Como fazer anúncios Facebook para os seus contactos LinkedIn

O Facebook permite carregar uma lista de email para que possamos fazer anúncios apenas para essas pessoas. Isto pode ser uma lista de emails, ou uma base de dados que você tenha captado de outra forma.

Isto significa que pode fazer anúncios para subscritores da sua lista de email.

E também pode fazer o mesmo com os seus contactos no LinkedIn. É isso que vamos ver neste artigo: como fazer anúncios Facebook para os seus contactos LinkedIn.

Veja o vídeo ou a transcrição em baixo.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo

Neste vídeo vou-lhe ensinar como mostrar anúncios Facebook aos seus contactos no LinkedIn.

E porque é que você iria querer fazer isto?

Ao fazer isto você vai ficar top of mind nas suas conexões, os seus contactos do LinkedIn. E vai fazer com que as pessoas estejam mais atentas aos seus conteúdos, tanto no LinkedIn como no Facebook.

Então, como é que nós fazemos isto?

Bem, a primeira coisa a fazer é ir ao seu LinkedIn, à sua feed, e clicar no separador de Minha Rede.

Aqui, na Minha Rede, tem as suas conexões, e vai clicar em Visualizar tudo. Aqui vai conseguir ver todos os seus contactos do LinkedIn.

Neste ecrã então, vai clicar no canto superior direito, onde diz “Gerenciar contactos importados”, e é aqui que você vai poder selecionar todos os seus contactos para depois os exportar.

Então, vou selecionar Todos, e venho aqui às Ações Avançadas, e Exportar contactos. Vou clicar aqui. Isto leva-me para outro ecrã, onde eu posso que quero exportar apenas as Conexões.

Isto aparece-me desta forma porque eu já fiz previamente uma exportação de conexões, no entanto se for a primeira vez que estiver a exportar os seus contactos no LinkedIn, vai ter de selecionar Conexões, e depois clicar em Baixar arquivo, e o LinkedIn, o que ele vai fazer é enviar-lhe um email quando o seu download do ficheiro dos seus contactos estiver pronto.

Vai então receber o email para voltar outra vez a esta página, e então aqui depois basta clicar em baixar arquivo, que depois fica com um ficheiro Zip, onde estão os seus contactos do LinkedIn.

Então, o que é que vai fazer com isto? Vamos ao Facebook, e no Facebook vamos criar um Público, vamos criar um Público personalizado.

Aqui vamos selecionar a opção de Ficheiro de clientes. Aqui neste ecrã vamos escolher “Adicionar clientes do teu próprio ficheiro […] e aqui então vamos selecionar qual é que é o nosso ficheiro. E aqui está ele. Vou clicar para abrir, e agora vou clicar em Seguinte.

Agora o Facebook tem aqui um possível mapeamento da informação dos nossos contactos no LinkedIn, com os utilizadores que existem no Facebook.

Ele já mapeou corretamente o email, no entanto, eu quero carregar mais coisas. Então, vou clicar aqui e selecionar “Nome próprio” (quer dizer que é o primeiro nome). E aqui, o Last name, quer dizer que é o último nome, neste caso o Facebook chama-lhe de apelido, e vou selecionar Apelido.

Repare como há aqui mais campos que você pode selecionar a nível de posição, de empresa, etc. No entanto, eu só quero três campos: nome próprio, que é o primeiro nome, o último nome [apelido] e o email.

Vou clicar agora em Carregar e Criar. O Facebook carrega-me então este ficheiro, mas ele ainda não está pronto. Vou clicar em Concluído, e aqui está, nós temos aqui o nosso Público personalizado chamado de Connections.

Ele ainda não está disponível porque o Facebook ainda está a atualizar o público. No entanto, numa questão de minutos, ou no máximo de horas, o público fica atualizado e você pode começar a usá-lo.

E como é que você vai usar isto?

Você vai ao seu Gestor de Anúncios, e vai criar uma Campanha. Você escolhe o seu objetivo, vou escolher por exemplo o objetivo de Alcance, e na secção de Público, o que vou fazer é clicar no campo de Públicos personalizados para escolher o nosso Público.

Vou selecionar Público Personalizado para escolher só os públicos personalizados que nós criámos, e aqui está ele, Connections. Esta é a lista que você exportou do LinkedIn, e importou para o Facebook. Vou clicar nela.

O que isto quer dizer é que o nosso anúncio, que nós ainda não criámos, vai ser mostrado apenas aos seus contactos, às suas conexões no LinkedIn.

E agora o que você iria fazer é criar o seu anúncio como normalmente. Você [vai] à sua criação de anúncio, ia escolher uma imagem ou um vídeo, o que quisesse, e depois iria preencher o seu anúncio com texto, título e etc, e depois o seu anúncio iria ser mostrado apenas aos seus contactos do LinkedIn.

Uma coisa que você podia fazer era promover algum produto ou serviço que você tenha, para os seus contactos, ou mostrar algum tipo de conteúdo, um artigo, um vídeo que seja de valor e que tenha informação relevante e útil para eles, ou pode mesmo sugerir que os seus contactos do LinkedIn o sigam no Facebook, que sigam a sua Página se ainda não seguem, e que sejam fãs.

A partir de agora as pessoas vão começar a ficar mais alertas para os seus conteúdos quando você os publicar no LinkedIn, ou quando você publicar, também, na sua Página Facebook, e vai ficar mais top of mind para os seus contactos do LinkedIn.

Eu espero que este vídeo tenha sido útil, goste, faça um comentário, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeos e conteúdo que você quer ver para que eu o(a) possa ajudar no seu negócio. O meu nome é João Alexandre, e obrigado.

Tamanhos Instagram para 2018

Então quer saber os tamanhos e dimensões do Instagram para 2018.

Leia este artigo rapidamente e faça o download dos templates gratuitos do Instagram, que podem ser usados para imagens e vídeos no Instagram, assim como nas Histórias do Instagram.

Há 4 medidas, mas três orientações principais. Lembre-se que na vista de grelha do seu perfil a sua imagem será sempre redimensionada como quadrado… tenha isto em conta ou use os templates no final do artigo para verificar que a sua imagem fica centrada como quer.

Os tamanhos

Tamanhos Instagram

Quadrado: use uma imagem de qualidade com tamanho de 1080×1080 pixéis. O Instagram irá redimensionar a imagem para 600x600px. Isto também é válido para vídeos.

Vertical: neste formato as suas imagens devem ter 1080×1350 px. É perfeito se precisar daquele espaço extra para mostrar uma pessoa ou mais detalhes. Também pode usar este formato para publicar os seus Pins no Instagram, porque adequa-se bem ao formato do Pinterest.

Horizontal: uma boa escolha para panoramas, fotos “gordas” e vídeos HD. Use uma imagem de qualidade de 1920×1080 px. Para vídeos use um formato de pelo menos 1200x673px em visualização completa ou retina display se o vídeo não for HD. Mas prefira o 1920×1080 para o formato HD.

Histórias: nas histórias use um formato de 1080×1920, tanto para imagens como para vídeos. Pode haver alguma dificuldade em conseguir ter um ficheiro com poucos Mb… por exemplo se o seu vídeo for mais de 2Mb, esqueça, não vai poder carregá-lo. Tenha isto em conta ao exportar o seu vídeo. Para fotos não há problema, raramente irão chegar ao limite dos 2Mb. O vídeo deve ser exportado/comprimido em .mp4.

E é isto.

Agora tenho um presente para si.

Eis alguns templates Instagram que pode usar como base para criar as suas imagens no Photoshop e usá-las no Instagram.

Como instalar Customer Chat Plugin com ManyChat

O Customer Chat Plugin é uma janela que aparece aos visitantes do seu site, que quando iniciam contacto com ela, você recebe essa mensagem no Messenger da sua página e pode continuar a interação com eles.

Neste artigo vou explicar como instalar a janela do Messenger no seu site através do ManyChat, um serviço de criação de bots. Se não usa o ManyChat, então veja as outras duas opções abaixo de como instalar isto no seu site.

1. O seu site está em WordPress? Clique aqui para ver as instruções em como instalar rapidamente no seu site WordPress.

2. Ou o seu site não está em WordPress ou você não tem o ManyChat? Clique aqui para saber como instalar a janela do Messenger em qualquer tipo de site.

Como instalar janela Messenger com ManyChat

Então vamos lá saber como instalar o Customer Chat Plugin no seu site.

Passo 1: Vá ao seu ManyChat, ao separador de Growth Tools e clique em + New Growth Tool.

Instalar janela Messenger com ManyChat 1

Passo 2: Clique no widget de Customer Chat.

Instalar janela Messenger com ManyChat 2

Passo 3: Dê-lhe logo um nome, e clique em Edit para editar a mensagem que vem por defeito.

Instalar janela Messenger com ManyChat 3

Passo 4: Escreva o texto que irá aparecer após o visitante do seu site clicar no “Entrar no chat agora”. Não confundir isto com o texto de boas vindas que aparece na janela, isso é diferente, e já vamos ver como alterar isso mais abaixo.

Instalar janela Messenger com ManyChat 4

Passo 5: Após editar a mensagem, volte atrás e clique em Setup (ou clique no botão Next >).

Instalar janela Messenger com ManyChat 5

Passo 6: Clique em Install Javascript Snippet e vai-lhe aparecer uma janela.

Instalar janela Messenger com ManyChat 6

Passo 7: Escreva o endereço do seu website no campo, clique em Add, e depois Next.

