Google Analytics: como instalar em WordPress

Instalar Analytics em WordPress.

O que é o Google Analytics?

Google Analytics é uma ferramenta da Google para medir e analisar o tráfego, interação com o site, SEO, desempenho de anúncios e atividade das redes sociais.

Google Analytics homepage.

Como instalar o Google Analytics no site?

Ir a Administração > Informações de acompanhamento > Código de Acompanhamento.

(se quiser pode saltar para o vídeo aqui)

Como instalar Google Analytics no site

Este código é colocado no cabeçalho do website, entre as tags <head> e </head> (peça ao seu developer)

Código de acompanhamento a colocar na header do site.

Como instalar o Google Analytics no WordPress?

Se tiver website em WordPress pode usar o MonsterInsights para ligar o site ao Analytics.

Plugin MonsterInsights para WordPress

No seu painel de controlo ir a Plugins> Adicionar Novo e pesquisar por Google Analytics by MonsterInsights.

Instalar Monster Insights 1

Após ativar o plugin, aparece um novo separador no seu painel de controlo. Vá a Insights > Settings> Authenticate with your Google account.

Instalar Monster Insights 2

Abrirá um popup para autenticar. Clique “Next”. Clique em “Click to Get Google Code”.

Instalar Monster Insights 3
Instalar Monster Insights 4

Um novo popup abre a pedir autorização. Faça permitir e abrirá uma janela com código. Copie e cole este código dum passo anterior.

Instalar Monster Insights 5
Instalar Monster Insights 6

O próximo passo é selecionar o perfil que quer acompanhar (porque poderá ter vários sites na mesma conta).

Instalar MonsterInsights 7 Gif.

Poderá ver a sua analítica daqui para a frente ao visitar Insights > Reports.

Instalar Monster Insights 8

E voilá, é assim que se instala o Google Analytics num site WordPress.

Veja o vídeo para saber como instalar o Google Analytics passo-a-passo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou-lhe mostrar como instalar o Google Analytics no seu website.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Para instalar o Google Analytics no seu website, inicie sessão no Google Analytics, depois vá ao canto inferior esquerdo em Administração.

Após clicar em Administração, vá a Propriedade > Informações de Acompanhamento > Código de Acompanhamento.

Este é o código que tem de colar no cabeçalho do seu website em todas as páginas. Pode enviar isto para o seu developer caso não tenha entendido aquilo que eu disse.

Se por acaso tiver um website WordPress, então é bastante simples instalar este código de acompanhamento.

Inicie sessão no seu painel do WordPress, e não se preocupe se não tiver as mesmas cores do que o meu, e vá a Plugins > Adicionar novo.

Depois, no canto superior direito, pesquise por "Monster Insights". Clique para Instalar agora, e depois de instalado, tem de clicar de novo para Ativar.

Depois de ativado, clique logo aqui em cima onde diz Google Analytics settings.

E aqui vai ter às opções deste plugin que acabámos de instalar.

A primeira coisa que temos de fazer é autenticar com a sua conta Google, porque este plugin precisa de ligar-se à sua conta Google Analytics. Então vamos clicar neste botão azul Autenticar.

Abre uma nova janela... clicamos em Next.

E depois temos de clicar aqui para ter o código do Google.

Isto abre de novo uma nova janela, e eu sei que isto parece chato mas é mesmo assim, e esta nova janela vai então pedir autorização para usar a nossa conta Google para depois poder ligar ao Google Analytics.

Vou escolher esta conta, e vou clicar Permitir.

Vamos copiar este código, e agora vamos de novo a este ecrã, e vamos colar o código aqui.

Depois deste código estar aqui colado, vamos clicar em Next.

E agora vamos selecionar o perfil do Google Analytics que nós queremos que este plugin acompanhe, porque você pode ter mais do que um perfil, ou seja, pode ter mais do que um website para analisar.

Eu vou clicar e escolher este. E agora clicar em Next.

E pronto. Está feito. Clique em Close para fechar, clique em Save Changes em baixo.

E depois de estar guardado, para aceder aos relatórios deste plugin, vá ao seu menu do lado esquerdo, e irá ver todas estas opções aqui.

Para ver os relatórios, basta clicar em Relatórios.

E aqui poderá ver todos os relatórios que este plugin está a analisar em relação às métricas do seu site.

Se gostou deste vídeo, por favor Goste, faça um comentário, partilhe, e subscreva-se, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeos e conteúdo que você quer ver para que eu o possa ajudar no seu negócio.

Obrigado.

Como criar uma presença digital “potente”

Se estás a ler esta página, estás a ver um website (o meu).

“Presença digital” é tudo aquilo que fazes online com o teu conteúdo, como envolveres-te com os teus clientes e potenciais clientes no teu blog, Facebook, Twitter, vídeos no Youtube, e por aí fora.

A tua presença digital é o somatório de todas as tuas atividades por toda a web, seja em websites, redes sociais, e outros. Ter uma boa ou má presença digital pode ter um impacto na tua marca, na tua faturação, e no teu sucesso, quer sejas uma empresa ou profissional independente.

