Como Agendar um Facebook Live (direto)

Agendar Facebook Live.

Neste vídeo mostro como agendar um Facebook Live (transmissões em direto). Os FB Live estão a substituir os webinar por serem mais fáceis de aceder.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube


Transcrição do vídeo

Neste vídeo vou-lhe mostrar como agendar um Facebook Live.

Olá, o meu nome é João Alexandre e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

O Facebook Live, ou seja, as transmissões em direto, são uma boa forma de interagir com as pessoas, chegar aos nossos fãs, é uma maneira de conseguirmos ter mais interesse naquilo que nós fazemos, e/ou agregar valor às pessoas com aquilo que nós vamos fazer e mostrar no Facebook Live.

Muitas vezes este Facebook Live está a substituir os chamados Webinars, em que a pessoa tinha de se inscrever para um webinar, numa plataforma externa, e depois era um bocado uma chatice fazer essas coisas todas.

Com o Facebook Live, ou seja, com uma transmissão em direto no Facebook, torna mais fácil para as pessoas verem aquela transmissão e interagirem com a pessoa que está a fazer a transmissão.

Então, eu vou mostrar justamente como agendar um Facebook Live.

Primeira coisa a fazer é ir à sua página. Eu estou aqui na minha página, e quando [você] estiver na sua, vai ao canto superior direito, onde diz “Ferramentas de Publicação”.

Aqui, vai selecionar do lado esquerdo, “Biblioteca de vídeos”. E depois, outra vez no canto superior direito, vai clicar em “+ Em direto”.

Isto abre uma janela com coisas aqui muito complicadas. Mas não tem de fazer nada em relação a isto, só tinha de fazer alguma coisa em relação a isto se estivesse a usar algum software, ou algum tipo de programa ou plataforma, ou serviço externo no qual iria integrar isto para fazer a transmissão em direto com esse software.

Como nós vamos agendar um FB Live a partir do desktop, não precisamos nada disto, vamos fazer a partir da [web] câmara.

Vou clicar em “Seguinte”, sem mudar nada.

E agora aqui em cima, é que vou escrever o meu post, porque isto basicamente vai ser um post que depois vai aparecer como agendamento duma transmissão em direto.

E eu vou escrever…

Vou escrever também o título do vídeo…

Não vou alterar mais nada, e vou clicar aqui em baixo nesta setinha azul, e selecionar “Agendar direto”.

Isto abre uma nova janela, posso selecionar por exemplo para este dia, e a hora que eu quiser, por exemplo, às 8.

Podia também carregar uma imagem personalizada se eu quisesse, e depois, é só clicar em Agendar.

E o post fica agendado. Clique em Página para ver o seu post.

E irá ver o seu post aqui. Eu agendei um FB Live em direto, e as pessoas que clicarem neste post, podem receber um lembrete, que depois lhes dá uma notificação pelo Facebook, para quando o Facebook estiver live [a transmissão].

E é assim que se agenda um Facebook Live.

Espero que este vídeo tenha sido útil, faça um comentário, escreva alguma coisa, partilhe, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeo e conteúdo que você quer ver, para que eu o(a) possa ajudar no seu negócio. Obrigado.

Análise de todo o tipo de anúncio Facebook e como os usar

Análise de tipos de anúncios Facebook.

Antigamente, em 2011 os anúncios Facebook eram simplesmente anúncios na barra lateral direita. Como este.

Anúncio Facebook de Barack Obama.

Agora as coisas estão diferentes. Há uma variedade de anúncios Facebook, o que por um lado torna as coisas confusas para quem quer anunciar, e por outro lado, com esta versatilidade, é mais fácil chegar às pessoas.

Com tanta escolha, é preciso saber o tipo de anúncio que quer criar, onde quer que o Facebook o mostre (newsfeed, barra lateral), e como os criar corretamente no Gestor de Anúncios (ou Power Editor).

Além disso, tem também de ter a sua segmentação bem definida (o público a quem quer mostrar os anúncios), saber o que é um conjunto de anúncios, e escrever boa copy que atrai cliques.

Era bom se isto tudo fosse muito mais simples não era?

Mas eu estou aqui para ajudar. Criei um vídeo sobre os diferentes tipos de anúncio que pode usar nas suas campanhas.

Eis um tutorial abrangente sobre as melhores práticas dos anúncios Facebook. Vai aprender:

  • Quais as opções de anúncio têm disponível;
  • Porquê poderá usar cada uma delas;
  • Como criar os anúncios no Gestor de Anúncios ou Power Editor

Clique para ver.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

As Métricas que interessam no Facebook

Métricas do Facebook que não interessam.

Quando finalmente tem os seus anúncios a correr e tem dados que pode ver, torna-se viciante. Recebo emails e mensagens a dizer “Estou a fazer anúncios e já alcancei ziliões de pessoas e tive 100 000 visualizações de vídeo por €0,02. Isso é bom, certo?

Às vezes tenho de ser o portador das más notícias. Digo-lhes quais as métricas importantes que devem analisar, e respondem-me “Hmm, bem, só tive algumas conversões e custaram €4 cada uma.”

Ooook…

Isto é algo que me chateia com os anúncios Facebook: eles destacam os números que nos fazem FELIZES (ou otimistas) com as suas campanhas, e escondem as métricas que lhe mostram o que realmente aconteceu com o seu dinheiro.

(Quando digo “esconder”, significa que não é mostrado logo que abre o Gestor de Anúncios. Se souber onde procurar, que é no botão das Colunas, então as métricas importantes são fáceis de encontrar. E eu vou ajudá-lo(a) a chegar lá – porque sou bom rapaz.)

Eis as métricas que NÃO me interessam

Alcance. A menos que esteja a gastar MUITO dinheiro em anúncios todos os dias, o seu alcance simplesmente não me interessa. O que eu quero saber é a percentagem de pessoas que interagem com os seus anúncios. Infelizmente essa percentagem vai ser beeeeem mais pequena do que o seu alcance teórico. Portanto se chegou a 100 pessoas com os seus anúncios e está preocupado porque ninguém se inscreveu para a sua workshop ou webinar, é porque 100 pessoas no Facebook é o equivalente a… NINGUÉM.

Cliques. Independentemente do tipo de anúncios que fizer, irá ter muitos cliques que não interessam para nada. Estes são normalmente aqueles cliques no nome da sua página, no botão Gosto, ou no botão Veja mais se tiver muito texto. Já que o seu objetivo é provavelmente levar as pessoas para o seu site, a maioria desses cliques são irrelevantes. Este é mais um exemplo do Facebook tentar inflacionar o seu ego com dados que não interessam para nada. Ignore.

Visualizações de vídeo. Ok, esta métrica é mais ou menos importante se estiver a fazer anúncios de vídeo. Mas uma visualização não é necessariamente uma visualização, OK? O Facebook conta uma visualização como alguém que viu o seu vídeo por 3 segundos ou mais. E já que os vídeos correm em autoplay na sua News Feed, eu posso estar a fazer scroll e aquilo contar como visualização mesmo que eu não faça scroll rapidamente. Há outras métricas mais importantes para considerar para anúncios Facebook, portanto continue a ler.

Então quais as métricas que interessam MESMO?

