vêm com as medidas certas (por ex. para posts no Facebook).

Pode carregar o logótipo da sua empresa e colocá-lo em cada imagem para efeitos de branding, colocar um link no post e partilhá-lo diretamente para a sua página Facebook a partir da app.

Posts com imagens têm mais interação do que simples posts de links ou só texto, portanto ao criar boas imagens para os seus posts vai ter mais partilhas e aumentar o seu alcance orgânico.

2. Blog Topic Generator para sugestões de títulos

Blog Topic Generator
Está com dificuldades em obter ideias para artigos? Use o Blog Topic Generator para ter ideias sobre que conteúdo criar.

Só tem de dar 3 substantivos à ferramenta e ela mostra ideias de títulos que podem ser bons temas para criar os seus artigos ou conteúdo.

3. Content Idea Generator para sugestões de temas

Content Idea Generator
Este Content Idea Generator é semelhante à ferramenta anterior, mas gera ideias mais criativas que podem inspirar a criar temas bem interessantes para o seu próximo artigo.

4. Estatísticas do Público Facebook para conhecer o seu mercado

Estatísticas de Público
Quanto mais souber do seu público, melhor pode comunicar com eles. As estatísticas do público (também chamado Audience Insights) dão-lhe informação sobre as pessoas, tais como dados demográficos, local, língua, likes, utilização Facebook, comportamento, entre outros.

Use estes “insights” para criar uma comunicação que está mais em sintonia com o seu público-alvo.

Pequena nota: Audience Insights leva em conta potenciais clientes na sua análise, enquanto os Page Insights (Estatísticas da sua página) referem-se apenas à interação na sua página. As estatísticas da sua página encontram-se no menu de topo quando acede à sua página (https://www.facebook.com/nome-da-sua-pagina/insights/)

5. SimplyMeasured para analítica da concorrência e conteúdo

SimplyMeasured
Pode ter relatórios gratuitos do desempenho da sua página, análise da concorrência e do conteúdo no SimplyMeasured.

Os relatórios grátis só têm um histórico de duas semanas para páginas com menos de 250 000 Gostos. Mas isto é mais que suficiente para pequenas e médias empresas que querem relatórios rapidamente para ter como referência ao criar a sua estratégia de conteúdos para as próximas semanas/meses.

Com os insights que obtém desta ferramenta sobre o conteúdo e a concorrência, vai poder criar melhor conteúdo que “fala” mais às pessoas, conseguindo alcançar mais utilizadores.

6. Hotjar para otimizar o site

Hotjar
“Otimizar” o site é dizer pouco. Com o Hotjar, podemos ter uma conta grátis para websites com menos de 2000 visualizações diárias, direito a 3 mapas de calor (heatmaps), gravações dos visitantes (onde elas clicam), funis de conversão e inquéritos (surveys).

Os mapas de calor são bem interessantes porque mostram onde é que os seus utilizadores mais interagem, e os funis de conversão mostram o que tem de mudar para aumentar as conversões no seu website.

7. Wolfram Alpha para analítica de influenciadores

Wolfram Alpha
O Wolfram Alpha pode levar algum tempo a mexer para perceber como funciona. Ela analisa os seus amigos no Facebook e mostra os conjuntos aos quais eles pertencem, mostrando quão populares são os seus amigos, o alcance global da sua rede, e quais dos seus amigos funcionam como “portais” entre estes conjuntos (quase parece um LinkedIn avançado).

No entanto estes relatórios só podem puxar dados de pessoas que autorizaram a app nos seus perfis. De qualquer forma esta app é gratuita e dá boa informação que pode usar no seu marketing.

8. Fanpage karma para analítica da concorrência e Facebook

Fanpage Karma
Fanpage Karma é uma app que compara duas páginas Facebook. Insere a URL das duas páginas e a ferramenta mostra um panorama geral com pontuação.

Pode igualmente escolher ver apenas um relatório detalhado de uma página, a nível de conteúdo, influenciadores, timing do conteúdo, interação dos fãs, entre outros.

Quanto melhor for o timing do seu conteúdo (e a qualidade dele), mais interação e alcance irá ter com as pessoas. Dica bónus: arranje influenciadores para a sua marca para espalhar ainda mais o seu conteúdo.

9. ShortStack para campanhas Facebook e formulários

ShortStack
Uma app de criação de formulários, o ShortStack tem várias opções para criar campanhas interativas que pode publicar para a sua página Facebook. Tem sido um dos favoritos dos marketers dos últimos anos.

Pode criar uma campanha a partir dum template e colocá-lo na sua página através da app. Também pode criar de raiz e personalizar para ficar ao seu gosto. O branding do ShortStack é automaticamente adicionado à sua campanha se estiver a usar uma conta gratuita.

As campanhas têm um princípio, e um fim, assim como um tema. Experimente criar uma campanha (ex.: concurso, obtenção de leads) para interagir mais com os utilizadores e seus fãs.

10. Likealyzer para saúde da página Facebook

Likealyzer
Coloca o endereço da sua página Facebook e o Likealyzer dá-lhe uma pontuação geral que mostra a saúde da sua página. Esta app analisa os seus posts, a interação deles, e sugere melhorias que pode fazer.

Elementos como o timing dos posts (quando os publica), extensão dos posts, interação dos posts e comentários são considerados pela ferramenta antes de mostrar as sugestões.

Pode usar depois estas sugestões para otimizar os seus posts e chegar a um maior número de pessoas.

11. SumoMe para partilha de Página/conteúdo

SumoMe
O SumoMe é um conjunto de plugins para o WordPress, e o plugin básico de partilha pode ser usado para mostrar os “contadores” das redes sociais que mostram o número de partilhas no seu blog. Estas partilhas servem como prova social para incentivar os visitantes do seu blog a partilharem os seus artigos.

O plugin básico de partilha torna fácil para as pessoas partilharem o seu conteúdo, basta elas terem sessão iniciada na rede social e o plugin gera automaticamente o texto (partilhar para o Facebook e LinkedIn, incluindo grupos).

12. SocialMention para monitorização em tempo real

SocialMention
Esta ferramenta permite encontrar menções de certas palavras-chave em tempo real nas redes sociais.

Pode usar o Social Mention para ver rapidamente onde se encontra no panorama social. A “strength” mostra a probabilidade da sua marca ser falada e “Sentiment” diz-lhe o rácio de menções positivas e negativas da sua marca nas redes sociais.

De forma geral, é uma ferramenta interessante que mostra a saúde da sua empresa nos social media. Pode usar isto também para medir o impacto (positivo ou negativo) que o seu apoio a cliente está a ter (se o fizer via redes sociais).

13. Tabsite para concursos Facebook

Tabsite
Tabsite permite criar concursos interativos para publicar na sua timeline, gratuitamente. Pode fazer concursos que requerem gosto, comentar, ou partilhar uma imagem, e gerir isto tudo usando a ferramenta.

Após fazer o concurso, pode escolher um vencedor aleatoriamente baseado em qualquer critério, ou exportar os dados para ficheiros para seu uso (caso faça concursos à base de foto, comentário ou partilha).

Fazer concursos de Gostos e Partilhas é uma boa forma de aumentar a interação e alcance.

14. Construtor de URL Google para saber de onde vem o tráfego

Campaign URL Builder
Se anuncia (ou publica links) em vários sítios ao fazer marketing para a sua empresa, poderá não ser capaz de saber de onde vêm todas as pessoas.

Por isso existe este Construtor de URL da Google, em que cria URLs personalizadas com base em certos parâmetros, para poder saber de onde vêm os seus visitantes. Assim pode otimizar esforços nos sítios onde está a ter mais sucesso (ex.: anúncios Facebook, Adwords, email marketing, etc.).

