Criar anúncios Facebook Messenger para Retargeting

O Facebook Messenger tem mais de 1.2 biliões de utilizadores ativos, um crescimento doido desde o lançamento oficial em 2011.

E com cada vez mais pessoas a usarem dispositivos móveis, é de esperar que esse número de utilizadores vá crescer ainda mais.

Enquanto os emails existem desde 1971, a maneira como encaramos o email tem mudado bastante ao longo dos anos.

E é verdade.

Pense nisso, quando foi a última vez que enviou um email a um amigo em vez duma SMS, Messenger ou WhatsApp?

Hoje em dia parece que há um pouco aquela atitude de associar o email a informação “oficial”, coisas relacionadas com trabalho, enquanto para os nossos amigos falamos via Facebook Messenger.

Não era bom se os seus potenciais clientes o encarassem a si como um “amigo de confiança?”

Atenção: não coloque o email marketing de parte, porque ele está vivo e bem de saúde, mas comece a testar o Messenger hoje.

Neste artigo, vou-lhe mostrar como:

  • Encontrar tráfego fácil de converter em lead
  • Segmentar o seu público de retargeting
  • Criar conteúdo irresistível
  • Obter leads baratas com retargeting
  • Criar uma sequência de Messenger automatizada que gera conversões

Primeiro, eis a razão pela qual o Messenger é importante.

É um screenshot duma campanha de tráfego de Messenger que lancei durante alguns dias.

Campanha tráfego messenger

E eis um screenshot das taxas de conversão da minha mensagem de boas-vindas. Repare quantas pessoas a abriram (100%) e quantas clicaram (73%).

Mensagem boas vindas manychat

ES-PE-TA-CU-LAR.

Compare isto com o email marketing em que as taxas de abertura andam ali nos 20% se tiver sorte.

Mas não acredite na minha palavra. Um estudo pela empresa SmartInsights comparou as taxas de abertura e clique do email com o Facebook Messenger.

Eles descobriram que as mensagens do Facebook Messenger têm 286% maiores taxas de abertura e 768% maiores taxas de cliques.

FB Messenger vs Email marketing

Para lhe mostrar como ter este tipo de resultados, vou acompanhá-lo/a ao longo deste sistema de 6 passos que uso.

‘Bora lá então.

Passo 1 – Segmente o tráfego do seu site

Nem todas as pessoas visitam o seu site pelas mesmas razões.

Perceber qual é a intenção das pessoas que visitam o seu site é importante, porque cada segmento de tráfego precisa duma abordagem de comunicação diferente. Isto vai permitir que possamos fazer follow-up a estas pessoas com anúncios altamente relevantes, fazendo-lhes uma oferta que não podem recusar.

Para perceber as diferentes intenções dos visitantes, primeiro precisamos de perceber um bocadinho da “customer journey”, a jornada do cliente.

A Customer Journey pode ter apenas um ponto de contacto ou pode ser uma série de pontos de contactos complexos ao longo de várias semanas ou meses.

Mas basicamente, pode ser explicada em 4 etapas através do modelo AIDA.

Modelo AIDA

Eis como isto podia parecer…

Topo do funil: Blog – crie conteúdo (ex.: artigos) relacionado com o seu produto ou serviço. Sou especialista em anúncios e leads, e é nisso que me foco nos meus artigos.

Meio do funil: Página de produto/serviço – crie páginas dos seus produtos ou serviços, explicando o que é e como funciona, mostrando também testemunhos e comentários de clientes satisfeitos.

Fundo do funil: Página de preço – quando as pessoas exprimem interesse no seu serviço, são direcionadas para a sua página de preço, mostrando os benefícios de trabalhar consigo.

Essas três peças de conteúdos podem ser potenciais landing pages para os visitantes do seu site.

É preciso agora perceber que cada fonte de tráfego (de onde vêm os seus visitantes) tem uma intenção de utilizador diferente:

  • Utilizadores vindos dos motores de busca estão à procura de informação
  • Tráfego de redes sociais normalmente vem por curiosidade
  • Tráfego direto é normalmente o mais lucrativo porque as pessoas querem mesmo visitar o seu site

Fontes de tráfego

O último passo ao identificar o tráfego que recebemos é saber se os nossos visitantes são novos visitantes ou visitantes repetidos.

Para lhe dar um exemplo do que podemos com esta informação, vamos pegar em três fontes de tráfego, três landing pages diferentes e emparelhá-los.

Isto seria a intenção do utilizador que iríamos ter:

Fonte tráfego Landing page Intenção do visitante
Motores de busca Blog Informação – à procura de respostas
Social Blog Curioso – perceber se isto tem interesse
Direto Blog Intencional – usá-lo como fonte fidedigna de informação
Motores de busca Página de produto Informação – à procura duma solução/vantagem para um problema
Social Página de produto Curioso – tentar perceber se o seu produto tem interesse
Direto Página de produto Intencional – a comparar características de produto/serviço
Motores de busca Preço Informação – comparar preços e opções
Social Preço Curioso – à procura dum bom preço/desconto
Direto Preço Intencional – verificar mudanças de preço

Ao saber isto podemos criar diferentes tipos de conteúdo, que podemos mais tarde usar nos nossos anúncios Facebook como incentivo para captar leads.

Sumário
Não pense no seu tráfego como se fosse todo igual. Perceba qual a intenção do visitante do seu website para identificar quais aqueles a que quer fazer retargeting (e que ofertas são mais apropriadas para eles).

Passo 2 – Crie conteúdo específico para captar leads

Agora que sabe a intenção do seu visitante está na altura de criar o seu conteúdo.

O propósito deste conteúdo é dar valor extra e relevante para os visitantes do seu site, de forma a levá-los mais além no seu funil de marketing.

Ou seja, é necessário criar conteúdo diferente para cada segmento do seu público-alvo. Quem gosta de alhos, deve ser apresentado com alguma oferta sobre alhos, quem gosta de bugalhos, é mostrado conteúdo sobre bugalhos.

Para lhe dar um exemplo, eis três tipos de público, três tipos de intenção e três tipos de conteúdo que você poderia criar.

Intencao por segmento de trafego

Com isto temos um grande potencial para as nossas campanhas de retargeting, se dermos conteúdo que é altamente específico para cada segmento da sua audiência/público.

Sumário
Crie conteúdo específico para cada um dos seus segmentos de retargeting para garantir que as pessoas estão dispostas a inscreverem-se e converterem-se como leads.

Passo 3 – Crie os seus públicos segmentados no Facebook

Temos agora um panorama dos diferentes tipos de segmentos dos nossos públicos aos quais queremos atingir.

Está na altura de criar Públicos no Facebook para que possamos efetivamente mostrar-lhes os nossos anúncios.

Mas antes disso temos de modificar o nosso píxel do Facebook.

Isto pode parecer complicado, mas siga as minhas instruções.

Passo 1
Acompanhar a fonte de tráfego no seu píxel Facebook é possível ao adicionar um bocadinho de javascript ao seu site.

Para isto, adicione uma data layer (camada de dados) com o novo parâmetro. Eis como isto se parece:

Instale isso no seu site, acima do código do Google Tag Manager.

De seguida vá a Variáveis > Nova e crie duas variáveis:

  • nome: data.Layer – page url tipo: Referenciador HTTP
  • nome: data.Layer – page referrer tipo: URL

Criar variáveis data.Layer

Com isto iremos conseguir captar toda a fonte de tráfego (referenciador) no nosso píxel do Facebook num parâmetro.

De seguida, temos que saber se estamos a acompanhar o parâmetro no seu píxel Facebook. Modifique então o seu píxel para adicionar o que está sublinhado a amarelo (e já agora lembre-se de mudar os xxxxx para o seu ID de píxel):

Se fez tudo corretamente, vai ser capaz de capturar o referenciador no seu píxel Facebook.

Pode verificar se isto está a funcionar com o Facebook Pixel Helper.

Por exemplo, vá ao Google, escreva o nome do seu site na pesquisa para ele aparecer, depois clique nele e quando estiver no site verifique o Pixel Helper. No meu caso ficou assim:

Facebook pixel helper check

Note como o referenciador (source) é o google e a página (page) é joaoalexandre.com, que é o meu site.

Passo 2
Agora crie os 3 públicos que mencionámos anteriormente.

No seu Gestor de Anúncios, clique no canto superior esquerdo e procure por Públicos. Clique em Público personalizado > Tráfego no site.

Público 1: Novos visitantes do site que veem dos motores de busca para o nosso blog.

Público vindo dos motores de busca

Público 2: Visitantes repetidos que veem das redes sociais e aterram numa página de preços (podia ser de Serviços ou outra qualquer relevante para o seu negócio).

Público repetido vindo de redes sociais

Público 3: Visitantes repetidos que aterram na página de produto.

Público repetido visitando diretamente

Passo 4
Agora crie cada um desses três públicos mais duas vezes: uma vez em que seleciona os últimos 14 dias e a outra vez que selecione nos últimos 28 dias.

Sumário
Capture a fonte de tráfego (referenciador) no seu píxel Facebook, porque lhe permite fazer anúncios altamente orientados para essas pessoas.

Passo 4 – A sua estratégia de anúncios Retargeting

estudos que mostram que o valor que os visitantes repetidos têm é maior do que novos visitantes, porque já conhecem a sua marca e estão familiarizados consigo.

Faz sentido?

As pessoas que visitam o seu site repetidamente estão mais propensas para comprarem o seu produto ou requisitar o seu serviço. Veja estas estatísticas da WordStream para vários segmentos de mercado.

Taxas de conversão de utilizadores novos versus repetidos

Para atrair o máximo de visitantes repetidos, vamos mostrar pelo menos dois anúncios diferentes para o nosso grupo de retargeting no espaço de um mês.

O primeiro anúncio vai correr durante 2 semanas, dando às pessoas um tipo de conteúdo que você criou.

Após as duas semanas, as pessoas que ainda não se converterem vão ver um anúncio diferente, perguntando-lhes porque ainda não se inscreveram para esse conteúdo.

Esse anúncio irá ser mostrado por outras 2 semanas. As pessoas que também não responderam a este anúncio serão colocadas num Público de retargeting geral, que podemos usar para promover outro tipo de conteúdo.

Coloque um bom orçamento para isto, de forma a poder chegar ao seu público. Se o seu orçamento não é o suficiente para chegar ao seu público, experimente aumentar o período de tempo no qual os seus anúncios estão a correr.

Eis como isto iria parecer…

Processo retargeting 2

Sumário
Não mostre o mesmo anúncio durante muito tempo para o mesmo Público. Queremos levar as pessoas que não se converteram nos primeiros 14 dias de retargeting para um novo grupo de anúncios. Desta forma iremos mostrar um novo anúncio para não as saturar, aumentando assim a probabilidade de se converterem desta vez.

Passo 5 – Criar os seus anúncios do Messenger

Existem três tipos de Anúncios Messenger.