Se estivéssemos a trabalhar juntos nas suas campanhas, existem 14 métricas no total que íamos ter de analisar. Vou-lhe dar uma explicação de cada uma em instantes, mas primeiro deve saber como encontrar e analisar as métricas que estou aqui a falar.

Para dar uma olhada nos números que lhe dizem alguma coisa de útil, vá ao Gestor de Anúncios e clique no botão de Colunas. Depois selecione Personalizar colunas…

Personalizar colunas nos relatórios Facebook.

Aqui pode remover as métricas que não quer ver e pesquisar e selecionar aquelas que indico na checklist em PDF que lhe vou dar de seguida.

Adicionar e remover métricas nos relatórios FB

As Métricas que Interessam

Criei uma checklist em PDF nos pontos principais que deve analisar para perceber a verdadeira saúde das suas campanhas. Não é necessário inscrição, é só clicar aqui e ele abre (guarde para o seu computador ou faça bookmark da página).

Ou pode vê-las todas de seguida.

Para campanhas de geração de leads

Estas são as métricas importantes para quaisquer campanhas
que levam tráfego para uma página de inscrição (onde se pede
os dados do visitante, como nome e email).

  • Impressões: o número total de vezes que o seu anúncio foi mostrado. Isto é diferente de Alcance, que é o número de pessoas que individualmente viram o seu anúncio.
  • CPM (Custo por 1000 impressões): o custo médio para mostrar o seu anúncio 1000 vezes. Pense no Facebook como uma etiqueta de preço: varia dependendo da procura do público que está a segmentar na altura que mostrar os seus anúncios. Nota: pode ser mais barato mostrar o mesmo anúncio num dia comparado com o próximo. Não tem grande controlo nisto, mas pode notar que alguns públicos resultam em maiores CPMs frequentemente. Isto é a lei da procura e oferta, portanto teste com públicos diferentes.
  • Frequência: o número médio de vezes que cada indivíduo viu o seu anúncio. É calculado pelas Impressões a dividir pelo Alcance. É uma métrica importante a ter em atenção, para não saturar as pessoas com os seus anúncios. Gosto de manter a minha Frequência abaixo de 4 para anúncios mostrados na News Feed e abaixo de 8 para anúncios na barra lateral direita.
  • Montante Gasto: quanto gastou a mostrar os seus anúncios até agora. O orçamento é definido por si na secção de Orçamento quando está a definir opções no Conjunto de Anúncios da sua campanha.
  • CTR (Taxa de cliques na ligação): a percentagem de pessoas que viram o seu anúncio e clicaram para ir para a sua landing page. É calculado ao pegar no número de Cliques na ligação a dividir pelas Impressões.
  • Cliques na ligação: o número de pessoas que clicou no seu anúncio e foram levadas para a sua landing page. Esta é uma boa métrica a ver para fazer uma estimativa do número de pessoas que visitou a sua landing page (a menos que esteja a enviar as pessoas para a mesma página a partir de fontes diferentes, o que não aconselho).
  • CPC (Custo por clique na ligação): o custo médio de cada clique do seu anúncio para o seu website. É calculado ao pegar no Montante gasto a dividir pelo número de Cliques na ligação.
  • Inscrições (leads): o número de pessoas que se inscreveu na sua landing page após clicarem no seu anúncio Facebook. (Na lista das métricas, “Inscrições” não aparece. Procure pela conversão personalizada que criou na sua landing page, ou então o “Custo por lead de site”.)
  • Custo por inscrição: quanto lhe custou cada inscrição até agora. É calculado ao pegar no Montante gasto e dividir pelo número de inscrições.

O que fazer com estes dados

O custo por inscrição (ou Custo por lead de site (pixel de acompanhamento de conversões) é a sua métrica mais importante. Se as suas leads são mais caras do que gostaria (eu não pagaria mais que €2 por lead), então use estes números para perceber porque são tão altas:

  • Divida “Cliques na ligação” por “Leads” (Inscrições) para saber a taxa de conversão da sua landing page. Se está abaixo de 30% há algumas coisas que pode fazer para melhorar isso.
  • Se o seu CTR (Taxa de cliques na ligação) é baixo (abaixo de 1%), ou o criativo do seu anúncio não é apelativo o suficiente ou está a mostrar anúncios para um público errado.
  • Se o seu CPM é elevado (mais que €15), experimente com um público diferente.

Para campanhas de vendas

Quando estou a usar anúncios para gerar vendas, estas são as métricas às quais presto atenção (muitas das quais são semelhantes às anteriores).

  • Impressões: o número total de vezes que o seu anúncio foi mostrado.
  • CPM (Custo por 1000 impressões): o custo médio para mostrar o seu anúncio 1000 vezes.
  • Frequência: o número médio de vezes que cada indivíduo viu o seu anúncio.
  • Montante Gasto: quanto gastou a mostrar os seus anúncios até agora.
  • CTR (Taxa de cliques na ligação): a percentagem de pessoas que viram o seu anúncio e clicaram para ir para a sua sales page.
  • Cliques na ligação: o número de pessoas que clicou no seu anúncio e foram levadas para a sua sales page.
  • CPC (Custo por clique na ligação): o custo médio de cada clique do seu anúncio para o seu website.
  • Compras no site: o número de pessoas que se converteram como clientes a partir do seu anúncio. Precisa duma conversão personalizada na sua “thank you page” para onde as pessoas são levadas após efetuarem a compra.
  • Custo por compras no site: quanto cada venda custou até agora. É o Montante gasto a dividir pelos Checkouts.

O que fazer com estes dados

A sua prioridade aqui é quantos Checkouts conseguiu e o custo por cada um deles. O ideal é que o Custo por Checkout seja bem inferior ao preço atual do seu produto.

Não está satisfeito com os resultados? Primeiro, tem de perceber que vender “a frio” no Facebook é MUITO difícil, por isso é que uso estratégias como esta para fazer vendas. E depois eu faria isto:

  • Se o seu CTR (Taxa de cliques na ligação) tem um valor baixo (menor que 1%), ou o criativo do seu anúncio não é apelativo o suficiente ou está a mostrar o seu anúncio para um público errado.
  • Se o seu CPM é elevado (€15 ou mais), experimente um público diferente.
  • Veja a taxa de conversão da sua sales page com o Google Analytics. É possível que o tráfego vindo dos anúncios Facebook não esteja interessado em abrir a carteira para si, mas aquele tráfego “morno” do seu blog ou redes sociais estará mais propenso para comprar. Se é esse o caso, esperimente uma estratégia de retargeting para mostrar anúncios Facebook a visitantes prévios do seu site.

Para campanhas de “content awareness”

Um exemplo de content awareness é levar tráfego para os seus artigos de blog.

Invisto €50-100 euros por mês para fazer anúncios para os meus artigos mais populares. Isto permite-me crescer a minha audiência e fazer retargeting a novos visitantes do site com anúncios diferentes mais tarde. Eis as métricas que interessam.