Instalar janela Messenger com ManyChat 6-1

Passo 8: Instale este código no seu site. Este código não é apenas para a janela do Messenger, isto é necessário para todos os widgets que tenham de ser instalados no seu site, por isso mais vale deixar isto pronto agora.

Instalar janela Messenger com ManyChat 6-2

Passo 9: Mais em baixo, pode escolher esconder ou mostrar a janela do Messenger. Por exemplo, pode querer esconder na sua página de contacto, porque pode ser redundante.

Instalar janela Messenger com ManyChat 7

Passo 10: Escolha como quer que a janela apareça para o visitante do seu site, toda aberta (com o texto) ou minimizada. Apesar de na imagem estar como Opened, aconselho que esteja minimizada para não “encher a cara” ao visitante.

Selecione também a cor que preferir. Aconselho que seja uma cor consistente com a sua marca ou logótipo.

Instalar janela Messenger com ManyChat 8

Passo 11: Escreva o texto de boas vindas que a pessoa irá ver na sua janela do Messenger. Aconselho deixar o mesmo texto para aqueles que têm sessão iniciada ou sessão terminada (no Facebook) para efeitos de consistência.

Selecione também se quer mostrar a janela em mobile e desktop, só desktop, ou apenas mobile (poderá ser uma boa ideia mostrar apenas em desktop para não incomodar demasiado em dispositivos móveis)

Instalar janela Messenger com ManyChat 9

Passo 12: Depois clique em Save para guardar e passe de Draft para Active, de forma a que este widget fique ativo (senão ficava em rascunho e não ia funcionar).

Instalar janela Messenger com ManyChat 10

Passo 13: Este é o resultado final.

Instalar janela Messenger com ManyChat 11


Gostou deste passo a passo? É fácil não é? Partilhe connosco nos comentários.


Como saber quantos cliques teve um botão no Google Tag Manager

Acompanhar os cliques dum botão no Google Tag Manager (Gestor de Etiquetas da Google) parece algo do outro mundo, mas é bastante fácil.

Se nunca mexeu no Google Tag Manager, isto pode ser um bocadinho difícil. Mas é por isso mesmo que você está aqui, porque neste artigo vou ensinar-lhe a saber quantos cliques teve um botão.

Siga os passos com cuidado se for novo no Google Tag Manager.

Mas antes disso…

Porquê o Google Tag Manager

O Gestor de Etiquetas do Google é uma solução completa de gestão de etiquetas. Com ele, conseguimos controlar todas as etiquetas de analítica e marketing no seu site sem tocar no código do site.

Gestor Etiquetas Google

Isto permite-lhe controlar todas as tags a partir dum único sítio, não precisando de modificar o seu site de cada vez que quiser instalar um novo código.

Além disso, ajuda a melhorar a rapidez do seu site porque está a puxar ficheiros externos individualmente, sem ter de esperar para outras tags que carreguem.

Primeiros passos no Gestor de Etiquetas

Instalar o gestor de etiquetas no seu site é fácil, mas se precisar de ajuda, veja este guia para um tutorial completo.

De forma rápida, estes são os passos para instalar o Google Tag Manager no seu site.

  1. Crie uma conta de Gestor de Etiquetas em https://tagmanager.google.com
  2. Preencha com informação do seu site
  3. Copie o código do contentor do GTM
  4. Cole esse código no cabeçalho do seu site
  5. Verifique se está a funcionar com esta extensão

Isto dá para fazer em 5 minutos. Ao instalar o Google Tag Manager no seu site vai poder gerir as suas tags e fazer muitas coisas.

Se estiver a usar WordPress no seu site, instale este plugin que ajuda a colocar o código do Google Tag Manager no seu site facilmente.

Plugin WordPress de DuracellTomi

Antes de começar

Antes de começar a medir as coisas, precisa de se familiarizar com o interface do Google Tag Manager, especialmente se nunca o usou anteriormente.

Para medir um clique de botão, inicie sessão na sua conta de Gestor de Etiquetas e selecione um contentor específico.

Contas Google Tag Manager

Vai ter ao seu espaço de trabalho, e a primeira coisa a fazer é ativar todas as variáveis de cliques. Para fazer isto, clique em Variáveis e depois em Configurar.

Configurar variáveis Google tag manager

Coloque o “visto” em todas as variáveis por baixo de Cliques.

Configurar variáveis cliques

Após ativar todas as variáveis de cliques, precisa criar um acionador.

3 formas de criar um acionador

Uma condição acionadora é avaliada durante o tempo de execução.

Pode acompanhar um botão de 3 formas:

  • ao lhe atribuir um id único
  • uma classe (css) ou
  • ao usar texto do botão

A melhor forma é ao usar o id do botão. Se um botão não tiver nenhum ID, procure pela classe dele, e se também não tiver isso, vá então com a última opção de usar texto no botão.

Mas escolha o ID, de preferência.

Vou-lhe mostrar todas as três maneiras de criar um acionado, mas por agora, vamos criar um acionador genérico para verificar as propriedades do botão.

Do menu do lado esquerdo, clique em Acionadores, e depois em Novo.

Novo acionador

Dê-lhe um nome (ex.: Acionador genérico), depois clique na configuração do acionador e selecione “Todos os elementos” por baixo de cliques.

Selecionar todos os elementos (cliques)

Clique em Guardar no canto superior direito para guardar este acionador. Irá ter ao seu espaço de trabalho de novo.

Clique em Pré-visualizar e abra o seu website num novo separador.

Guardar acionador

Quando abrir o seu site, não se assuste. Vai ver um preview do tag manager no rodapé do seu browser. Só você é que está a ver isto, os visitantes do seu site veem tudo normalmente.

Preview do site com tag manager

Clique no Ctrl do seu teclado ao mesmo tempo que clica no botão que quer acompanhar.

No seu preview aparece um novo elemento (gtm.click). Clique no separador de Variables (você está no de Tags) e irá ver todas as variáveis associadas com o seu botão.

Variáveis do botão no preview

Veja na coluna do “Value” qual o valor para as variáveis de Click ID, Click Classes e Click Text. A nossa prioridade para cada um deles vai ser nessa ordem.

No meu exemplo não tenho valor para o click id, portanto vou usar o click classes, que tem o value de “button blue” e que tem o texto de “INSCREVAM-ME”.

Agora que tenho esta informação, vamos voltar ao acionador que criámos.

Vamos ver como criar um acionador com base no click ID, click classes e click text.

Se o seu botão estiver associado com um id (o meu não tem), copie isso, se não estiver copie o valor de click classes (o meu é button blue), e se não tiver nem um nem outro, então use o valor do click text (o meu é INSCREVAM-ME).

Vá à sua conta do gestor de etiquetas e abra o acionador que criámos anteriormente. Mude o nome para aquilo que você quer acompanhar. No meu caso, é acionador de botão inscrevam-me.

Mudar nome acionador

Então vamos lá saber como fazer uso dos acionadores de 3 formas diferentes: click id, click classes e click text. Vamos começar pelo click id.

1. Usar o click ID do botão

Se o seu botão estiver associado com um ID, siga estes passos. Caso contrário use o método 2 ou 3.

Clique na configuração do acionador e mude Todos os cliques para Alguns cliques. Nas opções, selecione Click ID > contém > (o ID do botão).

Acionador click id botao

Clique em Guardar.

2. Usar o click class do botão

Se o seu botão estiver associado a uma class, siga estes passos. Caso contrário use o método 1 ou 3.

Na configuração do acionador, mude Todos os cliques para Alguns cliques. Nas opções selecione Click Classes > contém > (a class do botão).

Acionador click classes botao

Clique em Guardar.

3. Usar o click text do botão

Se o seu botão não tiver nem id nem class associada a ele, siga estes passos.

Na configuração do acionador, mude Todos os cliques para Alguns cliques. Nas opções selecione Click Text > contém > (o texto do botão).

Acionador click text botao

Clique em Guardar.

Crie uma etiqueta para ele

Crie uma etiqueta para disparar quando a condição do acionador acima for correspondida.

Clique no separador Etiquetas no menu da esquerda e depois clique em Nova para criar uma etiqueta nova.

Criar nova etiqueta

Clique em Configuração da etiqueta. Aparece um menu lateral à direita, e aí escolha Universal Analytics.

Escolher etiqueta

Se ainda não o fez, dê um nome à sua etiqueta. No meu caso, dei o nome de GA – Evento – Inscrevam-me. Pode mudar o “inscrevam-me” para o botão que estiver a acompanhar.

Selecione o tipo de acompanhamento como Evento. Abaixo, defina os seus parâmetros de acompanhamento de eventos. Pode definir parâmetros únicos para que os possa reconhecer nos relatórios do Google Analytics.

Parâmetros da etiqueta

Mude os valores de Categoria e Ação de acordo com as suas necessidades. Na Etiqueta selecione click url porque irá exibir a URL da página onde o botão foi clicado.

No ID de acompanhamento, coloque o código de acompanhamento do seu google analytics. Pode encontrar o ID de acompanhamento no seu Google Analytics listado em Admin → Propriedade → Definições da propriedade ou em Admin → Informações de acompanhamento → Código de acompanhamento.

Mais abaixo, clique na zona do Acionador e selecione o acionador que criámos anteriormente.

Selecionar o acionador

Clique em Guardar. Irá ter ao seu espaço de trabalho de novo. Clique em Atualizar para atualizar o modo de Pré-visualização.

Atualizar modo preview

Abra um novo separador no seu browser e vá ao seu website para verificar que esta etiqueta está a disparar corretamente.

Clique em Ctrl no seu teclado ao mesmo tempo que clica no botão que quer acompanhar.