  1. Anúncios de Página Inicial: anúncios que aparecem dentro do seu Facebook Messenger com link para um website.
  2. Anúncios de Destino: anúncios normais que aparecem na Feed de Notícias e que enviam para o Facebook Messenger
  3. Anúncios de Mensagens Patrocinadas: anúncios que enviam uma mensagem para o utilizador que podem ter um link para um website ou iniciar uma conversação automática via um Bot.

3 Tipos de Anúncios Messenger

Os anúncios de Destino são aqueles que iremos fazer para os nossos anúncios. São eles que vão enviar as pessoas para o nosso Facebook Messenger.

Vamos fazer isto passo a passo para os nossos 3 públicos que vimos anteriormente.

Público 1 – Novos visitantes vindos dos motores de busca para o Blog.

Passo 1
Vá ao seu Gestor de Negócios e depois vá à sua conta de anúncios.

Gestor de Negócios homepage

Passo 2
Crie uma nova campanha. Selecione Tráfego.

Campanha objetivo Tráfego

Passo 3
Selecione Messenger como local de Destino.

Local de destino Messenger

Passo 4
A nível do conjunto de anúncios coloque o Público personalizado que criou anteriormente (o Público 1).

Iremos mostrar o nosso anúncio durante 14 dias para este Público. Se o seu público vem de vários países ou regiões, pode filtrá-los aqui (só Portugal, ou só Brasil, ou só Angola, etc.).

Público guardado

Em “Locais de publicação”, selecione Editar locais de publicação e coloque apenas a Feed de notícias do Facebook, remova tudo o resto, porque os anúncios de Destino do Messenger (de Enviar Mensagem) só podem ser publicados na Feed.

Editar locais publicação

Escolha o resto das opções como quiser.

Passo 5
Passe para a vista do Anúncio, onde irá criar o seu anúncio. Comece pela copy (corpo de texto), mostrando o seu valor de forma persuasiva.

Anuncio Messenger Destino na feed mobile

Agora preencha os conteúdos que o utilizador irá ver, ou seja, quando ele clicar em Enviar Mensagem, abrirá uma conversa no Messenger, e é aqui que configuramos essa mensagem. Do lado direito poderá ver a pré-visualização do seu anúncio.

Mensagem Messenger configuração

Ao clicarem no botão, o utilizador fica subscrito para a sua “lista” Messenger, que vai dar jeito para as nossas sequências automatizadas com Bots.

Passo 6
Acabámos de criar o anúncio para os primeiros 14 dias. Agora temos de criar um segundo anúncio para os outros 14 dias seguintes.

Para isso, duplique o conjunto de anúncios. Agora, coloque aqui o seu segundo Público, em tudo igual, apenas muda os últimos 14-28 dias em vez de 60. E faça mais uma coisa: exclua deste público todas as leads, ou seja, aqueles que já se converteram e fizeram download do guia.

Público guardado

Passo 7
Acabámos de criar o anúncio para os primeiros 14 dias. Agora temos de criar um segundo anúncio para os outros 14 dias seguintes.

Vamos criar o anúncio para este conjunto de anúncios. Note que este é o mesmo público, mas consistindo de pessoas que consumiram o seu primeiro conteúdo (um artigo), mas não fizeram download do segundo conteúdo (um freebie que oferece no artigo).

Para isto vamos tirar partido dum dos princípios psicológicos aplicados no copywriting, que se chama “unidade”, que significa que nós como seres humanos estamos mais propensos para responder a alguma coisa quando sentimos que fazemos parte dessa coisa.

Para fazer isto, pedimos a ajuda das pessoas.

Segundo anuncio retargeting 14-28 dias

Público 2 – Visitantes repetidos que veem das redes sociais e aterram na página de preços.

Passo 1
Crie outro conjunto de anúncios na mesma campanha de tráfego criada anteriormente.

Criar conjunto de anuncios

Passo 2
Selecione o seu Público 2 dos primeiros 14 dias, e importante, exclua todos os que se converteram como leads (que fizeram download do guia).

Público guardado

Passo 3
Crie os seus anúncios. Este público aterrou na sua página de preço (ou de serviços) mas ainda não se converteu.

Eles estarão mais propensos para se converter se aplicar dois princípios da persuasão na copy do seu anúncio:

  1. Reciprocidade. Estamos a fazer um favor às pessoas ao lhes dar um desconto no nosso produto ou serviço.
  2. Escassez. Limitamos o desconto ao mencionar que só o podem aceder nos próximos 14 dias.

Anúncio segundo publico 14 dias

Verifique se escolheu Messenger como local de destino. Isto é escolhido no Conjunto de Anúncios, logo no topo.

Agora vá criar o conteúdo que aparecerá no Messenger do utilizador, após ele/a clicar no Enviar Mensagem.

Mensagem messenger para código cupão

Pode estar a pensar porque não enviamos logo à pessoa o cupão na mensagem, mas isto tem duas razões.

Primeiro, queremos habituar as pessoas a clicar nos nossos apelos à ação, e segundo, ao responder ou clicar no botão, a pessoa fica subscrita na nossa lista (não é bem uma lista) do Messenger (é necessário usar uma plataforma do género Chatfuel ou ManyChat).

Passo 4
Para o seu segundo público, mostre uma mensagem diferente para todas as pessoas que não usaram o nosso cupão, e pergunte-lhes a razão.

Duplique o conjunto de anúncios e selecione o outro público. Iremos selecionar o público de 14-28 dias e excluir todas as leads, bem como o público dos 0-14 dias.

Passo 5
Crie então o anúncio para esta malta, usando o conceito da unidade.

Segundo anúncio para segundo público de 14-28 dias

Público 3: visitantes repetidos diretos que aterram na página do seu produto ou serviço
O terceiro público que vamos atingir são as pessoas que visitaram mais que uma vez a nossa página de produto ou serviço.

Estas pessoas estão interessadas porque visitaram várias vezes, o que significa que podem estar a comparar-nos com os concorrentes.

O que vamos fazer é tirar-lhe as dúvidas que elas possam ter para que avancem e se convertam como clientes.

Passo 1
No seu Gestor de Anúncios, crie um novo conjunto de anúncios na mesma campanha de Tráfego onde estamos.

Criar conjunto de anuncios

Passo 2
Selecione este terceiro público nos primeiros 14 dias, excluindo todas as novas leads.

Público guardado

Passo 3
Está na altura de criar um novo anúncio. Verifique se Messenger ainda está definido como Destino (isto é escolhido no Conjunto de anúncios, logo no topo).

Local de destino Messenger

Pode começar então a criar o seu anúncio, escrevendo copy e colocando imagem.

Anúncio para terceiro publico

Depois preencha o conteúdo do Messenger, aquele que o utilizador irá ver após clicar no apelo à ação (Saber mais).

Conteúdo Messenger terceiro publico

Passo 4
Duplique o conjunto de anúncios. Mude o público para este mesmo terceiro público, mas para os 14-28 dias, excluindo o público anterior (0-14 dias) e todas as leads.

Passo 5
Vamos criar o último anúncio. Aplicando de novo o princípio da unidade, pedimos às pessoas pela sua ajuda e conselho para perceber porque não leram o nosso artigo/guia com as vantagens do produto ou serviço.

Segundo anuncio, terceiro publico

Depois crie o seu conteúdo Messenger.

Conteúdo messenger de anuncio

Sumário
Comece uma conversa com o seu público-alvo. Escreva a sua copy num tom pessoal e dê-lhes instruções. Como o Messenger ainda é uma plataforma nova, precisa de dizer às pessoas o que fazer. Além disso, é no Messenger que os utilizadores estão habituados a falar com os amigos e conhecidos.

Passo 6 – Como tirar maior partido do Messenger com Bots & sequências automatizadas

Chegados aqui, criámos anúncios altamente relevantes e específicos para os nossos públicos, o que irá aumentar a interação com os utilizadores e também a quantidade de pessoas que se ligaram a nós no Messenger.

Agora vamos tirar partido destes públicos ao criar sequências automatizadas no Facebook Messenger.

Iremos criar estas sequências para cada anúncio que criámos anteriormente. Vou-lhe dar um exemplo com o nosso Público 1.

Vamos lá então…

Passo 1
Há vários serviços de bots e automação para o Messenger. As que recomendo são o Chatfuel e o ManyChat. Vou usar o ManyChat por ser mais fácil de lhe explicar isto.

Vá então ao ManyChat e crie uma conta.

Homepage do ManyChat

Passo 2
No menu do lado esquerdo, vá a Automation > Sequences.

ManyChat automations sequences

Passo 3
Crie uma nova sequência e dê-lhe um nome.

Criar nova sequência

Por defeito, aparecem uma série de mensagens, mas apague-as todas, vamos começar de raiz.

Passo 4
Vamos criar uma sequência de mensagens para despertar curiosidade, lembrar as pessoas, e levá-las a comprarem o nosso produto ou serviço.

Então a primeira coisa a fazer é criar uma mensagem automatizada que consiste em apenas uma mensagem. O objetivo dela é segmentar o nosso tráfego com base no problema que estão a ter.

Eis como isto iria parecer…

Segmentar via Messenger

Passo 5
Crie a sua primeira mensagem na sua sequência

Criar sequencia no manychat

Depois clique em “Create New Reply”.

Criar nova resposta na sequencia

Passo 6
A primeira mensagem é para mostrar às pessoas que viram recentemente o nosso Guia. Vamos levar isto um passo além e oferecer-lhes mais dois minicursos gratuitos.

Sequencia com dois quick replies

Estes botões são “Quick reply”. Ao selecionar este botão iremos enviar uma mensagem, e há outra coisa que podemos fazer, que é atribuir uma tag à pessoa que clicou neste botão. Eu cliquei em +New Action e atribuí uma tag de “interesse:captacao_leads” a quem clicou no botão de Captar leads.

Atribuir tag manychat

Após o utilizador ter selecionado uma das duas opções, iremos enviar-lhe um minicurso de 5 dias no tema que escolheu, em que no último dia teremos uma mensagem promocional, para comprar o nosso produto ou requisitar o nosso serviço.

Eis como a minha sequência se parece…

Mensagens numa sequencia automatizada

Mensagem 1
A primeira mensagem é para explicar aquilo que a pessoa vai receber ao longo dos próximos dias.

Mensagem de introdução

Mensagens 2-5

Estas são as mensagens com conteúdo educacional sobre o tema que o utilizador escolheu quando clicou anteriormente num daqueles dois botões.

Mensagens 2-5 educacionais

Mensagem 6
Nesta mensagem iremos pedir feedback sobre o que as pessoas acharam do curso. Pode fazer isto ao enviar as pessoas para um formulário Google ou pode pedir-lhes feedback logo ali no Messenger.

Mensagem 6 pedir feedback

Mensagens 7-8
Estas duas últimas mensagens têm um caráter comercial, vamos levar as pessoas para uma página de produto ou serviço relacionado com o minicurso que fizeram.

