A minha melhor dica de networking

Chatbot phone

Atualizado: Outubro 2019


Ilustração de bonecos à volta duma mesa

Já atendi vários eventos de networking, mas a maioria das vezes chegava ao escritório e a minha colega perguntava-me, “então, arranjaste clientes hoje?”. “Se calhar”, respondia.

Era difícil responder a isto porque as coisas não acontecem instantâneamente mas admito que muitos destes eventos não resultavam em nada a não ser uma pilha de cartões de contacto.

Eu ia lá, fazia alguma conversa, tinha um bom aperto de mão, sorria, mantinha contacto visual e passava cartões de contacto com quem tivesse oportunidade, vez após vez.

O problema não era que eu não estava a conhecer pessoas, ou que não eram o tipo de pessoas que fossem o meu cliente ideal.

O problema era que eu não sabia qual o passo seguinte. Eu enviava emails para algumas pessoas que tivesse conhecido nesses eventos por ter mesmo a intenção de me manter top of mind com eles, mas estes contactos acabavam por não dar em nada.

Eu só pensava em vender

Networking baseia-se em criar e manter relações.

Quando comecei a atender eventos de networking, a minha intenção na altura era aparecer, falar com as pessoas, e quando a pergunta “então, João, o que faz?” fosse colocada, eu dizia-lhes “ah, faço websites e marketing online”. De volta, o que eu esperava é que me dissessem “Ah, faz websites? Temos de falar, eu preciso dum”.

Networking baseia-se em criar e manter relações.

Mas isto raramente acontecia, e eu cansava-me de ir a sítios só para aparecer, verem a minha cara, e voltar para casa de mãos a abanar.

Até que, ao ler um artigo sobre agregar valor às pessoas (num contexto de clientes), me apercebi que eu não estava a dar nada a estas pessoas que eu conhecia.

Onde está o valor

Se o propósito do networking é apenas ligar as pessoas que precisam de serviços com aqueles que os podem fornecer, então íamos todos às páginas amarelas, online, ou perguntar aos amigos.

Bom networking, no entanto, é perceber que cada pessoa é capaz de agregar valor à outra. O objetivo não é despejar na outra pessoa um cartão de contacto e dizer tudo aquilo que fazemos na esperança que haja alguma coisa que lhe interesse.

Em vez de falares sobre ti e o teu negócio, aprende a ouvir e a saber mais sobre o negócio dos outros. No que é que eles têm trabalhado ultimamente? Que problemas estão a ter? Com o que é que estão chateados, ou interessados? Em vez de estar a pensar em vender o teu serviço, deves vender-te a ti primeiro.

Em vez de vender o teu serviço, vende-te a ti primeiro.

Pede-lhes para se juntarem ao teu clube secreto

A melhor dica que tenho para ti é que eles se juntem ao teu “clube secreto” ou restrito.

As pessoas que vão a eventos de networking vão lá para desenvolvimento de negócios, mas provavelmente também gostam de ir a estes eventos. Alguns até gostam de ir por gostarem do próprio networking em si.

Ao falares com alguém no evento, em vez de dizer que te vais manter em contacto, trocar contactos e dar um aperto de mão, experimenta fazer isto da próxima vez: diz-lhes que gostaste de falar com eles e queres fazer uma sugestão.

Criaste um pequeno grupo de empreendedores locais, cuja entrada é apenas por convite, e que o grupo está interessado em [serviços que fazes] e em desenvolvimento de negócios, e achas que eles poderão ser uma boa adição ao grupo.

Pede-lhes permissão para os adicionar ao teu grupo (email) e informa-os que organizas de vez em quando encontros e que envias algumas dicas interessantes sobre negócios (o deles, ou no geral).

Tens agora o teu primeiro subscritor na tua newsletter do grupo, e tens permissão para falar e continuar contacto com eles. Estás desta forma a posicionar-te como um líder de opinião no mercado de [serviços que fazes] e do que lhes interessa a eles (o negócio deles).

À medida que vais a mais eventos, esta lista irá crescer. Poderás dar por ti a ser o anfitrião dos teus próprios eventos, seminarários, entre outros. Estás a ganhar uma reputação como peça central deste clube restrito, e estarás top of mind para os outros membros, que irão pensar em ti da próxima vez que precisarem dos serviços que fazes.

Experimenta esta tática da próxima vez que fores a um evento, é mais eficaz do que trocar apenas contactos com a outra pessoa.

E tu, que estratégia tens usado em eventos para conhecer pessoas?

Artigo relacionado: Networking: traga o raio dos cartões consigo


Ao teu sucesso,
assinatura-joao-78x50-nenhuma
João Alexandre
Estratega Digital

Marketing Digital sem espinhas

Deixe um comentário