Se tiver feito tudo corretamente, irá ver a tag a ser disparada com sucesso. Se não tiver disparado, reveja os passos anteriores porque talvez se tenha esquecido de alguma coisa.

Etiqueta disparada com sucesso

Se a tag tiver disparado corretamente, volte ao seu Gestor de Etiquetas e clique para sair do modo de pré-visualização. Depois clique no canto superior direito em Enviar, e depois de novo em Publicar para efetivar as suas mudanças. Lembre-se de fazer isto ou as suas mudanças não serão gravadas.

Publicar alterações tag manager

Para ver os relatórios de eventos, aceda à sua conta Google Analytics e vá a Comportamentos > Eventos > Descrição geral.

Ver eventos no Google Analytics

Pode então criar um objetivo de evento no Google Analytics para saber qual a taxa de conversão (dos cliques no botão).

Vá ao seu Google Analytics à secção de administração e clique em Objetivos.

Criar objetivo Google Analytics´

Clique em + Novo objetivo para criar um novo objetivo no Google Analytics.

Clicar em + Novo Objetivo

Tem 2 passos para fazer.

Preencha a descrição do objetivo, dando-lhe um novo, e selecionando Evento como tipo de objetivo.

Preencher Descrição do objetivo

Clique em continuar e irá para os detalhes do objetivo. Preencha a categoria, ação, etiqueta e valor com os valores da etiqueta que criou anteriormente no Gestor de Etiquetas (reveja uma das imagens acima).

Preencher detalhes do objetivo

E voilá. Agora pode saber quantos cliques teve aquele botão.

Gostou deste guia? Até nem é difícil pois não?

Mapa do cliente: como ter um conhecimento profundo do seu potencial cliente

Todo o bom marketing começa com um conhecimento profundo dos seus potenciais clientes.

O que eles querem e o que eles precisam. O que é importante para eles, objetivos e desejos. Os problemas do dia-a-dia, os medos.

E também perceber o que eles precisam de saber e sentir para estarem prontos para comprar o seu produto ou contratá-lo(a).

Obter este conhecimento nem sempre é fácil. É provável que você tenha muitos dados sobre os seus clientes – mas não necessariamente a informação mais perspicaz.

Com este Mapa do Cliente (em baixo), você pode usar aquilo que já sabe sobre os seus clientes e transformar isso em informação para tornar o seu marketing mais eficaz.

Ao usar este Mapa do Cliente, vai ter uma nova perceção sobre os seus clientes, e é provável que você se depare com algo verdadeiramente surpreendente que irá mudar a forma como aborda o seu marketing para esse tipo de cliente.

Experimente preencher este documento, porque lhe vai abrir bem os olhos para uma nova abordagem ao seu marketing e a maneira como comunica com o seu cliente ideal.

Guia rápido: testar e expandir anúncios Facebook

Testar, testar, testar.

Esse devia de ser a regra #1 em publicidade, porque é uma das coisas mais importantes para ter sucesso com anúncios Facebook.

Não investir sem medir.

Esta é uma das minhas frases favoritas.

É uma pena que a maioria dos seus anúncios Facebook, mesmo que tenham bom desempenho ao princípio, começam a morrer quando lhes aumenta o orçamento.

Por vezes uma forma de continuar a ter bom desempenho com eles é criar um novo criativo (texto, imagem do anúncio) ou definir um novo público a quem mostrar os anúncios.

Combinação de criativo e subgrupos de público

Testar os seus anúncios com novos criativos pode ser o que precisa para ter sucesso no Facebook.

Eis o processo que eu sigo para testar e aumentar o orçamento dos meus anúncios…

  1. Testar um elemento de cada vez (título, imagem etc.);
  2. Testar primeiro os elementos com maior impacto nos resultados (ex.: imagem);
  3. Para elementos que não estão a ser testados, use os que tiveram melhor resultado até agora;
  4. Determine as métricas para avaliar os testes logo ao início;
  5. Desative os perdedores. Aumente o orçamento nos vencedores devagar.

Vamos perceber melhor cada um destes 5 pontos.

Teste um elemento de cada vez

Se está a testar imagens, não use títulos diferentes.

Se está a testar títulos, não use imagens diferentes.

Quando estamos a testar novos anúncios, devemos colocar cada criativo dentro do seu próprio conjunto de anúncios, ou seja, um anúncio por conjunto de anúncios.

E cada conjunto de anúncios tem o mesmo público definido, assim como as outras opções iguais. Isto significa que só o anúncio é que muda em cada conjunto de anúncios.

estrutura campanha

A razão pela qual colocamos apenas um anúncio dentro dum conjunto de anúncios é para termos a certeza que o Facebook dá orçamento suficiente e número de impressões (vezes que o anúncio é mostrado) suficiente a cada anúncio.

Se você não fizer isto, e em vez disso, colocar vários anúncios dentro do mesmo conjunto de anúncios, o Facebook vai escolher um vencedor demasiado depressa.

O problema com isto é que ele vai atribuir quase todo o orçamento do conjunto de anúncios a esse anúncios, quando existem outros anúncios nesse conjunto de anúncios que não tiveram impressões suficientes para podermos tirar conclusões sobre os resultados.

Por onde começar o teste?

Quando crio uma nova campanha, começo por testar a copy (o texto).

Teste A/B corpo de texto do anúncio

Note como o corpo de texto é diferente nas duas versões da imagem acima.

Testar a copy e imagens são normalmente os elementos mais importantes para determinar o sucesso dum anúncio.

Parto do princípio que você tem uma boa oferta, e que ela está a ser direcionada ao público-alvo correto. Para saber atingir o seu público-alvo, veja o meu ebook Em Cheio (não é gratuito).

Não teste coisas pequenas.

Normalmente começamos com uma imagem que pensamos que vai funcionar bem (ainda não estamos a testar imagens ainda, por isso não sabemos o que vai funcionar melhor).

Depois, arranjo 10 versões de texto diferente que quero testar. Todas essas versões serão testadas na mesma imagem. Ao testar a copy, faça com que as versões sejam bem diferentes entre si.

Testar 10 copy diferente para mesma imagem

Cada anúncio está a ser testado no seu próprio conjunto de anúncios, e cada conjunto de anúncios é igual, no sentido de ter o mesmo público definido e as mesmas opções.

Para elementos que não estão a ser testados, use aqueles que tiveram o melhor desempenho até agora.

Por exemplo, use um público que lhe deu o melhor resultado. Desta forma sabe que se um anúncio falhar, é devido ao criativo do anúncio (copy e/ou imagens), e não do público. Percebeu a coisa?

Lembre-se de manter o máximo possível de variáveis constantes, para sabermos qual a variável (a que estamos a testar) que está a ter sucesso ou não.

Escolha um vencedor

Deixe cada anúncio ter alguns milhares de impressões, porque é um número suficiente para podermos escolher a copy vencedora.

Note que a quantidade de orçamento que usar para o seu texto vai variar. Vou explicar isto melhor na secção abaixo sobre métricas.

Após lançar os seus anúncios, não lhes toque durante 24-48 horas. É necessário dar tempo ao algoritmo para ele fazer otimizações, e também porque não devemos tirar conclusões em tão pouco tempo.

Após selecionar o anúncio que tem a copy com melhor desempenho, vamos testar essa copy vencedora com pelo menos 10 novas imagens.

Testar copy vencedora em 10 imagens diferentes

Depois escolho os anúncios que tiveram melhor desempenho.

Com este processo, testámos 10 variações de copy e 10 imagens. Chegado a este ponto, haverá pelo menos um vencedor. Pode continuar a testar e otimizar usando o mesmo método.

Outros elementos de anúncios que pode testar:

  • Otimização para conversões vs. Interação vs. Cliques na ligação
  • Período de conversão (1 dia vs. 7 dias)
  • Licitação automática vs. manual
  • Locais de publicação (Desktop, mobile, Instagram, etc.). Verifique que o criativo está com tamanhos certos para cada local
  • Experimente emojis na sua copy

Testar públicos

Também pode testar públicos diferentes com base no que lhe ensinei até agora.

Ao testar públicos, use o mesmo criativo de anúncio para cada um dos públicos que for testar. Desta forma, sabe que a diferença nos resultados é devido à diferença dos públicos.

Por exemplo, se testar 10 conjuntos de anúncios, cada conjunto de anúncios deve ter um público-alvo diferente, mas o mesmo criativo de anúncio (só um anúncio, com a mesma copy e imagem).

Teste 10 públicos diferentes, mesmo anúncio

Métricas, KPIs

Ao testar os seus anúncios Facebook, é importante avaliar o sucesso através de dados estatísticos, não a sua intuição.

É verdade, você investe tempo, criatividade e paixão ao criar bons anúncios, mas não fique emocionalmente agarrado a eles.

Quando os anunciantes tomam decisões com base nas emoções, deixam anúncios perdedores a correr durante mais tempo do que deviam.

Por isso tem de tomar decisões com base em dados factuais.

Que dados devo saber? Boa pergunta.

Você deve analisar os seus anúncios com base no objetivo de campanha que escolheu.

Por exemplo, se estiver a fazer uma campanha de Conversões, então o Custo por resultado (ex.: lead), ou o ROAS (Retorno dos gastos do anúncio), devem ser os seus KPI principais.

Custo por resultado (campanha Conversões)

Anúncios que não têm conversões lucrativas devem ser parados; anúncios lucrativos devem ter o seu orçamento aumentado.

Se por outro lado, o seu objetivo é Interações, então irá fazer a sua análise com base no Custo por interação.

Você fica com a ideia da coisa.