15. Google Analytics para analítica geral

Google Analytics
Pode usar o Google Analytics em conjunção com as URLs personalizadas mencionadas na ferramenta anterior para perceber a eficácia do seu conteúdo. Por exemplo, pode criar uma URL personalizada para colocar no Facebook do género:

http://joaoalexandre.com/?utm_source=facebook&utm_medium=organic&utm_campaign=post_para_site

Pode converter isto num shortlink para não ficar tão grande. Por exemplo, esta url https://goo.gl/sCsyCg vai ter ao mesmo endereço da anterior.

Depois coloca este link num post do Facebook. Isto irá aparecer nos relatórios do seu Google Analytics, e saberá se o post foi eficaz ou não (a quantas pessoas chegou).

16. Piktochart para design de infografias

Piktochart
As infografias são imagens apelativas que chamam mais à atenção das pessoas que as imagens normais, ou posts com apenas links ou texto.

A Piktochart tem templates de infografias pré-criadas que pode editar e usar facilmente. Tem ícones, imagens e tabelas para tornar tudo mais fácil para si caso queira criar um de raiz.

17. Giphy para GIFs

Criar GIF no GIF Maker
Os GIFs ajudam a animar a sua página Facebook e interagir com os fãs. Pode criar GIFs para a sua marca, ou usar algo a partir do GIPHY.

Um GIF pode vingar se for bem feito e estiver no sítio certo à altura certa. No mínimo, podem captar mais à atenção das pessoas e dar um toque mais fresco à sua página e conteúdo das redes sociais.

18. Hemingway para simplicidade na escrita

Hemingwayapp

A atenção das pessoas no Facebook é baixíssima, e pode perder a atenção delas se escrever de forma complicada.

A Hemingway é uma ferramenta que destaca (a cores) frases compridas, advérbios redundantes e outras coisas que podem tornar a sua escrita mais simples, clara e fácil de perceber.

O que o Facebook não lhe diz do botão de Promover Posts, e como “Promover” corretamente

Promover publicações

Ninguém é perfeito. Muitas pessoas em vez de irem ao Power Editor e criarem um anúncio porreiro, clicam logo no botão de “Promover Publicação”.

Botão Promover Publicação

Eu próprio já fiz isso. E você também já, admita 🙂 Você tem muita coisa para fazer, e tempo é dinheiro. E aquele botão está ali a encarar-nos “isto é fácil, é só clicares em mim.”

No entanto, há coisas que tem de saber sobre o botão de Promover Publicações, e as pessoas que acabam por ver o seu anúncio quando o usa. Infelizmente, elas podem não ser o tipo de pessoas a quem gostaria que o seu post aparecesse à frente.

Veja este vídeo de 5 minutos para saber o que isto significa, e como descobrir uma maneira muito simples de se certificar que as pessoas certas estão a ver os seus posts “promovidos”.

Ou leia aqui a transcrição do vídeo (eu também não sou do tipo de andar a ver vídeos)

Neste vídeo vai descobrir como Promover posts da maneira correta.

Olá, eu sou o João Alexandre e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Se ainda está a usar o botão de Promover Publicações para mostrar o seu negócio à frente das pessoas, há uma coisa que tem de saber. O que acontece quando usa o botão de Promover Publicações em vez de criar um anúncio da forma normal é que o Facebook mostra o seu anúncio a um certo tipo de pessoas.

O botão de Promover Publicações foi melhorado ao longo dos anos pelo Facebook. Pode escolher a quem quer que vejam os seus anúncios. Mas o que pode não saber é que o Facebook categoriza cada um de nós como sendo um certo tipo de utilizador.

O Facebook sabe se você é alguém que fez Like em posts, mas que pode não ter clicado para ir para outro site. O Facebook sabe se você clicou num link, foi ao site e comprou alguma coisa. Ele também sabe se clicou em links, foi e inscreveu-se para alguma oferta com o seu email.

Cada um destes comportamentos é categorizado. E quando clica no botão de Promover Publicações, o Facebook mostra o seu anúncio a pessoas que estão mais propensas para interagir com o seu post.

Isto parece uma boa coisa não é?

E o que significa “interagir”? Isto pode ser clicar no botão Gosto, deixar um comentário, talvez partilhar. Mas não significa que as pessoas que fazem gosto ou partilham são aquelas que estão mais inclinadas para tomar uma ação no seu site, como a clicar, ler artigos ou inscrever-se para ofertas.

Muitas das pessoas que apenas clicam em Gosto ou partilham posts podem não tomar nenhuma ação fora do Facebook. Mas é isso mesmo que eu quero (e você também quer que elas façam isso). Eu quero que as pessoas que, além de interagirem com os meus anúncios, venham ao meu site, leiam os meus artigos, vejam as minhas ofertas, as minhas dicas, os meus produtos e serviços. Porque é no meu site que elas se vão converter. Elas não se vão converter logo ali no Facebook.

Portanto há uma outra forma mais eficaz de promover um post, mas mostrá-lo às pessoas que estão mais inclinadas de tomar a ação que você quer que elas tomem.

Aquilo que tem de fazer, é publicar alguma coisa na sua página Facebook, como faz normalmente, como está aqui este exemplo. Escreve o seu texto, e uma imagem, ou talvez um link para o seu site. Ou pode ser um video como este. E faz um post.

Depois vai ao Gestor de Anúncios em facebook.com/ads/manager. Clica no botão verde Criar Anúncio e aparecem várias opções. Ainda não vamos falar no Power Editor aqui, porque é um pouco mais complicado mas aconselho que você o aprenda e use.

(Pode querer saltar para o minuto 2:21 do vídeo para ver as instruções de forma visual)

Vamos clicar em Criar Anúncio no canto superior direito. Se tem um link para a sua landing page de inscrição, escolha conversões como o seu objetivo. Se é um artigo de blog, então escolha tráfego. Se é um vídeo, escolha visualizações do vídeo.

Eu vou escolher Tráfego.

E aqui temos as típicas opções da criação de um anúncio. Temos o público, que podemos selecionar qual é que é o público, e os locais de publicação aconselho em clicar em Editar locais de publicação, retirar Audience Network, e selecionar apenas para o Facebook. Tirar artigos instantâneos, coluna da direita, Instagram, e deixar apenas Facebook e feeds.

E depois no formato do anúncio, não precisa de vir aqui abaixo como é normalmente, e meter o URL do site e o título, essa chatice toda, não é preciso nada disto.

Basta aqui em cima selecionar Utilizar publicação existente. E voilá. O Facebook puxa todos os posts na sua página associada a esta conta de anúncios, para que não tenha de estar a preencher tudo manualmente.

O que eu agora tenho a fazer é só selecionar qual é o post que eu quero, e depois terminar a criação de anúncio e já está.

Esta é a forma mais simples de promover um post, mas sabemos que estamos a atingir o tipo certo de pessoas, aquelas mais inclinadas para tomar a ação que queremos que elas tomem, e que veêm o anúncio. E é isto, muito simples.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Veja o meu curso online Anúncios Facebook Domínio Completo e domine os anúncios Facebook que nem um pró. Ou faça o mini-curso grátis para principiantes.

5 formas de captar Leads com Anúncios Facebook

5 Formas de Captar Leads com Anúncios Facebook

Anúncios nas redes sociais podem fazer mais por si do que apenas cliques para a sua homepage, mas devem ser estrategicamente criados para captar a atenção dos seus seguidores.

5 Formas de Captar Leads com Anúncios Facebook

Com todas as suas capacidades de segmentação e alcance para mais de 1 bilião de pessoas, o Facebook é uma das plataformas mais poderosas que as pequenas e médias empresas podem usar para gerar leads.