Mensagens 7 e 8 com carater promocional

Sumário
Para dar uma experiência espetacular ao seu público Messenger, comece por criar uma sequência simples de onboarding para as suas leads, ou seja, dar-lhes as boas vindas e explicar-lhes o que irá acontecer.

Isto vai fazer com que as pessoas ganhem confiança em si e na sua marca, tudo em auto piloto. Maravilha.

6 passos para ter sucesso com Retargeting + Messenger

Ao se iniciar no mundo do marketing do Facebook Messenger vai estar à frente da sua concorrência que não faz a mínima ideia de como implementar estas táticas.

Eis 6 lições que podem tirar daqui:

  • O Facebook Messenger é um meio pessoal, portanto foque-se nas pessoas que já conhecem a sua marca. Isto irá aumentar o seu CTR e taxas de conversão de leads.
  • Tráfego proveniente de fontes diferentes tem intenções diferentes. Para aumentar a sua captação de leads dê conteúdo relevante para cada segmento de tráfego.
  • Para segmentar o seu tráfego eficazmente, vá para além do típico retargeting que se faz. Modifique o seu píxel do Facebook para saber de onde vêm as pessoas (motores de busca, redes sociais, direto).
  • Mostre anúncios diferentes ao fim de 7 e de 14 dias. Se usar o mesmo criativo (mesmo texto e imagem) as pessoas desenvolvem “cegueira” aos seus anúncios.
  • Escreva num tom conversacional. Mencione que irá levar as pessoas para o Messenger e cumpra o que prometeu. Isto irá aumentar o CTR (taxa cliques) da sua mensagem.
  • Comece a “treinar” as pessoas para se habituarem a comunicar consigo pelo seu bot do Messenger. Crie uma sequência que habitua as pessoas a responder e clicar nas suas mensagens. Isto vai ajudar a longo prazo para manter as pessoas fiéis a si, além de aumentar o CTR.

Que outras ideias lhe surgiram para tirar partido dos anúncios de Facebook Messenger? Escreva nos comentário abaixo.

Como usar o Facebook Analytics: Funis

Facebook Analytics imagem destaque

Neste vídeo mostro-lhe uma opção porreira que lhe permite mapear os funis dos seus anúncios Facebook e ter uma visão de helicóptero do desempenho dos seus funis e se eles estão a ter as conversões que deveriam ter.

Para ter acesso a esta funcionalidade, clique em Analytics a partir da sua conta de anúncios ou gestor de negócios. E agora veja o vídeo para saber mais.

Facebook Analytics no menu

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube


Transcrição do vídeo

Então vamos saber como usar o Facebook Analytics.

Vá ao canto superior esquerdo no menu hamburger, que são estas 3 linhas horizontais, clique nele e vá selecionar Analytics, que vai
estar por baixo de dados e relatórios.

Depois vem ter a esta página aqui e você vai ter de começar por selecionar o seu píxel. Se não sabe qual é o seu píxel, vá à sua conta de anúncios, e depois selecione píxel, e veja qual é o nome que tem no seu píxel.

Neste caso, iria ver algo como isto. E eu sei que o meu píxel é chamado de joaoalexandre.com. E aqui está ele. Vou clicar.

Isto é o tipo de coisas normais que eventualmente poderia ver na sua página, mas isto aqui é que é mesmo espetacular que lhe vou mostrar de seguida.

Clique em funis.

Com isto, você pode mapear os seus funis que esteja a usar no Facebook para si ou para os seus clientes.

E como é que isto funciona? Isto usa os Eventos para acompanhar cada passo do seu funil, que de qualquer forma é algo que você já
deveria estar a fazer, você deve acompanhar os passos que o seu potencial cliente toma no seu funil de vendas.

Por exemplo, na sua landing page, você pode ter ViewContent, que é o evento de Ver Conteúdos, ou até um Evento personalizado para acompanhar os resultados que as pessoas tomam na sua landing page. A partir daí pode medir alguma conversão (como por exemplo uma inscrição) ou algum tipo de ação que quer que eles tomem, talvez uma lead ou uma compra.

Então vamos criar um funil.

O que vamos ter de fazer é adicionar os passos do funil. Neste menu vou selecionar Content View, Add to Cart, e Compras.

Como isto é uma conta nova, ainda não tem bons resultados, mas quando clicar em aplicar, o Facebook vai mapear este funil para nós.

E aqui está ele.

Aqui conseguimos ver as pessoas que viram o conteúdo, que adicionaram ao carrinho, e que compraram. Como isto é um funil novo, ainda ninguém comprou, mas dá para perceber aqui os passos do funil.

A alternativa para isto era ir à sua conta de anúncios, para ver as estatísticas dos seus anúncios, e iria calcular isto manualmente, iria ter que ver quantos cliques levou para a sua landing page versus quantas pessoas compraram, e depois iria calcular a sua taxa de conversão a partir daí.

Mas isto faz a papinha toda por nós.

Aqui podemos ver como é que as pessoas estão a passar dum passo do funil para o próximo.

Portanto 106 pessoas viram a página do produto, das quais 8 adicionaram ao carrinho, e compraram.

Em baixo temos os números descritos numa tabela para acompanhar o gráfico, e aqui conseguimos ver as pessoas que viram o conteúdo, que adicionaram ao carrinho, e as pessoas que compraram.

Cada funil vai ser diferente, e vai ser diferente também de acordo com o segmento de mercado, por isso é bom também mexer aqui em cima nas datas, para ver por dias, e também segmentar pelo perfil das pessoas, que isto é muito importante, poder segmentar pelo perfil das pessoas.

Você pode vir aqui e criar novo segmento e pode selecionar por exemplo dados demográficos.

Ou seja, dá para selecionar ver as pessoas que compraram, sendo homens ou mulheres, pode selecionar por idades, pode selecionar por interesses, pode selecionar por muita coisa.

Depois é só vir aqui e aplicar e iria ver o seu funil mapeado de acordo com o que selecionou.

Assim dá para ver o desempenho do seu funil de acordo com o sexo, idade, interesses etc., do seu público.

Isto é bastante importante para saber como é que o seu funil é feito. Não é preciso vir aqui necessariamente, dá para ver da forma manual a ver as estatísticas, no entanto, aqui é uma forma muito mais fácil de ver e tem o seu funil mapeado aqui à sua frente para ver se isto se está a converter bem, ou não.

Como criar um anúncio Messenger

Quase todos usamos o Facebook Messenger no dia-a-dia. Enquanto anunciante e marketer, é uma boa ideia prestar atenção aos meios que as pessoas usam que podem servir para promover produtos ou serviços, especialmente em plataformas que elas usam muito.

Parece confuso?

Vou explicar 🙂

E se pudesse chegar aos seus potenciais clientes diretamente com anúncios Facebook Messenger?

Parece fixe?

Existem três tipos de anúncios Messenger, e eu explico isso neste artigo. Neste artigo vamos simplificar a coisa e vamos criar um anúncio que aparece na home (Página inicial) do utilizador.

Isto ajuda a aumentar o envolvimento que o seu negócio pode ter e ficar “in your face” com os seus potenciais clientes.

O que é um anúncio Messenger de Página inicial?

As Mensagens Patrocinadas (um dos três tipos de anúncios Messenger que se podem fazer), é um tipo de anúncio onde podemos apenas chegar a pessoas que interagiram com a nossa página, o que é uma limitação (a menos que use Bots do Messenger como eu para aumentar o número de pessoas que pode atingir).

Aquilo que torna os anúncios Messenger de Página inicial tão interessantes é porque podemos atingir um público “frio”, pessoas que ainda não nos conhecem mas a quem podemos promover diretamente o nosso produto ou serviço.

Quando chegar ao final do artigo vai saber como criar o seu próprio anúncio Messenger. Siga os passos e irá saber tudo direitinho.

Vamos começar.

Escolha o seu objetivo de campanha

Vá ao Gestor de Anúncios e selecione o seu objetivo de campanha. Para anúncios Messenger de Página inicial pode escolher Tráfego ou Conversões como a sua campanha.

Campanhas tráfego e conversões

Eu escolhi o objetivo de Conversões.

Escreva um nome que faça sentido para si e que consiga perceber o que é quando estiver a ver as suas campanhas no futuro.

Campanha de conversões

De seguida, selecione Messenger e o seu evento de conversão.

Messenger evento de conversão

Como iremos mostrar este anúncio para Públicos frios, escolha “Ver conteúdos” porque isto irá ajudar a sabermos as conversões, ou seja, quem viu o conteúdo do anúncio. Deverá ter o píxel do Facebook instalado no seu site. Eis como instalar.

Defina o seu Público

Mais em baixo, na secção de Público, vai definir para quem quer mostrar o seu anúncio.

Nesta secção do Público, irá ver duas opções, “Criar novo” e “Usar um público guardado”.

Secção Público

Escolha “Criar novo” para definir o seu público através das opções (local, idade, sexo, etc.), ou “Usar um público guardado” se já tiver definido e guardado públicos anteriormente.

Escolher Local de publicação

Esta parte é importante. É aqui que vamos dizer ao Facebook onde e quando é que os nossos anúncios serão mostrados ao nosso público.

Pode escolher “Locais de publicação automático” ou “Editar locais de publicação”.

Ao escolher automático, não vai poder ter controlo sobre o seu anúncio e o Facebook vai mostrar o anúncio em todos e quaisquer sítios onde ele possa aparecer. Não sugiro que faça isto, a menos que seja mesmo um principiante (nesse caso faça este minicurso grátis).

Local publicação para Messenger

Sugiro que escolha os sítios onde mostrar os seus anúncios. Para isso selecione Editar locais de publicação, para escolher em que sítios o seu anúncio irá ser mostrado.

Eu tirei o Instagram e deixei apenas Faceook (feed de notícias) e Messenger (Página inicial).

Locais de publicação detalhe para anuncio messenger

Define depois o seu orçamento e horário, que pode fazer como preferir. Coloque €5/dia se for forreta 🙂 e deixe estar o resto das opções por defeito como elas estão. Clique Continuar para ir para a criação do anúncio.

Criar o seu anúncio

Chegámos à parte mais divertida (sim, anúncios são divertidos quando temos resultados), que é criar o seu anúncio.

Comece por selecionar a Página a partir da qual o seu anúncio vai ser mostrado. Escolha também o formato em que o seu anúncio irá ser mostrado (eu escolhi imagem).

Selecionar pagina e formato

De seguida vamos criar o anúncio ao começar por escrever o Título, Texto e Apelo à ação.

Escreva um título que chame à atenção para atrair as pessoas a ler, e uma descrição sucinta no texto sobre o que está a promover. Tem ainda o botão do Apelo à ação. Eu escolhi “Enviar mensagem”.

Configuração do anúncio

Do lado direito pode ver a pré-visualização do seu anúncio.

Preview do anuncio

Configuração da mensagem

O último passo (e o mais importante provavelmente) é configurar o conteúdo do seu anúncio Messenger, ou seja, aquilo que a pessoa vai ver quando clicar no seu anúncio na feed de notícias dela.

