Aquilo que o Dalai Lama ensinou ao Papa sobre o Twitter

Papa 16 e pássaro azul do Twitter
Papa Benedicto XVI no Twitter (@Pontifex)

O Papa Benedicto XVI tem estado “intrigado” e “satisfeito pela resposta à decisão dele de se juntar ao Twitter, disse o padre Irlandês Monsignor Paul Tighe, chefe da equipa de social media do pontificado. Os padres trabalharam juntamente com o Twitter para desenvolder uma estratégia para os tweets do papa, e tomaram nota de outros líderes religiosos no que toca a decidir como seguir outros utilizadores do Twitter.

“A escolha entre seguir ou não seguir foi parcialmente devida ao facto de termos notado que o Dalai Lama não seguia ninguém”, acrescenta o padre Tighe.

A conta do Papa Benedicto XVI no twitter tem a morada de @Pontifex ou @Pontifex_pt – é a partir daí que ele irá tweetar.

De seguida leia a entrevista com o padre Paul Tighe, o responsável por social media do Pontificado.

Entrevista oficial aos tweets do papa – com Monsignor Paul Tighe

Como é que o papa se sente acerca do primeiro tweet dele?

Eu acho que ele está tanto intrigado como satisfeito. Nós estivemos à espera das perguntas. Tivemos de selecionar perguntas e envolvê-lo à base daquelas questões. Eu gostava que tivéssemos as colocado todas em linha, mas cada tweet irá ser visto e aprovado pelo papa

Você anticipa tweets diários?

Inicialmente, acho que serão infrequentes mas regulares, provavelmente relacionados com aqueles moementos nos quais o Papa se dirige ao mundo. No Domingo, ele dará um discurso na Praça de São Pedro. Outro acontecimento dar-se-á na quarta-feira, e em preparação para isso, o Papa pode prestar alguma atenção à elaboração do tweet para que ele venha mesmo dele. Para uma fase de lançamento, ele irá responder diretamente a uma série de questões relacionadas com a fé.

A equipa do Twitter ajudou?

Eles sabem como ter um certo sentido de ajuda. Eles foram muito prestáveis, em especial a vice presidente para a inovação social, a Claire Diaz-Ortiz.

A possibilidade de ser hackeado poderá ser um medo?

Nós trabalhámos juntamente com o Twitter nisto. Eles já têm experiência ao terem trabalhado lado a lado com outras figuras públicas de renome a nívem mundial, e têm cosnseguido salvaguardar a conta deles a ter níveis apropriados de segurança, quer seja o Barack Obama ou o Dalai Lama. Nós sentimos que temos tão boa segurança quanto é possível ter nesta plataforma social.

Porque é que o Papa não segue ninguém?

Reparámos que o Dalai Lama não seguia ninguém. Como é que decidimos quem seguir e não seguir? Isso é uma das razões pela qual o Facebook, onde temos de conscientemente decidir quem é e quem não é um amigo, não seria o melhor meio social. Nós poderíamos ter seguido os cardinais e bispos mas e depois?

O Barack Obama segue mais de 600 000 pessoas

Talvez devamos falar sobre isto como uma boa prática para os líderes da Igreja a nível mundial.

Porquê agora?

Várias figuras de destaque, desde cardinais a bispos a crentes no geral, estão presentes no Twitter. De certa forma, a presença do papa é, ex post facto, um apoio ou encorajamento a eles. Temos uma série de pssoas que dizem, “Se o Papa vai para o Twitter, talvez seja altura para mim também”. Nós temos pensado de forma ativa nisto desde Janeiro, quando o Papa deu uma mensagem focada no silêncio a antecipar o Dia Mundial das Comunicações.

Silêncio

Silêncio é uma parte integral das comunicações. Se não és sliencioso, não estás a ouvir o outro. Ele acha que se usarmos estes meios sociais, nós podemos estar a ouvir. Social media dá-nos os meios para ouvir. Isto tem o potencial extraordinário de ajudar a saber como é que as pessoas interpretam a mensagem. O papa sente que os novos meios também podem ajudar a promover atitudes de silêncio e reflexão e ensinar meditação às pessoas. Ele também disse que é possível, usando frases curtas, para comunicar verdades importantes.

Como é que vocês conseguem dizer verdades restringindo-as a 140 caracteres?

É um desafio, mas é a essência dos ensinamentos da bíblia. No ano passado, dividimos a mensagem do Papa para a Quaresma em 40 tweets, ou 40 frases curtas. Fomos a um site que criámos quatro anos atrás chamado Pope2you.net e perguntámos se alguém queria ficar com isso. Cerca de 30 000 pessoas queriam ter um dos tweets do Papa nos dias da Quaresma.

Vi um vídeo na homepage para Advent, Gangnam Style

A Diocese de Sidney foi responsável por isso. É um bom website. Eles gastaram cerca de €2000 com isso. Na primeira semana tiveram 5 milhões de hits. Temos 25 pessoas a trabalhar a tempo inteiro na assembléia. A Igreja é uma comunidade de comunidades. Não é muito diferente duma network, ou rede social. Vejam o vídeo Advent. Nós gostámos. Pusemo-lo no nosso website e outras dioceses espalharam-no. Eu enviei-o para os meus sobrinhos na Irlanda e eles adoraram. Isso é o poder dos social media.

Eu sei. O Papa tem 610 000 seguidores sem ter feito um único tweet.

Não é tentar ter o máximo n.º de seguidores, mas existe um certo prazer em poder ver que os números de seguidores são elevados. Mas nós não estamos a competir com ninguém. Isto não é um jogo para ter seguidores para o Papa. É sobre ter novas maneiras de alcançar as pessoas que podem ser tocadas, encorajadas pelas palavras do Evangelho. Se eles são seguidores, eles são seguidores de Cristo.

Então o Twitter é um novo sítio para apregoar

É quase como o equivalente aos mercados antigos de onde Jesus interagia com as pessoas. É aí que temos de estar, com todas essas ambiguidades e dificuldades, porque é aí onde as pessoas estão.

Leia a notícia em http://www.businessweek.com/articles/2012-12-11/the-popes-social-media-guru-on-at-pontifexs-first-tweet

Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe um comentário