Mas há um pequeno problema. Ninguém vai ao Facebook para comprar. Os seus potenciais clientes vão ao Facebook para ver fotos dos amigos, ver as notícias ou passar alguns minutos entretidos enquanto estão na fila de espera do supermercado.

Ninguém vai ao Facebook para comprar Click To Tweet

Isto significa que os anúncios Facebook têm de ser estrategicamente criados para parar o utilizador quando está a fazer scroll.

Assim, os anúncios podem fazer mais por si do que apenas trazer cliques para a sua homepage. Eles devem servir para que você consiga captar informação de contacto dessas leads para que consiga continuar a fazer follow up via emails e por outros canais.

Todo o anúncio Facebook que tenha a intenção de captar leads deve ter estes 5 elementos:

1. Um lead magnet

Pouca gente está disposta a dar o seu endereço de email assim sem mais nem menos. Tire o cavalinho da chuva se pensa que o pequeno campo de newsletter a pedir para se inscrever vai fazer com que as pessoas se inscrevam de todo.

Lead magnet

As pessoas querem algo em troca de lhe darem o seu endereço de email.

Ou seja, você quer dar uma oferta às pessoas para que elas lhe queiram dar o seu contacto a si, convertendo-se assim em lead.

Esta oferta chama-se lead magnet. Isto pode ser um guia, um ebook, um cupão, um trial gratuito, uma consultoria ou outro tipo de conteúdo que seja útil e atraente para o utilizador.

Este lead magnet deve ser curto e rápido de consumir, mostrando uma solução para um problema que o potencial cliente tem.

Por exemplo, se é um contabilista que quer trabalhar com empreendedores, pode oferecer uma checklist rápida, com bom design, de deduções fáceis de fazer que a maioria das empresas e pessoas em nome individual se esquecem normalmente de deduzir.

Se o utilizador se inscreve para o lead magnet, ele ou ela estará à espera do conteúdo imediatamente. Um serviço de email marketing pode automaticamente enviar o recurso por email, poupando-lhe tempo – e sanidade mental – se tivesse de enviar um email a cada lead individualmente.

2. Uma landing page

Pense no seu potencial cliente a navegar no Facebook na fila dum supermercado. Se ele clica no seu anúncio, não tem tempo para andar à procura na sua homepage para o lead magnet que você está a anunciar.

Landing page

Por isso o seu anúncio deve ligar diretamente para a landing page onde está essa oferta.

A landing page deve explicar aquilo que o utilizador recebe ao inscrever-se para o lead magnet e mostra um apelo à ação claro (ex.: obtenha o seu cupão de 20% desconto).

A landing page não deve ter navegação (como tem o resto do seu site) para não distrair o utilizador da ação que quer que ele faça, que é inscrever-se na sua lista de email e converter-se assim como lead.

O objetivo é que a landing page só tenha duas opções: ou fazer o download da oferta, ou sair.

3. Um público-alvo bem segmentado

Se está a fazer anúncios de forma local, um anúncio Facebook não parece ser muito diferente dum folheto colocado nas escolas, supermercados, ou distribuídos pelos carros.

Mas é.

Público-alvo

São as opções de segmentação do Facebook, que envolvem apontar o nosso anúncio para um “público” – baseado em atributos como localização, idade, sexo, interesses e comportamentos – que tornam os anúncios Facebook uma dádiva de marketing (para quem os sabe fazer).

Suponha que tem um restaurante daqueles à moda Portuguesa. No Facebook, o seu restaurante pode atingir adultos entre os 34 a 55 que vivem ao redor de 10 km, casados e com interesse em comida tipicamente Portuguesa.

Até pode segmentar para mostrar os seus anúncios a fãs de outros restaurantes da concorrência, ou pessoas que visitaram o seu website anteriormente – isto é uma tática avançada descrita neste artigo de Públicos Personalizados.

4. Imagens e copy atraentes

Se o seu anúncio é feito por si, provavelmente não tem um bom criativo. “Criativo” significa a imagem e copy (texto) usado no anúncio.

iMac Facebook

Se não tem um bom criativo, os utilizadores Facebook fazem scroll sem prestar atenção ao seu anúncio.

Imagem: uma imagem apelativa, como uma foto ou uma imagem com bom design. Se usar uma foto ou ilustração, faça com que haja um elemento humano (dica de Ana Mendes), como uma mão, ou a cara duma pessoa, que seja, se possível, semelhante ao seu tipo de cliente ideal.

Não coloque o seu logótipo em grande ou a imagem da sua loja porque ninguém quer saber disso para nada.

Texto: deve ser (normalmente) curto, com duas ou três frases no máximo. A copy deve ser focada no benefício para a pessoa, e não em si (ninguém quer saber dos prémios que você ganhou).

Um anúncio Facebook não é o sítio para ser “chico esperto”, tentar ser demasiado inteligente ou usar jargões e linguagem técnica.

O seu anúncio deve ser facilmente percebido. Imagine que está a falar para uma criança de 11 anos (mas sem ser condescendente). Deve ter um apelo à ação claro que diz à pessoa aquilo que você quer que ela faça (clicar no anúncio e ir à sua landing page).

Por exemplo, um ginásio que segmente para mulheres que tiveram um bebé recentemente pode oferecer algo como:

Difícil de perder os últimos quilinhos da gravidez? Inscreva-se na nossa Masterclass ‘Novas Mães Em Forma’ hoje e a sua primeira aula é grátis

5. Um orçamento estratégico

Definir um orçamento para anúncios Facebook requer um entendimento do custo de aquisição do seu cliente.

Papel analytics

Isto parece chato, e é mesmo.

Tem de saber quanto é que lhe custa conseguir uma lead e um cliente, e estar disposto a investir. Caso contrário, pode parar de ler este artigo e voltar ao Facebook.

Deve conseguir saber estes dados:

  • Número de leads captadas no último ano
  • Número de leads que se tornaram clientes
  • Faturação total
  • Despesa anual com marketing

Pode assim calcular o valor médio de cliente (faturação dividida por clientes), o custo de aquisição de lead (orçamento de marketing dividido por leads), e a sua taxa de conversão (clientes divididos por leads, multiplicado por 100).

Se souber estes números, vai saber quanto pode gastar em cada lead captada a partir do Facebook. Criei um template que lhe permite saber quanto pode gastar no Facebook com a papinha toda feita. Este template não é um substituto aos números anteriores (porque tem de os saber), é apenas um complemento.


Com estes 5 elementos, os seus anúncios Facebook vão chamar à atenção das pessoas e captar leads paras o seu negócio. Depois pode continuar a “conversa” via emails e por outros canais, para que estas leads comecem a conhecê-lo melhor, a confiar em si, e por fim, a tornarem-se clientes.

Para saber mais como usar os anúncios Facebook para atrair clientes e fazer follow up com eles, veja o curso online Anúncios Facebook Domínio Completo.

Facebook Live: 7 Ferramentas vídeo essenciais

7 Ferramentas Facebook Live

Neste artigo mostro-lhe as sete ferramentas de vídeo essenciais para Facebook Live.

Para todos aqueles que querem saber como fazer transmissões em direto no Facebook a partir do computador, compilei uma lista de ferramentas que vai querer ter para transmitir no Facebook a partir do seu PC ou MAC.

Vai querer ter estas ferramentas para que os seus vídeos em direito pareçam o melhor possível quando os mostrar às pessoas.

Eis as ferramentas que precisa para transmitir para o Facebook a partir dum computador.

Facebook Live: Lista de ferramentas

Aprendeu 7 ferramentas importantes para fazer vídeo em direito do seu PC ou Mac para o Facebook.

Se tiver questões sobre algumas das ferramentas vídeo usadas aqui, deixe um comentário abaixo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Web: http://joaoalexandre.com
Facebook: https://www.facebook.com/joaoalexandretraining

GIFs em Anúncios Facebook: eis como usá-los

Como usar GIF em anúncios Facebook

Um GIF é uma imagem animada, um misto entre imagem e vídeo.