Tem a opção Padrão e JSON. No formato JSON, precisa de adicionar código manualmente ou copiar e colar código duma plataforma de chatbots como o Chatfuel ou o ManyChat.

Não vou entrar em detalhes sobre isto para não baralhar. Vamos usar o formato Padrão.

Coloque a sua mensagem de boas vindas, escolha uma imagem e um título da mensagem.

Configuracao mensagem

Mais em baixo selecione “Botões” (em vez de Respostas sugeridas), porque queremos levar as pessoas para fora do Facebook (ex.: ler um artigo)

Botao do conteudo da mensagem Messenger

E é assim que o meu anúncio irá aparecer.

Pré-visualização do conteúdo do anúncio Messenger

E voilá.

Fizemos isto em menos de 10 minutos.

Conclusão

Os anúncios Messenger de Página inicial são uma boa forma de chegar aos seus potenciais clientes que estão no Facebook.

Como os anúncios Messenger ainda são relativamente novos e pouco usados, o Facebook está a tentar melhorá-los para os tornar mais fácil para os anunciantes poderem criá-los e os utilizadores interagirem com eles.

Como ver Likes no Google Analytics

Likes no Analytics

Neste artigo explico como medir cliques no botão LIKE no seu website com o Google Tag Manager.

Eis o que deve saber antes de avançarmos.

  • Este método de acompanhamento suporta apenas os botões embutidos no seu site. É impossível medir todos os likes e partilhas que ocorrem noutros websites. Consegue medir apenas as interações que ocorrem no seu website onde o Google Tag Manager está instalado. Isto é óbvio, mas quis explicar à mesma.
  • Este método de acompanhamento suporta apenas o botão predefinido do Facebook. Plugins de partilha social como o Sumo (existem muitos) não serão medidos.
  • Este método de acompanhamento envia os dados para o Google Analytics como Interações sociais. Isto irá aparecer em Aquisição > Redes sociais > Plug-ins após 24-48 horas (não aparece em tempo real).

Etiqueta HTML personalizado – Facebook Listener

Para saber os cliques em botões Facebook, precisamos criar uma etiqueta de HTML personalizado no Google Tag Manager, a que lhe vamos chamar Facebook listener.

Isto irá “ouvir” as interações que ocorrem no botão LIKE no seu website. Quando o clique é feito, isto dispara um evento dataLayer.

O evento dataLayer é importante porque iremos usar como acionador para disparar a etiqueta do Google Analytics.

Vamos começar por criar uma etiqueta Facebook Listener no Google Tag Manager (GTM) e o respetivo acionador .

Etiqueta HTML personalizado Google Tag Manager

  • Tipo de etiqueta – HTML personalizado
  • Título da etiqueta – CHTML – Facebook Listener (cHTML é para significar custom HTML)
  • No campo do HTML colocar o seguinte código, que reconhece o botão LIKE na página web e dispara um evento dataLayer de socialInteraction caso seja clicado:

  • Nos acionadores, clicamos no bloco ao centro…

    Acionador Google Tag Manager

    … e escolhemos “Janela carregada” como acionador. Se não tem um, crie-o. A configuração disto irá aparecer assim:

    Acionador de janela carregada GTM

Atribua este acionador à etiqueta de HTML personalizado que criámos.

Há quem escolha o acionador de “Visualização de página”, mas por vezes isso não funciona bem porque ao princípio do carregamento da página os botões Facebook podem não ter carregado completamente.

Daí ter escolhido “Janela carregada” porque dispara o nosso Facebook listener apenas quando os outros scripts na página (incluindo o botão LIKE do Facebook) tiverem sido carregados.

No entanto, se a sua página leva 10 segundos para carregar todos os scripts e o visitante vê o botão LIKE no 7.º segundo da sua visita, essa interação não será medida, porque o Facebook Listener não foi lançado/disparado ainda.

Mas não há problema, porque é pouco provável que alguém vá clicar no Like do seu artigo logo após terem aterrado na página.

Vamos testar o Facebook listener

Iremos testar o modo de Pré-visualização do Google Tag Manager para sabermos se este Facebook listener está a funcionar.

No canto superior direito da sua conta GTM, clique no botão azul Pré-visualizar.

Pré-visualizar no Google Tag Manager

Após o modo de pré-visualização estiver ativo, vá para o site onde estão os botões Like e irá ver uma consola de debug com informação sobre as suas etiquetas, como são acionadas e como os dados são processados.

Esta janela da consola aparece apenas no seu computador, não é visível para outras pessoas a visitar o seu site.

Nessa janelinha, selecione Window Loaded (à esquerda) e irá aparecer assim:

Etiqueta Window Loaded GTM

Depois clique no botão de LIKE nessa página e procure pelo evento socialInteraction na consola, que irá parecer-se com isto:

Etiqueta Window Loaded GTM socialInteraction

Já está. O nosso Facebook listener funciona. Vamos ao próximo passo.

Acionador personalizado

Precisamos de criar um acionador GTM para reconhecer o evento de dataLayer de socialInteraction. Isto é necessário para que a tag do Google Analytics funcione.

No Google Tag Manager, vá a Acionadores e crie um novo com as seguintes definições:

Acionador com evento personalizado

Três variáveis

Quando o botão Facebook é clicado, o Facebook listener cria o evento dataLayer e mostra também informação adicional:

socialInteraction no Google Tag Manager

Consegue ver ali o socialNetwork, socialAction e socialTarget? Podemos passar estes dados para o Google Analytics.

Mas primeiro temos de criar 3 variáveis no Google Tag manager, ou ele não vai reconhecer estes pontos.

No seu GTM, vá à secção das Variáveis e crie estas 3 variáveis como aqui tenho (poderá ter de fazer scroll até abaixo para ver o botão Novo para criar nova variável.

Variável dataLayers criadas

“vdl” significa variável dataLayer (em Português: variável da camada de dados). É a minha maneira de dar nome às coisas para ficar tudo em ordem. Não dê nomes ambíguos porque senão daqui a 6 meses olha para isto e não se vai lembrar do que criou.

Etiqueta Google Analytics

O último passo é criar a etiqueta Google Analytics, para disparar apenas quando a seguinte sequência é concluída:

  1. O evento de Janela carregada (Window Loaded) ocorre.
  2. A etiqueta de HTML personalizado é disparada.
  3. Visitante clica no botão LIKE.
  4. O Facebook listener toma nota do clique e cria o evento dataLayer de socialInteraction.
  5. O acionador socialInteraction é disparado e lança a etiqueta Google Analytics.

Todos estes passos são necessários e nessa ordem específica.

Vá às Etiquetas no seu GTM e clique em Novo para criar uma nova etiqueta. Seleciona o tipo de etiqueta de Universal Analytics com as seguintes definições:

Etiqueta Universal Analytics para medir cliques Like

O ID de acompanhamento é o seu ID do Analytics, um número do género UA-XXXXXXXX-X.

Assim, todas as três variáveis são usadas como Network, Action e Action Target como valores na etiqueta do evento do Google Analytics. Como usei o valor Social, todas as interações no botão LIKE irão aparecer não nos relatórios dos Eventos do Google Analytics, mas sim em Aquisição > Redes sociais > Plug-ins.

Como testar isto

Estes dados irão aparecer em 24-48 horas no seu Google Analytics em Aquisição > Redes sociais > plug-ins.

Porque é que o Google Analytics diz uma coisa e o Facebook diz outra?

Estatísticas diferentes Analytics e Facebook

É importante medir o desempenho das suas campanhas para ter sucesso. O problema é que os dados do Google Analytics são diferentes dos do Facebook. Porquê?

A única forma de medir corretamente o desempenho é ao ver em mais do que um sítio (ver no Analytics e no Facebook).

Eis 8 razões do porquê das variações de estatísticas entre Analytics e Facebook.

1. Conversões em dispositivos diferentes

Hoje em dia é normal as pessoas usarem mais do que um dispositivo para acederem à net, converterem-se como leads e fazerem compras. Isto pode levar vários pontos de contacto e ao longo de vários dispositivos até à compra do produto ou serviço.

Por exemplo, imagine que estás a navegar na net com o seu telemóvel. Clica num anúncio mas não se converte. Mais tarde, nesse dia, está à frente do seu computador e decide ir ao site daquela empresa comprar o produto que viu anteriormente.

O que é que acontece?

O Google Analytics iria atribuir essa conversão ao clique inicial no seu telemóvel, porque isto é medido à base de cookies. O cookie inicial estava no seu telemóvel, e não no computador.

O Facebook, por seu lado, consegue acompanhar as conversões com base no utilizador, em vez de cookies.

Isto significa que consegue acompanhar o mesmo utilizador independentemente do dispositivo que ele use (telemóvel, PC), desde que ele esteja com sessão iniciada na sua conta Facebook.

No Google Analytics, como ele depende de cookies, todo o acompanhamento acontece exatamente no browser onde o cookie foi “despejado”.

2. Impressões e cliques

O Google Analytics usa cookies para acompanhar visitantes num website, e não tem a capacidade de acompanhar impressões como faz o Facebook.

Se os cookies não estiverem ativos por defeito no browser do utilizador, você não será capaz de acompanhar estas pessoas através do GA.

Porque é assim, o Analytics considera uma conversão quando o utilizador clica no link dentro do anúncio, enquanto no Facebook, o utilizador pode clicar em qualquer parte do anúncio, converter-se e ser contado como uma conversão.

Se o utilizador apaga os cookies, todos esses dados irão permanecer no Google Analytics. No entanto, com o Facebook, estes dados são limpos dos seus públicos personalizados.

Note que o Analytics faz retroativo aos dados obtidos, enquanto o Facebook capta os dados a partir do dia que os seus públicos são criados.

3. Cliques vs. Sessões

Os cliques no Facebook não correspondem às sessões que o Google Analytics mostra. Porquê.

Há várias razões para isto.

  • Se um utilizador clica no seu post Facebook mais do que uma vez num espaço de 30 minutos, o Analytics só considera isto como uma sessão. Por seu lado, o Facebook considera isto como mais do que um clique (por ex.:, uma sessão Google Analytics e dois cliques Facebook).
  • Se um utilizador clica no seu post e visita o seu site, torna-se inativo por mais de 30 minutos, e volta a interagir com o site ao fim de 30 minutos, o Google considera isto como duas sessões distintas. O Facebook só irá mostrar o clique único. Neste caso, um clique Facebook equivaleu a duas sessões no Analytics.
  • Se um utilizador acidentalmente clica no seu anúncio Facebook mas sai do site rapidamente, o Google Analytics não terá tempo para gravar esta pessoa como clique, já que a página não carregou completamente.

4. Parâmetros UTM

O Google Analytics pode fazer uso de “referrers”, ou seja, parâmetros adicionados à URL para saber de onde vieram as conversões, e de que anúncios.

Os utilizadores Facebook navegam na rede social com o “https” em vez do “http”. Assim, se um utilizador clicar num anúncio no Facebook e sair para se converter num site http, o utilizador não consegue ser medido porque deixaram um site com ligação segura (https) para outro site com ligação não segura (http).