Mas lembre-se de dar a cada teste orçamento e impressões suficientes para que seja estatisticamente relevante antes de saltar para conclusões.

Que orçamento usar para testar

Recomendo que atribua 10-15% do seu orçamento total para testar. O resto pode ir para expandir as suas campanhas lucrativas.

Agora, saber quanto gastar em cada teste individual é que é um bocadinho mais complicado.

Para determinar se um novo teste é lucrativo, precisa de gastar pelo menos duas vezes o valor do custo por resultado que pretende. Por exemplo, se o seu objetivo são conversões (ex.: lead) por 25€, deve gastar pelo menos 50€.

Orçamento dobro do custo por resultado pretendido

Mas às vezes é mais fácil identificar os perdedores do que os vencedores, para que os possa desligar rapidamente.

O problema é quando o seu custo por resultado pretendido é relativamente alto e você não quer gastar tanto em cada novo anúncios que for testar.

Nesse caso, pode às vezes identificar os que têm mau desempenho rapidamente ao usar outras métricas.

Por exemplo, se você sabe que a maioria dos seus anúncios de sucesso tiveram um CTR de 1% ou melhor, ou se o seu CPC foi abaixo de 1€, pode desativar anúncios que não alcançaram esses números.

Lembre-se de dar aos anúncios tempo suficiente, e impressões, para que possa tirar uma conclusão estatisticamente relevante sobre o CTR ou CPC.

E as outras métricas?

Regra geral, é importante que os anúncios Facebook sejam analisados com base no seu objetivo de conversão (o objetivo da campanha que escolheu).

Por exemplo, se o seu objetivo de campanha for Conversões, veja Custo por lead; se for de Tráfego, veja o Custo por clique. São essas as métricas principais de acordo com esses objetivos.

Métricas principais de objetivos

Um cliente meu pode queixar-se que o Custo por Clique é alto ou que os anúncios não têm engagement (Interação) suficiente.

Mas ao lhes indicar que o Custo por resultado (ex.: custo por lead, compra) é lucrativo, o resto das métricas não interessam. Normalmente o cliente cala-se e sorri em silêncio quando lhe aponto isto.

Ainda assim, eu presto atenção a métricas como o CTR, CPC e CPM (e também a Frequência). Não vou definir o meu sucesso com base nestas métricas, mas muitas vezes sabemos a “saúde” geral da campanha com base nestas métricas.

Pronto(a) para aumentar orçamento?

Após ter feito estes testes, provavelmente encontrou alguns anúncios com bom desempenho.

Boa.

Agora vamos começar a expandir e aumentar o orçamento destes vencedores.

Mas antes, um aviso… aumentar o orçamento é um processo delicado no Facebook. Se for agressivo, rapidamente, os seus resultados vão por água abaixo, porque está a confundir o algoritmo dos anúncios.

Notas euro água abaixo

Expandir de forma segura

Há 3 métodos que pode usar para aumentar o orçamento (de forma segura) nos seus anúncios vencedores.

1. Aumente orçamento em conjuntos de anúncios lucrativos
Não aumente o orçamento muito depressa. Regra geral, aumente 20% a cada 24-48 horas.

Não ajuste o orçamento mais frequente que isso porque cada vez que ajustar, o algoritmo tem de se reajustar. Este conselho vem diretamente do Facebook:

Dar 24 horas após editar anúncio

2. Duplique conjuntos de anúncios e mude de objetivo
Se está a ter sucesso ao otimizar o seu anúncio para conversões, experimente passar o conjunto de anúncios para uma campanha de interação ou de tráfego.

O Facebook vai mostrar impressões a diferentes pessoas com base em objetivos diferentes. Por exemplo, se for tráfego, vai mostrar a pessoas mais inclinadas a clicar, se for interação, vai mostrar a pessoas mais inclinadas a interagir (gostar, comentar).

Objetivos de Campanha

Pode usar a mesma ideia para otimizar para um tipo diferente de conversão, que seja à frente ou atrás do funil de conversão. Por exemplo, Adicionar ao carrinho, em vez de Compras.

3. Duplique anúncios para outros públicos
Se um anúncio está a ter um bom desempenho, você vai querer colocá-lo à frente do maior número relevante de pessoas quanto possível.

Por exemplo, se estiver a funcionar para um determinado público, crie um Público semelhante a esse, ou experimente interesses complementares, ou melhor ainda, retargeting, e mostrar aos seus fãs.

Avatar facebook publico

Passo a bola para o seu lado

Pegue nestas ideias, teste, ajuste à sua medida e tenha sucesso.

Após saber como testar e expandir os seus anúncios corretamente, vai ser imparável no Facebook.

Tem dúvidas ou alguma coisa que quer acrescentar? Escreva nos comentários abaixo.

Bola de futebol

Como usar o Facebook Analytics no seu site

Já ouviu falar do Facebook Analytics?

Para algumas pessoas parece um bicho de 7 cabeças, mas neste artigo vai saber como instalar e usar o Facebook Analytics para revelar informação sobre os utilizadores que visitam o seu site.

Temos de começar pelo princípio, ao instalar o píxel, porque senão nada disto vai funcionar.

1. Coloque píxel Facebook no seu site

O píxel é um pequeno código que coloca no seu site para poder otimizar os seus anúncios ao ter informação sobre os seus visitantes.

Se ainda não o fez, vá instalar o píxel do Facebook no seu site, tem de o fazer para que o Facebook Analytics possa obter informação do seu site.

Para criar o píxel, vá ao seu Gestor de Anúncios ou Gestor de Negócios, e selecione Píxeis. Ele estará por baixo de Dados e relatórios.

Selecionar píxel do Facebook

Vai ter a este ecrã. Clique em Criar Píxel.

Botão criar píxel

No próximo ecrã, dê um nome ao seu píxel e clique em criar. Note que se tiver uma conta de anúncios pessoal só pode criar um píxel, mas se tiver uma conta de Gestor de Negócios pode ter até 10 píxels e várias contas de anúncios.

Dar nome a píxel e criar

Tem 3 formas de instalar o píxel no seu site: usar uma integração ou o Google Tag Manager (Gestor de Etiquetas da Google), instalar manualmente ou enviar instruções para o seu developer.

Opções para instalar o píxel

Recomendo que instale manualmente. Eis como instalar o píxel do Facebook em:

Ao selecionar a opção para instalar manualmente, o Facebook mostra-lhe instruções para como o instalar. Copie e cole o código do píxel no cabeçalho do seu site.

Após instalar o código, o Facebook sugere enviar tráfego de teste para o seu website para confirmar que o píxel está corretamente instalado. Pode colocar a URL do seu site e clicar em Enviar Tráfego de Teste, ou então você vai ao seu site e faz refresh algumas vezes.

refresh no seu site

Pode ainda fazer o download da extensão Chrome Pixel Helper, que ajuda a saber se o seu píxel está bem instalado. Dica Ninja: vá ver o site dos seus concorrentes, se eles tiverem o píxel, eles são relativamente sofisticados (ou viram este artigo:)

Ainda nesse ecrã, clique em Continuar e irá ver opções adicionais para acompanhar eventos. Eventos são excertos de código que acrescenta ao código base do píxel para acompanhar certas ações (lead, compra, etc.).

Selecione evento do píxel

Ao clicar num evento (bolinha fica azul) e mostra-lhe o código para adicionar na página que quer acompanhar. Neste caso escolhi Gerar Leads, mas podia ter selecionado quaisquer outros que precisasse.

Código do evento

Este código (Gerar Leads) vou colocar numa thank you page após alguém se inscrever na minha landing page. Assim sei quem se converteu, e o píxel regista a conversão como lead.

Podia ainda selecionar “Enviar parâmetros do evento” para adicionar parâmetros a este eventos, tais como o valor da conversão e a moeda.

Adicionar parâmetros ao evento

Após definir e instalar os eventos que quer acompanhar com o píxel, clique em Concluído.

À medida que as pessoas visitam o seu site e as páginas onde instalou o código do evento, irá ver esta informação no painel de controlo do píxel do Facebook.

Atividade do píxel

Demora algum tempo até o píxel captar dados do seu website, por isso instale o píxel mesmo que não queira fazer nada com ele agora.

Até receber 100 visitas de utilizadores irá ver esta mensagem:

Sem dados suficientes

2. Adicione Eventos ao seu Píxel

Se já tem o píxel do Facebook instalado no seu site, ele irá acompanhar PageViews (visualizações de página) por prédefinição.

Para tirar maior partido do Facebook Analytics e do seu píxel, coloque eventos no seu píxel.

Vá ao seu Gestor de Eventos > Píxel no seu Gestor de Anúncios, clique no píxel e no ecrã seguinte clique em Configurar.

Configurar píxel facebook

Depois selecione “Instalar o código manualmente” (mesmo que já tenha instalado tem de clicar para continuar), e no próximo ecrã, clique no botão “Continuar”.

Vai ter a este ecrã onde pode adicionar os seus eventos. Clique naqueles que quer instalar (note: este código do evento adiciona-se ao píxel) e que fazem sentido para o seu negócio.

Selecionar eventos do píxel

Quando terminar, clique em Concluído. À medida que as pessoas visitarem o seu site e as páginas onde o código do evento está instalado, irá ver dados no seu painel de controlo do píxel.

Algo deste género:

PageView é o próprio código do píxel, Lead e ViewContent são dois dos eventos que eu uso no meu site. Por exemplo, o evento de Lead uso em thank you pages (após a pessoa se ter convertido numa landing page minha) e o ViewContent uso em certos artigos ou páginas importantes que quero acompanhar.