  • Impressões: o número total de vezes que o seu anúncio foi mostrado.
  • CPM (Custo por 1000 impressões): o custo médio para mostrar o seu anúncio 1000 vezes.
  • Frequência: o número médio de vezes que cada indivíduo viu o seu anúncio.
  • Montante Gasto: quanto gastou a mostrar os seus anúncios até agora.
  • CTR (Taxa de cliques na ligação): percentagem de pessoas que viram o seu anúncio e clicaram para o seu artigo ou página.
  • Cliques na ligação: o número de pessoas que clicou no seu anúncio e foram levadas para o seu artigo ou página.
  • CPC (Custo por clique na ligação): o custo médio de cada clique do seu anúncio para o seu website.
  • Inscrições: o número de pessoas que se inscreveu na sua landing page após clicarem no seu anúncio Facebook. (Na lista das métricas, “Inscrições” não aparece. Procure pela conversão personalizada que criou na sua landing page.)
  • Custo por inscrição: quanto lhe custou cada inscrição até agora.

Dica bónus: Fazer anúncios de content awareness sem prestar atenção às ações das pessoas no seu site é uma perda de dinheiro. As pessoas estão a clicar nos seus anúncios, a ler os seus posts mas depois saem do seu site? Isto diz-me que o seu site precisa de ser otimizado para captar mais inscrições (e investir nisto vai compensar a longo prazo, prometo).

As boas notícias é que fazer conversões personalizadas para acompanhar as suas campanhas de content awareness vão-lhe dar toda a informação que precisa de saber. Até pode vir a descobrir que os seus artigos de blog resultam em mais inscrições/subscrições.

O que fazer com estes dados

Além do número de Leads que a sua campanha de Content Awareness lhe dá, eis outra coisa a considerar:

  • Se o seu “CPC (Custo por clique na ligação)” é maior que €1,00 (o máximo que alguma vez gastaria para enviar cliques para os meus artigos), então veja o seu “CTR (Taxa de cliques na ligação)”. Se é mais baixo que 1%, então o criativo do seu anúncio não é apelativo o suficiente, ou está a mostrar o anúncio para um Público errado. Sugiro testar com um tema diferente para o mesmo público, e só depois procurar criar um outro público se o CTR não melhorar.

Para anúncios de vídeo

  • Frequência: o número médio de vezes que cada indivíduo viu o seu anúncio. Mantenho a Frequência abaixo de 4 para anúncios News Feed e < 8 para anúncios na barra lateral direita.
  • Montante Gasto: quanto gastou a mostrar os seus anúncios até agora. O orçamento é definido por si na secção de Orçamento quando está a definir opções no Conjunto de Anúncios.
  • Visualizações de vídeo: o número de vezes que o seu vídeo foi visualizado por 3 segundos ou mais. Sim, eu sei que incluí isto na minha lista de métricas que NÃO interessam, mas está aqui para você ter um contexto para o resto dos números.
  • Tempo de visualização média do vídeo: a percentagem do seu vídeo que foi visualizado por todas as pessoas que viram o vídeo.
  • Visualizações do vídeo a 75%: a percentagem de pessoas que “visualizaram” o seu vídeo até 75% do seu todo. (Isto é quase tão bom quanto ver até ao fim, não acha?)
  • Cliques na ligação: o número de pessoas que viu o seu anúncio de vídeo e clicou para ir para o seu site. Podem ter clicado num link no final do vídeo ou no post.
  • CPC (Custo por clique na ligação): o custo médio de cada um desses cliques para o seu site.
  • Inscrições: o número de pessoas que se inscreveu na sua landing page após clicarem no seu anúncio Facebook. (Na lista das métricas, “Inscrições” não aparece. Procure pela conversão personalizada que criou na sua landing page.)
  • Custo por inscrição: quanto lhe custou cada inscrição até agora.

Normalmente os anúncios de vídeo são bons para levar tráfego para uma landing page e converter os visitantes em leads. No entanto falei com algumas pessoas que tiveram várias visualizações do vídeo, mas poucos cliques para o site deles.

Mas há boas notícias no meio disto. 24 horas após a sua campanha de anúncios de vídeo terminar, o Facebook dá-lhe um público de pessoas que visualizaram o seu anúncio (vídeo).

Se quiser, pode fazer retargeting para essas pessoas com outros anúncios, talvez o típico anúncio de link, para promover a sua oferta (ex.: ebook) ou produto. Clique aqui para saber mais.

O que fazer com estes dados

Dê uma olhada nas suas métricas para perceber como pode melhorar a sua campanha da próxima vez:

  • Se o “Tempo de visualização média do vídeo” for baixa, o início do seu vídeo pode não ser apelativo o suficiente para captar a atenção das pessoas (e manter essa atenção). Ou o seu vídeo pode ser muito longo: mesmo um espetador “engaged” desiste de ver o vídeo ao fim de algum tempo.
  • Veja o seu Custo por Lead. Se é mais baixo do que o custo médio por leads para campanhas de anúncios que não usam vídeo, continue a mostrar o anúncio. Se está a ter um custo por lead caro, não desespere. Essas visualizações de vídeo podem funcionar a seu favor se fizer retargeting dessas pessoas com anúncios específicos para uma oferta que elas não conseguem dizer “não”. Afinal de contas, se elas viram o seu vídeo, mesmo só uma porção dele, já começaram o processo de se familiarizar consigo e com a sua marca.

Conclusão

Agora que sabe quais as métricas que interessam, pode mergulhar de cabeça nos seus relatórios e analisar as coisas como deve de ser.

Mesmo que chegue à conclusão que os seus anúncios não estão a ter o desempenho que gostaria que tivessem, pense nisto como um investimento, porque nós estamos basicamente a comprar informação sobre as pessoas através de anúncios Facebook, e isto vale ouro.

Há alguma coisa que perdi? Há métricas que não estão na minha lista que você usa para avaliar a saúde das suas campanhas?

5 razões para promover os seus artigos blog com anúncios

5 razões promover artigos blog com anúncios

Se lê o meu blog, sabe que eu uso anúncios Facebook para crescer a minha lista de emails (subscritores). Tenho um guia gratuito que ensina como fazer isto, e gosto de partilhar os meus próprios truques e dicas para melhorar o custo por subscritor.

Mas que MAIS você pode fazer com anúncios Facebook? Vender os seus produtos e serviços? Sim, mas apenas para um público muito específico.

Sugiro que coloque de parte €40 por mês dedicados a uma coisa: promover posts da sua página Facebook.

5 razões para promover os artigos do seu blog com #anuncios Facebook e quanto gastar por mês Click To Tweet

Promover os posts da sua página não é clicar no botão Promover. Não senhores, e explico o porquê aqui.

Uma das técnicas que lhe vou mostrar neste artigo pode ser semelhante a “promover” um post. Mas sugiro que você aprenda desta maneira que lhe vou ensinar, porque vai ajudá-lo(a) a usar o Gestor de Anúncios como um pró, o que lhe vai poupar tempo e dinheiro a longo prazo.

Neste artigo vou-lhe mostrar como e porquê levar tráfego para os seus artigos blog. Vamos analisar isto:

  • segmentação
  • orçamento
  • métricas importantes
  • táticas para crescer lista de emails
  • estratégias de lançamento

Dependendo da idade da sua página Facebook, pensar em pagar para promover cada artigo de blog que tenha publicado é provavelmente demasiado. “Raios te partam Facebook, porque é que tiveste de matar o meu alcance orgânico? Tinha tanto tráfego grátis do Facebook. Grrr..”

