Como ser um génio do marketing menos texto

Como ser um génio do marketing

Às vezes os génios nascem onde menos se esperam.

Estava a falar com um colega meu que me contou que há um rapaz que costuma ir à casa dele e propõe-se a fazer certos serviços na vivenda dele.

Coisas como cortar a relva, limpar a entrada, etc.

Vamos chamar a este rapaz de “José” e já vamos perceber por que é ele é um génio do marketing.

O primeiro serviço que o “José” fez para o meu colega foi quando se ofereceu para limpar as sarjetas por €25.

Na altura eles não se conheciam, ele simplesmente tocou à campainha e ofereceu-se para fazer esse serviço. Realmente as sarjetas precisavam de ser limpas, e só por €25, espetáculo.

Então, ele disse que sim.

Estava um dia ensolarado, e o José metia conversa e trabalhava ao mesmo tempo, era uma pessoa simpática.

Quando acabou o serviço, o meu colega pagou-lhe e o José disse-lhe: “olhe, sabe, o seu telhado a modos que precisava de ser limpo.”

E ele tinha razão, o telhado precisava mesmo de ser limpo. Só que isso é um grande frete, há muito telhado para limpar.

Então o José deu orçamento bastante razoável (não andei a investigar preços, mas parece razoável para o trabalho que é) e ficou combinado de ele fazer o serviço.

Uns dias mais tarde ele volta e vai limpar o telhado. Trabalhou que nem um cão durante dois dias, como um acrobata de circo a limpar o telhado duma ponta à outra e aplicou ainda um produto qualquer de preservação/limpeza.

Quando acabou o serviço e o José estava a receber o dinheiro, ele disse: “olhe sabe, se tiver outros serviços, pintura, restauração, limpar, é só ligar para este número que eu venho cá ajudá-lo.”

E acontece que o meu colega está a pensar abrir uma parede numa das divisões dele e pintá-la.

Adivinhe o que aconteceu? Foi o José que foi fazer isso.

Portanto ele passou dum trabalhito de €25 a limpar a sarjeta para um serviço de 4 dígitos (€€€€).

Nada mau…

Como ser um génio do marketing

Qual era o segredo do José?

Primeiro, ele tinha uma barreira de entrada pequena, ou seja, um serviço de baixo valor, muito económico.

Quando ele se ofereceu para fazer esse primeiro serviço, o meu colega não o conhecia, não sabia se ele fazia bom trabalho ou não, mas por €25, decidiu arriscar, tinha pouco risco.

Ele fez um bom trabalho, e metia conversa (enquanto trabalhava), era bom conversador, e conquistou a confiança do empregador.

O José também esteve atento a todo o tipo de potenciais problemas (ou oportunidades) que ele viu na casa. Foi aí que ele notou que o telhado precisava de ser limpo.

Ao dar um orçamento modesto mais uma vez, e fazendo um bom serviço, aumentou ainda mais a credibilidade dele.

Após o José ter conquistado a confiança e simpatia do meu colega, ele perguntou se havia outros serviços nos quais ele podia ajudar. E havia.

E aqui está o importante disto. O José é “apenas” um rapaz de biscates.

Mas quantos de nós, profissionais altamente qualificados, têm uma oferta de baixo custo, baixo risco, onde nos podemos provar aos olhos dos nossos potenciais clientes?

Não muitos.

Quantos de nós, profissionais da área, estamos atentos a outras áreas (produtos, serviços) em que podemos ajudar os nossos clientes, em vez de apenas fazer um serviço para eles e pronto?

Não muitos.

E quantos de nós têm confiança nas nossas capacidades para saber que, após termos feito um bom trabalho, oferecermo-nos para ajudar noutras áreas não é pressionar nem ser chato, é na realidade, uma coisa bastante apreciada pelos nossos clientes que precisam de ajuda.

Pois é, não muitos.

Os próximos anos provavelmente vão ser difíceis para este tipo de profissionais de serviços/biscates. Mas aposto que o “José” se vai desenrascar bem.

Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

2 comentários sobre “Como ser um génio do marketing

Deixe um comentário