Os GIFs podem aumentar a sua taxa de cliques espetacularmente se os souber usar bem. Desde princípios de 2017 que o Facebook permite criar anúncios com GIFs.

Talvez ainda não tenha considerado os GIFs para aplicar no seu negócio. Até agora. Neste artigo vou explicar tudo o que tem de saber sobre utilização de GIFs em anúncios Facebook e porque é que eles interessam e como criar o seu próprio GIF.

A importância dos GIF em Anúncios Facebook

Enquanto os anúncios Facebook são ainda bastante eficazes, nota a média de taxa de cliques (CTR) na maioria das indústrias é baixa e tem vindo a baixar.

De acordo com uma análise feita pela WorStream a média de CTR anda ali nos 1%.

Média de taxa de cliques

Talvez isto seja devido a muitas pessoas que anunciam no Facebook que infelizmente não sabem bem como fazer bons anúncios e boas segmentações.

O Facebook permite aos anunciantes matarem uma mosca com um canhão. Esta analogia é para mostrar o exagero que depois se torna em desperdício de dinheiro para quem não cria bons anúncios.

Mas não é necessário ser um génio para ter bons resultados no Facebook.

Há uma maneira fácil de aumentar a média de cliques nos anúncios: através de boas imagens ou vídeos, algo que as pessoas queiram clicar, ver ou interagir.

O próprio Facebook afirma que vídeos mais curtos têm mais visualizações.

E é aqui que os GIF são bons, porque eles chamam à atenção, destacam-se das imagens (que são estáticas), e não requerem o mesmo investimento do que vídeo, carrossel ou anúncios de leads.

Anuncio GIF animado loop

Outra grande vantagem é que dá para aproveitar vídeos existentes (que nem sequer têm de ser criados por si) para criar anúncios espetaculares no Facebook com altas taxas de interação.

Como fazer um GIF

Uma maneira fácil de fazer um GIF para o seu anúncio Facebook é ao usar o GIF Maker do GIPHY.

Criar GIF no GIF Maker

Pode colocar a URL do vídeo (YouTube, etc.) com o qual vai trabalhar; pode arrastar algum vídeo que tenha no seu computador ou procurar e carregar.

Fui ao YouTube e selecionei um vídeo aleatório para efeitos de demonstração. São dois rapazinhos jeitosos, de seu nome Ryan Reynolds e Jake Gyllenhaal.

Vídeo YouTube de exemplo para GIF

Copiei e colei a URL deste vídeo YouTube para o campo. Mas também é possível clicar em “Browse” e ir à procura dum vídeo que tenha no seu computador.

Colocar URL de vídeo

Depois de escolher a forma de adicionar o vídeo (por URL ou a partir do seu computador), aparecem três opções adicionais: Start time, duration e caption.

O GIPHY só lhe permite criar um GIF com a duração de 10 segundos, que chega e sobeja para um GIF (o Facebook considera cinco segundos como uma visualização de vídeo concluída).

Opções GIF Maker

Pode usar as sliders (controlos) do start time e duration para escolher o ponto de início e de fim para o seu GIF ou escrever os números (minutos, segundos) nos campos disponíveis.

Verifique se o início e o fim do seu GIF não são bruscos, deve haver uma transição harmoniosa para que o loop contínuo (quando acaba, volta a rodar) do GIF seja suave. Isto pode levar algum trabalho e ajustamento, mas vai valer a pena.

O seu GIF, se possível, deve ter um apelo à ação. Se não existir um no vídeo em si, use o campo da caption para escrever o seu texto. A copy do seu anúncio já vai ter um apelo à ação, mas é bom colocar também um apelo à ação no GIF.

Legenda no Gif Maker

Depois de estar satisfeito com o resultado é só clicar em Create GIF.

Botão Create GIF.

Irá aguardar um bocadinho enquanto o GIF está a ser criado e carregado no Giphy e depois aparecem opções para o usar.

E voilá. O GIF está pronto para usar em publicações ou anúncios.

Se quiser por exemplo usá-lo numa publicação Facebook clique no ícone do Facebook e abre uma janela para autorizar o GIPHY (se for a sua primeira vez a usar o GIPHY) na sua conta Facebook, e depois publicar na sua feed ou numa página que controla.

Partilhar GIF no Facebook

Para usar o seu GIF num anúncio terá de fazer o download dele.

Faça então o download do seu GIF porque vai ter de carregá-lo para o Facebook quando estiver a criar o seu anúncio.

Download do GIF

Criar Anúncios Facebook com GIFs

Se já sabe criar anúncios vídeo no Facebook, pode saltar para a próxima secção de Boas Práticas mais abaixo no artigo. Ou pode continuar a ver o passo a passo que explico de seguida.

Abra o Power Editor e selecione Criar Anúncio.

Criar anúncio Power Editor

Se nunca criou um anúncio anteriormente ou não está familiarizado com o Power Editor ou com as opções de criação de anúncio, pode selecionar “Usar Criação Orientada” no botão do lado direito da imagem.

Ecrã de criar anúncio no Power Editor

Pode atribuir este anúncio que está a criar a uma campanha existente (ou nova), a um conjunto de anúncios existente (ou novo) e dar um nome ao seu anúncio. Quando terminar clique em Criar.

No anúncio, faça scroll até encontrar e selecionar Vídeo/Apresentação. É aqui que vai carregar o seu GIF para o Facebook.

Selecionar vídeo em anúncio

Clique em Selecionar Vídeo e abre uma janela onde poderá carregar o seu vídeo, que neste caso é o seu GIF, uma imagem animada, mas o Facebook chama-lhe “vídeo”.

Carregar vídeo para anúncio

Está quase.

Após o GIF ter sido carregado para o Facebook, está na altura de colocar texto na descrição do anúncio.

Pense em qual é o objetivo do anúncio e como é que o GIF se alinha com esse objetivo. Se já tem um apelo à ação no seu GIF, repita-o aqui.

Copy para anuncio Facebook

Há mais uma coisa que pode fazer.

Isto não é específico para anúncios GIF, mas convém fazer isto. Coloque os parâmetros de URL para conseguir acompanhar os cliques vindos deste anúncio específico.

Assim quando alguém clica neste anúncio para ir ter à sua landing page onde oferece uma checklist, vai conseguir ver na sua ferramenta de analítica (ex.: Google Analytics) o tráfego que chegou àquela landing page vinda deste anúncio. Pode saber mais sobre isto neste artigo de ajuda.

Eis um exemplo de como eu coloquei os meus parâmetros.

Verificação de parâmetros URL

Parabéns. Criou o seu primeiro anúncio GIF.

O GIF funciona como um vídeo, em que é necessário clicar no botão Play. Ele irá correr de forma contínua até que seja pausado.

(isto é uma imagem, se clicar no Play não vai correr)

Anúncio Facebook de teste com GIF

Aqui está o resultado ao vivo do nosso anúncio de teste com GIF.

GIf de teste para anúncio FB

Se eu estivesse a fazer isto a sério teria investido mais tempo para que a transição fosse suave.

Vamos passar às boas práticas de utilização de GIFs em anúncios Facebook.

Boas Práticas para Anúncios Facebook com GIFs

Agora que sabe como os GIF em anúncios Facebook funcionam, está pronto para criar mais anúncios deste género. Mas antes de o fazer, veja estas boas práticas.

GIF de miúdo do filme UP

Qualidade interessa
Boas imagens com qualidade e uma animação fluida são importantes para o seu GIF. Um anúncio com uma boa imagem (neste caso o GIF) chama mais à atenção das pessoas e dá-lhe maior retorno para os seus anúncios.