Percebo essa frustração, mas está na altura de fazermos alguma coisa em vez de desistir.

As pequenas empresas são incrivelmente sortudas por terem uma rede social 100% gratuita como o Facebook. Estar no Facebook é um privilégio, não um direito.

É sorte poder mostrar o seu trabalho, produto ou serviço a um grupo de pessoas enquanto estão na cama à noite, no ginásio, a procrastinar no emprego, no autocarro… é ridículo quão específico você pode segmentar a sua audiência. Portanto chega de queixas sobre o alcance orgânico e vamos começar a investir na máquina de marketing incrível que é o Facebook.

“Quais os benefícios de fazer anúncios para promover os meus artigos do blog?”

Isto pode não fazer sentido para si… ainda.

“Qué? Pagar por anúncios para levar as pessoas para um artigo meu no blog? Que é que eu ganho com isso?”

E eu percebo. Ao princípio custou-me um bocado (eheh, literalmente). Queria investir todo o meu dinheiro em campanhas de crescimento da minha lista de emails, e ok, isso é um bom sítio para um principiante começar.

Mas quando você tem um dinheirinho extra para investir em publicidade mensalmente, sugiro que comece a promover os seus artigos blog frequentemente.

Eis cinco razões porque o deve fazer:

  1. Chega a pessoas novas. Pode definir os seus anúncios para que sejam mostrados apenas a pessoas que não visitaram o seu site nos últimos 6 meses.
  2. “Repesca” pessoas da sua lista que não abrem os seus emails. Quando promove um dos meus artigos blog, normalmente começo a campanha no dia a seguir a ter enviado o meu email de newsletter. Depois excluo todos aqueles que viram o artigo (daqueles da minha lista – eis como criar um público baseado na sua lista de emails).
  3. Cria expectativa para o lançamento do seu curso ou produto. Pode gastar uma quantia tão baixa quanto €40 para promover uma série de 8 artigos no seu blog como forma de promover o seu próximo curso ou produto, de formas a que o maior número de pessoas da sua audiência o vejam.
  4. Pode mover as pessoas mais facilmente pelo seu funil de vendas. Durante o seu lançamento, um ou mais dos seus emails promocionais podem responder às questões ou objeções que as pessoas tenham do seu produto ou serviço. Transforme esse email num artigo blog e promova-o. Pode promover estes anúncios apenas às pessoas que viram a sua sales page, ou até para pessoas que ainda não o conhecem.
  5. Cresce a sua lista com leads de maior qualidade. Já viu provavelmente vários anúncios na sua News Feed cujo objetivo é crescer a lista de emails do anunciante. São fáceis de reconhecer: quase todos eles estão a oferecer um guia, ebook, desafio ou webinar. Talvez já tenha clicado e inscrito nalgum deles; eu faço-o de vez em quando. Mas quando alguém encontra um artigo seu, e investe tempo a lê-lo, e depois decide inscrever-se para a sua newsleter? Bem, isso é um tipo diferente de subscritor. Conversões destas são mais difíceis de ter, mas resultam em leads de maior qualidade do que alguém que viu um anúncio para o meu guia gratuito dos anúncios Facebook e se subscreveu para receber o guia, mesmo que nunca tenham ouvido falar de mim.

Como criar um anúncio para promover o seu artigo blog

A maneira mais simples de criar um anúncio Facebook para o seu artigo blog é simplesmente “promover” um dos posts da sua página.

Para isso só tem de criar um anúncio de, por exemplo, tráfego (ou interação), escolher a sua página e a publicação a promover. Veja este artigo (que tem um vídeo) que explica como promover corretamente um post seu no Facebook.

Tipos de anúncios no Facebook.

Tráfego - tipo de anúncio Facebook

Acompanhe as conversões

Verifique se está a acompanhar as conversões para TODOS os seus anúncios.

Se alguém clica no meu anúncio e lê o meu artigo no blog, podem querer subscrever-se para o meu guia gratuito ou minicurso através dum link no artigo ou na barra lateral do blog, ou num popup , etc. E depois podem vir a querer comprar o meu curso online do Domínio Completo ao fim duma semana ou duas.

Portanto verifique se está a acompanhar conversões, tanto para efeitos de geração de leads como compras efetuadas no seu site, e para isso precisa do píxel do Facebook. Eis instruções em como criar o píxel do Facebook.

Acompanhamento por píxeis

Crie um bom post Facebook sabendo que o irá transformar em anúncio

O que é que isto quer dizer? Duas coisas:

  1. Verifique se a imagem não tem mais que 20% de texto (use esta ferramenta do Facebook e saiba como criar boas imagens aqui);
  2. Escreva um bom título e descrição. Eis algumas dicas de copy.

Sabia que pode editar a pré-visualização que o Facebook mostra quando coloca um link num post da sua página?

Mudar título, descrição e imagem do post é possível.

“Tenho de usar um post Facebook existente para criar este anúncio?”

Não. Pode criar um anúncio a partir do zero no Gestor de Anúncios ou Power Editor. Lembre-se de selecionar Tráfego ou Interação como o seu objetivo.

O ideal é fazer um pequeno teste.

Para isso, crie dois anúncios dentro dum conjunto de anúncios e preste atenção ao anúncio que terá o menor custo por clique após 24 horas. Depois desative o anúncio que tem o maior custo por clique.

Posts promovidos para artigos.

Para quem devo mostrar estes tipos de anúncios?

Pode mostrar os anúncios para pessoas que já conhecem o seu negócio (ex.: fãs, subscritores da sua lista, e pessoas que visitaram o seu website recentemente), ou pessoas que provavelmente nunca ouviram falar de si.

Atingir pessoas que o conhecem

Estratégia: recomendo investir €5-10 por semana para mostrar os seus anúncios a pessoas que conhecem o seu negócio.

Porque é que vale a pena criar conteúdo (artigos) semanalmente? Para ser útil, inspirador e relevante para a sua audiência, certo?

Outras duas grandes razões são para que fique top of mind e para se posicionar como expert naquilo que faz.

As pessoas normalmente não estão interessadas em pagar pelos meus produtos ou serviços logo quando entram na minha lista. Mas como lhes envio frequentemente artigos úteis sobre anúncios Facebook, eles lembram-se de quem eu sou e o que faço.

Quando eles estiverem prontos para investir em ter ajuda nos anúncios Facebook, vão pensar em mim. Ou quando encontrarem alguém que precisa de ajuda com anúncios Facebook, irão apontar o dedo na minha direção (e se você, meu caro leitor(a), já o fez, obrigado).

Os anúncios Facebook ajudam-no a alcançar todos estes objetivos ao termos a certeza que estamos a chegar de forma consistente à nossa audiência, incluindo as pessoas da nossa lista que tenham deixado de abrir os nossos emails.

Como isto é feito:

A nível do seu conjunto de anúncios, em “Públicos”, crie um Público dos seus fãs ou da sua lista. Não tenha os dois no mesmo público porque irá estar a atingir só os fãs que também estão na sua lista.

Selecione dados demográficos daquilo que é o seu tipo de cliente ideal. Poderá eventualmente ter fãs ou pessoas na sua lista que irão estar fora da localização, idioma ou idade que gostaria a quem os seus anúncios sejam mostrados.

