Não escreva o seu próprio conteúdo

Homem e mulher com lápis gigantes.

Mesmo que tenha o melhor conteúdo na web e tenha pessoas que partilham os seus artigos, é provável que essas mesmas pessoas estejam a comprar produtos da sua concorrência.

Uma pessoa pode desfrutar do seu conteúdo para ter informação útil e até partilhá-la junto dos amigos dela, mas essa informação não a vai transformar um cliente pagador a menos que lhe dê uma boa razão do porquê do seu produto ser melhor do que o dos outros.

O conteúdo não deve ser informação geral para que as pessoas venham para o seu site, aborvam aquilo que lhes está a dizer, e depois irem para um site dum concorrente para comprarem o produto deles.

Quando você escreve conteúdo, deve ter como propósito uma conversa. Ou seja, o seu conteúdo não deve ser “hard sell”, mas sim levar as pessoas à conclusão lógica de que o seu produto vai resolver os problemas deles ou fazer com que eles se sintam melhores com eles mesmos.

Deve-se investir em bom conteúdo, mas deve haver um propósito por trás dele, uma estratégia para que não se esteja a criar conteúdo só por criar.

Já crio conteúdo (para mim e para algumas agências e marcas) há alguns anos, e quando eu começo a criação de conteúdo, gosto de saber o seguinte:

  • Quem é o público-alvo? Isto é o mais importante. Quem são as pessoas a quem se destina o produto e como eles encaram a empresa (a sua)?
  • Os meus benefícios? Que valor é que a minha marca tem para dar às pessoas, que seja melhor que a concorrência?
  • O que estão os outros a fazer? O que está a concorrência a fazer para puxar as pessoas para eles (e não para si)? Saiba o que a competição está a fazer.
  • O seu conteúdo leva à compra? Quão importante é o conteúdo na tomada de decisão de compra? E quanto tempo elas passam a ler o conteúdo, e se acham que é importante para elas?
  • Onde consome o conteúdo? Em que meios é que as pessoas estão a consumir o seu conteúdo (artigos, vídeos, outros?) Será na web, em mobile, onde e como?
  • Categorias bem definidas. Há alguma confusão no que toca às categorias do conteúdo (por ex.: artigo sobre como usar produto A, ou artigo de porque deve comprar produto B)?
  • Como tornar leitor em comprador? Não é esse o propósito do seu conteúdo? Esta é provavelmente a métrica mais importante de qualquer estratégia de conteúdos.

Não caia na fantasia de criar um plano para as redes sociais sem antes se colocar esta pergunta: “como é que isto vai gerar mais negócio?” É que um namoro nem sempre leva ao casamento.

Content marketing: como é que isto vai gerar mais negócio? É que um namoro nem sempre leva ao… Click To Tweet
Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe um comentário