Menos é mais
Não queira mostrar demasiado no seu GIF. 10 segundos é o limite para a sua imagem, portanto seja sucinto na comunicação a passar. Pense nas pessoas que vão ver o seu anúncio como tendo uma atenção de peixe de aquário: tem de captar logo o interesse.

.gif
Ao criar o seu GIF no Gif Maker do GIPHY ele já guarda a imagem como GIF, mas se estiver a usar outras ferramentas o ficheiro da imagem deve ser salvo com a extensão de .gif.

Pouco texto
Use pouco texto na imagem. Uma boa utilização de texto num GIF é com 1) um apelo à ação, ou 2) mensagem a comunicar, ou 3) nome do seu negócio.

Mobile?
Alguns dispositivos móveis não conseguem correr anúncios de vídeo; e como resultado, também não vão conseguir ver os GIFs. Embora os anúncios de vídeo de slideshow (um outro tipo de anúncio) podem ser uma boa alternativa, um anúncio com GIF tem mais impacto. Faça estes anúncios para desktop (computadores de secretária) para garantir que as pessoas o conseguem ver.

Como está a pensar usar os GIFs nos seus anúncios Facebook? Partilhe comigo nos comentários.

Facebook: como criar um bom público (mesmo que seja principiante)

Como criar bons públicos no Facebook

Este artigo ensina a criar e segmentar corretamente um bom público-alvo no Facebook para que possa mostrar os seus anúncios às pessoas interessadas no seu produto ou serviço.

Se está a tentar crescer um negócio online, provavelmente ouviu histórias de sucesso de quão espetacular são os anúncios Facebook e como transformaram algumas empresas.

Isso é tudo muito giro, mas como é que isso é feito?

Tudo começa com perceber três coisas em que pode usar os anúncios Facebook:

  1. para vender mais
  2. para crescer a sua lista
  3. para chegar a mais pessoas

Cada uma das suas campanhas terá de ter um destes objetivos. Se não tem a certeza quais dos objetivos em que se deve focar, veja este artigo que explica bem os objetivos antes sequer de gastar um cêntimo em anúncios.

Após estar claro no objetivo da sua campanha, o próximo passo é perceber a quem é que quer que os seus anúncios sejam mostrados.

Por exemplo, para anúncios cujo objetivo é crescer a sua lista e chegar a mais pessoas novas, deve segmentar os seus anúncios para públicos a frio.

Públicos frios são aquelas pessoas que tiveram pouca ou nenhuma interação com o seu negócio anteriormente. Eles não sabem quem você é ou o que faz… mas irão descobrir brevemente hehe.

De seguida, vamos ver como definir um bom público-alvo frio para o seu tipo de negócio, e alguns erros a evitar na segmentação de anúncios.

Criar públicos-alvo detalhados

A forma mais fácil de criar um público frio para o seu anúncio Facebook é escolher uma opção apelidada de “Definição do público-alvo detalhado”.

Vou explicar os prós e contras desta “definição detalhada”, mas primeiro tem de ir à secção dos Públicos na publicidade do Facebook. Para isso siga as instruções abaixo.

1. Vá a facebook.com/ads/manage.

2. Clique no menu “hambúrguer” (três linhas horizontais).
Facebook gestor de anúncios

3. Clique em Todas as ferramentas

4. Depois clique Públicos debaixo de Ativos
Públicos no Facebook

5. Clique no botão Criar público e selecione Público guardado
Criar público guardado

Irá ver um ecrã como este.
Definições de público detalhadas

Como pode ser, a definição de público detalhada vem a seguir às segmentações típicas de local, idade, sexo e idiomas. Pense em quem é o seu tipo ideal de clientes e defina essa informação antes de avançar.

(Ignore os Públicos personalizados, deixe em branco)

Demografia, interesse e comportamentos

A definição de público detalhado já existe desde o princípio dos anúncios Facebook, mas tinha nomes diferentes.

Definições público detalhada

1. Dados demográficos

Isto é fácil de perceber: em demografia, pode escolher o seu público com base na formação e estado civil por exemplo.

Pode ser específico na sua seleção e escolher se são pais, eventos de vida (tais como aniversário, data de nascimento), política (só para EUA) ou que tipo de trabalho (emprego) têm.

2. Interesses

Interesses nas definições detalhadas do Facebook

Mas alto lá… não quero que use este tipo de interesses para os seus públicos e vou já explicar porquê.

O problema é que não temos forma de saber como é que o Facebook determina se uma pessoa está interessada em categorias tão genéricas e vastas como “empreendedorismo”.

Se eu partilho um artigo no Facebook sobre dois empresários que abriram uma loja de produtos sem glúten e sem lactose, isso significa que sou uma pessoa interessada em empreendedorismo, ou uma pessoa interessada em produtos sem glúten nem lactose? Pois é…

Segmentar com base em interesses pode tornar um anúncio Facebook de sucesso, mas faça assim: em vez de interesses gerais, segmente para pessoas, negócios e organizações que têm um público-alvo semelhante ao seu.

Por exemplo, no meu negócio eu posso segmentar para pessoas e negócios como: Amy Porterfield, Mari Smith e Social Media Examiner.

E porquê?

Porque esses três são exemplos de páginas de pessoas e empresas cujo meu público-alvo está normalmente interessado.

Todos eles falam sobre Facebook duma forma ou outra, portanto eu sei que esse público-alvo está interessado em aprender coisas semelhantes – e eles já fizeram o trabalho todo por mim (obrigado, hehe).

Interesses nas definições detalhadas do Facebook

Quando os incluo nas definições detalhadas do meu público, isso significa que os meus anúncios vão chegar aos fãs deles.

Levou-me algum tempo para perceber os interesses mais apropriados para os meus objetivos e os tipos de anúncios que crio para mim e para os meus clientes.

O que você pode fazer é testar, o que vai levar tempo – e dinheiro. Foi o que eu fiz, e é o que todos os profissionais fazem. Este esforço de tempo e dinheiro vai valer a pena a longo prazo, não queira satisfação instantânea, deixe isso para os animais.

Quando descobrir os interesses que funcionam melhor para si, não tem de perder tempo a tentar saber quem deve segmentar.

3. Comportamentos

Ainda nas definições de Público detalhada, temos os Comportamentos, um termo que o Facebook usa com base em todo o outro tipo de informação que a rede social tem sobre nós.

Alguns exemplos de comportamentos são:

  • se tem aniversário daqui a 60-90 dias
  • se é fã de alguma equipa de desporto
  • se gosta de viajar (e para onde)

Definições detalhadas Comportamentos

Explore os Comportamentos porque há bastante que explorar nesta parte.

Misturar e excluir interesses

Quer chegar a pessoas Benfiquistas que se casaram recentemente?

Ou pessoas interessadas em executive coaching que também têm uma página Facebook?

Meus amigos, isto pode ser feito. Basta clicar no botão de “Filtrar Público”.

Após ter dois tipos de segmentação o botão “Filtrar Público” passa a chamar-se “Filtrar ainda mais”, onde pode filtrar o seu público com mais variações para ter mais dessas caixinhas.

Definições detalhadas misturar dados

Ao selecionar e misturar dados desta forma, o tamanho do seu público irá variar.

Se está a criar um público-alvo a frio, provavelmente estará a pensar quão grande (ou pequeno) é que ele deve ser.

Regra geral, públicos “mornos” ou “quentes” para a sua marca, ou seja, que já o conhecem, devem ser pequenos, menos que 100000 pessoas ou por vezes menos que 10000 pessoas. Mais não é melhor. Mais vale vender a menos pessoas que compram mais, do que querer vender a todos e não compra nenhum.

