Resoluções dum Marketer

Chegamos a mais um final de ano, olhamos para trás e ponderamos os nossos sucessos, insucessos, e falhanços totais. Quando o calendário passa para o ano novo somos confrontados com a promessa dum ano “limpinho”, esperando com expetativa pelas possibilidades que se avizinham.

Enquanto pessoas que somos, temos juízo, mas também estamos cheios de promessas. Encaramos o ano novo percebendo os falhanços e trazendo a bagagem do ano que encerra, o que nos pode fazer tropeçar. Assim, escolhemos livrarmos-nos dos problemas e preocupações, maus hábitos e fobias quando o ano termina, entrando num ano novo cheio de promessa. Concordamos libertar-nos de erros e perdoar-nos pelos nossos falhanços, e aprender com os erros mas não ser governados por eles.

Pouco nos prepara mais para uma viagem pelo ano novo adentro, cheio de promessa e aventura, do que criarmos objetivos para o ano, fazendo o compromisso connosco próprios em como nos vamos comportar neste ano novo. Começamos por reduzir/eliminar o cinismo nas nossas empresas e projetos, percebendo que, enquanto criativos e inovadores, somos a centelha de criatividade que vai levar os outros a ter melhores ideias. Decidimos que arranjar ideias interessantes em novos produtos e serviços não é fácil, mas é possível se tivermos o investimento certo e as competências necessárias. Encaramos estas verdades mas elas não são auto-proféticas. Temos de ter factos antes de acreditar neles.

Resoluções de Ano Novo dum Marketer

  1. Eu resolvo aprender a comunicar mais eficazmente, traduzindo esta promessa em resultados que estão de acordo com os meus objetivos profissionais e pessoais, assim como os dos meus clientes e aquilo que lhes interessa: receitas e lucros.
  2. Vou ter a paciência e coragem da Madre Teresa, com a proactividade e bom-senso do Zig Ziglar. Paciência e senso-comum, juntamente com criatividade, vão ser a minha maneira de pensar. Isto não vai acontecer dum dia para o outro.
  3. Não vou prometer aos meus clientes nem a mim próprio que uma boa imagem é a cura para a facturação duma empresa, mas irei definir limites aceitáveis para a criatividade e inovação com vista a resultados. Vou à procura de oportunidades em serviços, modelos de negócios e áreas onde eu e os meus clientes de podem destacar.
  4. Irei integrar inovação nas minhas estratégias. Se podemos incorporar atividades de inovação de forma organizada, poderemos medir e monitorar, em vez de ir por feeling
  5. Identificar pessoas com as quais colaboro para perceber em como a inovação, criatividade e marketing são importantes e criar laços com eles para lhes mostrar que eles não estão sozinhos. Ter mais oportunidades para os conhecer melhor e desenvolver networking.
  6. Aceitar oportunidades de inovação, tanto pequenas ou grandes, para demonstrar o sucesso que sei que consigo empregar, desde que o consiga fazer com toda a minha atenção.
  7. Melhorar o meu conhecimento e perceção de métodos de marketing, tradicional ou digital, ferramentas e modelos. Não vou ficar satisfeito com o meu conhecimento ou fazer uso do same old same old. Vou beber a novas fontes, mantendo as antigas, desde que úteis.
  8. Vou propôr atividades disruptivas pensadas de antemão, desde que no âmbito do projeto e alinhadas com os objetivos empresariais, meus, ou de com quem trabalho. Deverão resolver um problema ou obstáculo numa empresa, e não ser disruptivo porque está na moda.
  9. Não lançar-me de cabeça para um trabalho só pela parte financeira, mas sim para identificar o problema, enquadrá-lo com pés e cabeças, e perceber as opções à minha frente. Rapidez é importante, mas também é fazer bem.
  10. Identificar rescursos, empresas, colegas, parcerias e ideias fora do meu mundo típico que podem acelerar o meu trabalho, e o deles.

Há apenas alguns obstáculos que te impedem de ser o teu melhor. Os obstáculos poderão ser intangíveis, como a mentalidade do teu prospeto ou a cultura empresarial, mas outros são internos, como aquela vozinha na tua cabeça que te diz que “agora ainda não é o tempo certo”. Bullshit. Agora é o tempo certo. O mercado quer inovação e resultados e o tua empresa merece-os. Nada é mais importante do que receberes a mudança com os braços abertos.

Este ano, nesta altura, decide fazer as coisas certas. Orienta o teu tempo e energia em inovares e fazeres bom marketing para a obtenção de resultados.

2014

Seja social e partilheShare on FacebookShare on LinkedInTweet about this on Twitter

Deixe um comentário