Esta é outra razão porque há uma diferença nas conversões entre ambas as plataformas.

5. Várias conversões

O Google Analytis só permite uma atribuição de um clique. Isto significa que apenas uma conversão é contada independentemente do número de conversões que aconteceram na realidade.

Por exemplo, se um utilizador viu ou clicou num anúncio e se converteu várias vezes, o Facebook atribui várias conversões ao anúncio que foi clicado ou visualizado pela última vez.

6. Janela de atribuição

Os atributos de conversão do Facebook são de 1 day view e 28 day click, ou seja, visualização de 1 dia e 28 dias dos anúncios.

Assim, qualquer comparação que queira fazer com o Google Analytics ou outro software de analítica tem de corresponder a esta janela de atribuição do Facebook.

O Google Analytics usa o modelo da última interação, que atribui 100% do valor da conversão para o último canal que o utilizador interagiu antes de comprar ou converter-se.

Para mudar a janela de atribuição no Facebook, vá ao Gestor de Anúncios, clique em Personalizar colunas e escolha a janela de atribuição mais em linha com os seus objetivos.

Janela de atribuição Facebook

Janela de atribuicao cliques e visualizaçoes

7. Momento da conversão

O Facebook mostra a data em que uma visualização ou clique levaram à conversão (lead ou venda). A data da visualização ou o clique, não quando houve a conversão.

Por outro lado, o Analytics (e outros do género), mostram a data da conversão (não do clique ou visualização que levou à conversão).

8. Adblockers

O seu píxel poderá não estar a disparar se o utilizador tiver um adblocker instalado no browser.

Nos relatórios, isto pode dar um número mais baixo de conversões que realmente houve.


Estas são 8 razões porque está a ver diferenças nos relatórios do Facebook e Google Analytics.

É importante perceber o porquê destas variações, para garantir que os seus dados estão corretos e que está a acompanhar as métricas corretas.

Quando notar diferenças (e irá notar), veja as estatísticas tanto no Analytics como no Facebook, para ver as diferenças/semelhanças, e use estes 8 pontos deste artigo como ajuda para perceber o porquê do desfasamento dos dados.

Como captar mais leads com Anúncios Facebook – parte 1

Captar leads parte 1

Porque está a fazer anúncios?

É porque é giro e está na moda? É porque os seus amigos e concorrentes estão a fazer isso e acha que está na altura de começar? Isso não é uma boa razão.

Homem cabeludo a apontar

Talvez queira dar a conhecer a sua empresa, ou já é
conhecido e quer resultado, quer captar leads, dar valor, e
convertê-las em clientes.

Qual a estratégia?

Quais são os passos que você vai ter de fazer para chegar
aos seus objetivos.

Ou seja, como e o que vai fazer para pegar em alguém no Facebook que não sabe quem você é, dar-lhe valor, e captar essa lead para a sua lista de email?

É isto que tem de saber sequer antes de definir o seu público e criar o seu anúncio.

Mao em lampada com seta em quadro

“Trás-para-a-frente”

Se eu quiser vender um curso online, quais são os passos
que tenho de fazer para que isso aconteça?

Vou começar pelo fim: a venda. O que tem de acontecer para haver uma venda? As pessoas têm de confiar em mim.

As pessoas têm de confiar em mim. Preciso dar-lhes valor via email/bots Messenger e retargeting via anúncios Facebook. Passo anterior é captá-las para a minha lista de email para lhes dar valor. O passo anterior a este é saber como captar as pessoas para a minha lista de email: têm de ir para uma landing page por exemplo. Passo anterior a este é qual a oferta que dou em troca do email delas? Outro passo anterior a isto começa no anúncio Facebook. Como vou definir o público? Que copy persuasiva vou usar? Que imagem vou criar? Como vou testar?

Esta estratégia do “trás-para-a-frente” dá que pensar não dá? Porque lhe dá os passos que tem de fazer para chegar ao resultado que quer, é uma espécie de checklist.

Pes na areia

A Oferta

Como é que vai atrair pessoas para a sua lista de email? Qual a oferta, o freebie que lhes vai dar para as convencer a darem o nome e email delas?

Use algo que dê um momento “a-ha”, um momento Eureka às pessoas. Isto pode ser uma checklist, um mini-guia, algo que lhes dê valor. Eis 29 exemplos de lead magnets.

Se estiver a oferecer algo às pessoas que é tão bom, mas tão bom, que acha que devia de estar a vender isto, é aí que sabe que dá grande valor e que as pessoas vão gostar.

Boneco portátil lampada

Onde vai captar as leads

  • landing page no seu site: leve as pessoas para uma landing page sua onde tem a sua oferta e lhes pede o email em troca do seu freebie. Exemplo.
  • artigo no seu site: leve as pessoas para um artigo seu, e no artigo tem algum documento que complementa bem o artigo, em que as pessoas têm de dar nome e email para ficarem com ele. Exemplo.
  • dentro do Facebook: pode captar leads sem sair do Facebook, mas note que serão leads de baixa qualidade. Explico o porquê neste post. Se ainda assim quiser avançar, eis um artigo que explica como fazer este tipo de anúncios.

Mockup de pagina web

Retargeting

Faça anúncios para lembrarem as pessoas para voltarem ao seu site ou à sua landing page. Isto é uma tática de retargeting.

Pode fazer anúncios para pessoas que interagiram com posts seus, com a sua página, com o seu bot, com os seus vídeos, que visitaram o seu site, que viram um artigo seu, as possibilidades são impressionantes.

E o melhor disto tudo é que este tipo de anúncios são mais baratos e têm melhores resultados porque são mostrados a pessoas que já interagiram consigo. Veja este artigo para saber mais sobre como fazer retargeting.

Homem de costas com alvo

Cresça a sua lista

Se ainda não o está a fazer, comece a captar leads para as pessoas irem para a sua lista de email.

Cresça a sua lista e acompanhe as pessoas a dar-lhes valor todas as semanas, para se lembrarem e confiarem em si.

Não interessa o tamanho da sua lista desde que sejam pessoas que acreditam e confiam em si. Ao investir agora a dar-lhes valor, irá ter mais reconhecimento, resultado e vendas a longo prazo.

Envelope portatil euro email

Conheça as pessoas

Se não sabe o tipo de oferta (lead magnet, freebie) a dar às pessoas, fale com os seus potenciais clientes e com os seus clientes atuais.

Se não quiser falar em pessoa ou por telefone, comunique por email, por inquéritos, seja o que for – não pense que conhece tudo sobre o seu público-alvo, porque irá ter algumas surpresas.

Isto pode-lhe dar boas oportunidades para arranjar novos tipos de oferta, produtos, ou formas mais eficazes de promover os seus serviços.

Rapariga a ponderar

Está a começar?

Se estiver no princípio da jornada, vá atrás de públicos frios. Tem de começar nalgum lado. Frio significa que são pessoas que não a conhecem. Defina o seu público conforme o tipo de cliente que está à procura.

No que é que eles estão interessados. Quem é que eles seguem online? Quem são os seus concorrentes?

Faça uma lista de tudo isto. Se for instrutora de Pilates, pode segmentar para mulheres dos 24 aos 52 que gostam de Yoga. Pode fazer isso. Mas pense também em que marcas é que elas estão interessadas. Que páginas é que elas Gostam? O que é que elas compram? Por onde é que elas andam?

Homem a ponderar com bonecos

Eis uma ferramenta para ajudar

Vá às Estatísticas do Público, uma ferramenta gratuita dentro do Gestor de Anúncios, porque é aí que vai conseguir encontrar as pessoas, o seu tipo de cliente ideal.

Pegue na tal lista (que falámos anteriormente) que fez, sobre os interesses, e tudo aquilo que você conhece sobre o seu público-alvo (que marcas gostam, que idade têm, etc.).

Depois use isso nesta ferramenta do Estatísticas do público para definir os seus públicos.

Estatisticas publico (audience insights)

E depois o que fazer?

Crie uma campanha e comece com um conjunto de anúncios com um target. Comece com €10/dia. Super básico.

Depois adicione mais conjuntos de anúncios com mais interesses e segmentações. Aponte para um público de 100.000 a 1 milhão, desde que esteja bem segmentado para o seu negócio.

Mas teste também com públicos mais pequenos < 100.000. Não pense que mais é melhor: por vezes um público mais específico tem melhores resultados. Icones de pessoas

Não tenho pessoas suficientes: o que fazer?

Comece a agrupar interesses semelhantes dentro do mesmo conjunto de anúncios para aumentar o seu público.

Note que ao agrupar interesses no mesmo conjunto de anúncios não vai ter informação sobre quais os interesses que lhe estão a dar melhores resultados.

Mas a razão pela qual vai fazer isso é para aumentar o tamanho do seu público para dar mais informação ao Facebook para que ele consiga mostrar os seus anúncios ao tipo de pessoas ideais.

Interesses em empresas

Então e os fãs?

Sim, pode fazer anúncios para os fãs.

Mas há duas situações onde não o deve fazer:

  • se tem poucos fãs, ou
  • se tem muitos fãs, mas eles não são “bons fãs”, ou seja, são pessoas que seguiram a sua página devido a anúncios mal feitos e uma má comunicação de marketing.

Algo que vai ajudar: VÍDEO

Aqui está um vídeo sobre como usar as Estatísticas do público para encontrar o seu tipo de cliente ideal. Espero que isto lhe seja de grande valor.

Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Que raio é o Período de Conversão no Facebook?

Janela ou período de conversão.

Neste artigo vou explicar o que é o Período de Conversão no Facebook (também chamado de Janela de Conversão, mas não confundir com Janela de Atribuição).

Há uma grande confusão com isto, mesmo com pessoas que fazem anúncios há muito tempo e aqueles que se consideram experts.

Mas é compreensível porque o Facebook tem uma linguagem difícil para explicar as suas opções e funcionalidades, e nem todos os marketers ou empresas têm obrigação de perceber estas coisas.

Por isso é que eu estou aqui: para lhe explicar isto tintim por tintim 🙂

Tintin

Vamos então perceber o que é o Período de conversão e como é que isto se relaciona com a Janela de Atribuição e objetivos de otimização.

Nota: O Facebook tanto chama isto de Período de conversão como Janela de conversão, o que pode dificultar a distinção entre este termo e a Janela de atribuição. A sua cabeça já está a deitar fumo?

O que é um Período de conversão?

Então eis a explicação.

Período de conversão é o período de tempo selecionado pelo anunciante para ajudar o algoritmo do Facebook a aprender e otimizar o anúncio.

O conjunto de anúncios aprende dos dados que recebe nesse período de tempo e otimizada a publicação do seu anúncio para encontrar as pessoas mais propensas para se converterem.