Mas no que toca a públicos “frios”, o tamanho depende de alguns fatores:

  1. o seu público é específico (serem Benfiquistas que se casaram recentemente e estão interessados em personal trainers? Se sim, não vai ter grande controlo sobre o tamanho, porque foram selecionados com base nestas mistura de dados.
  2. está a querer chegar a pessoas numa pequena zona geográfica, como uma cidade ou arredores? O seu público provavelmente andará ali nos 10000 a 100000 dependendo da zona.
  3. tem algum negócio online cujo mercado é bastante grande? Por exemplo na área do fitness, saúde, retalho ou automóveis.

Se respondeu que sim ao 3.º ponto acima, sugiro o seguinte:

Faça anúncios para públicos entre 100000 a 500000 pessoas – mas apenas se fizer sentido.

E o que quer dizer se “fizer sentido”?

Bem, eu posso criar um público de empreendedores ou marketers ao incluir nomes de gurus como Tony Robbins, Marie Forleo, Frank Kern, etc.

Mas nem sempre é fácil chegar a um público alargado se o seu segmento de mercado é bem mais pequeno. Acrescentar mais interesses, dados demográficos ou comportamentos só para aumentar o público irá provavelmente funcionar contra si.

Convém fazer aqui uma pequena nota para qualquer negócio dependente duma localização geográfica.

Devido ao número limitado de pessoas que estão fisicamente perto do seu negócio, ignore o meu conselho sobre usar figuras públicas, marcas e organizações nas “definições de público detalhada”.

Se tiver um negócio local, deve experimentar dois públicos para começar:

  1. Um público com filtros de idade e local, mais interesses gerais (como “fitness” se tiver um ginásio ou “jantar” se estiver a promover um restaurante)
  2. E outro público apenas com filtros de idade e local

O segundo público será maior e mais generalista, mas poderá ter melhor desempenho face ao seu primeiro público que é mais específico e pequeno.

Não vai saber enquanto não experimentar

Muitas coisas fazem sentido mas se não as testar não vai saber o resultado.

Por vezes faz todo o sentido usar um público pequeno e específico: outras vezes públicos grandes dar-lhe-ão melhores resultados.

A única forma de descobrir qual funciona melhor – para si – é testar ambos. Isto é algo que ensino 🎓 no meu curso Anúncios Facebook Domínio Completo.

Exemplos de interesse para o seu público “frio”

Já percebeu que interesses gerais como “coaching” não são tão eficazes como nomes de figuras ou marcas (como “Tony Robbins – Life Success Coach”) ao criar públicos frios.

Mas poderá estar a pensar:

Que tipo de negócio ou marcas é que faz sentido escolher?

Pode ser difícil encontrar interesses diferentes para o seu público. Muitas pessoas descobrem alguns bons mas depois ficam sem ideias.

E é aqui que a maioria dos meus estudantes precisa dum bocadinho de ajuda, mas depois de lhes dar algumas ideias de marcas que eles podem escolher, os seus superpoderes de brainstorming começam a funcionar – só estava a faltar aquele empurrãozinho.

Portanto eis uma série de interesses que pode experimentar.

🗣 Se é consultor de marketing ou coach, faça anúncios para pessoas interessadas em:

  • Digital Marketer
  • Neil Patel
  • Seth Godin
  • Gary Vaynerchuk

👤 Se é life/sucess coach, pode experimentar chegar a pessoas interessadas em:

  • Tony Robbins
  • Rich Dad, Poor Dad (Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kyiosaki)
  • Dale Carnegie
  • A Course in Miracles
  • Think and Grow Rich (Pense e Fique Rico, de Napoleon Hill)
  • The Secret

👥 Se é personal trainer ou nutricionista, pode apostar em pessoas com interesses como:

  • Dr. Oz
  • Holmes Place
  • Crossfit
  • Tony Horton
  • Oprah (Weight Watchers)

Isto são exemplos. Só porque os coloquei aqui não significa que os tenha de usar ou que sejam os melhores para o seu tipo de mercado.

Mas esta segmentação é poderosa.

Por exemplo, Digital Marketer é uma empresa de Ryan Deiss, o seu fundador. Pode alcançar os fãs desta empresa ao incluir a página Facebook no seu público.

Mas os fãs de Digital Marketer são provavelmente bem diferentes daqueles do The Secret. Porque têm estilos diferentes de pensar, comunicação e valores. Enquanto fãs do Digital Marketer podem ser marketers mais pragmáticos, fãs do The Secret podem ser aspirantes a empreendedores com pensamentos mais esotéricos.

Sobreposição de públicos guardados

Pode encontrar esta informação na secção dos Públicos do Gestor de anúncios ao selecionar Ações > Mostrar sobreposição de público.

Mostrar sobreposição de público

Portanto defina os seus próprios interesses. Veja as páginas deles para saber que tipo de publicações fazem, que problemas resolvem para os seguidores deles e como é que eles comunicam com as pessoas.

Se tiver ideia de que o seu público se sobrepõe ao deles, inclua-os como interesses nos seus públicos frios.

Os interesses que propões não fazem sentido para o meu negócio. O que devo fazer?

A maioria dos interesses que coloquei é o resultado duma ferramenta do Facebook chamada Estatísticas do público (Audience Insights).

Uso-a bastantes vezes, e se bem que não é nenhum segredo, a maioria dos meus estudantes ainda não tinha ouvido referência dela.

Para usar as Estatísticas do público, só tem de usar alguns dados demográficos simples sobre o seu tipo de público-alvo frio e um ou dois interesses que lhe tenham ocorrido. Pode usar interesses gerais enquanto pesquisa mais aprofundadamente com esta ferramenta. Pode ler mais aqui.

Interesses – perguntas frequentes

Pergunta: Onde raio estão as páginas Facebook que eu quero segmentar?

Por exemplo, se colocar Ana Mendes como interesse, uma grande especialista de Facebook em Portugal, não aparece a página dela.

Ana Mendes interesses

Isto porque a página ainda não tem mais de 10000 fãs.

Outras vezes pode acontecer que certas páginas não aparecem simplesmente porque não correspondem aos ideais do Facebook. Segundo um representante da rede social:

Nem todo o tema está disponível como escolha para segmentar. Se um termo específico não for encontrado nos filtros pode ser devido a que é um tema pequeno ou pode ser representado por um tema maior, ou pode ser algo sensível. As opções de segmentação disponíveis mudam à medida que temas são acrescentados ou removidos.

Pergunta: Há várias opções da mesma coisa ao escolher interesses; qual devo escolher?

Escolha todas. Vai aumentar o tamanho do seu público.

Mesmos interesses

“O Facebook diz-me que o meu público é muito específico. O que devo fazer?”

Pode chegar a ver esta mensagem ao criar o seu público ou campanha.

Público muito específico

Se souber que tem um bom interesse, pode ignorar se quiser. Não interessa. Siga as minhas orientações sobre tamanho do público e a coisa vai correr bem.

“Descobri agora que posso segmentar pessoas com base no que elas ganham. Posso fazer isso, certo?”

Claro que pode.

Mas cheguei à conclusão que ao acrescentar “renda” não é bem aplicável em Portugal (mais no Brasil) e pode fazer disparar os custos.

E faz todo o sentido. Se toda a gente está a tentar mostrar anúncios para pessoas com muito dinheiro na esperança que estas sejam mais recetivas a comprar. Portanto a concorrência fica mais cerrada, o que aumenta os custos.

Há outra maneira mais inteligente de fazer isto – de alcançar pessoas que têm mais posses.

E isso pode ser feito ao escolher pessoas que são donos de determinados produtos ou serviços caros. Por exemplo, podemos escolher pessoas que são donas dum Samsung Galaxy S6.

Adiante…

Vá usar o seu público. Está quase tudo feito.

Agora que percebe as definições do público-alvo detalhado, dê-lhe um nome, adicione uma localização, idade, sexo e idioma e depois clique em Criar Público em baixo.