3. Ver analytics do seu site no FB Analytics

Após instalar o píxel do Facebook, irá vê-lo na lista de entidades do seu Facebook Analytics.

Selecione a sua entidade ou usa a caixa de pesquisa para encontrar o seu píxel (poderá ter apenas um ou vários).

Entidade estatística para FB Analytics

Após clicar no píxel que corresponde ao seu site, irá ter à Vista geral do Facebook Analytics, que lhe dá um sumário dos dados do seu site.

Na primeira secção de “Key Metrics” pode ver o n.º de utilizadores individuais (n.º de visitantes únicos do seu site), utilizadores novos (novos visitantes no seu site), receita, sessões (n.º de visitas no seu site) exibições de página (n.º de páginas visualizadas numa sessão).

Key metrics do FB Analytics

Por baixo pode ver quando as pessoas mais visitam o seu site em Active Users: Last 24 Hours (utilizadores ativos nas últimas 24 horas) e Active Users: By Hour (utilizadores ativos na última hora. Também consegue ver a demografia dos visitantes do seu site na secção de People.

Utilizadores ativos e demografia

Na secção abaixo de Active Users pode ver o número de visitantes por mês, semana e dia.

Utilizadores ativos FB Analytics

Por baixo temos Traffic Sources (fonte de tráfego), Top Referer Domains (fonte de visitas de domínios) e Top URLs (páginas mais visitadas).

Traffic sources, top referrers e top urls

De seguida tem Search Sources (de que motores de busca vieram), Social Sources (de que redes sociais vieram) e Median Session Length (sessão média da visita).

Search Sources, Social Sources, Median Session Length no FB Analytics

Por fim temos mais 4 blocos, Revenue (faturação), Age and Gender (idade e sexo), Country (país), e Device OS (sistema operativo de quem visita o seu site).

Faturacao, idade e sexo, pais e dispositivo

Em qualquer destes blocos pode clicar no canto superir direito no link “View Full Report”, e irá ver estes dados em maior detalhe.

View full report Top referrer domains

4. Crie segmentos no Facebook Analytics

É possível personalizar os dados que o Facebook Analytics lhe dá sobre o seu site com Segmentos, Funis, Grupos e Breakdowns (discriminações).

Pode criar ou aceder aos segmentos no topo do painel de controlo do seu Facebook Analytics.

Criar segmento Facebook Analytics

Quando cria um novo segmento, está a criar um filtro de visualização para os dados do seu Facebook Analytics com base nas condições que definiu.

As condições do segmento podem ser definidas com base nos Eventos (do píxel), dados demográficos (idade, sexo, cidade, país e região), informação do dispositivo (como acedem ao seu site), fonte de instalação da app e parâmetros web (domínio, URL, referrer, fonte de tráfego ou UTM).

Aplicar segmento FB Analytics

Ao definir as condições para um segmento, irá ver no círculo da esquerda o total de n.º de utilizadores. Eu escolhi saber os utilizadores que veem do Google, mas você pode definir o segmento com as condições que preferir. Lembre-se de clicar em Aplicar para aplicar as mudanças e em Guardar para guardar o seu segmento.

Condições segmento FB Analytics

Após clicar em Guardar, dê-lhe um nome que faça sentido.

Dar nome a segmento

Quando quiser filtrar os dados no Facebook Analytics para o seu site com base nas condições que definiu, só tem de aplicar o segmento que criou no menu no topo.

Selecionar segmento

Nesse menu dos segmentos pode remover o segmento em “Apagar segmento” (isto não apaga, apenas remove o filtro), criar um novo ou apagar na cruzinha (aí apaga mesmo definitivamente o segmento).

Remover filtro do segmento, apagar ou criar novo

5. Ver quem comprou

Se colocou um valor nos seus eventos (ex.: 1€ no evento de lead ou 297€ no evento compras), poderá ver os dados demográficos e outros dados interessantes dos seus clientes. Para isso clique em Receita no menu da esquerda.

Separador Receita no FB Analytics

Neste separador poderá ver a receita obtida e usar esta informação para analisar tendências de compra ao longo dum período de tempo específico. Também pode analisar os dados demográficos (ex.: idade, sexo) dos seus clientes.

Resultados do separador Receita

6. Use os Funis para ver comportamento do visitante

Para usar esta secção dos Funis precisa de ter eventos colocados no seu píxel, porque é isto que nos vai permitir ver os passos específicos que os visitantes efetuaram no seu site, tais como uma compra, um registo, uma lead, etc.

Por exemplo, se tem uma loja online, pode saber quando os visitantes adicionaram um produto ao carrinho, iniciaram pagamento e concluíram a compra, mas tem de usar eventos com o píxel do Facebook.

Para criar um funil clique em Funis no menu do lado esquerdo e clique em Criar Funil.

Criar funil no Facebook Analytics

Selecione os seus passos do funil e clique em Aplicar. Irá ver um gráfico de barras. Neste exemplo coloquei três passos (atividade utilizadores, adicionar ao carrinho e compras). Esta é a percentagem de pessoas que caem em cada passo.

Passos do funil no FB Analytics

Clique no botão Guardar para guardar este funil e poder vê-lo quando quiser. A vantagem dos funis é conseguir ver em que passo é que os seus visitantes abandonam o seu funil de vendas ou geração de leads.

Se notar que há muitos visitantes a cair num certo passo do funil, reveja esse passo no seu site para perceber o que haverá para resolver ou otimizar de forma a converter mais visitantes. Por exemplo, se há muitas pessoas que adicionam ao carrinho, mas não compram, isso significa que o produto é apelativo, mas por alguma razão não compraram. Talvez haja um problema com a página de checkout, ou não é aceite determinado método de pagamento.

7. Saiba quantos utilizadores conseguiu reter

Em Retention (retenções) pode analisar a percentagem de pessoas que regressam ao seu site (ou Página, ou app) após a interação inicial.

Retenção de utilizadores

Pode filtrar por intervalo de tempo e parâmetros para especificar os resultados do gráfico. Neste caso usei Cidade mas podia ter usado quaisquer dos vários parâmetros disponíveis.

Separador Retenção no FB Analytics

8. Veja comportamento conjunto dos seus utilizadores

No separador de Grupos pode ver as pessoas que efetuaram dois eventos do seu píxel do Facebook, tais como um visitante preencher um formulário (convertendo-se em lead) ou ter visitado o seu website.

Para criar um grupo, clique no separador de Grupos e depois em Criar Grupo.

Criar grupo no FB Analytics

Selecione os dois eventos que quer analisar. Também pode usar uma “medida” diferente. Por prédefinição, está como Retenção de utilizadores.

Criar grupo e selecionar 2 eventos

Clique em Aplicar e irá ver estatísticas que irão ajudar a medir e otimizar a sua retenção de utilizadores, o valor de vida do cliente (que o Facebook chama valor em toda a duração), entre outros.

No exemplo, selecionei os eventos Exibições de página (PageView) e Leads. Isto mostra a percentagem de utilizadores que viram alguma página no meu website e que se converteram em leads. Lembre-se que pode selecionar um intervalo de tempo diferente (diário, semanal, mensal).

Retenção de utilizadores nos grupos

Se quiser guardar este grupo clique em Guardar ao lado do botão Aplicar para poder ver este grupo no futuro.

9. Crie as suas Discriminações

O separador Breakdowns (Discriminações) é onde pode ver os parâmetros dos seus eventos do píxel do Facebook.

Por prédefinição o Facebook já tem algumas discriminações feitas por nós. Pode usar isto como exemplos para criar as suas próprias discriminações.

Separador discriminações no FB Analytics

Para criar uma discriminação, clique no canto superior direito em Criar Discriminação, e no ecrã seguinte, dê-lhe um nome, escolha o seu evento e três parâmetros do evento para analisar.

No exemplo temos o evento de Add to Cart (adicionar ao carrinho) selecionado, e três parâmetros dele, por fonte de tráfego, tipo de dispositivo e modelo de dispositivo.

Criar discriminação do evento no FB Analytics

Clique em aplicar e irá ver os resultados destes “filtros” (os parâmetros) que selecionou. Para guardar, clique no menu da seta invertida do botão Aplicar e irá ver Guardar.

Resultados da discriminação

10. Descubra os utilizadores mais ativos no seu site

Em Percentagens podemos ver os grupos de visitantes mas ativos no seu website ou que resultam em mais Compras.

Por prédefinição irá ver Exibições de página (Page Views) no topo. Esta métrica mostra a distribuição de pessoas que visualizaram uma página no seu site, em que o eixo horizontal é a percentagem dos utilizadores e o eixo vertical é o número de páginas visualizadas.

Percentil de Exibicao de Página no FB Analytics

Você pode criar o seu próprio Percentil personalizado ao selecionar um evento do seu píxel, tais como Add to Cart, Content View, Lead, Purchases.

Eu selecionei Compras (Purchases) para analisar a percentagem de utilizadores e quanto compraram eles no meu site.

Separador percentagem no FB Analytics

11. Analise os seus eventos

Clique em Events (eventos) no menu da esquerda para ver todos os eventos que o seu píxel do Facebook está a acompanhar. Poderão ser poucos, ou vários, de acordo com os eventos que instalou juntamente com o píxel no seu site.

Eventos a ser acompanhados

Ao clicar num Evento, irá ter uma visão geral dos visitantes que tomaram uma ação no seu site para esse evento. Dependendo do evento que escolheu, irá ver estatísticas adicionais.

Dados sobre Evento de Compras

12. Veja se há erros, e onde

Em Depuração de eventos pode ver se existem erros no seu site ou app e em que tipo de dispositivos é que eles estão a ocorrer.