Período de conversão no Facebook

Esta opção é definida a nível do Conjunto de anúncios, na secção de Otimização e publicação. Ao clicar no drop-down aparece a opção de escolhermos outros períodos de tempo, tais como:

  • 1 dia
  • 7 dias

Cada um destes períodos de tempo é tem as suas ações distintas:

  • Clique
  • Visualização

A combinação destes dois parâmetros é a atribuição dos dados que o Facebook capta. Neste artigo descrevo o que é a atribuição de dados. Mas vamos avançar.

A atribuição de dados vem numa combinação de Cliques…

  • Clique de 1 dia
  • Clique de 7 dias

… Ou de Cliques e Visualização

  • Clique ou visualização de 1 dia
  • Clique de 7 dias ou visualização de 1 dia

Note que a janela de atribuição de dados não é a mesma coisa que a janela de atribuição que pode selecionar no gestor de anúncios para ver as estatísticas. Outra nota: a janela de atribuição não é a mesma coisa que o período de conversão. Cada um destes tem semelhanças mas com propósitos diferentes.

O que é uma Janela de atribuição?

Vamos perceber então o que é uma Janela de atribuição.

Uma Janela de atribuição é o período de tempo no qual uma ação pode ser acompanhada e atribuída a um determinado conjunto de anúncios.

Por exemplo, alguém vê o seu anúncio Facebook e faz uma compra num período de 24 horas ou em 7 dias, ou mesmo após 7 dias.

No entanto, quando a sua lead faz a compra, o evento final do píxel será atribuído ao conjunto de anúncios porque o evento da compra foi como resultado direto do seu anúncio.

O Facebook acompanha a lead até 28 dias após clicar ou ver o seu anúncio e atribui a ação ao conjunto de anúncios que a causou.

Pode encontrar a janela de atribuição dentro do seu Gestor de anúncios.

Passo 1: Clique em Personalizar colunas no Gestor de Anúncios

Personalizar colunas nos relatórios Facebook.

Passo 2: Clique em janela de atribuição

Alterar janela de atribuicao

Passo 3: Selecione uma janela de comparação

Janela de comparação

Passo 4: Analise os dados no Gestor de anúncios

Nesta imagem pode ver que as estatísticas mostram os Resultados como Atribuição de visualizações de 7 dias e Atribuição de cliques de 7 dias.

Janela de comparação no Gestor anúncios

Período de conversão & otimização

Se não se lembrar de mais nada deste artigo, por ‘mor de Deus, lembre-se pelo menos desta secção.

Os Períodos de conversão são super IMPORTANTES para otimizar os seus conjuntos de anúncios. É a janela de oportunidade que o seu conjunto de anúncios tem para usar um evento atribuído para melhoria da otimização pelo algoritmo.

Num artigo anterior mencionei que o Facebook requer que tenhamos 50 conversões por semana antes de poder otimizar e mostrar os anúncios às pessoas certas.

O período de conversão e a otimização estão intimamente ligados, e vou explicar com dois exemplos.

Exemplo A: Período de conversão de 1 dia

Suponha que tem uma campanha criada de Conversões para o seu site em que o Período de conversão é de 1 dia, e o evento para o qual está a ser otimizado é de Compra.

Otimizar evento conversão para Compra

Você está a deixar correr esta campanha durante uma semana, a começar na segunda-feira, e tem 50 Compras no espaço dessa semana (50 conversões), distribuídas da seguinte forma:

  • Segunda-feira – 8 compras, 23 abandonos do carrinho
  • Terça-feira – 6 compras + 3 recuperações de carrinho, 18 abandonos de carrinho
  • Quarta-feira – 5 compras + 4 recuperações de carrinho, 15 abandonos de carrinho
  • Quinta-feira – 3 compras + 3 recuperações de carrinho, 17 abandonos de carrinho
  • Sexta-feira – 5 compras + 6 recuperações de carrinho, 21 abandonos de carrinho
  • Sábado – 7 compras + 2 recuperações de carrinho, 17 abandonos do carrinho
  • Domingo – 6 compras + 2 recuperações do carrinho, 19 abandonos de carrinho

(recuperação do carrinho significa que comprou)

Da informação acima, concluímos que a campanha ultrapassou a linha das 50 conversões/semana, tendo XX nestes 7 dias.

Mas quando vamos a ver a coisa bem, percebemos que dessas 60 compras, 20 foram de recuperação do carrinho, que ocorreram em cada dia a seguir.

Como estamos a usar uma Período de conversão de 1 dia, apenas 40 dessas 60 conversões irá contar para efeitos de otimização do algoritmo.

As recuperações do carrinho ocorreram no DIA A SEGUIR, que é pelo menos 24 horas depois APÓS o potencial cliente ter clicado/visualizado o anúncio, colocando-o fora do Período de conversão de 1 dia (leia este parágrafo de novo).

Qualquer que seja o Período de conversão que escolher, a conversão TEM de ocorrer DENTRO daquele período para ser contado para efeitos de otimização.

Caso contrário, estará a ter as 50 conversões por semana mas se as conversões estão fora desse período então estará a pagar €€€ para ter conversões que não irá otimizar o seu conjunto de anúncios – é um peso morto, dinheiro desperdiçado.

Assim o Facebook não irá otimizar os seus anúncios e não irá mostrar às pessoas certas, o que fará com que a longo prazo esteja a gastar mais dinheiro em anúncios, para ter menos resultados (vendas/leads).

Exemplo B: Período de conversão de 7 dias

Vamos usar os mesmos dados mas em vez de 1 dia, vamos usar um Período de conversão de 7 dias.

  • Segunda-feira – 8 compras, 23 abandonos do carrinho
  • Terça-feira – 6 compras + 3 recuperações de carrinho, 18 abandonos de carrinho
  • Quarta-feira – 5 compras + 4 recuperações de carrinho, 15 abandonos de carrinho
  • Quinta-feira – 3 compras + 3 recuperações de carrinho, 17 abandonos de carrinho
  • Sexta-feira – 5 compras + 6 recuperações de carrinho, 21 abandonos de carrinho
  • Sábado – 7 compras + 2 recuperações de carrinho, 17 abandonos do carrinho
  • Domingo – 6 compras + 2 recuperações do carrinho, 19 abandonos de carrinho

Temos à mesma 60 conversões (compras).

Mas desta vez, cada uma destas conversões vai contar para efeitos de otimização, porque todas elas caíram no espaço de 7 dias, ou seja, as conversões aconteceram num período de 7 dias após o potencial cliente ter clicado/visualizado o anúncio.

Isto é diretamente do Facebook:

Aviso Facebook conversões

(O Facebook tanta chama “janela” como “período” de conversão, para complicar ainda mais a terminologia)

Lembre-se disto: O seu conjunto de anúncios pode ser atribuído a um evento de conversão, mas se o evento não tiver ocorrido dentro daquele período, então não contará para efeitos de otimização para esse conjunto de anúncios.

Porquê usar *de todo* o Período de conversão de 1 dia

Com os dois exemplos que lhe dei, ficamos a pensar porquê usar de todo o Período de conversão de 1 dias quando nos arriscamos a não deixar o algoritmo do Facebook otimizar os nossos anúncios.

O Facebook recomenda (e eu concordo com eles) que um Período de conversão de 7 dias é melhor na maioria das situações, já que dá ao conjunto de anúncios um período de tempo maior para usar os eventos para efeitos de otimização.

Isto é algo que deverá decidir por si próprio/a.

O Facebook só pode acompanhar e atribuir eventos causais, que são eventos que ocorrem como resultado do seu anúncio. Ele não pode atribuir eventos coincidentes, que são eventos que poderiam ter ocorrido com ou sem o seu anúncio.

Se o seu site gera várias conversões (leads, vendas) a partir de tráfego orgânico, então experimente usar um Período de conversão de 1 dia para ter uma melhor perspetiva nos seus gastos em anúncios.

Eu faço Períodos de conversão de 7 dias para mim e para a maioria dos meus clientes mas é uma questão estratégica.

Publicação vs Relatórios

Perceber estes dois parâmetros de publicação e relatórios vai ajudá-lo/a a perceber as janelas/períodos melhor.

O Período de conversão tem como base o sistema de publicação e a Janela de atribuição é um parâmetro de relatório (estatística).

Os parâmetros de relatórios permitem-lhe ler, analisar e exportar os dados. Dá para os dados demográficos como a idade, sexo, local, assim como custos por ação. Estes são os parâmetros de relatórios, que não servem para otimizar as suas campanhas, só servem para ver as estatísticas.

A janela de atribuição tem o mesmo propósito, é para ver estatísticas com base no que selecionámos (1 dia, 7 dias, 28 dias). O Facebook irá acompanhar uma conversão até 28 dias após o clique/visualização do anúncio pela lead. Pode ainda desmembrar esses 28 dias em 1 dia, 7 dias e 28 dias para perceber, nos relatórios, em que ponto a ação ocorreu após o clique/visualização do anúncio.

Os parâmetros de publicação são sistemas que analisam os dados num anúncio assim como no conjunto de anúncios, e estes sim ajudam na otimização da publicação dos anúncios em tempo real. Pode ver estes nos relatórios (estatísticas) do seu Gestor de anúncios, em que o objetivo deles é gerar mais resultados e otimizar os seus conjuntos de anúncios.

Perceber e controlar estes sistemas terá um impacto direto na sua campanha. Alguns exemplos do que são os parâmetros de publicação: orçamento, lance, local de publicação, definição de interesses e Período de conversão.

Resumindo…

  • Período de conversão têm como base a publicação que otimiza os seus conjuntos de anúncios
  • Janela de atribuição têm como base os relatórios onde pode ver as estatísticas

Conclusão

Perceber os períodos de conversão não é fácil. Levou-me bastante tempo a testar, a ler e pesquisar a documentação no Facebook para perceber como é que isto tudo funciona.

O sistema de publicação é resultado da grande máquina que é o algoritmo, e o Facebook não revela detalhes importantes sobre isto.

Neste artigo não deu para explicar TUDO sobre os períodos de conversão e como eles se relacionam com a otimização do conjunto de anúncios, mas resumi a coisa o suficiente para poder ser facilmente digerida por si, meu caro/a leitor/a.

Se eu fosse mais a fundo nisto, ninguém percebia nada.

Espero que isto lhe sirva como um bom sumário para ajudá-lo/a a escolher qual o período (ou janela) a usar quando criar as suas campanhas, assim como definir um orçamento apropriado.

E teste. Teste. Teste.

Você está a fazer mal os seus anúncios

Dicas otimizacao anuncios 101

Sim, você está a fazer mal os seus anúncios 🙂

Neste artigo vou explicar um detalhe pequeno mas importante com os anúncios Facebook que muitos anunciantes não sabem e que lhes fazem custar muito dinheiro a longo prazo – otimização do conjunto de anúncios.

Vou explicar isto tendo como base uma campanha com objetivo de Conversões.

Otimização de conjuntos de anúncios

Vamos lá arregaçar as mangas.