Criar um público guardado

E está tudo a postos para usar o seu público novinho em folha num anúncio.

Experimente criar um anúncio para um artigo blog ou vídeo que vá ao encontro duma dor do seu potencial cliente.

Partilhe comigo nos comentários se teve algum problema a criar o seu público.

Fundamentos dos Anúncios Facebook: Básico, Orçamento e Promoção

Este artigo explica como e quando promover publicações Facebook, definir objetivos para as suas campanhas, a importância de testar os seus anúncios, entre outros.

Quando as pessoas clicam no botão de Promover elas estão à procura de “mais”: chegar a mais pessoas, ter mais likes, mais gostos, etc.

O problema é que o “mais” não é um objetivo, e nos anúncios Facebook é necessário ter um objetivo em mente antes de começar. Quais são as métricas ou metas importantes que quer alcançar com os seus anúncios? Isto pode ser ter 5 pessoas a comprar os seus produtos, pedir os seus serviços ou alguma ação que beneficie o seu negócio.

Três setas alvo

Se coloca um anúncio à frente de pessoas que não sabem quem você é e quer que eles tomem alguma ação, então tem de lhes indicar que ação elas devem tomar. Pode ser fácil fazer com que elas leiam um artigo ou se subscrevam para um produto gratuito, mas é mais difícil ter pessoas que comprem alguma coisa sua pela primeira vez.

Por isso mesmo é que você deve levar as pessoas para as suas landing pages para elas se subscreverem para a sua lista de email, porque isso é mensurável, e depois pode “namorá-las” até se tornarem clientes.

Como e quando promover

Promover posts pode funcionar se estiver a segmentá-los para pessoas na sua lista, ou pessoas que já o conhecem.

Botão Promover Publicação

Ao segmentar para pessoas que não o conhecem, há opções dentro do Power Editor (o painel de controlo avançado de anúncios do Facebook) que o podem ajudar. É gratuito, e com ele poderá segmentar por país, idade, interesses e outros.

Porque haveríamos de clicar no botão promover quando podemos usar esta ferramenta, que tem muito mais opções.

DOWNLOAD GRÁTIS: Checklist Anúncios Facebook

Mas antes disso, pense porque quer, de todo, promover o seu post. Gostos, partilhas e coraçõezinhos não pagam as contas. Gerar receitas é mais importante que ser popular.

Em vez de querer receber atenção nas redes sociais, foque-se em conseguir captar os dados do visitante em troca dum produto gratuito, e depois fazer follow up com ele por email e incentivá-lo a comprar o seu produto pago.

Perceber a definição de objetivos

Os típicos “€10” por dia que se aconselham funciona, e por vezes €5 chegam e sobejam. No entanto, se o seu custo por lead for €1 e você quer obter €100 leads por mês, então vai ter que gastar para o conseguir.

Faça o seguinte: defina o seu objetivo de faturação, ou seja, quanto quer ganhar. Defina um número, e a partir daí, faça os passos para trás para pensar num orçamento que seria necessário para chegar a esse valor. À medida que for crescendo o seu negócio, vai ser necessário escalar o investimento que vai fazendo de acordo com ele.

Orçamento e testes

Ao fazer anúncios Facebook, é altamente aconselhado alocar algum do seu orçamento para testes.

saco dinheiro

Estes testes são basicamente criar variações dos seus anúncios atuais, com texto diferente, imagens diferentes, títulos diferentes, etc, e ir testando uns contra os outros para perceber quais os que têm melhor desempenho.

Isto dos anúncios não é uma ciência exata, mas se não investimos dinheiro a investir neles, não vamos saber o que funciona e o que não funciona. Por sua vez, isto mostra uma outra desvantagem do “Promover esta publicação”: você não está a obter dados no que se converte melhor junto do seu público-alvo.

Facebook pixel

Facebook pixel icone
Um pixel é um quadradinho de 1x1px (daí o seu nome), que é inserido juntamente dum conjunto de linhas de código, gerado pelo Facebook, para colocar no seu website ou landing pages.

O código base do pixel do Facebook deve ser colocado em todas as páginas do seu website, e o Facebook irá saber, no seu website, que páginas é que as pessoas visitaram.

Quer esteja a usar o seu website ou uma landing page específica, o pixel irá conseguir obter estes dados, para que depois você possa usar essa informação nos seus anúncios Facebook.

Depois temos os eventos padrão e as conversões personalizadas (o Facebook só conta conversões aquelas que são resultado de anúncios). Estes são semelhantes, mas os eventos padrão são normalmente mais usados porque permitem mais poder e margem de manobra.

(Uma conversão é quando alguém toma alguma ação com base em algum dos seus anúncios. Por exemplo, com os anúncios Facebook leva tráfego para uma landing page com a sua oferta, e quando a pessoa se converte (dá os dados em troca da oferta), ela é levada para a thank you page. Isto é uma conversão, e é assim que o Facebook conta uma conversão. Se a pessoa não for a thank you page, não é uma conversão.

Exemplos de eventos padrão são “add to cart”, “leads”, “purchased”, entre outros. O evento padrão é basicamente uma linha de código que se acrescenta ao código base do pixel do Facebook, e é assim que o Facebook consegue medir ações específicas das pessoas no seu website, conforme elas tenham adicionado produtos ao carrinho, comprado um produto, convertido como lead, visitado uma certa página, etc.

Eventos padrao Facebook

As conversões personalizadas são regras feitas com base em URLs, e são usadas quando não pode aceder à thank you page ou quando não tem competências de código para instalar os eventos padrão. Uma conversão personalizada envolve você colocar um endereço web e se a alguém visitar o Facebook conta isso como uma conversão.

Conversao personalizada

Para recapitular: o pixel Facebook é instalado em todas as páginas do seu site, ou pelo menos na landing page onde tem a sua oferta. Na thank you page é onde instala um evento padrão ou uma conversão personalizada.

Isto pode parecer complicado ao princípio, mas com a prática vai lá.

Para concluir, pense nos últimos €100 que gastou no Facebook. Onde é que esse dinheiro foi usado, e de que forma é que ele contribui para crescer o seu negócio? Comece a pensar nisto de forma crítica em relação ao dinheiro que está a investir, porque são os resultados que pagam as contas, e não os Likes nem os Corações.

Quanto devo gastar nos anúncios Facebook?

(vou-lhe mostrar a minha fórmula neste artigo)

Isto é uma pergunta que ninguém tem uma resposta concreta, se bem que a maioria das pessoas iria responder “o mínimo possível”.

Claro, todos querem gastar o mínimo possível e ter o máximo possível retorno nos anúncios.

Quanto devo gastar em anuncios Facebook

Toda a gente quer saber: quanto devo gastar em anúncios Facebook?

Até agora a minha resposta tinha sido “depende”, depende duma série de fatores. E do outro lado eu notava que os meus clientes ficam impacientes porque imaginavam que tinham de fazer cálculos para determinar o seu orçamento.

Mas agora você vai perceber exatamente quanto gastar nos seus anúncios de Facebook – com a minha fórmula.

O investimento que deve fazer em anúncios ainda depende duma série de fatores, tais como quanta faturação cada cliente lhe traz e quão bom é você a converter as suas leads em clientes.

Mas tenho tudo facilitado para si.

Criei uma Worksheet (template) numa folha de cálculo do Google. Só tem de colocar os seus números e vê quanto deve gastar em anúncios.