Isto ajuda a saber se existem erros no seu site ou app que estejam a ocorrer num certo tipo de SO (sistema operativo) do utilizador. Por exemplo, uma página sua ou alguma funcionalidade no seu site podem abrir bem em Android mas dar problemas em dispositivos iOS (iPhone).

Pode ainda refinar a sua análise por algum evento ou sistema operativo específico. É uma boa forma de fazer “troubleshooting” ao seu site.

Separador Depurador de Eventos no FB Analytics

13. Reveja as suas sobreposições de públicos

Na Sobreposição pode analisar quantos utilizadores únicos interagem com o seu site em mais do que um canal ou parâmetro. Por exemplo, os seus clientes podem usar vários tipos de dispositivos até comprar no seu site.

Percentagem de utilizadores sobreposicao

Use o menu da seta invertida no canto superior direito para selecionar um evento e um parâmetro de evento. Assim pode ver quantos clientes usam que tipo de dispositivos com base no evento selecionado (ex: compras, leads, etc.).

No exemplo podemos ver a uma combinação da percentagem de atividade dos utilizadores com base na combinação das fontes de tráfego que usaram para interagir no seu site.

Sobreposição no Facebook Analytics

14. Quanto ganha por cliente?

Se está a acompanhar o evento de Compras (Purchases) no seu píxel do Facebook, pode clicar no “Valor em toda a duração” no menu da esquerda para ver o valor do tempo de vida do cliente dos visitantes.

Tem um gráfico de linhas e uma tabela que lhe dão informação valiosa sobre o valor dos visitantes do seu site.

Pode usar o menu em cima para filtrar por todos os utilizadores ou apenas os contribuintes, por intervalo de tempo, e um dos parâmetros disponível em “Mostrar por”.

Ao passar com o rato por cima irá ver mais detalhes.

Valor em toda a duração no Facebook Analytics detalhes

15. Conheça a fundo os seus visitantes

Em “Pessoas” tem acesso a separadores, começando pelos Destaques, que nos dão uma visão de helicóptero dos dados demográficos dos utilizadores no seu site.

Separadores Pessoas > Destaques

Em Destaques poderá ver ainda a idade e sexo, canal, idioma, país e cidade dos utilizadores.

Dados demográficos em Destaques

Abaixo dos Destaques, temos o separador de Demographics (dados demográficos) encontramos o mesmo tipo de informação, o que é um pouco redundante, mas temos alguns dados adicionais que vale a pena analisar, tais como Cargos, Nível académico e Estado civil.

Separador Pessoas > Demographics

Por baixo, temos o separador Gostos da Página, que mostra as páginas mais gostadas pelas pessoas que visitaram o seu site. Bom para analisar possíveis concorrentes (embora possam não ser só concorrentes).

Separador Pessoas > Gostos da Página

No separador de Technology (tecnologia), tem acesso a informação sobre o tipo de SO (sistema operativo), tipo e modelo de dispositivo que os utilizadores usam para aceder ao seu site.

Separador Pessoas > Technology

Logo por baixo, no separador de Household/Purchase (Agregado Familiar/Compras), poderia ver dados sobre o agregado familiar e os hábitos de compra dos seus utilizadores. Infelizmente, e de acordo com o Facebook:

As informações apresentadas na subsecção Agregado Familiar/Compras só está disponível para membros do público que também são utilizadores do Facebook nos Estados Unidos.

Mas por curiosidade, eis os tipos de dados que aparecem neste relatório.

Separador Pessoas > Household Purchases

16. Verifique as suas definições

A última secção do menu da esquerda é Definições desta entidade do Facebook Analytics.

É aqui que pode escolher se utilizadores com permissões de Analítics podem ver dados de compras e mudar o seu fuso horário. Há pouca coisa para “definir” aqui, mas é isto o separador de Definições.

Secção de Definições do Facebook Analytics

Ufa, está feito

Como conseguiu perceber, o Facebook Analytics mostra-lhe uma enorme (e valiosa) quantidade de informação, quer você seja marketer ou esteja à frente da sua empresa.

Pode usar estes dados que o Facebook lhe mostra dos visitantes do seu site para otimizar o seu site e a sua estratégia.

O que aprendeu deste artigo? Partilhe connosco nos comentários.

P.S.: Veja também este artigo abrangente sobre o Facebook Analytics.

Anúncios Facebook: o que esperar de 2018

Com as lições aprendidas em 2017, podemos olhar para a frente e estarmos preparados para 2018, em anúncios Facebook e marketing no geral.

Neste artigo vamos dar:

  • a importância da “customer journey” e como levar uma pessoa que não conhece a sua empresa até ser cliente.
  • porque deve saber as suas métricas (KPI) e o “big data”.
  • tecnologias emergentes de voz (Alexa Voice e Google Home) e como se podem relacionar com a sua estratégia de SEO.
  • uma rede social que não pode ignorar em 2018 (que não o Facebook).

#1. Customer Journey

A primeira coisa a saber é ter um entendimento de como levar alguém que não conhece o seu negócio nem os seus produtos ou serviço até se tornarem um cliente.

Exemplo duma customer journey

O seu público-alvo não estão apenas numa rede social nem apenas um dispositivo. Alguém pode visitar o seu site no telemóvel e comprar no computador de secretária.

Use personalização no seu marketing, por exemplo, nos seus anúncios e no seu conteúdo para falar diretamente para o seu público-alvo e em que ponto estão nesta “jornada”.

Isto não é nada revolucionário. Isto é a base do bom marketing. É saber comunicar bem a sua mensagem para a pessoa certa, no sítio certo e na altura certa.

Com a tecnologia que temos disponíveis, isto torna-se mais viável. É fácil fazer esta personalização com Bots do Messenger, e serviços como o Manychat ou Chatfuel tornam isto possível.

Mas tem de usar isto com juízo, duma forma permissiva e não a empurrar os seus produtos ou serviços.

#2. KPI (Key Performance Indicators)

Você precisa saber as suas métricas, os seus KPI, em Português, os Indicadores Chave de Desempenho.

Monitor smartphone numeros

Antigamente era mais difícil, mas hoje em dia com a tecnologia que temos disponível, podemos usar as nossas métricas para otimizar o seu marketing.

Isto não é nada de novo, mas à medida que avançamos neste ano, é importante saber as métricas do seu negócio.

Por exemplo, quanto custa obter uma lead? Quanto custa obter um cliente? Qual o valor do tempo de vida do seu cliente? Qual a taxa de conversão dele ao longo do funil?

Se você não sabe estes números, vai andar às cegas com o seu marketing e com o seu negócio.

#3. Anúncios: maior controlo

Em 2017 o Facebook deu-nos mais controlo com a possibilidade de otimizar os valores que licitamos pelos anúncios.

Pode ver isto a nível do conjunto de anúncios, na secção de Optimização e Publicação, que se chama “custo mais baixo”, que lhe vai dar o maior n.º de conversões para o seu orçamento (isto chamava-se anteriormente de licitação automática).

Montante de licitação

Mas também pode definir um montante de licitação “manual”. Portanto se você souber quanto custa para si uma lead/cliente, pode definir aí o valor máximo que está disposto a pagar por conversão/clique/ação.

Em anúncios de Conversões, tem ainda a possibilidade de definir um valor manual média ou máxima para a licitação.

Montante de licitação média e máxima

Você não tem de usar estas novas opções, e aliás, não deve, se não souber as suas métricas, os seus KPI. Se assim for, é melhor deixar para o algoritmo do Facebook otimizar as coisas por nós.

#4. Tendência: “Voice”

Uma grande tendência que está a entrar em cena é a “Voice”. Um exemplo disto é a Alexa Voice Service e Google Home. É uma tecnologia de ativação de voz que ainda não está disponível em Português. Mas o potencial é grande.

Google Home calling mom

As pessoas estão a começar a usar ativação e voz e tecnologia inteligente. Isto pode ser uma boa oportunidade à medida que avançamos pelo adentro.

Elas podem falar e o “robozinho” vai pesquisar o que falou.

Se você está a começar com o seu negócio ou se o seu foco for a nível nacional, não recomendo que pense nisto. Mas se a sua empresa estiver bem estabelecida no mercado e faz negócios internacionalmente, isto pode ser bom para si.

Pense em como usar isto para seu benefício, porque as pessoas quando pesquisam nos motores de busca por voz, as pesquisas são normalmente mais longas (falamos mais do que escrevemos). Leve isto em conta na sua estratégia de SEO.

#5. LinkedIn e Amazon

Em 2017 o Facebook e Google dominaram a publicidade online. Isso não irá mudar num futuro próximo, mas plataformas como a Amazon e o LinkedIn começam a ganhar mais tração no mundo dos anúncios.

Logos linkedin e amazon

Do ponto de vista de anúncios, o LinkedIn quando começou era fraquinho. Mas eles fizeram uma série de melhoramentos à plataforma de anúncios em 2017.

O LinkedIn não se vai sobrepor ao Google nem Facebook, mas será uma rede social interessante para experimentar fazer anúncios e chegar ao seu público-alvo no LinkedIn.

E a Amazon? Também tem uma plataforma de anúncios.

A Amazon tem tanta informação sobre comportamento de compra do consumidor que pode ser uma boa oportunidade para lá fazer anúncios se tiver uma empresa de venda de produtos que possa vender internacionalmente.

Pode criar uma conta de vendedor na Amazon aqui. Se o seu negócio tiver sede em Portugal ou outro país de língua Portuguesa, a Amazon considera-nos como vendedores internacionais. Por isso convém ler os termos de serviço específicos para nós.