Atingir pessoas que não conhecem o seu negócio

Estratégia: O investimento que fizer aqui é o que quiser, mas nunca estará a gastar dinheiro quando atinge uma nova audiência. E porquê?

Porque colocar o seu nome e o seu negócio à frente das pessoas é sempre uma boa coisa a fazer (mesmo que eles não se tornem subscritores ou clientes logo na hora).

Chegar a uma nova audiência devia de ser parte das suas atividades de marketing, portanto coloque de parte pelo menos €5 para atingir novas pessoas com anúncios para os seus artigos no blog todas as semanas.

Está a preparar-se para um lançamento de produto ou serviço? Coloque de parte €50-100 para levar novos visitantes para os seus artigos blog 4 semanas antes da data de lançamento, especialmente se o conteúdo está diretamente relacionado com o seu novo produto ou serviço.

Depois quando estiver na altura de fazer com que as pessoas se inscrevam para o seu webinar gratuito ou enviá-las para a sua sales page, pode atingir todos aqueles que visitaram o seu site nas últimas 4 a 8 semanas. Estas pessoas estão mais propensas para se converterem em subscritores ou clientes, já que o conhecem por via do seu artigo no blog.

Como isto é feito:

Quando faço este tipo de anúncio, onde promovo um artigo blog para pessoas que provavelmente não conhecem a minha marca, uso dados demográficos e – normalmente – escolho apenas um interesse.

Isto pode resultar num público pequeno, mas será bastante segmentado. Eis alguns dos públicos que usei para fazer este tipo de anúncios para artigos no meu website.

Neste público convém colocar a data de que foi criado o público semelhante à lista, porque no futuro a lista pode ser maior.

Público semelhante minha lista menos visitantes website

Público semelhante menos salespage e artigo

Público semelhante minha lista menos visitantes website 60 dias

Tal como com qualquer público, pode criar isto na secção de Públicos ou a nível do conjunto de anúncios quando está a criar o seu anúncio. Eu criei em Públicos (gosto de criar públicos antes de criar o anúncio).

Faça experiências como eu

Estava a escrever um email para a minha lista quando me deu a ideia de transformar o email num artigo.

Publiquei o link do artigo num post do Facebook e transformei-o num anúncio. Era um teste. Será que ia converter pessoas novas em clientes ao mostrar-lhes um anúncio para um artigo no meu blog?

Quanto gastar anúncios FB

Quando transformei o post num anúncio, segmentei para “Proprietários de pequenas empresas”, porque por vezes são eles que tentam fazer anúncios e não sabem bem o que estão a fazer.

Cada clique para o meu blog andou nos €0.50, mais alto do que estava à espera. Mas das 30 pessoas que clicaram, uma delas comprou o meu ebook de €37 e outra inscreveu-se para o meu guia gratuito dos anúncios Facebook.

Para mim isto é um sucesso. Vamos lá fazer contas. Gastei €15, ganhei €37 e um novo subscritor. Posso não ter feito muito dinheiro, mas agora, 30 novas pessoas conhecem-me e o meu posicionamento como especialista em Facebook.

As métricas importantes a analisar

Gosto de saber a opinião e as dúvidas dos meus estudantes, clientes e subscritores. Não é incomum lançar surveys por email ou fazer perguntas diretamente às pessoas.

Para escrever este artigo, compilei dúvidas que as pessoas tinham sobre fazer anúncios para artigos de blog. Algumas das coisas que perguntaram foram:

P: “Durante quanto tempo deixo o anúncio correr dado o tamanho da minha lista?”
Resposta: A resposta é a mesma independentemente do tamanho do público que está a atingir. Precisa de prestar atenção à métrica da Frequência.

Métrica frequencia.

As pessoas têm diferentes opiniões quanto a isto, mas quando eu estou a atingir novas pessoas, não gosto de saturá-las com os meus anúncios. A frequência máxima até onde vou para um público frio é de 2-2.5 (na imagem tenho uma média de 1.23).

Se estiver a atingir os anúncios aos meus fãs, às pessoas da minha lista, ou a visitantes do website, deixo a frequência ir até aos 3. Isto tendo em conta anúncios na News Feed, na barra lateral direita deixo ir até aos 4 ou pouco mais, e a razão é porque as pessoas ficam um pouco “cegas” aos anúncios pequenos do lado direito.

Dica pró: Se quer que mais pessoas do seu Público vejam o seu anúncio apenas uma vez por dia, seleciona Alcance diário único em Otimização e publicação. Isto é uma boa opção quando está a preparar-se para um lançamento de produto. Faz sentido tentar chegar ao maior número de pessoas que já estão no seu público com o seu conteúdo de pré-lançamento.

Alcance diário único

Veja este artigo que escrevi sobre as métricas que verdadeiramente interessam no Facebook (conforme o objetivo seja gerar leads, vendas ou visualização de vídeo).

P: “Como leio os resultados de anúncios de posts que levam para o artigo?”
Resposta: Depende dos seus objetivos para este tipo de campanha. Se um deles é crescer uma lista, compare o custo por lead destes anúncios com anúncios que criou no passado que eram só para crescimento duma lista.

Basta gastar €2-4 euros por semana num anúncio promovido para levar as pessoas para o artigo.

Se o seu objetivo é simplesmente ter novas pessoas a ler o seu artigo e a interagir com a sua marca, veja o Google Analytics. As pessoas que vieram dos anúncios Facebook ficam mais ou menos tempo no seu site quando vindos de outras fontes de tráfego?

Para distinguir o tráfego de anúncios Facebook do tráfego orgânico do Facebook, coloque sempre este bocadito de código aos seus anúncios.

utm_source=anuncios%20facebook&utm_medium=ppc%utm_campaign=anuncios%20FB%20para%20artigo

Código UTM para fazer tracking.

Se o seu objetivo era de testar o interesse neste tema do artigo junto da sua audiência existente, então olhe para a Taxa de cliques. Terá de testar uma série de artigos diferentes com o mesmo público de forma a poder ter diferentes Taxas de cliques para comparar.

P: “O que é um bom custo por clique para estes anúncios?”
Resposta: Depende para quem está a segmentar os seus anúncios. Se eu estou a atingir os meus fãs, lista de subscritores ou visitantes do website, quero que o custo por clique seja €0.40 ou menos.

Se estou a segmentar para pessoas novas, não quero saber tanto do meu custo por clique para o artigo; interesso-me mais com o custo por lead. Se as minhas leads são mais do que aquilo que costumo pagar numa campanha normal de crescimento da lista, então não irei gastar mais do que os €5-10 que me comprometi a investir para essa campanha.

P: “O que é uma boa Taxa de cliques para anúncios que levam as pessoas para o meu artigo?”
Resposta: Se está a segmentar para a sua lista, fãs ou visitantes do site, a sua taxa de cliques deve ser acima de 5%. Mas o melhor a fazer é promover um post por semana para o mesmo público e ver que tema/título teve melhor desempenho baseado na taxa de cliques.

Se estiver a segmentar para um público novo (frio), não espere que a sua taxa de cliques seja acima de 3%.