Mulher de força com mangas arregaçadas

Introdução à otimização de anúncios Facebook

Já ouvi de tudo meus amigos. As pessoas têm muitas teorias. Você lança um novo conjunto de anúncios para o seu produto ou serviço, define um orçamentozito de €5-20 e depois acontece uma destas coisas:

  • Não tem conversões/resultados
  • Mesmo que tenha, são inconsistentes
  • Tem muitas conversões

Nas primeiras 2 situações, você não tem ideia se deve continuar a testar ou desativar os conjuntos de anúncios. Por outro lado, na última situação, você não sabe como expandir a campanha (mas isto é um bom problema de se ter).

Aquilo que irá estragar os seus planos é você não saber os seus números, as suas métricas. Se não tem ideia do tipo de ROI que a sua campanha de publicidade geral, mais vale ‘tar quieto.

Mas eu vou ajudar porque sou bom rapaz.

Definir otimização no conjunto de anúncios

Se quer levar o seu negócio ao próximo nível, então perceba o algoritmo de publicidade do Facebook.

Não há nenhuma outra plataforma no mercado que chegue aos calcanhares das possibilidades de segmentação e otimização que o Facebook tem.

Use e abuse dos anúncios Facebook para a sua empresa e irá DOMINAR o seu mercado para milhares de potenciais clientes.

Homem com polegar no ar

O problema é que as empresas e os anunciantes perdem-se na parte técnica da criação da campanha e sistemas que deveriam permitir que a otimização ocorra. Eles simplesmente não sabem tirar partido disso e como resultado perdem bastante dinheiro e tempo.

O algoritmo do Facebook é secreto. Ninguém sabe verdadeiramente como funciona, ao ponto que os representantes de anúncios do Facebook (se tiver um designado para si) dão conselhos diferentes.

Mas o que sabemos é que o algoritmo tem como base o “machine learning”, um conceito que significa que é uma espécie de inteligência artificial, e que aprende com base na quantidade e qualidade dos dados que recebe. Os conjuntos de anúncios precisam de dados para ser otimizados (lembre-se disto).

Olho algoritmo facebook

É preciso perceber que:

  • A otimização ocorre a nível do conjunto de anúncios
  • Duplicar um conjunto de anúncios não copia os dados para o novo
  • Todos os conjuntos de anúncios começam com 0 de otimização
  • Não há nada que indique que o píxel irá auto-otimizar um conjunto de anúncios

A janela mágica (não, não é a Janela de conversão)

Isto é – infelizmente – um dos segredos menos guardados cuja matéria o Facebook cobriu extensivamente, e ainda assim, muitos marketers não têm a mínima ideia do que é.

E o que é isto?

O seu conjunto de anúncios PRECISA de um mínimo de 50 eventos de conversão que ocorram no período duma semana para que o algoritmo do facebook possa otimizar o seu anúncio.

Isto vem da boca do próprio Facebook.

Mínimo conversões por semana são 50

O ideal é ter 50-100 conversões por semana para poder tirar partido das capacidades de otimização do algoritmo do Facebook.

Sim, 50. Está na hora de começar a jogar com os prós.

Então como é que otimizo?

Sabendo então que o requisito básico para um anúncio bem otimizado é 50 conversões por semana, temos que verificar que o nosso anúncio tem pelo menos 7 a 14 conversões por dia. Isto é o mínimo.

Depois, vai calcular o custo por conversão de cada otimização do evento do píxel e definir o orçamento do seu anúncio para 7 a 14 vezes o custo por conversão.

Por exemplo, se você quer Compras, e o seu custo por compra até agora tem sido €10 (evento do píxel de Compra), o seu orçamento inicial deve ser €70/dia, no mínimo, para ter hipótese para ser otimizado (deve ser €70 a 140 por dia).

Se é a primeira vez que está a fazer isto, ou se não sabe qual tem sido o seu custo por conversão, então otimize um passo atrás no seu funil.

Por exemplo, o custo do evento de Adicionar ao Carrinho será sempre mais barato que o custo por Compra. Da mesma forma, o custo por Ver Conteúdos é mais barato que o Adicionar ao Carrinho.

Otimizar para eventos do píxel

Não costumo usar este método porque leva mais tempo a otimizar para o evento final que eu quero, mas é uma alternativa viável para otimizar um conjunto de anúncios quando temos dificuldade em ter conversões suficientes.

DICA: Crie Públicos personalizados e Públicos semelhantes das pessoas que estão no último passo do evento (ex.: Compra) e faça retargeting para eles com anúncios otimizados para esse evento final (ex.: Compra). À medida que esses públicos ficam mornos, eles irão converter-se melhor que os públicos frios.

Período de conversão dos anúncios (7 dias vs 1 dia)

Isto é uma opção interessante para efeitos de otimização e cobri isto extensivamente neste artigo.

Vou explicar o que isto é de forma super-resumida (mas aconselho ler o artigo que está no link anterior).

Isto funciona assim, o algoritmo aprende e otimiza apenas quando um evento de conversão é atribuído a um conjunto de anúncios. Os períodos de conversão são o período de tempo durante o qual qualquer evento de conversão ocorreu e que foi atribuído a esse conjunto de anúncios.

Período de conversão no Facebook

Por exemplo, se você definir um período de conversão de 1 dia e um potencial cliente clica no anúncio mas converte-se 24 horas depois de visualizar/clicar no anúncio, essa conversão será atribuída a esse anúncio e conjunto de anúncios, no entanto, ele não será contado para efeitos de otimização, perdendo nós aqui a possibilidade de ter uma conversão que contasse para otimização (para as tais 50 necessárias).

Os períodos de conversão permitem ao Facebook aprender dos dados gerados durante o período de conversão escolhido e otimizar apropriadamente.

Normalmente, um período de conversão de 7 dias é melhor, mas, atenção, isto deve ser testado e aplicado no seu caso e para o seu negócio, devido às conversões causais vs conversões de coincidência (isto fica para outra vez, é um bocado técnico).

Como fazer esta coisa da otimização dos anúncios

A solução é simples.

Seta e lâmpada

Conheça as suas métricas e dê dados para os seus conjuntos de anúncios poderem ser otimizados.

Por exemplo, se escolher otimizar para o evento de Compra e o seu custo por Compra é €10, definir um orçamento no seu conjunto de anúncios por menos de €70/dia é um disparate.

Se fizer isso não irá dar ao conjunto de anúncios dados suficientes para que consiga ser otimizado. Imagine que neste caso, se colocar €5/dia (em vez de €70/dia), não irá ter as 7 conversões diárias que precisa porque cada custo por conversão é de €10.

Se você é forreta e é daqueles que quer experimentar com €5/dia “para experimentar”, então vai ficar no alcatrão. Irá resumir a sua estratégia a ter uns Likes aqui e ali e perguntar-se porque é que não tem resultados.

Isto é um jogo para crescidos 🙂 Se não tem dinheiro para investir, vá fazer outra coisa.

O Facebook quer que você gaste dinheiro. Mas isto é bom, porque você está a investir para comprar “informação”, para o conjunto de anúncios ter dados suficientes para ser otimizado pelo algoritmo dos anúncios.

Boneco portátil lampada

Uma boa linha de orientação é fazer um período de teste para descobrir qual é o seu custo estável por conversão. Sugiro que lance um conjunto de anúncios no mínimo a €10/dia.

Após descobrir qual é a sua linha-base para o custo por conversão, duplique esse conjunto de anúncios a um orçamento que é pelo menos 7 vezes o custo dessa conversão mais 20 a 30% em cima disso, pelo sim pelo não. Em alternativa, pode aumentar o orçamento no conjunto de anúncios original de teste.

Se a sua definição do público, copy e imagens forem boas, então deverá estar a ter o número mínimo de conversões necessárias para ter o seu conjunto de anúncios otimizado. Deixe os seus conjuntos de anúncios correrem durante 36 a 48 horas antes de querer mexer em alguma coisa, seja paciente porque às vezes os resultados oscilam até estabilizarem para aquilo que serão os resultados reais a longo prazo.

Conclusão sobre a otimização

A otimização dum conjunto de anúncios anda de mão dada com testes que deve fazer e expansão das suas campanhas (aumentar orçamento, etc.). Mas isto vai para além deste artigo, fica para outra vez.

A Otimização é importante se quiser ter um bom retorno no Facebook, porque poderá baixar o seu custo por conversão e por clique.

Rapaz com iPad na mao coisas a saltar do ecra

Não há aqui nenhum truque de magia. Faça testes com diferentes criativos (copy e imagens) até encontrar uma combinação vencedora (até pode experimentar os anúncios Dynamic Creative para isto). Após encontrar um conjunto de anúncios vencedor, adicione orçamento suficiente para continuar a ganhar ainda mais. 🙂

Não tenha medo de gastar dinheiro no Facebook, porque se souber o que está a fazer, é um investimento.

Não pode aumentar o orçamento numa campanha perdedora e esperar que isso funcione. É por isso que é bom ter um bom orçamento para efeitos de teste, e é algo que eu dou na cabeça dos meus clientes quando falo nisto.

Quando está a testar não está a ganhar dinheiro nem ter resultados. Mas pense assim. O que está a gastar agora está a meter numa espécie de fundo poupança para lhe dar os dados para que os seus conjuntos de anúncios possam ser otimizados.

Agora ide e triunfai.

Cao com flor (cocker spaniel)

P.S.: Lembre-se que são 50 conversões semanais que precisa para que o seu conjunto de anúncios possa ser otimizado. Se não tem orçamento para otimizar para “Compras” então otimize para o passo do funil anterior, por exemplo “Adicionar ao carrinho” ou “Ver conteúdos” e faça uma campanha de retargeting para ajudar a trazer mais pessoas para “Compras” (evento mais à frente no funil).

Como fazer testes de divisão no Facebook

Testes divisão anúncios Facebook

Neste vídeo mostro como fazer split testing (testes de divisão) para que o Facebook lhe diga qual os anúncios que têm melhor resultado.

HEY. Subscreva-se no canal YouTube:
Botão subscrição canal YouTube

Transcrição do vídeo

Neste vídeo vou-lhe mostrar como deixar que seja o Facebook a dizer-lhe quais é que são os seus conjuntos de anúncios que têm melhor resultado.

Olá, o meu nome é João Alexandre e dou-lhe dicas para crescer o seu negócio em menos de 5 minutos.

Então, vai ao seu Gestor de Anúncios e seleciona por exemplo o objetivo de campanha de Conversões. Vai selecionar a opção de Criar teste de divisão, e vai clicar em Continuar.

Aparece aqui uma secção chamada a secção variável. E nesta secção podemos testar 3 coisas. Podemos testar a Otimização de publicação, o Público ou o Local de publicação.

A Otimização de publicação é testar se é para conversões, cliques na ligação ou impressões. O Público é testar diferentes tipos de público, e o Local de publicação é testar se é para computador, para telemóvel, etc.

Nós vamos testar para Otimização de publicação.

Aparece uma secção aqui em baixo, e nesta secção de Otimização de publicação que é a variável, nós temos 2 conjuntos de anúncios que o Facebook criou por nós: o conjunto de anúncios 1 e o conjunto de anúncios 2.