#6. Experimente, teste

Não acredite em nada daquilo que lhe digo. Experimente as coisas por si próprio(a).

Não ande a bater com a cabeça na parede a fazer sempre a mesma coisa e à espera de obter resultados diferentes. Isso é a definição de insanidade, dizia o Einstein.

Ilustração isométrica vetores

Se normalmente faz anúncios com vídeo, experimente só imagem. Se faz com uma única imagem, experimente um carrossel de imagens. Se o seu lead magnet é um PDF, experimente um desconto ou trial do seu produto ou serviço.

À medida que temos cada vez mais serviços e tecnologias que podemos implementar no nosso marketing, a seleção torna-se confusa mas também é uma oportunidade para testar diferentes táticas na sua estratégia.

Neste ano, não tenha medo de experimentar novas táticas, mesmo que sejam fora da sua zona de conforto. Poderá ficar agradavelmente surpreendido com os resultados.

Sumário

Eis um apanhado daquilo que nos espera em 2018, não só em anúncios Facebook, mas também no marketing em geral.

Icone lista sumario

#1. Consumer Journey
Ter um entendimento da “jornada” do seu cliente e usar personalização no seu marketing e anúncios. Com o Facebook Messenger e a tecnologia dos bots isto torna-se fácil.

Como pode segmentar as pessoas o mais depressa possível para lhes dar conteúdo relevante e usar os anúncios para ter uma conversa personalizada com ela?

#2. KPI (as suas métricas)
Saiba os seus números. Quais são as métricas importantes no seu negócio?

Quanto custa uma lead para si? Qual o valor do tempo de vida do cliente? Se não tiver resposta para estas perguntas está a navegar às cegas no seu marketing.

#3. Anúncios: opções de licitação
Ao saber as suas métricas, pode tirar partido de algumas opções de licitação no Facebook (a nível do conjunto de anúncios) para ter maior controlo em como gasta o seu orçamento.

No entanto, se for principiante, aconselho deixar na prédefinição do Facebook.

#4. Tecnologia de “Voice”

Se tiver um negócio bem estabelecido, a vender internacionalmente, com uma boa presença online, pode começar pensar em tirar partido desta tecnologia.

Incorpore as possibilidades de ativação de voz na sua estratégia de SEO porque as pesquisas que as pessoas fazem ao falar são normalmente mais longas do que se escreverem.

#5. LinkedIn, Amazon
Vão ganhar mais popularidade ao longo do ano à medida que novos anunciantes entram em cena e começam a estar anúncios nestas plataformas.

O LinkedIn tem feito vários melhoramentos no seu interface de anúncios e é uma rede social em que deve experimentar fazer anúncios. E a Amazon tem muita informação sobre o comportamento do consumidor, o que a torna ideal se tiver produtos para vender para este mercado através de anúncios na plataforma deles.


E aí está, são estas tendências que pode esperar para 2018 e ter sucesso este ano, é isso que lhe desejo.

Ferramenta Anúncios Facebook: “Teste e aprendizagem”

Teste e aprendizagem imagem destaque

O Facebook lançou para os anunciantes uma opção chamada “Teste e aprendizagem”.

Opção anúncios "Teste e aprendizagem"

Esta ferramenta de Teste e aprendizagem permite que os anunciantes saibam aquilo que está a funcionar (ou não) nos seus anúncios.

Existe alguma confusão em relação a esta opção, portanto vamos descomplicar isto.

Teste a aprendizagem: o que é?

Para aceder a esta ferramenta, vá ao canto superior esquerdo, e irá encontrá-la por baixo de Dados e relatórios.

Aceder ao Teste e aprendizagem

Após clicar, o Facebook indica-nos qual a pergunta que queremos colocar.

Existem duas opções que pode escolher. O interface está em Inglês, mas basicamente as duas opções são estas:

Teste de aprendizagem duas opções

Teste de comparação de campanhas: o que é?

Este teste mostra-lhe quais de duas campanhas semelhantes tiveram mais conversões a um custo mais baixo.

A vantagem deste teste é que usa uma funcionalidade invisível do Facebook chamada “Conversion Lift measurement”. Não é a mesma coisa do que ir aos seus relatórios de anúncios e ver o Custo por resultado das campanhas.

Antes de avançarmos, eis o que é o Conversion Lift, diretamente da boca do Facebook…

Conversion Lift measurement

Portanto, este teste de comparação de campanhas usa esta funcionalidade do Conversion Lift.

Eis como funciona a coisa…

  1. Grupo de teste 1 – amostra aleatória de pessoas que viram anúncios da primeira campanha durante o período de teste.
  2. Grupo de teste 2 – amostra aleatória de pessoas que viram anúncios da segunda campanha durante o período de teste.
  3. Grupo de controlo 1 – amostra aleatória de pessoas no público-alvo que não foram selecionados para verem anúncios da primeira campanha durante o teste.
  4. Grupo de controlo 2 – amostra aleatória de pessoas no público-alvo que não foram selecionadas para verem anúncios da primeira campanha durante o teste.

Aqui está uma imagem que ilustra a coisa.

Ilustração de Conversion lift

Com isto, o Facebook compara como é que os grupos de teste (1 e 2) se compararam com os respetivos grupos de controlo.

Agora, uma nota. Este teste não depende da janela de atribuição do Facebook, por isso tenha isso em conta ao ver as estatísticas no Gestor de Anúncios.

Por prédefinição, uma conversão é contabilizada quando alguém clica num anúncio e se converte no espaço de 28 dias, ou quando alguém vê um anúncio e se converte no espaço de 1 dia.

Alterar janela de atribuicao

Neste teste entre as campanhas, o Facebook só quer saber quem viu o anúncio, quem não viu, e quantas conversões resultaram dessas pessoas que viram, ou não viram, o anúncio. Isto é o Conversion Lift.

Isto é relevante porque podia haver pessoas no seu público que tinham convertido de qualquer maneira (ex.: públicos mornos, pessoas que já conhecem a sua marca). Ou talvez alguém viu um anúncio seu e converteu-se após aquele espaço de 1 dia. Os relatórios dos anúncios não levam em conta estas exceções (que podem acontecer), mas este teste sim.

Teste de comparação de campanhas: como criar

Vamos criar um teste de comparação de campanhas.

Teste de comparação de campanhas

Clique no botão para criar um teste e irá aparecer o seguinte ecrã, com estas opções, que vai ter de preencher.

Setup de teste entre duas campanhas

  • Teste name – escreva o nome das campanhas que vai testar. Pode escrever um nome qualquer para elas. Vai selecioná-las no campo seguinte.
  • Campaigns – escolha campanhas semelhantes, mas com uma diferença, como por exemplo o objetivo, o local de publicação, orçamento, criativo. No meu caso escolhi duas campanhas em o objetivo é que variava (vídeo vs conversões).
  • Evento – selecione o tipo de evento de conversão que quer acompanhar. Eu escolhi Compra.
  • Schedule – aqui pode agendar e escolher a duração de tempo do teste. O Facebook recomenda 1 mês ou mais, porque precisam de tempo para encontrar resultados estatisticamente relevantes.

O evento padrão que escolher é com base no píxel que está selecionado.

Píxel e evento padrão escolhido para teste

Ao selecionar o evento padrão, as campanhas serão comparadas tendo como base esse evento, no nosso caso de exemplo é Compra (mas podia ter sido Gerar Leads, Adicionar ao carrinho, etc).

Quaisquer produtos do seu site (onde está o píxel e este evento padrão) serão contabilizados nas duas campanhas.

Também podia selecionar, como Event Source, um app evento, offline event, ou custom conversion (conversão personalizada). Eis um exemplo duma conversão personalizada que criei anteriormente (quantas pessoas se converteram para a consultoria privada).

Selecionar tipo de evento no teste

Quando tiver tudo definido, clique no botão Review e irá ter ao próximo ecrã de confirmação. Confirme que está tudo bem e clique em Create Test.

Ecrã confirmação teste entre duas campanhas

Teste de comparação de campanhas: ver resultados

Após criar esse teste vai ter a este ecrã.

No separador de Learn vai ver os seus testes por nome (name), questão do test (test question), estado (status), e agendamento (test schedule). Neste caso só temos um teste, aquele que criámos agora.

Separador Learn de Testes de aprendizagem

Ao clicar no nome da campanha, irá para a página dos resultados, se tiver algum.

No nosso caso não temos resultados porque acabámos de criar o teste. Mas quando tivermos, podemos clicar em cada uma das campanhas neste teste para analisá-las separadamente ou ver a comparação delas nesta página.

Resultados do teste das campanhas

Como ainda não tenho resultados porque fiz agora o teste, eis as métricas que aparecem nos resultados, tirado dos exemplos do Facebook.

Esta é a secção de Incremental Efficiency para as duas campanhas.

Incremental Efficiency - Teste e aprendizagem

Isto compara o custo por conversão incremental por cada campanha, obtida ao dividir o número de conversões incrementais por cada campanha pela quantidade gasta durante o teste.

Esta métrica da Incremental Efficiency também existe para cada campanha, mostrando o ROAS (retorno dos gastos do anúncio) e o custo por conversão incremental.

O ROAS (retorno) desta campanha foi de 2.32, em que foi gasto $35,148 para uma faturação de $81,543.

Nos Lift Results temos as estatísticas sobre o lift neste período de teste, mostrando a percentagem de lift (vendas adicionais), vendas incrementais, e conversões incrementais.

Lift Results da campanha

Esta campanha teve um lift de 0.27%, resultando em 295,431 conversões adicionais.