P: “Devo pagar pelos anúncios para irem para um artigo de blog ou para uma landing page com opt-in?”
Resposta: Deve fazer ambos. Irá provavelmente crescer a sua lista mais rapidamente com uma landing page com um opt-in (formulário de subscrição), mas levar tráfego para os seus artigos de blog é o equivalente a levar as “coisas devagarinho” e criar familiaridade das pessoas para consigo.

Ok. Pare. Isto foi muita informação para si.

A forma mais fácil de perceber tudo aquilo que lhe mostrei neste artigo é fazer alguma coisa.

Então, e que tal escolher um artigo blog seu e criar um anúncio com ele, segmentando para pessoas que ainda não conhecem a sua marca? Eis como criar um Público frio.

Muitos dos meus estudantes do curso online Domínio Completo experimentam promover, durante 4 semanas (uma vez por semana), um anúncio para levar pessoas para um artigo deles e depois analisam os resultados.

Deixe as suas perguntas nos comentários em baixo e eu ou alguém da minha equipa lhe irá responder.

Como criar e guardar Públicos (e poupar-lhe uma grande dor de cabeça)

Como criar, guardar e usar Públicos guardados.

Possivelmente a parte mais complicada de montar uma campanha publicitária no Facebook é escolher o público certo. Há TANTAS opções que tudo se pode tornar confuso, BEM depressa.

Mas isto dos Públicos é importante, porque o sucesso dos seus anúncios depende, basicamente, a quem é que os seus anúncios são mostrados. Faz sentido.

Se tem alguma dúvida em perceber quem definir como Público, veja a secção de Públicos na minha página de recursos de Anúncios Facebook.

Uma das minhas técnicas favoritas é criar o meu Público ANTES de fazer seja o que for. Ou seja, não escrevo nem copy nem crio imagens enquanto não tiver o meu público definido. Assim pouco tempo e sanidade mental na altura de criação do anúncio.

Senão, imagine o seguinte cenário. Pedro, dono dum pequeno negócio online, cria uma landing page para captar leads, e faz anúncios para um grupo muito específico de pessoas. Por exemplo, quem é fã de um determinado show de culinária.

O Pedro está entusiasmado porque pensa que é capaz de chegar à frente dos espetadores desse show de culinária usando anúncios Facebook. Eles vão clicar nos anúncios dele à maluca e a lista de email dele vai crescer que nem ervas daninhas. Yeah.

Assim, ele escreve a copy e cria imagens para a campanha, o que lhe leva algum tempo a fazer. Ele começa o processo da criação de campanha no Power Editor, e depois chega à secção onde tem de escolher o público (as pessoas a quem mostrar o anúncio).

Mas o Pedro está confuso: ele não sabe como pode segmentar para os espetadores daquele show de culinária. Ele contrata um expert para ajudar a perceber isto, só para descobrir que às vezes não conseguimos ser tão específicos quanto gostaríamos ao criar um público.

Então ele faz o melhor que pode ao criar um público que pode ter alguns espetadores desse show, e isso acaba por resultar numa taxa de cliques baixa e poucas subscrições. Ele tenta todo o tipo de públicos que se lembra só para aprender que este tipo de landing page e oferta que ele montou podem não ser a melhor escolha para fazer anúncios Facebook.

Dinheiro perdido. Tempo perdido. Frustração ao rubro.

Crie primeiro os públicos antes de criar o anúncio.

É isso que eu quero dizer sobre poupar tempo quando cria e guarda públicos Facebook a priori: isto garante que não há surpresas quando está no meio da criação da campanha.

Agora é necessário explicar uma coisa: não estou a sugerir que deve apenas criar uma landing page e uma oferta que sejam perfeitas para um Público destinado a anúncios Facebook. Há outras formas de criar/crescer uma lista de emails, e ter um opt-in que atrai um potencial cliente significa que irá criar uma lista mais lucrativa a longo prazo.

Mas se os anúncios Facebook são a sua estratégia preferida para criar uma lista de emails, então é bom que se certifique que está a segmentar as pessoas certas logo à partida.

Como criar e guardar Públicos de anúncios Facebook sem criar uma campanha

Ficaria surpreso(a) quão fácil é explorar as opções dos Públicos sem se preocupar em criar uma campanha de raíz.

Veja este vídeo para saber como criar e guardar públicos para anúncios Facebook, ou veja os screenshots abaixo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

A partir do Gestor de Anúncios, clique no menu hambúrger (as três linhas verticais) no canto superior esquerdo e passe o rato em Todas as ferramentas. Clique em Públicos, por baixo de Ativos.

Aceder a públicos

Clique no botão azul Criar Público no lado esquerdo, e selecione Público guardado.

Públicos no Facebook

Estará agora a olhar para o mesmo interface que usaria para escolher o seu público na criação duma campanha. A única diferença é o Nome do Público no topo. Salte a parte do nome por agora, não é necessário.

Defina as opções para o seu público com dados demográficos (idade, local, sexo), interesses e conexões se necessário.

Deve dar-lhe um nome que faça sentido quando estiver a ver este público, por exemplo, daqui a um ano. Eu gosto de dar um nome de acordo com os interesses e dados demográficos, tais como Mulheres PT AmyPorterfield 25-44. Isto são mulheres em Portugal entre as idades de 25 a 44 que estão “interessadas” em Amy Porterfield.

Se o seu público é um público personalizado ao qual acrescentou dados demográficos, então um nome para ele poderia ser PT Visitantes Site 30 Dias 25-44. (Todos aqueles em Portugal entre 25 a 44 que visitaram o meu site nos últimos 30 dias.)

Depois clique em Criar público cá em baixo e está pronto para rock and roll.

Dados demográficos de público guardado

Como usar os seus Públicos guardados ao criar Campanhas

Quer esteja a usar o Gestor de Anúncios ou o Power Editor para criar os seus anúncios, a parte da segmentação é basicamente a mesma. Em vez de sair do interface para Criar novo, clique em Usar Público guardado e escolha o seu público do menu.

Usar Público guardado na criação de campanha

O seu Público irá preencher os campos de segmentação; se precisar de fazer ajustes, pode fazer.

E é isto. Agora pode dedicar-se ao texto e imagens, orçamento e posicionamento.

Perguntas? Escreva nos comentários ou veja a página de recursos Facebook para encontrar as respostas que está à procura.

Vídeo: Adicionar ‘Críticas’ na sua Página Facebook

Adicionar ´Criticas´ na sua Página Facebook.

Adicionar “Críticas” na sua página Facebook permite às pessoas deixarem avaliações 5 ⭐⭐⭐⭐⭐. Este vídeo mostra como adicionar isto à sua página.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou mostrar como adicionar “Críticas” na sua Página Facebook.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Provavelmente já viu Páginas onde as pessoas deixam comentários positivos ou negativos sobre essa Página.

Nesta página onde estou tem Críticas adicionadas e as pessoas deixaram aqui comentários sobre esta Página.

Se a sua Página ainda não tem o separador de Críticas, então vou-lhe mostrar como adicionar.

Vá à sua página e no canto superior direito clique em Definições.

Nas Definições, vá ao menu do lado esquerdo e clique em Editar Página.

Faça scroll até aqui em baixo e aqui irá ver que esta página ainda não tem o separador de Críticas.

Então eu vou clicar em Adicionar um Separador e agora vou escolher o separador de Críticas.