Prédios em vectores

Um bom marketing digital permite-te a trair novos clientes (e mantê-los).

Os 3 P’s da presença digital 🙂

1. Pessoas

A tua presença digital revolve à volta da tua marca ou da tua empresa. O teu branding e a mensagem que passas deve ser concisa e verídica antes de sequer começares com o marketing digital.

Mostra quem és, quem ajudas e como podes ajudar. Isto significa que tens de fazer o teu trabalho de casa em saber com precisão quem é o teu cliente e o teu mercado.

Mostra as pessoas com quem colaboras e a tua experiência através de imagens, fotos, vídeos, artigos no teu website e publicações nas redes sociais.

2. Processo

Pensa nos objetivos, orçamento e recursos que podem ser necessários para entrares no “digital”. Pondera em que canais e meios de marketing faz sentido tu ou a tua empresa estar, assim como o material, treino ou formação que precisas para entrares na “onda” e começares a criar a tua presença online.

Podes fazer uso de ferramentas de conteúdos, gestão de tempo e produtividade para poderes acompanhar o teu progresso no que toca à gestão, publicação e otimização da tua presença online. Eis 39 ferramentas sugeridas pelo Jay Baer (não tens de usar todas, usa só o que precisas, nem que seja só uma ou duas) para monetizares as tuas campanhas de redes sociais.

3. Plataformas

Fica a par das novidades que acontecem nos motores de busca, nomeadamente no Google, e nas redes sociais.

Isto porque aquilo que funciona hoje, pode não funcionar daqui a 3 meses, que é algo que podes notar que acontece com redes sociais como o Facebook, que por vezes muda algumas das suas regras, funcionalides ou caterísticas de publicações ou anúncios, por vezes de forma ligeira, e por vezes grandes mudanças.

“Se o criares, eles virão”. Este ditado, que vem do Inglês, “If you build it they will come”, já não funciona, senão era toda a gente rica e com sucesso.

Sê consistente, e faz um bom trabalho nas redes sociais, otimização dos motores de busca e marketing online no geral, pois a consistência é mais importante que a intensidade.

Programmatic – tendências em 2015

A palavra do ano (não oficial) na publicidade para 2014 é #programmatic.

Enquanto que programmatic se tornou uma das inovações mais faladas em publicidade este ano, uma grande parte da malta no mundo do marketing não faz ideia do que isto é.

A palavra programmatic significa automatizar o processo de comprar inventário de publicidade. Programmatic tve um grande impacto em publicidade nos móveis, com euforia nas redes de anúncios mobile passando para Demand Side Platforms (DSPs), que lhes permite maior foco nas necessidades do cliente ao passo que as mudanças automatizadas lidam com o inventário do anúnio.

Programmatic começou a automatização da compra, colocação e otimização da publicidade. Outros meios como reuniões cara-a-cara, prospeção por telefone estão a cair em desuso nalgumas indústrias que começam a favorecer este novo meio de publicidade. O programmatic resulta num processo mais rápido, fácil e com menor tendência para erro humano, tanto para compradores como editores.

De acordo com um artigo na INMA, a analista Karsten Weide da International Data Corporation (IDC), o gasto total em programmatic, no que toca a publicidade online de display e vídeo em todos os mobiles foi de cerca de 5 biliões de dólares norte-americanos em 2013, dobrando para 10 biliões no ano de 2014.

O que podemos esperar de programmatic em 2015?

“Tudo o que puder ser automatizado, será automatizado”, disse a analista Karsten Weide na entrevista do artigo anterior, prevendo quase 15 biliões de dólares gastos em 2015 e 38 biliões para 2016. Esta é uma tecnologia verdadeiramente disruptiva.

Programmatic terá um rápido crescimento em 2015 (talvez não em Portugal ainda), com maior entendimento do que é dentro do círculo dos profissionais do marketing e publicidade.

Parte da atual ignorância do que é o programmatic vem da suposição que muitas pessoas não sabem distinguir isto do sistema de licitamento.

Os anunciantes e os fornecedores digitais, com maior entendimento sobre este meio, estarão aptos para adoptar novas soluções.

Alguns analistas especular que o programmatic irá dominar o munda da publicidade, e não apenas no novo mundo dos media. A TV, rádio e imprensa não irá sair impune.

Isto não significa que vamos deixar de precisar de pessoas, pelo contrário, vai ser necessária supervisão e feedback inteligente e criativo que só um humano pode dar.

Haverá uma mudança acentuada em direção ao programmatic à meduida que mais filmes e séries são passados pela internet. Certos fornecedores destes serviços, como o Hulu, já se aventuraram no mundo do programmatic, e cadeias de televisão como a ABC estão prestes a iniciar a sua jornada neste mundo.

Só o futuro sabe o que ele reserva, mas poderemos vir a assistir não à extinção da publicidade tradicional, mas sim uma mistura híbrida que resulta em maiores escolhas envolvendo profissionais com uma mentalidade diferente, agregando maior para clientes, agências de meios e editores.