Tem ainda a possibilidade de exportar os seus resultados como folha de cálculo.

Exportar resultados do teste

Agora que percebemos o teste entre as duas campanhas, vamos passar a explicar o próximo teste.

Teste de conta de anúncios: o que é?

Este teste funciona praticamente da mesma maneira que o teste de comparação de campanhas, mas com uma diferença, não compara duas campanhas.

Teste de conta de anúncios

Este teste é quantas conversões a sua conta de anúncios gerou. Clique para criar o teste e irá aparecer este ecrã.

Teste de conta de anúncios

Neste teste tem também de selecionar a conversão que quer testar, que pode ser um evento padrão (que requer o seu píxel). No meu caso selecionei o evento de Gerar Leads (no teste entre as campanhas usámos o evento de Compras).

Evento Gerar Leads para o Teste

Pode escolher também um evento offline, evento de app ou conversão personalizada.

Selecionar tipo de evento no teste

Reveja as suas opções e clique para criar o teste.

Criar teste conta anúncios

Teste de conta de anúncios: ver resultados

Clique no novo teste que criou, e irá ver uma página semelhante àquela do teste das campanhas.

Estatísticas página de resultados

Como ainda não tenho resultados porque o teste foi criado agora, vamos ver alguns exemplos Facebook das métricas que iriam aparecer.

As métricas que iriam aparecer são as mesmas que se podem analisar do teste entre as campanhas que vimos anteriormente.

Lift results teste conta anúncios

Neste exemplo, os anúncios aumentaram a taxa de conversão em 152%, resultando em 62300 conversões adicionais que não teriam acontecido sem os anúncios.

A secção de Incremental Efficiency, à semelhança do teste entre campanhas, mostra o retorno gasto em anúncios e o custo por conversão incremental.

Incrementam Efficiency para cada campanha

Neste exemplo, esta conta de anúncios gastou $35,148 e obteve $81,543 em vendas (faturação), sendo um total de 2.32 ROAS (retorno).

O que podemos concluir com isto?

O Teste de comparação entre campanhas deve ser feito com duas que sejam semelhantes mas com uma diferença específica, como por exemplo, criativo diferente, objetivo, local de publicação, etc.

No exemplo que dei, testei duas campanhas semelhantes, em que a diferença entre elas é o objetivo: uma é uma campanha de Visualizações de vídeo, e outra é de Conversões.

Campanhas testadas no Teste e aprendizagem

É para relembrar que este teste dá-nos mais informação (e mais fiável) do que se formos ver o Custo por resultado nas estatísticas do gestor de anúncios.

A razão por isto é que, neste teste, se uma campanha estiver a produzir mais conversões que outra, pode dar-nos boa informação sobre o criativo, objetivo, ou local de publicação, não só para estas campanhas, mas para todas as que testarmos.

O Teste da conta de anúncios permite-nos saber o desempenho geral da sua publicidade, porque este teste é feito ao nível da conta de anúncios, e não apenas duas campanhas testadas.

Os seus anúncios podem estar a produzir vendas, mas será que essas vendas aconteceriam sem os anúncios?

Com este teste, vai saber se o seu retorno na conta de anúncios, no geral, é aceitável, e se não for, faça o teste de campanha vs campanha para melhorar os seus resultados.

Já está a usar isto?

Você já está a usar o Teste e aprendizagem nos seus anúncios? Partilhe connosco nos comentários.

Use o Facebook para crescer o seu canal YouTube

O vídeo é e vai ser cada vez mais importante nos próximos anos.

Embora o Facebook e o YouTube sejam concorrentes, não significa que não possa usar o Facebook para aumentar o seu n.º de subscritores no YouTube.

Porquê usar o Facebook com o YouTube?
Porque funciona 🙂

O método: vamos usar anúncios Facebook para levar tráfego para o seu canal YouTube. Com esse tráfego, vamos convertê-los em subscritores.

É possível fazer isto com um orçamento minúsculo, dando uma série de benefícios adicionais:

  1. aumento de ranking do seu canal YouTube
  2. aumento de ranking da sua página Facebook
  3. criar públicos e anúncios retargeting
  4. mais subscritores e visualizações

Vamos ver cada uma destas vantagens.

Vantagem 1: Aumento de ranking YouTube
Ao captar mais subscritores, e ter mais pessoas a ver os seus conteúdos no YouTube, estará a aumentar a “importância” que o seu canal tem na plataforma.

À medida que tem mais subscritores, mais pessoas existem para ver os seus vídeos, mostrando ao YouTube que o seu canal é potencialmente relevante para outros utilizadores.

Youtube ranking

Vantagem 2: Aumento de ranking Facebook
Como está a fazer anúncios para levar pessoas para o seu canal YouTube, o Facebook percebe que você está a investir na sua página.

Isto mostra ao Facebook que você se preocupa com a sua página. Ao investir em anúncios, está a aumentar o ranking (invisível) da sua página, e por sua vez, irá melhorar o desempenho dos seus anúncios.

Facebook ranking

Vantagem 3: Criar públicos e retargeting
Ao fazer estes anúncios pode criar públicos para fazer anúncios retargeting a estas pessoas. Saiba mais sobre retargeting aqui.

Pode criar um simples anúncio vídeo para levar as pessoas para o seu canal YouTube, e todas as pessoas que interagirem com o seu vídeo podem ser criadas como público.

Quando esses públicos tiverem amadurecido, serão bons para lhes enviar conteúdo promocional, criar públicos semelhantes a partir delas, e perceber melhor o tipo de pessoa que interage com o seu conteúdo.

Facebook circulo vermelho pessoas

Vantagem 4: Mais subscritores e visualizações
Se fizer este método que lhe vou explicar, vai ter mais subscritores no seu canal YouTube e mais visualizações dos seus vídeos a baixo custo.

Comparada com outras plataformas, o Facebook consegue ser bastante económico se souber o que está a fazer, além de ter bastante versatilidade no tipo de campanhas que se podem criar.

Visualizacoes vídeo


Vamos então à parte técnica do setup deste método…

Passo a passo: como fazer isto

Para começar, o seu canal YouTube deve ter uma boa quantidade de conteúdo de qualidade.

Você está a levar tráfego para o seu canal, ele deve estar bem apresentado. Deve ter a imagem do canal em sintonia com a sua marca e ter todos os links relevantes (website, outras redes sociais).

Se não tem o seu canal bem apresentado, trate disto antes de começar a lançar dinheiro em anúncios. Seria como convidar pessoas para a sua festa de anos e a sua casa estar cheia de pó e tralha por todo o lado.

Imagem exemplo canal youtube

Passo 1 – anúncios

Quando tiver o seu canal YouTube bem apresentado, comece a fazer anúncios para os seus vídeos no YouTube. Estes serão anúncios criados no Facebook para os seus vídeos no YouTube.

A razão pela qual cria estes anúncios é para dar aos utilizadores uma pontinha de curiosidade para suscitar o interesse.

Pense no exemplo da Televisão na sua casa. Os nossos canais Portugueses e estrangeiros (AXN, Fox, etc.) dominam isto como ninguém.

Nos intervalos entre programas, eles mostram teasers de alguma série de TV que desperta a atenção do espetador. Emule o exemplo deles. O que é que torna aquele teaser tão bom? Que elementos usaram para me chamar à atenção?

Ilustração de homem numa TV

Passo 2 – álbum facebook

Depois de ter o seu canal YouTube bem estruturado com alguns anúncios Facebook prontos a correr, vai criar um álbum na sua página Facebook.

Nesse álbum vai colocar todos aqueles vídeos “teaser”, ou seja, os anúncios que tiver criado no Facebook com o propósito de levar as pessoas para o seu canal YouTube.

Browser com album

Passo 3 – públicos e campanhas

Este passo não é obrigatório, porque você pode simplesmente fazer uma campanha de tráfego com um vídeo no criativo para criar os seus públicos.

Mas uma campanha de visualização de vídeo fica normalmente mais barata, e os públicos convertem-se melhor do que estivesse a atingir públicos frios. De qualquer forma, teste. Faça campanhas de tráfego e visualização de vídeo.

Publicos personalizados

Experimente também uma campanha de interação, porque isso vai levantar a prova social e ajudar a que a campanha de visualização de vídeo e tráfego tenham melhor desempenho mais tarde.

Estas campanhas de interação são boas para páginas com poucos fãs (alguns milhares), as páginas com muitos fãs (dezenas ou centenas de milhares) já tem prova social suficiente.

Eis um exemplo da sequência das campanhas.

  1. Campanha de interação: dia 1 a 3.
  2. Campanha de visualização de vídeo: dia 1 até 5.
  3. Campanha de tráfego: dia 3 a 5.

3 objetivos campanhas

Passo 4 – subscrição automática

Agora faça uma campanha de tráfego para aproveitar essas visualizações de vídeo e esses públicos (opcional) que criou em subscritores do seu canal YouTube.

Uma forma ninja de fazer isto é usar um link direto de subscrição.

Para fazer isto, adicione o seguinte código no final da URL do seu canal YouTube, e quem clicar no link é-lhe pedido para subscrever o canal mesmo antes de ver o vídeo:

Por exemplo, clique neste link (meu canal YouTube), e se ainda não tiver subscrito, irá ver isto:

Confirmar subscrição canal YouTube

Resumo

Neste artigo aprendeu a ganhar mais subscritores para o seu canal YouTube usando anúncios Facebook.

Esta tática é uma das melhores formas de usar o Facebook para melhorar a presença do seu canal YouTube.

Se usar estas dicas, partilhe comigo nos comentários.