Adicionar Separador. Clicar em Fechar.

E agora o separador de Críticas já aqui está.

E eu depois posso, adicionalmente, colocá-lo para cima ou para baixo de outros separadores que eu tenha.

Por exemplo, vou colocá-lo aqui, por baixo de Publicações.

Clicar em Definições… e confirmar que está Ligado e Guardar.

Antes de guardar, posso Copiar URL e posso enviar para os meus clientes, por email, um link para eles lá deixarem um comentário sobre como foi trabalhar connosco. Vou clicar em Guardar.

E agora vou à Página… e vou confirmar que o separador de Críticas já está adicionado nesta página.

Espero que este vídeo tenha sido útil, e que possa adicionar o separador de Críticas na sua página, para começar a receber comentários – espero eu – positivos, sobre a sua página.

Se gostou deste vídeo, dê-me um Gosto, faça um comentário, partilhe o vídeo com alguém, e subscreva-se, porque isto a mim diz-me o tipo de conteúdo que você quer ver para ter o sucesso que merece, e eu ajudá-lo(a) com estes vídeos. Obrigado.

Vídeo: Usar Estatísticas do Público para encontrar Interesses

Estatisticas do publico.

Estatísticas do Público são uma ferramenta do Facebook que lhe permite encontrar novas páginas e interesses para definir para os seus anúncios Facebook.

Veja o vídeo para saber como tirar partido das Estatísticas do Público (também chamada Audience Insights).

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo
Neste vídeo vou mostrar-lhe como usar as Estatísticas do Públicos para encontrar mais interesses para segmentar para os seus anúncios.

Olá, o meu nome é João Alexandre, e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos – normalmente em menos de 5 minutos.

Para chegar às Estatísticas do Público, vá ao seu Gestor de Anúncios, e no canto superior esquerdo, clique e escolha Todas as Ferramentas.

E aqui encontra Estatísticas do Público.

Escolha Todos no Facebook. E esta é a ferramenta do Facebook chamada Estatísticas do Público.

Aqui vou começar por tirar Estados Unidos da América, porque isto não é um tipo de público que me interessa.

E vou colocar Portugal…

Vou dar um exemplo muito genérico. Vou encontrar aqui por exemplo o interesse de Jimmy Fallon.

Vou clicar em Jimmy Fallon, figura pública.

E já agora, este tipo de interesses são os mesmos interesses que aparecem no Power Editor, se bem que nestas ferramentas de Estatísticas do Público, há muitas coisas que podemos selecionar, especialmente se viermos ao separador de Avançadas, no qual podemos escolher Comportamentos, Idiomas, e outros sub-separadores para selecionar.

Vou deixar isto ao seu critério, para, a seu próprio tempo, escolher e ver estas opções.

Mas eu aqui escolhi Jimmy Fallon como interesse, de pessoas que estão em Portugal.

E aqui consigo ver então informações sobre estas pessoas, a nível da idade e do sexo, do estado civil, e da profissão, ou os cargos que elas ocupam, das pessoas que gostam de Jimmy Fallon.

Agora vou a este separador que me interessa bastante, que é Gostos da Página.

E aqui conseguimos ver as categorias principais, e as páginas específicas, de que as pessoas que gostam de Jimmy Fallon, também gostam, como é o caso de Rui Unas.

Não é de estranhar que as pessoas que gostam de Jimmy Fallon gostam também de outros comediantes, como é o caso de Nuno Markl, João Mazarra, e outras coisas.

Se eu quisesse criar um anúncio eu poderia apostar nestas páginas, ou seja, mostrar anúncios a pessoas que gostam destas páginas.

Não vou fazer isso porque o tipo de pessoas que gostam de Jimmy Fallon não é necessariamente o meu mercado, mas é apenas para dar um exemplo geral.

Mas vamos fazer aqui um exemplo concreto aplicado aos negócios.

Vou tirar Jimmy Fallon, e vou selecionar Saúde Oral, uma revista. Vamos supor que eu sou uma empresa que vende serviços ou produtos para clínicas dentárias.

Posso escolher Saúde Oral como revista [Interesse].

E depois vou escolher idades entre, por exemplo, 28 e 44 anos, que são pessoas que provavelmente têm algum poder de decisão [na empresa].

E aqui consigo ver as páginas específicas, das pessoas que gostam da revista Saúde Oral também gostam.

E não é de estranhar que temos aqui por exemplo Dental Pro e Jornal Dentistry Portugal.

Estes são o tipo de páginas para os quais eu poderia mostrar os meus anúncios, ou seja, as pessoas que gostam destas páginas iriam ver os meus anúncios, e poderiam estar interessadas em clicar no meu produto ou serviço.

As Estatísticas do Público permitem-nos ver outro tipo de páginas e outros Interesses mais aprofundados que nós não conseguimos fazer no Gestor de Anúncios.

Mas é assim que se usa as Estatísticas do Público para encontrar Interesses para segmentar para os seus anúncios Facebook.

Espero que este vídeo tenha sido útil. Goste, faça um comentário, e Subscreva-se porque isto a mim diz-me o tipo de vídeo e conteúdo que você quer ver, para que eu o(a) consiga ajudar – obrigado.

Trabalhas no marketing ou ajeitas papéis?

Imagem para artigo

Trabalhas no marketing ou “ajeitas papéis”?

Há aquela tendência de nos concentramos nos KPIs (Key Performance Indicators), ou seja, nas estatísticas, números e métricos. Coisas como: em quantos artigos fomos mencionados? Quantas pessoas viram os nossos posts? Quanto cliques tivemos no mês passado? Quantas vistas de página tivemos? Quantos seguidores tivemos?

Isto são métricos que se espera dos profissionais do marketing de poder reportar ao cliente ou ao chefe, numa base diária, semanal ou mensal. Quando os números estão alinhados com o que pensamos que é bom, é fácil pensar que “hmm, está tudo a correr bem”.

Mas atenção numa coisa.

Como é que esses métricos estão a resultar em clientes e vendas? É fácil “ajeitar papéis” na secretária e ir olhando para estatísticas.

Aqueles seguidores extras levaram à angariação de algum novo cliente? Os artigos que temos foram lidos? A nossa mensagem foi passada convenientemente? As visitas ao website levaram a contactos ou vendas?

Por outras palavras, os nossos esforços resultaram em algo que possamos abanar a cabeça “sim” e dizer que estamos mais perto dos nossos objetivos?

Às vezes temos de pensar como uma criança e perguntar “porquê” repetidamente e de forma chata a nós próprios, em tudo aquilo que fazemos para chegar à raíz do problema.

Se não sabemos o PORQUÊ de estarmos a fazer alguma coisa, só estamos a ajeitar papéis e a desperdiçar o orçamento.

Portanto da próximo vez, sê crítico(a). Não ajeites papéis. Pergunta a ti mesmo(a) porque é que estamos a fazer isto e como é que isto vai resultar em objetivos de negócios? É assim que se chega a um resultado palpável, não a olhar para estatísticas bonitas.

Melhor conselho que podes ter na tua carreira

Palavras sábias para quem está no marketing, design ou empreendedorismo.

Antes de sabermos andar de bicicleta, não sabíamos. Todos nós fomos principiantes em alguma coisa.