Então o que eu vou fazer é otimizar o conjunto de anúncios 1 para Conversões, portanto, deixar como está, e otimizar o conjunto de anúncios 2 para Cliques na ligação.

O que é que isto vai fazer? Isto vai fazer com que o Facebook mostre o mesmo anúncio, mas para 2 conjuntos de anúncios, no qual um está otimizado para Conversões, e o outro está otimizado para cliques na ligação.

O Facebook depois vai-nos dizer qual é o conjunto de anúncios que está a ter melhores resultados.

Pode vir aqui à secção do Orçamento, e vai reparar que pode dar um orçamento para cada um do conjunto de anúncios.

Por prédefinição, o conjunto de anúncios 1 tem 50% do seu orçamento, e o conjunto de anúncios 2 tem os restantes 50%, mas você pode mudar isto de divisão uniforme para divisão ponderada, no qual pode alocar mais ou menos orçamento para um ou para outro.

O Facebook é malandreco, e meteu um orçamento de 800 euros, mas você pode meter o orçamento que você quiser.

Pode meter por exemplo €50, e vai reparar que o conjunto de anúncios está agora atribuído a 25 euros, e o conjunto de anúncios 2 está atribuído a outros 25 euros.

Isto quer dizer que o Facebook vai usar metade do orçamento para mostrar um anúncio, e a outra metade do orçamento para mostrar o outro anúncio.

Espero que este vídeo tenha sido útil: Goste, deixe um comentário, partilhe, porque isto a mim diz-me o tipo de vídeos e conteúdo que você quer ver para que o possa ajudar no seu negócio. Obrigado.

4 Táticas para captar leads com anúncios

No meio de trabalho para clientes e as minhas sessões de coaching, tenho passado cada vez mais tempo a analisar relatórios (poupa-se muito dinheiro quando se sabem analisar as coisas).

Há algumas tendências que vejo aparecerem em várias das contas que faço gestão, mais algumas táticas que funcionam bem para captar leads/emails para a sua lista, e achei por bem partilhar isso consigo neste artigo.

Vamos lá às 4 táticas.

Eis então 4 táticas que estão a funcionar bem (agora) no que toca a usarmos os anúncios Facebook para captar leads e crescer a sua lista de emails:

  1. Aborde cada campanha como se fosse completamente diferente das anteriores
  2. Os anúncios funcionam quando oferece algo que as pessoas QUEREM mesmo.
  3. Teste tanto Tráfego como Conversões como o seu objetivo ao princípio duma campanha.
  4. Após encontrar a combinação perfeita de público e anúncios, expanda os seus resultados ao duplicar o conjunto de anúncios.

Tática 1: Aborde cada campanha como se fosse completamente diferente das anteriores

Já vi isto muita vez: as pessoas vão reativar anúncios que tiveram bons resultados alguns meses atrás, e agora ficam pasmadas com custos elevados.

Isto acontece aos “prós” também. Estou neste momento a debater-me com isto para um dos meus clientes. Ela costuma ter leads a €1, agora estamos a ter €1.5 (para o nicho de mercado dela ainda é bom, mas eu quero que ela consiga um custo ainda mais barato).

Então o que mudou?

Boa pergunta.

No caso da minha cliente, que tem mais do que uma landing page, o CPM (custo por mil impressões) é alto na maioria delas. Isto significa que está a custar mais fazer com que o anúncio seja visto.

Estes anúncios têm boas taxas de clique, boas pontuações de relevância e boas conversões nas landing pages.

Então qual é o problema?

O problema é que cada clique num link custa mais devido ao elevado CPM (custo por mil impressões), o que significa que cada lead que obtemos também vai custar mais.

Alto CPM e alto custo por lead

Se em todas as minhas campanhas ou dos meus clientes eu estivesse a ver CPMs elevados deste género, eu diria que é o malandro do Facebook que está a aumentar os preços para que os seus anúncios sejam vistos.

Mas não. É só nesta campanha. O que significa que estes anúncios não estão a funcionar bem, e temos de encontrar uma nova estratégia para captação de leads.

Só porque estes anúncios estavam a funcionar bem alguns meses atrás não é garantia de nada. Verifique se as suas expectativas são realistas.

Se os seus anúncios estão a funcionar bem agora, não os desative. Deixe-os correr a um orçamento que consiga investir, e preste atenção em como essas leads se estão a converter em clientes (pode saber como medir o ROI a longo prazo neste artigo).

Pode não ter sempre grandes resultados numa altura posterior, portanto aproveite agora se estiver a funcionar bem.

Tática 2: Os anúncios funcionam quando oferece algo que as pessoas QUEREM mesmo.

Isto pode ser difícil de engolir, mas é importante perceber.

Se os seus anúncios de captação de leads não estão a funcionar bem apesar de ter testado vários públicos e criativos dos anúncios, é possível que as pessoas não querem a sua oferta.

Eu estou no mercado B2B, ou seja, eu ajudo marcas e empreendedores desde 2010. Estou a fazer anúncios online (Google, Facebook e outros) desde 2011.

Em 2011 não havia conteúdos/treino gratuito sobre anúncios, portanto era facílimo ter pessoas a inscreverem-se na minha lista.

Havia ainda menos empresas B2B online na altura. Mas hoje, não dá para fazer scroll no Facebook ou Instagram sem ver uma carrada de anúncios a pedir pelo seu email em troca de algum freebie.

Um endereço de email pode parecer pouco. Mas você e eu sabemos o que acontece quando me inscrevo para receber a sua oferta: sou adicionado à sua lista. Recebo emails seus que atafulham a minha caixa de correio, poderá tentar vender-me o seu produto ou serviço depressa demais, chateando-me e perdendo-me como subscritor.

Se não está no mercado B2B, parabéns. As pessoas que está a tentar atingir estão provavelmente menos expostas a táticas de online marketing que o empreendedor típico. Isto significa que terá, provavelmente, maiores CTR (taxas de clique), CPMs mais baixos e leads mais baratas no geral.

Se é uma empresa ou empreendedor(a) B2B como eu, tem duas opções no que toca a campanhas de captação de leads:

  1. Aceita o facto de que leads de qualidade da sua oferta vão provavelmente custar-lhe +€1 ou +€2 daqui para a frente, ou
  2. Criou uma oferta que as pessoas QUEREM mesmo, mesmo, mesmo.

No caso de precisar de ser lembrado(a) disto, eis o que um(a) empreendedor(a) precisa MESMO:

  • Mais dinheiro
  • Mais clientes (ou melhores clientes)
  • Mais tempo (fazer mais em menos tempo)
  • Mais popularidade
  • Mais férias/viagens (precisa de tempo e dinheiro)
  • Mais confiança (porque nem todos somos super otimistas)
  • Mais tráfego (que significa mais clientes e dinheiro)
  • Mais subscritores (significa mais clientes e dinheiro)
  • Mais claridade sobre como expandir o seu negócio (mais dinheiro e mais confiança)
  • Instruções passo a passo para detalhes técnicos (mais confiança)
  • Templates ou guias (mais confiança, tempo, dinheiro)
  • Mais apoio (mais confiança e dinheiro)

Você precisa de saber exatamente o que o seu público QUER e PRECISA.

Qual é a dor deles?

É importante saber isto porque lhe diz quais são os problemas deles para que os possa resolver na forma dum freebie (PDF gratuito) que lhes dê um momento eureka ou “a-ha”.

Olhe para o seu lead magnet e pense “Será que as pessoas pagariam para ter isto que estou a dar?”

Se a resposta é não, está na altura de arranjar um novo lead magnet ou uma nova abordagem de captação de leads.

Eis alguns anúncios de captação de leads de que gosto porque “tocam na ferida” para um problema que a dita oferta vem resolver:

Anúncio WorkCast oferecendo um ebook para saber fazer Webinars
Anúncio WorkCast.

Anúncio Amy Porterfield para inscrever num webinar que mostra como vender um curso online
Anúncio Amy Porterfield

Anúncio HubSpot para quem precisa duma CRM gratuita
Anúncio HubSpot

Anúncio ActiveCampaign oferecendo um ebook para saber como fazer Lead Scoring
Anúncio ActiveCampaign

Tática 3: Teste Tráfego e Conversões como o seu objetivo no início da sua campanha

“Fulano disse-me para usar Conversões.”

“Sicrano disse-me para usar Tráfego.”
A
“Outro disse-me para fazer XYZ…”

Há muitos experts por aí a ensinar coisas sobre anúncios Facebook, e regra geral, gosto de acreditar que são pessoas que têm valor acrescentado para dar.

Não interessa aquilo que é dito como “a maneira certa”, porque no que toca aos anúncios Facebook, não há uma maneira certa. Tudo o que faz é um teste.

Eis uma lista de captação de leads que eu faço para mim e para os meus clientes. Só precisa de 10 minutos adicionais para fazer isto da próxima vez que for correr os seus anúncios.

  1. Crie uma campanha e escolha Conversões como Objetivo.
  2. Crie os seus conjuntos de anúncios e anúncios como normalmente faz. Faça pelo menos 2, para testar diferentes públicos.
  3. Crie uma NOVA campanha e escolha Tráfego como o seu objetivo.
  4. Duplique os conjuntos de anúncios da campanha de Conversões, e selecione a sua campanha de Tráfego para onde quer estes conjuntos duplicados vão.
  5. Vá aos NOVOS conjuntos de anúncios e na secção de Otimização e publicação, para cada um deles, selecione Cliques na ligação.
  6. Publique ambas as campanhas

Quando fizer este teste, estará a gastar o dobro do montante do que se estivesse a correr apenas uma campanha.

Mas ao fim de 48 horas, irá ver um vencedor, claramente: uma dessas campanhas vai-lhe dar mais subscritores (leads) do que a outra. Desative a campanha com as conversões mais caras.

Não siga cegamente os experts: teste de formas diferentes e use aquilo que funciona melhor.

Tática 4: Após encontrar a combinação perfeita de público e anúncios, expanda os seus resultados ao duplicar o conjunto de anúncios.

Expandir os seus resultados pode ser complicado. Se quer aumentar o orçamento dum conjunto de anúncios que está a ter bom desempenho, faça-o lentamente: aumente 5% diariamente.

Se aumentar mais depressa do que isso vai desregular o algoritmo do Facebook, e ele não irá mostrar o seu anúncio com eficácia para as pessoas mais propensas para tomar a ação que quer que tomem (subscrever, venda, divulgação da marca).

Mas uma forma mais rápida de fazer isto é duplicar o tal conjunto de anúncios que está a ter bom resultado, não mudar nada e publicá-lo.

Sim, irá ter dois conjuntos de anúncios mostrando os mesmos anúncios ao mesmo público, mas se os seus públicos são centenas de milhares (ou milhões), então haverá pouca sobreposição.

Vá vendo os resultados atentamente. O novo conjunto de anúncios nem sempre tem melhor desempenho que o original, portanto verifique se e quando valerá a pena desativá-lo.

E é isto.

Agora ide e triunfai 🙂