Vídeo de instrução

Aqui estão instruções em texto se não quiser ver o vídeo:

  • Faça uma cópia do documento em Ficheiro > Faça uma cópia
  • Na célula A10, coloque o preço do seu produto/serviço
  • Na célula B10, coloque a taxa de conversão (percentagem de subscritores que tornam clientes). Uma taxa de 2% de conversão deve ser escrito como 0.02, 0.5% como 0.005, etc.
  • Na célula C10 coloque quanto quer gastar potencialmente
  • Na célula D10 coloque o seu custo por lead (ex. €2 custo por lead)

Após seguir esses passos vai ver quantas novas leads vai gerar (aparece na célula E10), quanto faturação essas leads lhe trouxeram (célula F10), e qual o resultado do seu retorno-ao-investimento (G10).

Importante mencionar

Você está a fazer suposições da sua taxa de conversão e do seu custo por lead gerados com os anúncios Facebook. Se as suas suposições não forem fiéis, então a sua faturação e ROI vão ser diferentes daqueles na folha de cálculo.

Se não percebe bem o que quero dizer, veja o vídeo acima. Não recomendo usar a Worksheet sem ver o vídeo, mas alguns de vocês irão fazê-lo de qualquer forma – fica aqui o aviso.

Quanto devo gastar em anúncios Facebook? Esta fórmula diz tudo: Click To Tweet

Se tiver algum problema escreva nos comentários que eu ajudo.

3 dicas rápidas de marketing para empresas

3 dicas rápidas marketing empresarial

A maioria das pequenas empresas sentem os vários obstáculos à sua volta, com as mudanças de mentalidades e do comportamento do consumidor nesta era digital em constante evolução.

Mas uma coisa é certa: as pequenas empresas precisar de ser mais eficazes e fazer uso de táticas de marketing que lhes possam ser lucrativas.

Muitas pequenas e médias empresas (PMEs) pensam que têm de estar obrigatoriamente no Facebook, porque é o que toda a gente diz, no entanto, as redes sociais têm um dos retornos-ao-investimento (ROI) mais pequenos de entre várias táticas de marketing.

É curioso que apenas 14% das empresas vêem um bom retorno com os esforços que investem nas redes sociais.

Se tens ou colaboras numa pequena ou média empresa, mostro-te três dicas rápidas que funcionam e não te vão custar muito dinheiro.

Dica #1: Referências

Passar contactos e referências de confiança têm 7 vezes mais probabilidade de se tornarem clientes do que pessoas contactadas a frio.

Isto porque alguém em que elas confiam lhes recomendou a tua empresa, o que faz com que a pessoa vá mais disposta para trabalhar contigo.

O problema é que a maioria das empresas não tem um processo proativo em vigor para obter referências, apenas recebem as pessoas como se fosse um presente bem vindo.

Em vez de ficar à espera que estas leads venham ter consigo, usa este processo para aumentares o número de referências que recebes.

Como ter mais referências de pessoas:

  • Fica com toda a informação do cliente na altura da compra, incluindo email;
  • 2 semanas após a venda, envia-lhes uma cartinha por correio a agradecer-lhes, e com 3 cartões de desconto para eles oferecerem a amigos
  • Envia-lhes também (na mesma carta do passo anterior, ou numa carta à posteriori), um pequeno presente para que eles se sintam especiais (eu costumo enviar um quadradinho de chocolate negro).

Isto funciona porque a maioria das empresas só querem saber de faturar, e o conceito de dar um presentinho (seja desconto ou chocolatinho) parece nem lhes passar pela cabeça.

Mas pensa nisso: quando foi a última vez que uma empresa te enviou um presente ou uma carta de agradecimento?

Ao enviares por correio, estás a ser diferente, porque não estás a enviar por email a atafulhar a caixa de correio das pessoas.

Para que a tua carta se destaca ainda mais, coloca na parte de fora do envelope um grande laço vermelho (ou escrito apenas em letras) “Presente especial cá dentro”. Isto faz com que a pessoa tenha curiosidade em abrir.

Custo estimado: €1 cada presente/desconto enviado
Retorno estimado: Até 3 referências de amigos + 1 cliente repetido.

Dica #2: Reativar clientes antigos

Outra coisa que podes fazer é reativar clientes. Clientes que não repetiram a compra, que não compram um produto ou contratam um serviço há algum tempo da tua empresa.

Por exemplo, eu não vou ao dentista há muito tempo, mas se eu recebesse um incentivo (na forma dum desconto) do meu dentista, provavelmente ia lá ainda esta semana.

Só porque um cliente não tem comprado nada de ti, não quer dizer que não estejam interessados. A oportunidade talvez não tenha acontecido de novo, ou estão atarefados com outras coisas.

Um outro exemplo, há uns meses atrás comprei uma embalagem de vitaminas duma loja nos EUA. A embalagem já acabou, mas não recebi nenhuma sugestão daquela loja online para voltar a encomendar de novo. Eventualmente irei um dia voltar a comprar, ou de lá, ou daquelas vitaminas baratas do Lidl/Aldi, mas se eu fosse re-lembrado, talvez voltasse a comprar.

Como fazer follow up com clientes antigos

  • Escreve uma carta de “sentimos falta sua – eis uma oferta especial para si” e envia por correio;
  • Após 2 semanas, se não funcionar, envia-lhes uma segunda carta com um voucher que podem redimir por um presente gratuito se forem físicamente à loja. Para uma clínica ou esteticista, isto podia ser um brinde-surpresa, se fores um contabilista, podia ser uma caneta de luxo Parker. O objetivo é que eles venham ter contigo.
  • Quando vierem ter contigo por causa da oerta, pergunta-lhes se eles querem comprar/contratar alguma coisa e que estás aqui para ajudar.

Isto funciona porque as pessoas esquecem-se. Têm responsabilidades e coisas para fazer. É a tua obrigação de lembrares as pessoas que existes, e isso normalmente é feito com um pequeno suborno.

Custo estimado: €10-15 dependendo da tua oferta/desconto
Retorno estimado: Um atual cliente a fazer despesa contigo de novo.

Dica #3: Otimização de motores de busca

Ser encontrado pelo Google. É um espetáculo não é?

SEO (search engine optimization), ou seja, ser encontrado pelo google nos resultados de pesquisa natural, é um dos meios mais eficazes de ter estabilidade a longo prazo para uma empresa.

Então como é que podes ser encontrado pelo Google e o que é isto do SEO?

O SEO é o método de tornares o teu site amigável dos motores de busca. Envolve trabalhares dentro e fora do site (on-site e off-site), fazendo mudanças, criando autoridade (como links) de outros websites pela internet.

Há muito mais do que isto, mas estou-te a dar apenas o básico. Se queres saber mais, lê este guia que escrevi no blog da minha agência: Tutorial SEO.

Podes aprender e implementar SEO por ti mesmo(a) ou trabalhar cm uma agência que te possa ajudar. Se escolheres uma agência, procura saber se eles sabem do que estão a falar, se obtêm resultados, e se algum cliente deles foi penalizado por infringir alguma regra do google.

Isto funciona porque desde a última década que as pessoas estão habituadas a pesquisar na internet de cada vez que querem saber ou encontrar alguma coisa. Se estiveres nos primeiros resultados quando alguém está à procura do tipo de serviços que fazes, estás a ter leads grátis.

Nota que isto do SEO pode levar alguns ou varios meses até apresentar resultados, mas as boas notícias são que ao fim de 6-12 meses de trabalhares com uma agência (ou fazeres por ti próprio), podes ter retorno na ordem de duas, três ou dez vezes mais o teu investimento.

Custo estimado: €300-900 por mês dependendo da indústria.
Retorno estimado: Break even após 3 ou mais meses.

Há várias outras táticas de marketing tradicional e digital que funcionam atualmente, mas na minha opinião o SEO é muito eficaz. Não é para todos os bolsos, mas pode funcionar bem. Em alternativa, experimenta as 2 primeiras dicas para obteres orçamento que possas aplicar numa estratégia SEO a longo prazo.