Há aqueles que são estagiários que têm medo de cometer um erro, ou outros que até são desafiadores o suficiente para dizerem o que pensam. Mas todos percebem que nem sempre o que fizemos foi a melhor decisão.

Há uma coisa em comum em todas as pessoas que estão a começar na sua atividade, que é: todos precisam de orientação.

Isto não é vergonha nenhuma.

Quer seja através dos pais, dum professor da universidade, dum mentor ou colega de trabalho, todos nós nos virámos para alguém em tempo de necessidade para perceber melhor o mundo dos negócios, trabalhar com os clientes ou explorar a nossa criatividade.

Queríamos saber o que esperar (e o que esperavam de nós), e como fazer tudo em condições para que se pudessem orgulhar de nós.

Eis alguns conselhos que tenho para ti.

Sê honesto(a)

Dá conselhos aos teus clientes como se desses conselho a um amigo ou aos teus pais. Ser franco e direto (sem ser mal educado ou insensível) é uma das melhores caraterísticas que um profissional pode ter.

Se não sabes alguma coisa, diz que não sabes mas que irás investigar. Mesmo os mais velhos e aqueles que parecem que têm uma aura de conhecimento à volta deles, não sabem tudo. Ninguém sabe tudo.

Vive no momento

Quando estás de volta dum projeto ou com um cliente, não estejas a viajar mentalmente. Vive no momento, foca-te no presente.

Ouve o teu cliente com empatia e desejo, ou trabalho no teu projeto com afinco. Percebe o ponto de vista do outro e faz os possíveis para encontrar uma solução que vá ao encontro de ambos.

Não te contentes com o óbvio

O que é óbvio é o que os outros já pensaram.

A frase “pensar fora da caixa” é batida, mas é isso que como profissional deves aspirar, e olhar para além daquilo que é óbvio. Desenvolve a tua competência de ver aquilo que os outros não estão a ver.

Mantém-te humilde

As tendências estão contínuameNte a evoluir.

Se estás de tal forma agarrado(a) aos teus conceitos que pensas que já sabes tudo, ou que a tua maneira de fazer as coisas é a correta, é aí que deixaste de aprender e ser útil.

Trabalha numa empresa

Não podes esperar ir para o topo do mundo duma vez. Começa nos degraus de baixo, ganha experiência e colabora com os teus colegas e equipa.

Trabalha para uma empresa ou alguém que faça sentido e no qual consigas agregar valor às pessoas.

Começa antes de estares pronto(a)

Os seres humanos têm a mania da perfeição.

O problema é que não somos perfeitos. Queremos que certo projeto, cliente ou negócio corra daquela maneira e queremos ter tudo preparado, mas há o risco de nunca avançares com a coisa.

Por isso, mexe-te antes de estares pronto(a). Podes melhorar a coisa à medida que avanças. É mas fácil olhar para trás e ver que fizeste, do que olhar para a frente nunca tendo feito.

É mas fácil olhar para trás e ver que fizeste, do que olhar para a frente nunca tendo feito.

E tu?

Qual o melhor conselho que já te deram e como é que isso impactou a tua vida?

Esquece o que sabes sobre networking

O networking tem as suas vantagens, mas tens de investir esforço nele.

O mercado de trabalho atual está cheio de oportunidades de networking, e com razão. O networking tornou-se tanto uma prática como um conceito, é uma soft skills necessária, uma pela qual estamos encarregados de aprender e praticar à medida que a nossa carreira progride.

É um investimento no teu futuro e algo importante de se fazer, pois um contacto de alguém que tu conheces é mais provável de resultar numa entrevista e potencial emprego, do que alguém que se candidata via os meios habituais.

Mas entre as redes sociais, reuniões em pessoa e os emails que se enviam, existem boas e más formas de se fazer networking. Como saber a diferença naquilo que é uma perda de tempo e aquilo que pode ser uma boa oportunidade? E mesmo que descubras isso, qual a maneira correta de fazer e dizer as coisas? Lamento informar-te que não existe regras omniscientes para o networking. O mais importante é que sejas congruente contigo e faças networking à tua maneira.

De qualquer forma, eis algumas dicas que descobri ao longo da minha vida.

Não acontece dum dia para o outro

Roma não foi criada num dia. O networking é uma prática que se deve fazer ao longo da vida, não uma coisa que se queira fazer duma vez. A consistência é mais importante que a intensidade.

Artigo relacionado: a minha melhor dica de networking

Ter expetativas realistas e perceber as vantagens do investimento de tempo e esforço a longo prazo farão do networking uma atividade proveitosa, quando bem trabalhada.

Pensar no networking como uma coisa que nunca acaba não deve incutir medo, deve ser emocionante. É como que uma amizade, elas vêm e vão, mas haverá sempre novas amizades (e oportunidades) ao virar da esquina.

Para colher os benefícios tens de estar prepadado(a) para trabalhares e investires o teu tempo todos os meses para ires ao encontro dos teus objetivos de networking.

Planeia um encontro de tantas em tantas semanas, ou envia um email semanalmente para um contacto que não vês há algum tempo. Seja como o fizeres, lembra-te de o continuares a fazer, e que a consistência é importante para qualquer tipo de resultado a longo prazo.

Semeia, para colheres

Para colheres, tens de semear, e a tua semente deves ser tu, sendo uma pessoa madura e responsável, pois é isso que motiva as pessoas a quererem dar-se contigo. Encontra interesses e opiniões que tenhas em comum para transformares um contacto numa oportunidade.

Mas pensa também dar valor às pessoas que conheces, porque isto não é só sobre o teu umbigo.

Enquanto que uma boa correspondência entre personalidade e cultura pode ser um bom factor quando se está à procura de emprego, não nos esqueçamos que aquilo que torna uma pessoa num grande profissional são as suas competências.

Não esperes que alguém passe o teu contacto a outros quando tens um perfil de empregado medíocre ou que não tenhas tido sucesso em empregos anteriores. Confirma à pessoa que estás a conhecer que tens o que é preciso para vingar no mundo do trabalho, ou naquela posição. A confiança gera confiança.

Artigo relacionado: como responder à pergunta “O que fazes da vida?”

Networking é uma via de dois sentidos

Podes pensar que o networking é aquilo que os outros podem fazer por ti, mas na realidade é mais aquilo que podes fazer pelos teus contactos. Os teus colegas e contactos estarão menos inclinados para te ajudar se não lhes devolveres o favor.

O netorking não é uma rua de um sentido, é um ciclo, e quando estás no topo da escada deves estender a mão para ajudar os outros a lá chegar também.

O valor do networking vem de criar relações, não apenas contactos. Ter o número “+500 contactos” no LinedIn ou centenas e milhares de amigos no Facebook não significa nada.

Um bom networking envolve investir nas relações com as pessoas. Passa palavra sobre vagas de emprego na empresa dum amigo ou (re)liga-te às pessoas que achas que podem ser uma boa escolha. Quando és proactivo(a) e não reactivo(a), as portas abrem-se para ti. Quer isso seja bom karma ou não, ajudar os outros ajudar-te-á a ti.

Artigos relacionados:
Dicas de networking que funcionam à grande e à Francesa
Conhecer clientes via networking